Jump to content

Gasolina de aviação com indícios de adulteração danifica aviões de pequeno porte


jambock

Recommended Posts

Meus prezados

Gasolina de aviação com indícios de adulteração danifica aviões de pequeno porte e causa preocupação na comunidade aeronáutica

Por Mariana Barbosa

Avião Cessna T206H Turbo StationairAvião Cessna T206H Turbo Stationair | Cessna

Nas últimas semanas, proprietários de aviões a pistão em todo o país têm reportado problemas com a gasolina de aviação, a AVGas. Conforme relatos de pilotos em redes sociais, o produto tem provocado vazamentos e corrosão no revestimento emborrachado dos tanques de combustível e nos aneis de vedação, o que pode levar a falhas na alimentação de motores.

A suspeita é de que o AVGas esteja contaminado com solventes.

Diante do aumento de casos, a Associação de Pilotos e Proprietários de Aeronaves (AOPA) fez uma denúncia à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e está sugerindo aos pilotos que recolham amostras da gasolina e solicitem testes de qualidade ao representante do último ponto de abastecimento. A associação pede ainda aos pilotos que relatem os incidentes ao Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Aeronáutica.

A Petrobras costumava produzir o AVgas na refinaria de Cubatão, mas começou a importar o produto em meados de 2018, quando a refinaria teve que parar para manutenção.

A AOPA e toda a comunidade de proprietários de aviões a pistão vem reclamando desde o ano passado de problemas de abastecimento de AVGas e dos preços.

Boa parte da frota a pistão do pais está parada ou com horas reduzidas pela falta do produto e por preços considerados abusivos.

Procurada, a Petrobras informou estar ciente do problema e que vai colaborar e contribuir com a investigação das causas dos problemas. A estatal diz ainda não ser a única importadora do produto no Brasil.

Já a Anac confirmou que recebeu a denúncia da AOPA Brasil. A agência emitiu nesta quinta um Boletim de Aeronavegabilidade aos operadores de aeronaves. A agência  recomenda que, "caso exista histórico ou evidências de contaminação, os operadores busquem imediatamente uma oficina de manutenção aeronáutica credenciada para uma avaliação mais detalhada. Ao receber esse tipo de caso, as oficinas de manutenção aeronáutica devem reportar tempestivamente ao Sistema de Dificuldade em Serviço (SDR) da Anac".

A Anac diz ainda que cabe à Agência Nacional de Petróleo (ANP) fiscalizar a distribuição, a qualidade da composição e demais atividades relacionadas ao combustível no Brasil e que caso seja identificado irregularidades, pode recorrer a medidas cautelares para garantir a segurança: "Com as informações recebidas da comunidade aeronáutica e com a avaliação feita pela ANP, a ANAC poderá avaliar potenciais impactos na aviação geral. Caso seja identificado, a ANAC atuará imediatamente em prol da segurança da aviação, podendo, inclusive, recorrer a medidas cautelares e emergenciais."

Leia íntegra da nota da Petrobras:

"A Petrobras tomou conhecimento do problema técnico identificado pelo segmento de aeronaves de pequeno porte. A companhia reforça que todos os produtos comercializados pela companhia atendem plenamente aos requisitos de qualidade exigidos pela ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), que seguem padrões internacionais, e se prontifica em colaborar e contribuir, em um trabalho conjunto com a Anac, Cenipa, ANP e distribuidoras de combustível, na investigação das causas dos problemas relatados.

A Petrobras esclarece também que não é a única importadora de GAV.

A reforma da planta produtora de GAV sofreu atraso devido à interrupção das obras causada pela pandemia da Covid-19. A produção deverá ser reiniciada em outubro de 2020."

Abaixo uma foto de um tanque de combustível com o vazamento:

Vasamento de gasolina em tanque de aviãoVazamento de gasolina em tanque de avião | Reprodução

Fonte: O GLOBO 9 jul 2020

 

 

 


 

 

Link to comment
Share on other sites

Meus prezados

Boletim Especial de Aeronavegabilidade  (Special Airworthiness Bulletin)
ATA: 28 – Sistema de Combustível.
Assunto: Operação com combustível contaminado ou adulterado.
BEA Nº 2020-08
Data: 09 de julho de 2020
Introdução:
Este Boletim Especial de Aeronavegabilidade (BEA) tem por objetivo informar a todos os operadores e proprietários de aeronaves que operem com gasolina de aviação quanto aos riscos associados à operação utilizando combustível contaminado ou adulterado.
Este documento possui recomendações de caráter informativo e não mandatórias, desta forma, até o presente momento não se justifica a emissão de uma Diretriz de Aeronavegabilidade de acordo com os requisitos do RBAC Nº 39.
Fabricante: Diversos.
Produto Aeronáutico Afetado: Aeronaves abastecidas com gasolina de aviação (AVGAS).
Histórico:
A ANAC recebeu a Denúncia encaminhada pela AOPA Brasil que diz respeito a possível contaminação da gasolina de aviação (AVGAS) distribuída no Brasil.
A operação com combustível contaminado ou adulterado pode provocar a degradação acelerada de componentes do sistema de armazenamento e distribuição de combustível das aeronaves, e motores de aeronaves.
Até o momento da emissão deste BEA, a ANAC não possui informações fáticas que possam confirmar a existência de tal contaminação, tampouco, se confirmada, que tenha agido como fator contribuinte em alguma ocorrência recente.
No momento da emissão deste BEA, a ANAC está em contato com a ANP, investiga o caso relatado e avalia a necessidade de medidas tempestivas, que dependerão da constatação de que há, de fato, uma situação de contaminação do combustível, o tipo, a origem e o período da suposta contaminação, bem como, se seria esta a causa da degradação de componentes.
Recomendações:
A ANAC recomenda que os proprietários e operadores das aeronaves afetadas façam, antes de cada voo, tanto quanto possível, uma inspeção visual dos componentes do sistema de combustível da aeronave quanto a degradação ou vazamentos, e componentes de borracha quanto a indícios de ressecamento. Caso se verifique evidências, o proprietário ou operador deve procurar uma organização de manutenção
de produto aeronáutico para que sejam tomadas as medidas preventivas ou corretivas adequadas.
No sentido de determinar as técnicas de inspeção apropriadas, bem como as ações de manutenção corretiva adequadas, a ANAC recomenda que os proprietários e operadores entrem em contato com os fabricantes dos aviões e motores que operam.
Se como resultado das inspeções realizadas for constatada a suspeita de contaminação no combustível, recomendamos que o combustível suspeito de estar contaminado seja adequadamente descartado.
A ANAC recomenda também que as organizações de manutenção de produto aeronáutico, ao se depararem com situações como a aqui reportada, que encaminhem detalhamento através do sistema de dificuldade em serviço (SDR), de acordo com a seção 145.221 do RBAC 145, para que as ações de aeronavegabilidade continuada possam ser cumpridas.
Para maiores informações contatar
Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC)
Gerência Geral de Certificação de Produto Aeronáutico (GGCP)
Rua Doutor Orlando Feirabend Filho, nº 230
Centro Empresarial Aquárius - Torre B - 14º ao 18º andares
Parque Residencial Aquárius
CEP 12246-190 - São José dos Campos - SP
Telefone: (12) 3203-6600.
E-mail: pac@anac.gov.br

Link to comment
Share on other sites

Petrobrás afirmou que "algo de errado não está certo" com um lote (não se fala do 'tamanho' do tal lote) de sua "puríssima" gasolina de 8 reais o litro.

 

O que mais se pode esperar da Bananalândia?

Link to comment
Share on other sites

Pelo visto aquele monte de testes que as revendedoras fazem diariamente nos caminhões, bombas e tanques não tem credibilidade nenhuma. :anta:

Link to comment
Share on other sites

43 minutes ago, IceAir said:

Pelo visto aquele monte de testes que as revendedoras fazem diariamente nos caminhões, bombas e tanques não tem credibilidade nenhuma. :anta:

Falta a cromatografia..dentre muitos outros que poderiam ter mitigado o ocorrido. 

O monte não é tão monte assim..somente na hora do custo para o consumidor.

Link to comment
Share on other sites

On 7/13/2020 at 2:47 AM, raverbashing said:

Depois que morre alguém aí as criaturas se mexem né :Brazil:

essa questão do avgas foi descoberta apos a queda do baron no campo de marte?

Link to comment
Share on other sites

40 minutes ago, FCRO said:

essa questão do avgas foi descoberta apos a queda do baron no campo de marte?

Não, esse assunto já vinha sendo debatido havia algum tempo. 

Inclusive, ainda não é possível fazer qualquer afirmação se houve alguma relação com o acidente da semana passada.

Link to comment
Share on other sites

49 minutes ago, FCRO said:

essa questão do avgas foi descoberta apos a queda do baron no campo de marte?

 

A APPA já havia emitido o alerta antes da queda do Baron.

Pode ser que o dano do motor tenha sido causado pela gasolina de má qualidade SIM, mas afirmar isto antes do final das investigações, seria uma grande especulação.

É o famoso "No creo en brujas, pero que las hay, las hay

Link to comment
Share on other sites

Meus prezados

Petrobrás já sabia que combustível tinha densidade errada

Tá, e daí? Não fizeram nada?

Link to comment
Share on other sites

5 hours ago, jambock said:

Meus prezados

Petrobrás já sabia que combustível tinha densidade errada

Tá, e daí? Não fizeram nada?

Fizeram, venderam o lote normalmente.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade