Jump to content

Para sair da crise, Latam prevê redução da operação em 30% e demissão de cerca de 700 pilotos no Brasil


Recommended Posts

14 minutes ago, Halvaro said:

Só para eu entender melhor, primeiro foram 2700, agora mais 1200, fora os que ficarem,  tinha tanto tripulante assim na Latam ?

Sim. Baseado na malha dela pra janeiro e esse o excedente. 

Link to post
Share on other sites

  • Replies 1.1k
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

Acho engraçado ver que realmente tem gente que valida essa tese de que gente antiga de fórum não pode ser criticada por meros mortais.  O fórum tá aí, ainda ativo depois de muito tempo pra quem q

Na sua idade, na sua condição e vindo de uma pessoa com altíssimo nível técnico e intelectual que és, fazer esse tipinho de torcida suja e antiética é digno de se ter vergonha para se expor - ainda qu

13 hours ago, CabinCrew said:

Ainda tá meio nebuloso ao menos nos grupos em que estou, de comissários. Eu acho que é capaz da empresa virar o jogo. Mas não porque tá todo mundo comprando a conversa da empresa.... Assim como no Chile acho que tem gente percebendo (eu incluso) que não adianta lutar contra o poder econômico da empresa. Eles tem caixa para demitir e vão fazer isso, mesmo que seja pra chamar de volta mais rápido. É uma administração cruel e vai usar de todos os meios para alcançar seus objetivos. Eu mesmo já estou revendo meus conceitos se vale a pena lutar mais.  Acho que essa batalha nós perdemos. 

deixa eu falar algo bem importante

Quando entrei na TAM, antes de 2010, eu nem imaginava e gostaria de ter um fio de cabelo meu envolvido com o SNA. As gestões que lidaram com o fim da TBA, VASP e VARIG me deixaram claramente sem esperança alguma de uma representação objetiva. Mas quando eu sai em 2017, eu era associado, pagava mensalmente, e apoiava o SNA. Não só houve mudança de administração do sindicato, mas veio junto a mudança do trabalhador. Um sindicato disposto a brigar pelas causas que são importantes para a categoria e fazer presença junto a categoria.

Quem imaginou que 15 anos depois do fim da VARIG como conhecíamos, as empresas (excluindo sempre a latam) conversariam com o sindicato com respeito e escutariam os aeronautas? Eu nunca imaginei. Mas o principal foi que a categoria começou a ver que atuar em equipe, as empresas não vão tratar os comissários, copilotos e comandantes como uma mão de obra de fácil descarte. Em conjunto, todos os tripulantes da LATAM tem mais poder de negociação e de dobrar o bracinho do Jerome do que qualquer um de vocês sozinhos.

Mas veja só. Eles estão atacando o grupo em pequenos bolsões. Começam cortando uma boa parte da força de trabalho sob o argumento que precisava abaixar o custo da folha e acabou. Não negociaram e nunca tiveram interesse em negociar porque eles precisavam demonstrar essa força. E agora estão dividindo quem ficou em grupos dos que eles vão demitir e os que eles não vão demitir, colocando os trabalhadores um contra o outro com o seguinte argumento:

"eu vou te demitir, porque eu te recontrato em um ano mais barato. Quem ficar quer que você seja demitido para não perder nada, enquanto você vai perder tudo".

Isso é tática de negociação de 1970 nos EUA com as unions. Pega gente chave. Espalha noticia que todo mundo vai perder e que é hora de rifar os anéis para manter os dedos. Quanto tempo, na pandemia, o Jerome segura a pica de uma greve? Quem precisa dos tripulantes é a LATAM. Nunca esqueçam que unidos, quem ajoelha perante os tripulantes são os executivos.

Quer reduzir salários? Começa cortando o salários de todos os executivos, corta todos os bônus para eles até a pandemia passar e garanta uma forma que as perdas de hoje sejam recuperadas. Eles não querem só reduzir os salários. Eles querem quebrar o espirito de quem tá voando para tirar força do sindicato para não ajoelharem para aeronauta algum.

  • Like 11
  • Thanks 5
Link to post
Share on other sites
1 hour ago, Pliskin said:

Quanto tempo, na pandemia, o Jerome segura a pica de uma greve?

Se for uma greve greve mesmo de respeito, todo mundo aderindo (todo mundo que tá voando) ele não aguenta 4 dias. Num instante ele esquece isso de reduzir salário e negocia um acordo igual ao da GOL e Azul

Agora, se ele começar a chamar quem tá de folga na escala, quem tá de licença, sei lá, pra cobrir os grevistas, e esses valetes forem voar, aí não dá. Tem que ser TODO MUNDO

Edited by MRN
Fix word
  • Like 1
Link to post
Share on other sites

Parar as operações da empresa em GRU por 4 dias é o suficiente pra pica que o Jerome tem nas mãos entrar em outro lugar... Mas o movimento grevista precisa, como pontuou o colega MRN, ser muito organizado e homogêneo. Já tivemos experiências anteriores onde greves muito mais brandas fizeram executivos abrir as penas e dar passos atrás. 

O problema é que tem muito antigão do wide com pentelho da chefia nos dentes, e esses continuariam voando especialmente agora que tem 767/777/A350 voando em rotas domésticas tronco. 

É preciso que ninguém caia no jogo sujo da empresa. 

Assistindo à Live de ontem, pelo nível de maturidade nos comentários do chat, acho particularmente difícil que isso aconteça. No fim, quanto mais infantis os colaboradores demonstram ser, maior poder dão à empresa. 

Edited by B737-8HX
Link to post
Share on other sites
1 hour ago, Pliskin said:

Quando entrei na TAM, antes de 2010, eu nem imaginava e gostaria de ter um fio de cabelo meu envolvido com o SNA.

Válida as suas considerações, mas como você entrou em 2010, vale um breve flashback para dizer que grandes e importantes conquistas da categoria num momento anterior da sua admissão não tiveram um fio de cabelo do pessoal da Tam envolvido, inclusive em greves. Querendo ou não, o SNA sempre foi o representante oficial do grupo, porque esse era (e pelo visto continua sendo) o sistema em vigor nas relações trabalhistas no Brasil. Mas isso não significava que o poder das associações -- como Apvar, Apvasp, APT, APC, Amvvar e Acvar -- não prevalecia nas decisões que seriam tomadas. Associação ou sindicato, ambos são meros interlocutores, quem direciona as negociações e decisões sempre foi (e sempre será) o grupo de voo, independente de quem encabece cada uma dessas entidades.

No entanto, pode parecer um assunto completamente irrelevante dentro do que anda acontecendo, entretanto é inegável que hoje TODOS os aeronautas dependem consideravelmente do resultado dessa situação que o pessoal da maior empresa do país está enfrentando com a administração, porque o resultado poderá estabelecer novas diretrizes em negociações futuras em outras empresas. Como foi no passado, é uma tremenda burrice alguém imaginar que 'não é problema meu', 'se eles quebrarem é melhor para mim" (sim, tem muita gente que pensa assim).

Tática de 1970? A negociação no atual cenário tem como moldura o que a grande maioria das empresas está alegando, tendo inclusive suporte governamental para decisões severas. O problema é que para trabalhar em cima desse processo, tudo gira em torno de barganha, e precisa-se saber o que o grupo tem de argumentos persuasivos para dobrar a proposta da companhia, que por motivos óbvios está tentando conduzir os seus interesses dentro de uma seleção de cenários possíveis para conseguir pelo menos parte do que necessita. Nada de surpresa, sempre foi assim, só muda o contexto.

Greve? Sim, é um argumento, desde que haja união plena e consciência das consequências, principalmente para quem nunca viu de perto esse movimento, mas se vão demitir o CEO por causa disso, vale observar como a Lan Chile lidou com ações industriais no passado. Apesar de parecer, ninguém é amador no uso de artilharia pesada.

 

Edited by Jet Age
Link to post
Share on other sites

Sei não. Greve nesse contexto ou adere todo mundo, 100% mesmo, ou é energia morta, e se tem uma categoria que é difícil de se unir é tripulante, ainda mais com medo.

Meu receio é uma paralisação sair pela culatra, jogar a sociedade e principalmente os tribunais contra os trabalhadores. Basta ver que bastou um ou dois blogueiros direitistas soltarem fakenews sobre as negociações e muita gente comprou que a demissão dos 2.700 era 'culpa do sindicato'...

  • Like 3
  • Confused 1
Link to post
Share on other sites
On 9/23/2020 at 12:40 PM, Jet Age said:

importantes conquistas da categoria num momento anterior da sua admissão não tiveram um fio de cabelo do pessoal da Tam envolvido, inclusive em greves. 

mas eu sei muito bem disso.

On 9/23/2020 at 12:40 PM, Jet Age said:

Tática de 1970? A negociação no atual cenário tem como moldura o que a grande maioria das empresas está alegando, tendo inclusive suporte governamental para decisões severas. O problema é que para trabalhar em cima desse processo, tudo gira em torno de barganha, e precisa-se saber o que o grupo tem de argumentos persuasivos para dobrar a proposta da companhia, que por motivos óbvios está tentando conduzir os seus interesses dentro de uma seleção de cenários possíveis para conseguir pelo menos parte do que necessita. Nada de surpresa, sempre foi assim, só muda o contexto.

sim, 1970. Mas nos contexto de negociação americana.

A questão não é barganha. A mensagem eles já definiram. Quem não aceitar ganhar menos vai ter o salário menor entubado na LATAM ou via "ABSA". Se a opção de negociação é tomar na bunda ou tomar muito na bunda, quem arrega primeiro quando chegar? Quanto tempo Jerome e os açoitados por Santiago aguentam ao ver que não assustou a maioria?

Sim, é arriscar perder o emprego ou arriscar perder qualquer salvação da sua carreira, se algo sobrar. Próximo passo vai ser eles forçarem todo mundo ser PJ e se você quiser ser que nem o chefe ##### do widebody, vai ter de pagar seu TR anualmente. Porque né, o prestador de serviço que lute para manter as carteiras válidas.

  • Like 1
Link to post
Share on other sites
On 9/23/2020 at 12:00 PM, MRN said:

Se for uma greve greve mesmo de respeito, todo mundo aderindo (todo mundo que tá voando) ele não aguenta 4 dias. Num instante ele esquece isso de reduzir salário e negocia um acordo igual ao da GOL e Azul

Agora, se ele começar a chamar quem tá de folga na escala, quem tá de licença, sei lá, pra cobrir os grevistas, e esses valetes forem voar, aí não dá. Tem que ser TODO MUNDO

minhoca vai ter em qualquer movimento, mas fica a escolha. algum futuro ou o começo do sonho de Santiago.

Link to post
Share on other sites

O Sna não sinalizou até hoje com uma greve, não vai acontecer. Eu hoje, acredito que essa batalha perdemos. Outras já ganhamos, ano passado ganhamos uma, a empresa não queria aplicar a cct quando o grupo, que tem sim estado unido, negou a act do aumento via VA. Em seguida o sna obrigou via tst o cumprimento da cct. Um dia é da caça, outro do caçador, a pandemia jogou no colo deles a oportunidade que eles queriam. Como a necessidade de tripulação reduziu muito, e o poder econômico é gigante, agora eles podem nos ameaçar e cumprir com demissões, antes isso era impossível a operação Brasil estava em franco crescimento. Vamos ter que entubar essa.... Eu desisti de lutar. 

Link to post
Share on other sites

É? Não tiro a razão, mas faz o quê com os coleguinhas que perderam o emprego porquê o grupo não aceitou negociar?? Não pensaram nisso quando estavam na fase valentões né?

Link to post
Share on other sites
2 hours ago, trident said:

É? Não tiro a razão, mas faz o quê com os coleguinhas que perderam o emprego porquê o grupo não aceitou negociar?? Não pensaram nisso quando estavam na fase valentões né?

Bem eu enxergo da seguinte forma, a proposta na época era de uma redução brutal. Zero contra partida. Pra manter todo aquele contingente extra a empresa ia jogar muito mais pesado. O papo que tá rolando agora é que seria bem menos, com contra partidas diversas, entre elas, a obrigação de em caso de contratação chamar os colegas demitidos de volta seguindo a antiguidade. O que será que os colegas que saíram pensam disso? Eu queria deixar BEM CLARO que estou apenas conjecturando, que não tomei minha posição ainda, e que, a votação será apenas para autorizar negociação. Se a proposta for um lixo, ainda teremos o não. E não é só porque a água bateu na minha bunda que estou considerando a mudança de posição. Eu realmente acho que estamos em franca desvantagem agora. Tive um parente desligado na primeira leva e já sofri diretamente as consequências do primeiro não, o segundo não seria só a pá de cal. 

Edited by CabinCrew
Link to post
Share on other sites

Olhando de fora, acho que o "não" deveria ser eterno, em consideração aos 2.700 que foram demitidos e vão ficar fora da aviação por um bom tempo. E esse papinho de que vão recontratar eles caso seja "sim", vejo como mais uma enrolação da empresa. Ela tá mostrando pra todo mundo o jeito Tam de negociar 

  • Like 2
Link to post
Share on other sites
8 hours ago, CabinCrew said:

Bem eu enxergo da seguinte forma, a proposta na época era de uma redução brutal. Zero contra partida. Pra manter todo aquele contingente extra a empresa ia jogar muito mais pesado. O papo que tá rolando agora é que seria bem menos, com contra partidas diversas, entre elas, a obrigação de em caso de contratação chamar os colegas demitidos de volta seguindo a antiguidade. O que será que os colegas que saíram pensam disso? Eu queria deixar BEM CLARO que estou apenas conjecturando, que não tomei minha posição ainda, e que, a votação será apenas para autorizar negociação. Se a proposta for um lixo, ainda teremos o não. E não é só porque a água bateu na minha bunda que estou considerando a mudança de posição. Eu realmente acho que estamos em franca desvantagem agora. Tive um parente desligado na primeira leva e já sofri diretamente as consequências do primeiro não, o segundo não seria só a pá de cal. 

Olá.

Permita-me discordar de um ponto que vcfalou

A proposta inicial de redução nessa crise, sequer foi colocada em discussão. Foram ventilados valores que realmente eram um absurdo, mas pra isso servem as negociações.
O teor da proposta era o mesmo que hoje está sendo falado.
Que a aceitação daquela 1 act, ainda com os 2700 no grupo seria suspensa no caso de um novo modelo de remuneração não fosse aprovado até o dia 31/08
O que essa cláusula dizia em resumo era que, todos os "benefícios" como, LNR, PDI, Part time, 9 dias a disposição e outros 21 off cairíam no caso dessa proposta permanente não fosse aprovada.

A pergunta que eu, e outros 2699 demitidos fazem.
Porque não negociaram antes, e só agora tem o papo de que "como se nega algo sem nem saber a proposta"?
O que impedia de o grupo negar a permanente, se de fato fosse tão ruim, e agora por acharem, sim, acharem, pois não existe proposta na mesa, apenas comentários em encontros virtuais com as tripulações, e sugestões que já estavam na mesa em outros tempos...
Sendo assim, aquela ACT com aquela proposta não iria passar, as demissões ocorreriam, mas todos teriam tido 1 mes a mais de salário.
Muitos que vieram da Avianca com esse 1 mês a mais de vínculo teriam direito a todo o seguro desemprego, além de mais um salario base, vale, mês de plano de saúde, V.A e afins.
Mas sairíamos com a sensação que o grupo ao menos tentou. Não aprovou pq não dava.


O que o grupo como um todo comeu bola, foi em aprovar em uma assembléia a não possibilidade de qualquer discussão/negociação que inclua itens permanentes.
Se o sindicato hoje é criticado por ser inflexível aos pedidos da empresa, foi algo solicitado por 90% do grupo na ultima votação.

Agora, grupos que antes eram ferrenhos defensores da não negociação querem reabrir as conversas...
Pra quem viu isso de dentro, e com experiência desde 2006 na aviação, isso soa bem familiar à SATAM, ops, Latam...

  • Like 5
Link to post
Share on other sites
49 minutes ago, PR-GOK said:

Agora, grupos que antes eram ferrenhos defensores da não negociação querem reabrir as conversas...
Pra quem viu isso de dentro, e com experiência desde 2006 na aviação, isso soa bem familiar à SATAM, ops, Latam...

É isso que eu falo, "cuspiram pra cima" e agora querem "abrir as pernas". Acho uma put@ sacanagem com quem foi demitido. Tem que segurar a onda agora

Edited by MRN
Fix word
  • Like 3
  • Thanks 1
Link to post
Share on other sites
2 hours ago, PR-GOK said:

Olá.

Permita-me discordar de um ponto que vcfalou

A proposta inicial de redução nessa crise, sequer foi colocada em discussão. Foram ventilados valores que realmente eram um absurdo, mas pra isso servem as negociações.
O teor da proposta era o mesmo que hoje está sendo falado.
Que a aceitação daquela 1 act, ainda com os 2700 no grupo seria suspensa no caso de um novo modelo de remuneração não fosse aprovado até o dia 31/08
O que essa cláusula dizia em resumo era que, todos os "benefícios" como, LNR, PDI, Part time, 9 dias a disposição e outros 21 off cairíam no caso dessa proposta permanente não fosse aprovada.

A pergunta que eu, e outros 2699 demitidos fazem.
Porque não negociaram antes, e só agora tem o papo de que "como se nega algo sem nem saber a proposta"?
O que impedia de o grupo negar a permanente, se de fato fosse tão ruim, e agora por acharem, sim, acharem, pois não existe proposta na mesa, apenas comentários em encontros virtuais com as tripulações, e sugestões que já estavam na mesa em outros tempos...
Sendo assim, aquela ACT com aquela proposta não iria passar, as demissões ocorreriam, mas todos teriam tido 1 mes a mais de salário.
Muitos que vieram da Avianca com esse 1 mês a mais de vínculo teriam direito a todo o seguro desemprego, além de mais um salario base, vale, mês de plano de saúde, V.A e afins.
Mas sairíamos com a sensação que o grupo ao menos tentou. Não aprovou pq não dava.


O que o grupo como um todo comeu bola, foi em aprovar em uma assembléia a não possibilidade de qualquer discussão/negociação que inclua itens permanentes.
Se o sindicato hoje é criticado por ser inflexível aos pedidos da empresa, foi algo solicitado por 90% do grupo na ultima votação.

Agora, grupos que antes eram ferrenhos defensores da não negociação querem reabrir as conversas...
Pra quem viu isso de dentro, e com experiência desde 2006 na aviação, isso soa bem familiar à SATAM, ops, Latam...

Eu estou realmente querendo ver todos os lados. Como eu disse fui diretamente impactado pela primeira demissão. Embora eu ainda esteja na companhia, eu honestamente achei que fosse embora na primeira leva e mesmo assim votei não. Como você disse na época o ventilado era de que a redução permanente proposta seria brutal. A frase correta seria 'por que não negociamos?' ao invés de 'por que não negociaram?' uma vez que você e os outros 2699 votaram não na época. Eu votei não sabendo que poderia rodar. Tanto que nessa próxima rodada eu com certeza vou. Minha questão é, na primeira rodada achamos que a companhia estava blefando, como em outras vezes pagamos pra ver e realmente era blefe. Dessa vez não, a pandemia deu de mão beijada pra companhia a necessidade de menos tripulantes, o jogo inverteu estamos em desvantagem. Pagamos pra ver e nos ferramos. E vamos continuar nos ferrando de novo, nas outras filiais foi igual. Não seria inteligente mudar de postura? Veja, novamente, não estou com medinho(SIM tem muita gente que tá de borrando de medo agora que a realidade da demissão chegou mais perto) , já tô pensando no que fazer da vida em caso de demissão, o que estou tentando, HONESTAMENTE, é discutir se vale a pena continuar dando murro em ponta de faca, por conta da nossa desvantagem nesse momento, ou se seria hora de tentarmos uma redução de danos, inclusive com benefícios para os colegas que foram embora. 

  • Like 2
Link to post
Share on other sites
2 hours ago, MRN said:

É isso que eu falo, "cuspiram pra cima" e agora querem "abrir as pernas". Acho uma put@ sacanagem com quem foi demitido. Tem que segurar a onda agora

Não acho que seja só isso, eu acho honestamente que tem um sentimento de desistência rolando, não é só questão de abrir as pernas. Acho que o grupo foi à lona, o que seria diferente de covardia. Eu pelo menos me sinto assim, sinto que perdemos a batalha. A questão agora é se vamos morrer atirando, ou tentar sobreviver. Eu ainda não decidi. 

  • Like 2
Link to post
Share on other sites
38 minutes ago, CabinCrew said:

Não acho que seja só isso, eu acho honestamente que tem um sentimento de desistência rolando, não é só questão de abrir as pernas. Acho que o grupo foi à lona, o que seria diferente de covardia. Eu pelo menos me sinto assim, sinto que perdemos a batalha. A questão agora é se vamos morrer atirando, ou tentar sobreviver. Eu ainda não decidi. 

É isso que eu tô falando, Cabin, só que você falou em termos diferentes. Votaram "não", sem pensar em quem seria demitido ou achando que a empresa tava blefando. Agora, quem tá na mira, vai votar "sim". Isso não é "ir a lona" ou "sentimento de desistência", é pensar só em si próprio, é a famosa frase "farinha pouca meu pirão primeiro". Por que não acham que agora pode ser um blefe da empresa? Por que não pára tudo em GRU pra empresa desistir disso de vez? Será que se isso acontecesse, ela mandaria todo mundo embora? Claro que não. Tá parecendo mais egoísmo do que sentimento de que perderam o jogo esse possível "sim" agora...

  • Like 2
Link to post
Share on other sites
8 minutes ago, MRN said:

É isso que eu tô falando, Cabin, só que você falou em termos diferentes. Votaram "não", sem pensar em quem seria demitido ou achando que a empresa tava blefando. Agora, quem tá na mira, vai votar "sim". Isso não é "ir a lona" ou "sentimento de desistência", é pensar só em si próprio, é a famosa frase "farinha pouca meu pirão primeiro". Por que não acham que agora pode ser um blefe da empresa? Por que não pára tudo em GRU pra empresa desistir disso de vez? Será que se isso acontecesse, ela mandaria todo mundo embora? Claro que não. Tá parecendo mais egoísmo do que sentimento de que perderam o jogo esse possível "sim" agora...

Não MRN as coisas que falamos não são as mesmas. Farinha pouca meu pirão primeiro é covardia. Eu não sei se é só covardia que tá rolando, eu acho, pelo menos eu sinto, que é inútil lutar dessa vez. Vou é me abster de votar, tô cansado.

  • Thanks 1
Link to post
Share on other sites
6 minutes ago, A350XWB said:

Alguma novidade na formalização de uma proposta? 

Não, o TST despachou que o SNA faça uma nova assembleia para decidir se reabre ou não as negociações, e ai sim dessas negociações (com redução permanente de salário) sairia uma proposta. 

Edited by CabinCrew
  • Thanks 1
Link to post
Share on other sites

Por mais que a negociação tenha algo falando de retorno dos demitidos, imagina quanto tempo se dará ate todos retornarem (se um dia isso acontecer) infelizmente nao pensaram como um todo e deixaram muita gente na rua, agora a vez esta chegando e o discurso ira mudar?

Nao aceitaram uma negociação, acordo, enfim, para ganhar talvez menos em uma outra aérea. 

Abs!

Link to post
Share on other sites

É uma tragédia mesmo. Uns ficarão sem emprego, sem carreira, outros sem dignidade, e ainda ganhando uma merreca. Como desatar esse nó? Greve é impensável, vamos botar a cabeça no lugar. 

Vejam, o mercado vai definir o número de pilotos necessários, não as empresas. Se a latam fecha, as outras crescem em cima e movimentam o mercado. Se o mercado encolhe definitivamente não tem o que fazer. Tenham certeza de que a latam vai diminuir salário e DEMITIR quem ela não precisar. NUNCA  vai ter piloto ocioso. Assim sendo o mais digno e inteligente é ignorar a empresa, deixar ela demitir, mudar CNPJ, fazer o escambau, problema dela.

Se negociar eles reduzem o salário e demitem, (alguém aqui confia na direção dessa triste empresa) pois enquanto ela está correndo atrás do próprio rabo as concorrentes estão tocando a vida, e tem até new player chegando.

Não esqueçam dos 2700...

  • Like 2
  • Haha 1
Link to post
Share on other sites
4 minutes ago, trident said:

Não esqueçam dos 2700...

O melhor que eu já ouvi nesse tópico. Não precisa dizer mais nada!!

Edited by MRN
Fix word
Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.




×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade