Jump to content

LATAM pede concordata das unidades do Chile, Colômbia, Equador e Peru


Recommended Posts

1 minute ago, CabinCrew said:

Não é possível que façam esse cagada de pedir RJ no Brasil. 

A questão é que não sei se eles tem saída tendo grande parte das operações e obrigações aqui, o retrospecto de recuperação judicial aqui é péssimo, mas não entendo de concordatas. 

Mas também não sei até que ponto essa nota não é na verdade uma forma de pressionar os governos dos dois países da holding, que ao que parece, ligaram o f*da-se pra ela. 

Link to post
Share on other sites

  • Replies 300
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

Não dá pra descartar buraco nenhum pra empresa nenhuma em país nenhum do mundo  nesse momento que vivemos, mas basear uma possibilidade de falência só num rebaixamento de rating é chute. Quem fre

Torcer pelo fim de uma empresa por puro rancor ou birra não revela o caráter da empresa, mas diz muito sobre o caráter do torcedor... 

Pela forma (extremamente participativo) como você está sempre buscando obter as informações para divulgar para todos só me resta pedir desculpas a você se alguém de alguma forma criticou ou vier a cri

Uma dúvida: em recuperação judicial, em caso de demissões, pagam-se indenizações aos desligados normalmente?

Link to post
Share on other sites
4 minutes ago, PR-VAO said:

Uma dúvida: em recuperação judicial, em caso de demissões, pagam-se indenizações aos desligados normalmente?

Sim, caso as demissões ocorram após o pedido da RJ. Todas as dívidas até essa data entram na RJ, as que ocorrerem após essa data, devem ser pagas normalmente.

  • Thanks 1
Link to post
Share on other sites

Como postado pelo Lipe , aqui no Brasil não temos uma legislação segura para uma RJ deste porte . Lembrando do que ocorreu com a Varig a quase 15 anos . De la pra cá pouca ou quase nada evoluiu . De qualquer forma o cenário é bastante desafiador e não há parametro seguro para entrar nesta recuperação.

Link to post
Share on other sites
27 minutes ago, T-6D said:

Como postado pelo Lipe , aqui no Brasil não temos uma legislação segura para uma RJ deste porte . Lembrando do que ocorreu com a Varig a quase 15 anos . De la pra cá pouca ou quase nada evoluiu . De qualquer forma o cenário é bastante desafiador e não há parametro seguro para entrar nesta recuperação.

Mas a Passaredo entrou e saiu da RJ, muito embora com os problemas de antes da RJ

Link to post
Share on other sites
2 hours ago, Luckert said:

Espero não estar falando nenhuma besteira, mas não tem porque pedir recuperação no Brasil. JJ quase não tinha dívida em dez19 (USD277 milhões = 3% do total, a maioria vencia 1º trim.20), e a dívida que a LTM tinha em reais também venceu no 1º trim.

Os leasings são todos da LTM, a JJ sub-arrenda. Então o que a LTM decidir em SCL/NYC, a JJ vai ter que devolver.

  • Like 1
Link to post
Share on other sites
45 minutes ago, TheJoker said:

Espero não estar falando nenhuma besteira, mas não tem porque pedir recuperação no Brasil. JJ quase não tinha dívida em dez19 (USD277 milhões = 3% do total, a maioria vencia 1º trim.20), e a dívida que a LTM tinha em reais também venceu no 1º trim.

Os leasings são todos da LTM, a JJ sub-arrenda. Então o que a LTM decidir em SCL/NYC, a JJ vai ter que devolver.

Não pediram a RJ no Brasil,Paraguai e Argentina 

Link to post
Share on other sites

O Grupo Latam Airlines pediu recuperação judicial nos Estados Unidos nesta terça-feira por causa da crise do novo coronavírus. Em comunicado oficial, a empresa afirmou que "anuncia reorganização para garantir sustentabilidade no longo prazo". Nas últimas semanas, a Latam anunciou a destituição de 1.400 funcionários de suas filiais no Chile, Colômbia, Equador e Peru, que se somam ao programa de aposentadoria voluntária de 800 pessoas em todas as suas filiais.... -

 

Veja mais em https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2020/05/26/latam-recuperacao-judicial-nos-estados-unidos.htm?utm_source=twitter&utm_medium=social-media&utm_content=geral&utm_campaign=economia&cmpid=copiaecola

Link to post
Share on other sites
1 hour ago, TheJoker said:

Espero não estar falando nenhuma besteira, mas não tem porque pedir recuperação no Brasil. JJ quase não tinha dívida em dez19 (USD277 milhões = 3% do total, a maioria vencia 1º trim.20), e a dívida que a LTM tinha em reais também venceu no 1º trim.

Os leasings são todos da LTM, a JJ sub-arrenda. Então o que a LTM decidir em SCL/NYC, a JJ vai ter que devolver.

Vc acertou.

Link to post
Share on other sites

Pelo visto trilharam o caminho da Avianca 

Se formos seguir o modelo AA/DL... podemos esperar:

* Renegociação de Contratos de Leasing e devolução de aeronaves com leasing mais alto (penso que uns 10 a 25 aviões)
* Renegociação Salarial - Vão buscar redução de salários de todos
* Renegociação de linhas de crédito 

 

Agora, a Latam vai ter que pré-negociar, fazer o plano e submeter a um juiz que já tem experiência no assunto. Só temo os conflitos de legislação divergente - um sindicato no Brasil entrar na justiça não reconhecendo aquilo que for negociado por um juiz dos Estados Unidos.


O COVID sem dúvida vai ajudar a Latam a obter uma negociação bem interessante, mas temo que isso vai fazer a situação pender para Gol e Azul tomarem caminhos similares (ou vão concorrer com custos trabalhistas acima dos da Latam), assim como a questão que ponderei no parágrafo acima... 

 

E mais uma porrada na incompetência legislativa/judiciária do Brasil. Se a moda pega, todo mundo com algo (relevante?) nos EUA vai querer pedir RJ nos Estados Unidos. Bom para a economia dos EUA que vai ter movimento nos seus escritórios de advocacia! 
 

 

  • Like 2
Link to post
Share on other sites

Lipe, ao menos nesse momento a LATAM Brasil não foi incluída nesse processo. 

"Embora a maioria de nossas afiliadas faça parte do processo de reorganização, nossas entidades incorporadas na Argentina, no Brasil e no Paraguai não estão incluídas, devido à natureza da sua estrutura de dívida e sua situação financeira atual. Incluídas na reorganização ou não, todas as nossas afiliadas poderão operar conforme as restrições de viagem e a demanda dos clientes permitirem."

 

Vale a pena acessar o infográfico que sintetizou bem o processo:
https://www.latamreorganizacion.com/wp-content/uploads/2020/05/Portuguese-Infographic.pdf

Link to post
Share on other sites
19 minutes ago, ruifo said:

E no Brasil??

A recuperação judicial foi pedida somente para as filiais do Chile, Colombia, Equador e Peru. As filiais do Brasil, Argentina e Paraguai não entraram no pedido.

Link to post
Share on other sites
1 hour ago, ruifo said:

E no Brasil??

Não vão pedir. Nossa legislação prevê um administrador indicado pelo juiz para tocar a empresa.

Só pediram nos países onde não tem nada do tipo, para forçar negociação das dívidas.

Link to post
Share on other sites

Continuaremos voando
Visualizar a versão web    
LATAM Airlines    

Caro(a) cliente,

Primeiramente, esperamos que você e sua família estejam seguros e saudáveis em meio à pandemia global de COVID-19. Além disso, queremos agradecer a você, nosso cliente mais fiel, por seu apoio neste período tão difícil.

A LATAM entrou na pandemia de COVID-19 como um grupo de transporte aéreo financeiramente estruturado e lucrativo, mas estamos sujeitos a circunstâncias excepcionais que levaram a um colapso na demanda global. Atualmente, estamos operando apenas cerca de 5% de nossos voos de passageiros. Como resultado, tivemos que tomar difíceis, porém necessárias medidas para garantir a nossa sustentabilidade a longo prazo nesses tempos extraordinários. Queremos compartilhar pessoalmente com você que, há alguns minutos, a LATAM entrou com um pedido de reorganização sob a proteção do Capítulo 11 da lei dos Estados Unidos.

Esteja você voando conosco agora ou retornando aos céus mais tarde, queremos garantir aos nossos passageiros frequentes que sua categoria de programa, seus pontos e benefícios gerais por voar com a LATAM ou uma das companhias aéreas parceiras serão mantidos. Não haverá perda de valor em pontos que você tenha agora e nosso programa de acúmulo e resgate continuará ininterruptamente.

Além disso, todas as passagens, vouchers, e/ou qualquer forma de crédito continuarão sendo honrados. Também manteremos nossas parcerias com agências existentes, honraremos programas de fidelidade corporativos e venderemos passagens por meio da nossa plataforma de serviços. Você poderá interagir com nossos operadores de atendimento ao cliente da mesma forma que fazia antes deste anúncio.

Estamos totalmente comprometidos em mantê-lo atualizado durante todo o processo. Se tiver dúvidas sobre o anúncio de hoje, visite www.LATAMrestruturacao.com ou ligue para a nossa linha direta – +1 (929) 955-3449 ou +1 (877) 606-3609, nos EUA e no Canadá, respectivamente – caso tenha perguntas específicas sobre a nossa reorganização. Além disso, visite a nossa página especial sobre o coronavírus para obter mais informações sobre como estamos nos adaptando à COVID-19.

Continuamos comprometidos em conectar a América Latina ao mundo e em te oferecer um serviço pontual, seguro e com toda a qualidade que você espera. Durante a crise da COVID-19, nunca paramos de voar, pois entendemos que, apesar de todos os desafios, nosso objetivo é atender aos nossos clientes e a América Latina com voos programados ou de carga – e isso continuará sem interrupção.

Mais uma vez agradecemos sua fidelidade e esperamos vê-lo a bordo logo.

Atenciosamente,

Roberto Alvo
CEO LATAM Airlines

Longe, mais juntos.
Por favor, não responda esse e-mail. Para mais informações, visite
www.latam.com

© 2020 Grupo LATAM Airlines S.A. - Todos os direitos reservados. 

Cancelar inscrição

Link to post
Share on other sites
LATAM anuncia reorganização para garantir sustentabilidade no longo prazo
May 26, 2020
 

LATAM Airlines Group S.A. e suas afiliadas no Chile, Peru, Colômbia, Equador e Estados Unidos solicitaram proteção voluntária pelo processo de reorganização financeira previsto no Capítulo 11 da lei dos EUA. As afiliadas da LATAM na Argentina, Brasil e Paraguai não estão incluídas no pedido

O grupo transformará seu negócio para manter uma posição de liderança na aviação latino-americana na era pós-COVID-19

O grupo Cueto e a Qatar Airways se comprometeram com um financiamento adicional de $900 milhões de dólares

O grupo LATAM Airlines e suas afiliadas continuarão a voar sem nenhum impacto nas operações de passageiros ou de cargas, reservas, vouchers ou pontos LATAM Pass

Santiago, Chile, 26 de maio de 2020 –LATAM Airlines Group S.A. (“LATAM”) (NYSE: LTM; SP IPSA: LTM) e suas afiliadas no Chile, Peru, Colômbia, Equador e Estados Unidos iniciaram hoje uma reorganização e reestruturação voluntária de sua dívida sob a proteção do Capítulo 11 da lei dos Estados Unidos, com o apoio das famílias Cueto e Amaro, e da Qatar Airways, dois dos maiores acionistas da LATAM. Diante dos efeitos da COVID-19 no setor mundial de aviação, esse processo de reorganização oferece à LATAM a oportunidade de trabalhar com os credores do grupo e outras partes interessadas para reduzir sua dívida, acessar novas fontes de financiamento e continuar operando, enquanto adapta seus negócios a essa nova realidade.

O processo de reorganização financeira com base no Capítulo 11 é um amparo legal comprovado por meio da qual a LATAM e as referidas afiliadas terão a oportunidade de redimensionar suas operações para o novo ambiente da demanda e reorganizar seus balanços, permitindo que emerjam mais ágeis, resilientes e sustentáveis. A LATAM e suas afiliadas continuarão a voar durante todo o processo, conforme as condições permitirem.

“A LATAM entrou na pandemia de COVID-19 como um grupo de companhias aéreas saudável e lucrativo, mas circunstâncias excepcionais resultaram em um colapso na demanda global que não apenas levou a aviação a praticamente uma paralisação, mas também mudou o setor para o futuro próximo”, disse Roberto Alvo, CEO da LATAM. “Implementamos uma série de medidas difíceis para mitigar o impacto dessa disrupção sem precedentes no setor, mas, no fim das contas, esse caminho é a melhor opção para estabelecemos as bases certas para o futuro do nosso grupo de companhias aéreas. Estamos olhando adiante, para um futuro pós-COVID-19, e focados em transformar nosso grupo para que ele se adapte a uma nova e evolutiva maneira de voar, com a saúde e a segurança de seus passageiros e funcionários em primeiro lugar.”

O grupo garantiu o suporte financeiro de acionistas, incluindo as famílias Cueto e Amaro, que tem um relacionamento próximo e duradouro com a LATAM, e a Qatar Airways, para a obtenção de até 900 milhões de dólares em um financiamento DIP (debtor-in-possession, em inglês). Esses parceiros tem um profundo entendimento da indústria, do grupo e de seus desafios operacionais. O apoio deles demonstra uma crença na LATAM, em suas afiliadas e na sustentabilidade do grupo a longo prazo. Na extensão permitida por lei, o grupo aceitaria outros acionistas interessados em participar desse processo para fornecer financiamento adicional. Além disso, no momento do pedido, o grupo tinha aproximadamente $1.3 bilhões de dólares em dinheiro disponível.

A LATAM e suas afiliadas também estão em discussões com seus respectivos governos no Chile, Brasil, Colômbia e Peru para apoio na obtenção de financiamento adicional, na proteção de empregos sempre que possível e na minimização de disrupções nas operações. A LATAM e suas afiliadas gostariam de agradecer aos seus acionistas, funcionários, credores e comunidades servidas pelo apoio ao processo para garantir o futuro do grupo a longo prazo. O grupo está confiante de que esse processo reunirá essas diversas partes interessadas na construção de uma nova LATAM, mais bem posicionada para ter sucesso nos próximos anos.

“Diante da maior crise da história da aviação, o conselho aprovou esse caminho após analisar todas as alternativas disponíveis para garantir a sustentabilidade do grupo. No passado, nos adaptamos a novas realidades e por isso estamos confiantes de que a LATAM será capaz de ter sucesso no contexto pós-COVID-19 e continuar a servir a América Latina, conectando a região ao mundo”, disse Ignacio Cueto, Presidente da Conselho de Administração da LATAM.

O grupo continua se adaptando e respondendo à pandemia da COVID-19 e está se preparando ativamente para receber os clientes de volta quando as proibições de viagem forem suspensas e a demanda aumentar, garantindo a passageiros e tripulação os mais altos padrões de segurança pelos quais a LATAM é altamente reconhecida.

Continuando a servir a América Latina

O grupo LATAM está comprometido em preservar a continuidade dos negócios à medida que se reorganiza - especialmente em relação a funcionários, clientes, fornecedores, parceiros comerciais e comunidades locais.

  • LATAM Airlines Group S.A. e suas afiliadas continuarão operando voos de passageiros e de carga, sujeitos a restrições de demanda e de viagem.
  • Todas as passagens atuais e futuras, vouchers de viagem, pontos e benefícios do programa LATAM Pass, bem como políticas de flexibilidade, serão respeitados.
  • Os funcionários do grupo continuarão sendo pagos e receberão os benefícios previstos em seus contratos de trabalho.
  • Os fornecedores serão pagos em tempo hábil pelos bens e serviços entregues a partir de 26 de maio de 2020 e ao longo desse processo.
  • As agências de viagens e outros parceiros comerciais não sofrerão interrupções em suas interações com o grupo LATAM.

A opção certa para fortalecer o grupo

O grupo LATAM tem compartilhado sua jornada com os povos da América Latina, prosperando em tempos de crescimento e se unindo para superar períodos de adversidade. Como muitos, a LATAM e suas afiliadas iniciaram 2020 com planos de progresso que a COVID-19 levou a praticamente uma paralisação. Em 2019, o grupo lançou 26 novas rotas e transportou um recorde de 74 milhões de passageiros, 5,4 milhões a mais que em 2018. Os planos do grupo para 2020 incluíam aprimorar ainda mais a experiência dos passageiros por meio de transformações de cabine e fortalecer suas parcerias estratégicas para conectar ainda mais a América Latina ao mundo. Embora o grupo mudará ao longo do processo do Capítulo 11, sua cultura, seu compromisso com os clientes, sua história compartilhada e sua identidade latino-americana não mudarão.

Após uma análise cuidadosa, a LATAM está confiante de que o processo de reorganização com base no Capítulo 11 é o melhor caminho a seguir para alcançar os objetivos do grupo e cumprir suas obrigações, ao mesmo tempo em que administra de maneira abrangente sua frota e endereça suas dívidas – a maioria delas mantida nos Estados Unidos. É importante ressaltar que esse processo é muito diferente do conceito de quebra, falência ou liquidação. A LATAM pretende contar com um alívio específico que permitirá ao grupo pagar funcionários, cumprir obrigações em relação a benefícios, pagar fornecedores críticos e realizar outras operações comerciais diárias à medida que trabalha com o tribunal e os credores para resolver seu caso. Com a proteção do Capítulo 11, a equipe de gestão do grupo permanecerá a mesma e continuará a liderar a LATAM durante o processo de reorganização e transformação.

Essas disposições únicas do processo de reorganização pelo Capítulo 11 permitirão que o grupo minimize disrupções no negócio e proteja os interesses das partes interessadas enquanto reestrutura seu balanço patrimonial para emergir como um grupo de companhias aéreas mais ágil, resiliente e sustentável.

Embora a maioria das afiliadas da LATAM esteja incluída no processo de reorganização, várias entidades não estão, devido à natureza de sua estrutura de dívida e sua situação financeira atual. Uma lista completa das entidades incluídas no pedido está disponível no site cases.primeclerk.com/LATAM. A lista abaixo resume a inclusão dessas entidades na reorganização financeira pelo Capítulo 11 e outros procedimentos.

Entidades que fazem parte do pedido:

  • Chile: O Grupo LATAM Airlines SA e algumas outras entidades incorporadas no Chile estão incluídas na proteção do Capítulo 11 e também solicitarão processos de reconhecimento aos tribunais chilenos para garantir que o processo do Capítulo 11 receba crédito e efeito completos, garantindo proteção ainda maior aos negócios da LATAM.
  • Colômbia: LATAM Airlines Colômbia e outras entidades incorporadas na Colômbia estão incluídas na proteção do Capítulo 11 e também solicitarão processos de reconhecimento à Superintendencia de Sociedades para garantir que o processo do Capítulo 11 receba crédito e efeito completos, garantindo proteção ainda maior aos negócios da LATAM.
  • Peru: A LATAM Airlines Peru e outras entidades incorporadas no Peru estão incluídas na proteção do Capítulo 11 e também solicitarão um “Processo de Reorganização Preventiva” junto à INDECOPI, a fim de garantir proteções adicionais contra ações adversas de credores.
  • Equador: A LATAM Airlines Equador está incluída na proteção do Capítulo 11.
  • Estados Unidos: Todas as entidades operacionais do Grupo, exceto os veículos para fins especiais (“special purpose vehicles”), estão incluídas na proteção do Capítulo 11.

Entidades que não fazem parte do pedido:

  • Argentina, Brasil e Paraguai: As entidades da LATAM na Argentina, Brasil e Paraguai, não estão incluídas no processo de reorganização pelo Capítulo11. A entidade da LATAM no Brasil está em discussão com o governo Brasileiro sobre próximos passos e suporte financeiro às operações brasileiras.

É importante ressaltar que, incluídas ou não no pedido, todas as empresas do grupo continuarão a operar conforme as restrições de viagem e a demanda permitirem.

Informações adicionais

LATAM Airlines Group e suas afiliadas entendem que seus funcionários e as famílias, seus fornecedores e clientes terão muitas perguntas. Embora a LATAM possa não ter todas as respostas neste momento, o grupo será guiado pela transparência em todas as suas interações. O grupo criou um site especial, www.LATAMreorganizacion.com, no qual as partes interessadas podem encontrar informações adicionais importantes sobre o que este anúncio significa para elas.

A LATAM também estabeleceu uma linha direta para consultas relacionadas ao Capítulo 11, que pode ser acessada pelos números (929) 955-3449 ou (877) 606-3609 nos EUA e no Canadá. Nos próximos dias teremos uma linha internacional direta gratuita disponível e publicaremos o número no nosso site especial. O grupo também criou um e-mail dedicado para consultas relacionadas à reorganização, o lataminfo@primeclerk.com.

A LATAM é assessorada neste processo por Cleary Gottlieb Steen & Hamilton LLP e Claro & Cia. como consultores jurídicos, FTI Consulting como consultor financeiro e PJT Partners como banco de investimentos.

Observação sobre Declarações Prospectivas

Este relatório contém declarações prospectivas. Tais declarações podem incluir palavras como “pode”, “espera”, “estima”, “deve”, “projeta”, “pretende”, “acredita” ou similares. Tais declarações não são fatos históricos e incluem crenças e expectativas da Companhia. Tais declarações são baseadas nas estimativas e projeções atuais da LATAM e, portanto, devem ser avaliadas cuidadosamente. Declarações prospectivas envolvem riscos, incertezas e outros fatores conhecidos e desconhecidos, muitos dos quais estão além do controle da LATAM e são de difícil previsão. A Companhia alerta que uma série de fatores importantes podem fazer com que resultados reais sejam materialmente diferentes daqueles previstos em tais declarações. Tais fatores e incertezas incluem, especialmente, aqueles descritos nos documentos arquivados com a Comissão de Valores Mobiliários americana (SEC). Declarações prospectivas referem-se apenas à data em que as mesmas forem feitas e a Companhia não se se responsabiliza por atualizar publicamente quaisquer destas declarações, seja pelo surgimento de novas informações, eventos futuros ou por outro motivo.

Contatos para a imprensa
Ximena Ossa, Gerente Sênior de Comunicação Externa
Comunicaciones.externas@latam.com

Rachel Chesley / Ana Heeren, FTI Consulting
LATAMAirlines@fticonsulting.com

Contato para investidores
investorrelations@latam.com

http://www.latamairlinesgroup.net/pt-pt/news-releases/news-release-details/latam-anuncia-reorganizacao-para-garantir-sustentabilidade-no#

Link to post
Share on other sites
  • A345_Leadership changed the title to LATAM pede concordata das unidades do Chile, Colômbia, Equador e Peru
On 24/05/2020 at 21:57, MRN said:

O garotão só não citou a fonte da informação, pra mim é achismo dele. Sabemos que foi rebaixada no rating, daí pra frente é achismo

Eu queria poder responder ao elemento deletério que escreveu isso: "particularly in countries like Chile and Brazil where the uneducated and ignorant people doesn’t have a clue about the importance of aviation and the leftist will reject any loans". É um babaca... O pessoal lá se acha...

Em relação à colocação, eu rejeitaria apenas os adjetivos. Mas é fato que falta, de uma maneira geral, uma visão mais adequada em relação à importância do setor por aqui e, certamente, a esquerda "cairia em cima matando a pau". Basta vermos as tentativas de se legislar na contramão das melhores práticas adotadas no mundo para o setor. O custo da indústria é absurdamente elevado por absoluta falta de visão da necessidade de seu desenvolvimento. Hoje mesmo tivemos notícia de veto presidencial a dispositivo que isentaria os pagamentos de leasing do imposto de renda.

Link to post
Share on other sites
50 minutes ago, TheJoker said:
 

O grupo garantiu o suporte financeiro de acionistas, incluindo as famílias Cueto e Amaro, que tem um relacionamento próximo e duradouro com a LATAM, e a Qatar Airways, para a obtenção de até 900 milhões de dólares em um financiamento DIP (debtor-in-possession, em inglês).

A família Amaro ainda tem alguma relevância no grupo ainda? Surpreso de vê-los apoiando o empréstimo.

Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
16 minutes ago, A345_Leadership said:

A família Amaro ainda tem alguma relevância no grupo ainda? Surpreso de vê-los apoiando o empréstimo.

Os Amaro têm uma pequena participação na Costa Verde, empresa dos Cueto que controla a LTM.

Edited by TheJoker
  • Thanks 1
Link to post
Share on other sites

Delta Air Lines DAL and LATAM have modified their partnership agreement as Latin America’s largest airline group files for Chapter 11 bankruptcy restructuring.

Delta will pay LATAM $62 million for cancelling their agreement for Delta to purchase four of LATAM’s already delivered Airbus A350 aircraft, LATAM said in a court filing.

The four A350s were part of Delta and LATAM’s 2019 partnership agreement that also saw Delta takeover 10 of LATAM’s future A350 deliveries. The change involving the 10 A350s was reflected in Airbus’ March orderbook.

https://www.forbes.com/sites/willhorton1/2020/05/26/delta-cancels-a350-purchase-from-latam-continues-joint-venture-despite-latams-chapter-11-bankruptcy-filing/#7cd83e203391

 

Então a frota de 359 vai aumentar de 8 pra 11.

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

Caramba, que pedra no sapato esses A350, cada hora um desfecho diferente e no final das contas ninguém sabe o que fazer com eles.

Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.




×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade