Jump to content
Sign in to follow this  
Forgiven722

A320 PIA se acidenta em Karachi (PK8303 LHE-KHI)

Recommended Posts

Dá pra chamar de acidente isso? eu não consigo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted (edited)

Apesar de que muitas informações importantes ainda estão ausentes, como a essencial leitura do CVR, de qualquer forma é natural ficar perplexo com essa sucessão de eventos que contribuíram para este acidente.

O interessante é que ao longo dos anos, vários acidentes ocorreram de forma relativamente semelhante, quando violações atrás de violações foram cometidas, sem que pelo menos um tripulante (piloto ou F/E, por exemplo) desse um 'basta e acordasse' o grupo todo. Por causa disso, uma das soluções para mitigar esses potenciais episódios foi tornar o envelope operacional muito mais restrito, além de ser compulsório seguir uma série de rituais, como uma efetiva e compulsória aproximação estabilizada, e o não cumprimento de certos itens básicos destas rotinas contidas nos SOPs da grande maioria das empresas aéreas é uma coisa que me surpreende ao ler esse relatório preliminar, porque atingiu um patamar estratosférico, quando a aeronave esteve completamente fora do 'profile' por quase todo o tempo (e quando esteve na trajetória de descida, estava desconfigurada). Tantas evidências que algo de muito errado aconteceria, mas faltou alguém 'dar um basta e acordar' os pilotos, apesar que o ATC insinuou tal iniciativa.

As consequências foram distintas, mas no Brasil tivemos um acidente bem peculiar e único envolvendo um Boeing 737-200 da Vasp, que talvez muitos não se recordam ou não sabem, quando ele pousou em Congonhas com o trem de pouso recolhido, porque os pilotos esqueceram-se de baixá-lo. A sequência de eventos foi distorcida com o passar do tempo, mas alguns princípios, mesmo que incipientes ou inexistentes naqueles anos, teriam evitado aquele caso. Apesar da aeronave ficar destruída, não me recordo de qualquer outro caso semelhante ao que aconteceu em Karachi, que após tocar na pista com o trem de pouso em cima, mesmo assim foi iniciada uma arremetida, inclusive desrespeitando uma instrução enfática dos fabricantes de aeronaves: não se rejeita um pouso após o reverso dos motores ter sido acionado. 

Vale lembrar que esse não é o primeiro caso na PIA de um pouso com o trem de pouso recolhido, por desatenção da tripulação. Alguns anos atras, nada menos do que um Boeing 747 fez a mesma coisa, em Islamabad.

Edited by Jet Age
  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hour ago, Jet Age said:

As consequências foram distintas, mas no Brasil tivemos um acidente bem peculiar e único envolvendo um Boeing 737-200 da Vasp, que talvez muitos não se recordam ou não sabem, quando ele pousou em Congonhas com o trem de pouso recolhido, porque os pilotos esqueceram-se de baixá-lo.

Verdade.

Também teve aquele acidente em 2002 ou 03 em RBR (acho que foi com o SPJ) que o comandante tinha a idéia de vir na final com o avião em idle até o toque.. Até que um dia não deu tempo, bateu nas árvores, acabou com o avião, mas por sorte não matou ninguém.

Mas no caso do acidente da PIA,

Eu fiquei surpreso com o fato de terem dado reverso mesmo sem os trens baixados e sem contato com o chão.. Não sei como é em Airbus, creio que seja igual, mas em Boeing o reverso fica inibido. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cerca de 40% dos pilotos no Paquistão têm licenças de voo ‘falsas’, diz ministro da Aviação

 

Cerca de 40% dos pilotos no Paquistão têm licenças de voo falsas, disse o ministro da Aviação Ghulam Sarwar.

 

Sarwar revelou as notícias surpreendentes sobre os pilotos ‘falsos’ enquanto apresentava um relatório provisório de inquérito na Assembléia Nacional do Paquistão sobre o recente acidente de avião da PIA em Karachi.

“O Paquistão possui cerca de 860 pilotos ativos, incluindo pilotos da PIA, Serene Air e Air Blue. O inquérito iniciado em fevereiro de 2019 mostrou que 262 pilotos não fizeram os exames e pediram a alguém que fizesse o teste em seu nome ”, afirmou o ministro. Ele disse que descobriram durante as investigações que os pilotos com licenças ‘falsas’ nem sequer tinham experiência de voo adequada. A investigação afirma que centenas de pilotos “inativos” também fraudaram algum tipo de exame durante sua vida profissional.

Sarwar revelou ainda: “Os pilotos também são nomeados em “bases políticas”, infelizmente. O mérito foi ignorado ao nomear pilotos ”, acrescentou. Ele disse que “degrees” de pelo menos quatro pilotos da PIA também foram considerados falsos, informou a mídia paquistanesa.

Ele disse que foi iniciada uma investigação a esse respeito e que 54 pilotos foram notificados. “Alguns dos pilotos também contestaram esses avisos no tribunal. Até agora, pelo menos nove pilotos confessaram ter certificados falsos ”, afirmou.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
47 minutes ago, José Geraldo said:

 

Cerca de 40% dos pilotos no Paquistão têm licenças de voo falsas, disse o ministro da Aviação Ghulam Sarwar.

“O Paquistão possui cerca de 860 pilotos ativos, incluindo pilotos da PIA, Serene Air e Air Blue. O inquérito iniciado em fevereiro de 2019 mostrou que 262 pilotos não fizeram os exames e pediram a alguém que fizesse o teste em seu nome ”, afirmou o ministro. Ele disse que descobriram durante as investigações que os pilotos com licenças ‘falsas’ nem sequer tinham experiência de voo adequada. A investigação afirma que centenas de pilotos “inativos” também fraudaram algum tipo de exame durante sua vida profissional.

O suficiente para banir voos de empresas paquistanesas. Rússia também tem um número alto.

Quando vejo isto, eu lembro do voo da Avianca e o comandante dizendo para o EGWPS: "Cala-te gringo". 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Top tier. Está disputando com LAPA e LAMIA.

  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meus prezados

Piorou a situação da Pakistan International Airlines - A mais PERIGOSA do MUNDO

https://youtu.be/b1tMgKbeqjI

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 24/06/2020 at 17:24, 737-800 said:

Verdade.

Também teve aquele acidente em 2002 ou 03 em RBR (acho que foi com o SPJ) que o comandante tinha a idéia de vir na final com o avião em idle até o toque.. Até que um dia não deu tempo, bateu nas árvores, acabou com o avião, mas por sorte não matou ninguém.

 

O acidente com o 732 (PP SPJ) da Vasp em RBR foi em 26/01/2003. Eu estava no aeroporto aguardando para embarcar nele até BSB!

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 24/06/2020 at 17:40, FCRO said:

[...]

que bela caga**  dos pilotos...

 

Dada a ausência total de airmanship, creio que nem podemos tratá-los por "pilotos".

Homens no comando, talvez... (Caberia até um adjetivo, mas devemos respeitar suas memórias).

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

Meus prezados

Para evitar comissários bêbados, PIA passa a exigir bafômetro antes de voos

Por

 Carlos Roman

Imersa em um mar de polêmicas após o acidente fatal de maio e o escândalo dos pilotos com licenças falsas, a Pakistan International Airlines (PIA) agora introduziu testes obrigatórios de bafômetro para tripulantes de cabine (os comissários de bordo). A mudança também segue relatos de que a Autoridade de Aviação Civil do Paquistão tomou conhecimento de pilotos e tripulantes fumando e bebendo na cabine de passageiros e, para isso também tomará ações.

Segundo o Khaleej Times, a mudança tem efeito imediato de acordo diz um memorando interno. Os testes serão realizados na sala de instruções pré-voo e realizados por uma equipe médica da companhia aérea ou equipe de solo supervisionada. Já é obrigatório que os pilotos se submetam a um teste de bafômetro, mas a PIA decidiu estender a regra para a tripulação da cabine.

Muitos acreditam que a empresa esteja impondo novas regras com o objetivo de recuperar sua credibilidade, duramente afetada pela quantidade de irregularidades que vieram à tona nos últimos meses. Na esteira do escândalo dos “pilotos fake”, a PIA foi banida dos céus europeus e americanos.

Nessa semana, a empresa paquistanesa informou que expulsou 28 pilotos com licenças falsas de seus quadros, os quais se juntam a outros 260 pilotos suspensos até agora, mais da metade da equipe. Por conta dos banimentos e da falta de pilotos, a PIA tem alugado aeronaves de outras empresas para seus voos de repatriação.

Muitos países impõem regras rígidas sobre o consumo de álcool para pilotos e tripulantes de cabine, determinando que não pode ser consumido entre 8 e 12 horas entre os voos, e muitas vezes prescrevendo uma concentração máxima de álcool no sangue. Lembrando que os comissários de bordo são os agentes de segurança nos voos e precisam estar alerta todo o tempo.

Fonte: AEROIN 6 ago 2020 

Edited by jambock

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meus prezados

Banida por ter pilotos falsos, PIA apela para “comandantes de aluguel”

 CARLOS ROMAN

Depois de um acidente fatal em maio passado, notadamente causado por decisões incorretas dos pilotos, a Pakistan International Airlines (PIA) começou a ver desmascarado seu processo de contratação de pilotos, repleto de falhas e de profissionais com licenças falsas. Relatórios locais preliminares inclusive apontam para indicações políticas na hora de promover um piloto a comandante e resultaram na suspensão de um terço de seus aviadores.

Ato contínuo a toda essa balbúrdia, a empresa aérea acabou banida pelas agências de aviação europeia (EASA) e norte-americana (FAA), enquanto possui milhares de passageiros paquistaneses em outros países ainda aguardando para retornar ao Paquistão. Isso atrapalhou os planos do governo, mas não os cancelou.

Num tuíte no sábado (18), o primeiro-ministro Imran Khan reiterou a decisão de seu governo de amparar as comunidades de paquistaneses no exterior, muitos deles presos devido à pandemia. “Já trouxemos cerca de 250.000 paquistaneses e estrangeiros de vários países. Meu governo continuará a suportar os paquistaneses em todos os lugares e de todas as maneiras possíveis”, disse o primeiro-ministro.

Para viabilizar esse plano do governo enquanto vê suas aeronaves sem poder voar porque ninguém as aceita, com receio de outras contravenções às normas da aviação internacional, não resta outra alternativa senão pagar para que outra empresa aérea faça o serviço.

Desta forma, segundo o Gulf News, a PIA está em negociação com uma companhia aérea privada (que tenha pilotos verdadeiros) para que esta opere voos fretados para resgatar os paquistaneses presos na Europa e nos EUA.

Uma vez selado o contrato, essa aérea privada poderá usar aeronaves da PIA para fazer os voos e trazer de volta os paquistaneses.

Em resumo

Essa é uma alternativa de receita para muitas empresas aéreas ao redor do mundo, já que os paquistaneses certamente pagarão um alto valor pelos “comandantes alugados” para fazer valer a promessa governamental de que todos seus concidadãos presos fora do país serão retornados.

No entanto, embora a matéria do Gulf News informe que o processo está avançado, não está claro de que modo uma empresa banida poderia usar seus aviões em voos para a Europa ou EUA, apenas trocando os pilotos. Talvez seja mais viável que a PIA alugue o “pacote completo” de avião e tripulação para esses voos, de modo que a empresa aérea fornecedora use seus próprios aviões e equipe.

Até porque, convenhamos, após tantas quebras de confiança, que companhia se sentiria segura de voar os aviões da PIA?

Fonte: AEROIN 19 jul 2020

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade