Jump to content

Itapemirim Linhas Aéreas - Atualizações


Recommended Posts

3 hours ago, MRN said:

No Brasil, se você assina um contrato de trabalho, com uma cláusula de permanência de 3 anos, por exemplo, pra "pagar" os cursos que a empresa tem que te dar, já tem o entendimento no TST que é ilegal. "AGRAVO DE INSTRUMENTO. CURSO DE IDIOMA. IMPOSIÇÃO DO EMPREGADOR. CLÁUSULA DE PERMANÊNCIA NO EMPREGO. RESSARCIMENTO DE DESPESAS. NÃO PROVIMENTO. Uma vez constatado que a participação no curso não foi solicitada pelo empregado, por sua livre e espontânea vontade, mas sim por determinação do reclamado, não há falar em devolução das despesas, na hipótese de rescisão do contrato de trabalho em período inferior ao previsto em termo de compromisso, pois tal obrigação de permanência no emprego ofenderia os princípios da dignidade da pessoa humana, dos valores sociais do trabalho e da livre concorrência, previstos nos artigos 1o, III e IV, e 170, IV, da Constituição Federal. Agravo de instrumento a que se nega provimento."(AIRR - 860-85.2010.5.01.0005 , Relator Ministro: Guilherme Augusto Caputo
Bastos, Data de Julgamento: 06/08/2014, 5a Turma, Data de Publicação: DEJT 15/08/2014)".
 Aconteceu comigo, saí da empresa com 2 anos e ela descontou o valor dos cursos que eu fiz. Resultado: teve que devolver tudo. Agora, você pagar pra fazer uma seleção, acho que é diferente de você pagar pra fazer o curso do avião que você vai voar, que a empresa tem que te dar pra você poder trabalhar


Obrigado por endossar o post com referência legal. É isso aí mesmo. No BR só há previsão de indenização do empregador nas forças armadas.

Pagar pra fazer a seleção soa bastante absurdo. Mas muito em breve vai aparecer alguém dizendo que o concurso público também é pago, que todo processo seletivo custa dinheiro, etc, espera pra ver - até o dia que se derem conta que processo seletivo também é fonte de renda - imoral, mas é.

 

  • Like 2
Link to post
Share on other sites

  • Replies 445
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

PR-PJN na Azul: genial! maravilhoso! tem que ter o nome do Janot mesmo!  “Daniela Mercury é Azul”, na própria: “homenagem à diversidade! genial!”  PR-XMA da Gol, em alusão ao MAX: nobody car

Uma pergunta: quando a Gol começou em 2001, ou até mesmo quando a Azul deu os pontapés iniciais em 2008 já com a internet muito mais abrangente do que no começo do século, precisaram divulgar até a ma

A despeito das tentativas anteriores de ingressar de vez na aviação, dessa vez a Itapemirim conseguiu demonstrar não somente alguma solidez no projeto como também na própria equipe montada. Pelo nível

5 hours ago, MRN said:

No Brasil, se você assina um contrato de trabalho, com uma cláusula de permanência de 3 anos, por exemplo, pra "pagar" os cursos que a empresa tem que te dar, já tem o entendimento no TST que é ilegal. 

Em termos.

Se não há uma proteção legal como utilizada fora do Brasil, o treinamento por aqui é de certa forma diluído no salário pago ao funcionário, com tendência a piorar (a despesa do empregador ser devolvida mais rapidamente). 

No final das contas, apesar do temível training bond ou bank guarantee, o tripulante no exterior não desembolsa um tostão se não sair da empresa dentro de um período de tempo, ou se tiver de fazer alguma compensação, geralmente paga pro rata. No Brasil, o treinamento é sempre 'pago' sem o funcionário se dar conta. Basta fazer a conversão de um ano de salário em US$ que cada um recebe e o custo de cada companhia nessa formação de mão de obra, que normalmente começa a produzir já na instrução de linha, ao compor a tripulação, sem a necessidade de um safety pilot. 

Não há, definitivamente, almoço grátis.

Edited by Jet Age
  • Thanks 1
Link to post
Share on other sites

Bom, eu falo pelo o que eu vivi, Jet Age. No meu contrato tinha uma cláusula de permanência de 3 anos pra pagar o treinamento que eu iria receber em Portugal. Saí da empresa com 2 anos, e foi descontado na minha rescisão, x mil reais relativo a "curso, hospedagem e alimentação". Se foi pago sem eu me dar conta durante os 2 anos, não sei, só sei que tive todo o desconto devolvido, baseado nesse artigo da CLT Brasileira: "Art. 2º - Considera-se empregador a empresa, individual ou coletiva, que, assumindo os riscos da atividade econômica, admite, assalaria e dirige a prestação pessoal de serviço." O juiz foi bem claro, que curso de formação é obrigação da empresa pagar, e a empresa tem que assumir o risco. Se o funcionário não se adaptou e quer sair, é o risco que a empresa corre.

O debate inicial era sobre cobrar pra participar da seleção, aí é outro assunto... Agora, se o funcionário for admitido na ITA, assinar um contrato de x anos, se desligar da empresa antes, e com isso for descontado valores para cobrir o custo com os treinamentos recebidos para poder desenvolver suas atividades na empresa, deve recorrer a justiça para que os valores sejam devolvidos. Não sei como funciona pelas bandas dos expat, mas acho que nem justiça trabalhista tem por lá...

Link to post
Share on other sites
4 minutes ago, MRN said:

Bom, eu falo pelo o que eu vivi ...

O que me referi não é o seu caso e solução, mas como legalmente não há um dispositivo que o empregador possa se amparar integralmente, de algum lado sai dinheiro para pagar as despesas de formação, e parte disso acaba sendo a 'contribuição' do próprio empregado ou de quem ficar, que a cada dia que passa tem recebido menos, em R$ ou USD.

 

Link to post
Share on other sites

Dizem que o SNA mandou hoje um ofício (343/2020) pra empresa pedindo explicação sobre a cobrança para participar do processo seletivo. Segundo o sindicato, esse procedimento é proibido por lei. No site do SNA não tem nada sobre isso, então não tenho a fonte, só o que me foi dito por um colega do sindicato

  • Thanks 1
Link to post
Share on other sites
14 hours ago, MarceloF said:


Epa. Espera um pouco aí!

Estão falando de coisas diferentes achando que é tudo igual.


A Etihad (assim como outras várias empresas aéreas no mundo que pagam bons salários) faz o funcionário assinar um training bond que consiste em cobrir o custo do type rating caso o funcionário se qualifique e caia fora uma semana depois (normalmente o valor do bond vai caindo ao longo de 2 anos até o piloto poder sair sem pagar nada pelo custo de treinamento). A assinatura do training bond acontece APÓS a contratação e a celebração do contrato de trabalho. No Brasil, se você fizer um curso inicial completo de type rating, os valores podem chegar em 100-200 mil reais (dólar atual, single/double), mas como é ilegal assinar training bond, no dia seguinte ao checkride o funcionário pode pedir demissão e deixar a empresa no prejuízo.

Só não é ilegal na FAB. Na FAB se o cara se formar aviador e sair antes de 10 anos, tem que indenizar o Estado.

Uma coisa é assinar training bond (perfeitamente normal no mundo lá fora, compreensível sob vários pontos de vista e digerível pelos salários muito mais altos e com a proporcionalidade ao longo do tempo) outra coisa bem diferente é pagar por curso preparatório (Em outras palavras: Jet Training, que o candidato já fez, só que desta vez com o bizu da seleção) pra poder concorrer à vaga; ou ainda pagar pela seleção em si.

 

Acho justíssimo o TRAINING BOND! Afinal tem gente que implora na porta da empresa pelo emprego, e aí saí na primeira semana após ser liberado em rota ou na volta do treinamento de manutenção. Foi dentro desse cenário que o Canhedo criou o inesquecível COPILOTO JR, COMISSARIO JR. Mas deveria ser permitido sim ter a proteção do lado da empresa.

6 hours ago, MRN said:

No Brasil, se você assina um contrato de trabalho, com uma cláusula de permanência de 3 anos, por exemplo, pra "pagar" os cursos que a empresa tem que te dar, já tem o entendimento no TST que é ilegal. "AGRAVO DE INSTRUMENTO. CURSO DE IDIOMA. IMPOSIÇÃO DO EMPREGADOR. CLÁUSULA DE PERMANÊNCIA NO EMPREGO. RESSARCIMENTO DE DESPESAS. NÃO PROVIMENTO. Uma vez constatado que a participação no curso não foi solicitada pelo empregado, por sua livre e espontânea vontade, mas sim por determinação do reclamado, não há falar em devolução das despesas, na hipótese de rescisão do contrato de trabalho em período inferior ao previsto em termo de compromisso, pois tal obrigação de permanência no emprego ofenderia os princípios da dignidade da pessoa humana, dos valores sociais do trabalho e da livre concorrência, previstos nos artigos 1o, III e IV, e 170, IV, da Constituição Federal. Agravo de instrumento a que se nega provimento."(AIRR - 860-85.2010.5.01.0005 , Relator Ministro: Guilherme Augusto Caputo
Bastos, Data de Julgamento: 06/08/2014, 5a Turma, Data de Publicação: DEJT 15/08/2014)".
 Aconteceu comigo, saí da empresa com 2 anos e ela descontou o valor dos cursos que eu fiz. Resultado: teve que devolver tudo. Agora, você pagar pra fazer uma seleção, acho que é diferente de você pagar pra fazer o curso do avião que você vai voar, que a empresa tem que te dar pra você poder trabalhar

MRN, quando a TRIP mandou dezenas de técnicos para a Embraer na época do 175, gente que os caras da Azul nem olhavam pra cara, foram convidados para fazer parte da Azul na semana seguinte ao retorno da turma da Embraer, no entanto, ninguem foi. Mas seria sacanagem o cara sair na época e ir para a Azul, pois antes não era desejado. Quando o operador tem um equipamento comum ao mercado, se torna um risco e esse tipo de postura de "levar vantagem" do Brasileiro é que gera coisas bizarras como a remuneração baixa, afinal como o @Jet Age frisou, não tem almoço grátis, de alguma forma o cara está pagando, eu preferiria estar amarrado a um contrato.

4 hours ago, Woody said:

Grupo Itapemirim adquire a América do Sul Táxi Aéreo para o início da ITA

https://contatoradar.com.br/2020/09/exclusivo-grupo-itapemirim-adquire-a-america-do-sul-taxi-aereo-para-o-inicio-da-ita/

Os caras da ASTA fizeram uma graninha interessante nessa operação.

2 hours ago, giuli said:

Quem será o dono da empresa que faz a seleção?

Se voce der um google vai achar rsrs,  que por ironia do destino é a empresa do CEO da ITA AIRLINES.

  • Like 1
  • Confused 1
Link to post
Share on other sites
1 minute ago, PT-KTR said:

Se voce der um google vai achar rsrs,  que por ironia do destino é a empresa do CEO da ITA AIRLINES

Bom, creio que não é preciso dizer mais nada a respeito disso tudo... Cai quem quer...

  • Like 2
Link to post
Share on other sites
Just now, giuli said:

Bom, creio que não é preciso dizer mais nada a respeito disso tudo... Cai quem quer...

Exato e ainda tem um agravante, quem garante que não é jogo de cartas marcadas? Vamos fazer uma conta de padaria? 950 reais né? Querem 300 comissários, se chamarem 600 para a seleção geraria uma renda de 285 mil reais. Belo negócio. Particularmente sou contra cobrar por processo seletivo, no entanto o contrato amarrando indenização caso caia fora da empresa para outra em prazo inferior a 24 meses eu acho justo, uma coisa é treinar um agente de aeroporto, outra coisa é treinar um piloto em simulador, mecânico em fábrica ou in house porem com vários OJT, isso é uma brincadeira que facilmente passa de 10k USD (mecanico) e chega facim facim em 50-60-70k USD para pilotos.

  • Confused 1
Link to post
Share on other sites

Abrir uma companhia com crowdfunding de desempegado desesperado.

Que tempos.

Edited by A350XWB
typo
  • Like 3
  • Sad 3
Link to post
Share on other sites
1 minute ago, A350XWB said:

Abrir uma companhia com crowdfunding de desempegado desesperado.

Que tempos.

Ainda bem que a louca da Flyways pelo visto desistiu.

Link to post
Share on other sites
11 minutes ago, PT-KTR said:

MRN, quando a TRIP mandou dezenas de técnicos para a Embraer na época do 175, gente que os caras da Azul nem olhavam pra cara, foram convidados para fazer parte da Azul na semana seguinte ao retorno da turma da Embraer, no entanto, ninguem foi. Mas seria sacanagem o cara sair na época e ir para a Azul, pois antes não era desejado. Quando o operador tem um equipamento comum ao mercado, se torna um risco e esse tipo de postura de "levar vantagem" do Brasileiro é que gera coisas bizarras como a remuneração baixa, afinal como o @Jet Age frisou, não tem almoço grátis, de alguma forma o cara está pagando, eu preferiria estar amarrado a um contrato.

Bahia, eu não poderia continuar, estava trocando um salário-base de x por 2x+500 :P. Ninguém entra numa empresa pensando em sair, as coisas acontecem do dia pra noite...

PS: Não usei os cursos pra me ajudar. Na época A330 e A340. Hoje B777 e B787 :nao:

Te respondi lá o que você perguntou...

  • Like 1
Link to post
Share on other sites
19 minutes ago, PT-KTR said:

Exato e ainda tem um agravante, quem garante que não é jogo de cartas marcadas?

Mas tanto para um lado quanto para outro, estão faltando elementos essenciais.

Contrato (com TB) ou prova paga, qual é a proposta (salário, benefícios, etc.) que a companhia está oferecendo?

Seria preciso pagar para ver? (Ops, lamento o trocadilho)

Edited by Jet Age
Link to post
Share on other sites
5 minutes ago, MRN said:

Bahia, eu não poderia continuar, estava trocando um salário-base de x por 2x+500 :P. Ninguém entra numa empresa pensando em sair, as coisas acontecem do dia pra noite...

PS: Não usei os cursos pra me ajudar. Na época A330 e A340. Hoje B777 e B787 :nao:

Te respondi lá o que você perguntou...

Vi sua resposta vlw... mas então meu caro Pitú... quando é um caso raro como esse ok, mas tem gente que troca por 500 conto (já vi, o cidadão saiu da GOL por +500 na TAM depois foi por mais 500 na OceanAir e por fim voltou por mais uns trocados e PLR na GOL.. isso no universo mecanico e tambem vi um cara sair de uma regional apos 1 dia ser liberado para voar sem instrutor em rota e ir para uma empresa grande, e o preju dessa regional ter feito ground, simulador fora do país e afins? quem absorve?

@Jet Age então, aí é que falta clareza e profundidade e o assunto extrapolaria a aviação ou as empresas, entramos na cultura do Brasileiro mesmo.

Link to post
Share on other sites
1 minute ago, PT-KTR said:

Vi sua resposta vlw... mas então meu caro Pitú... quando é um caso raro como esse ok, mas tem gente que troca por 500 conto (já vi, o cidadão saiu da GOL por +500 na TAM depois foi por mais 500 na OceanAir e por fim voltou por mais uns trocados e PLR na GOL.. isso no universo mecanico e tambem vi um cara sair de uma regional apos 1 dia ser liberado para voar sem instrutor em rota e ir para uma empresa grande, e o preju dessa regional ter feito ground, simulador fora do país e afins? quem absorve?

@Jet Age então, aí é que falta clareza e profundidade e o assunto extrapolaria a aviação ou as empresas, entramos na cultura do Brasileiro mesmo.

Nesse ponto você tem toda razão

Link to post
Share on other sites
3 hours ago, PT-KTR said:

vi um cara sair de uma regional apos 1 dia ser liberado para voar sem instrutor em rota e ir para uma empresa grande, e o preju dessa regional ter feito ground, simulador fora do país e afins? quem absorve?

 

Lembro de um caso, que logo que checou, snme, na outra semana, já estava de partida da amarela para a vermelha.... lá por volta de 2008/2010

Link to post
Share on other sites
2 hours ago, thor.rao said:

 

Lembro de um caso, que logo que checou, snme, na outra semana, já estava de partida da amarela para a vermelha.... lá por volta de 2008/2010

Estas épocas as cias estavam procurando muito pilotos, eu vi um pessoal de minha turma de PP e PC (2007) sair do aeroclube direto para as grandes operadoras.

Link to post
Share on other sites

Meus prezados

Sindicato questiona ITA sobre denúncia de cobrança por processo seletivo

Por  Carlos Roman

spacer.png

O Sindicato Nacional do Aeronautas (SNA) cobrou esclarecimentos da ITA Transportes Aéreos sobre uma suposta cobrança no processo seletivo da empresa. O ofício, que você vê abaixo na íntegra, é datado de 14 de setembro e assinado por Ondino Dutra, Diretor-Presidente do Sindicato.

No documento, o SNA informa que existiram denúncias sobre supostas cobranças para participar do recrutamento e da seleção de tripulantes, o que é proibido por lei. Não foram esclarecidas em quais circunstâncias estas cobranças estariam sendo feitas ou quem estaria cobrando, de modo que permaneceremos atentos às respostas.

Também entramos em contato com a ITA e incluiremos a resposta aqui quando a recebermos.

Veja o ofício do SNA

spacer.png

Site no ar por algumas horas

No domingo (13), revelamos que o site da empresa (www.voeita.com.br) já estava no ar, embora com poucos conteúdos e notadamente passando por manutenção e inclusão de dados, etc. Uma das seções do site redirecionava para o site AirJobs, que parece ser um site de recrutamento de pessoas voltado para a aviação.

Em uma parte AirJobs existiam alguns valores de planos (veja abaixo), que aparentavam ser de uma espécie de assessoria ou preparação para entrevistas e processos seletivos (algo oferecido por várias empresas no mercado), mas que várias pessoas interpretaram como sendo uma cobrança para inscrição na vaga da ITA ou até mesmo o salário, de acordo com reporte de leitores.

spacer.png

O AEROIN não confirmou como funcionarão as inscrições ou seleções da ITA. Estamos aguardando atentamente o lançamento oficial, que deve ser nos próximos dias, para divulgarmos as informações mais concretas. Da mesma forma, estaremos atentos ao retorno que o sindicato obterá sobre seu ofício.

ERRATA: erramos na data do ofício, o correto é dia 14 de setembro.

Fonte: AEROIN  14 set 2020

 

 

 

 

Link to post
Share on other sites

Meus prezados

Segunda página do ofício do SNA:

WhatsApp-Image-2020-09-14-at-13.25.14-1.

Link to post
Share on other sites
17 hours ago, Jet Age said:

Não, não é.

Como comentei, o momento está (e estará por um bom tempo) propício para que a 'barra' seja baixada de tal forma, que os candidatos terão de ser treinados pela Linda Blair, do filme 'O Exorcista', para que aprendam a andar de quatro, de costas e descendo a escada. 

Prova paga (se isso de fato acontecer)? No drama. Algo muito, mas muito mais relevante, como o 'pacote' de salário + benefícios quando admitido nem foi anunciado e já estão 'vendendo' que há pessoal com experiência no equipamento pronto para assumir. Por outro lado, há outros tantos desempregados, com muito mais qualificação, além de ab initio, sedentos e em busca do seu primeiro emprego. Como se resolve isso? Uma briga de foice no escuro?

Fácil criticar? Nope! Tudo isso é a mais pura lei (da selva) do mercado de trabalho, num quadro atual bem favorável ao caçador. 

E ainda teremos empresas fazendo muitas 'lives' com pagodeiros. Melhor assistir, quem sabe é pergunta de prova.


Num outro post meu tu não entendeu o que escrevi nas entrelinhas.

Vou ser mais específico dessa vez:

Hoje estão cobrando por seleção, fazendo um show de horror com RH, oferecendo o menor salário do mercado, etc.

Amanhã estarão se perguntando como pode o fator humano ainda ser responsável pelos acidentes na maioria das vezes.


 

  • Like 2
  • Thanks 3
Link to post
Share on other sites
16 hours ago, PT-KTR said:

Cara sair de uma regional apos 1 dia ser liberado para voar sem instrutor em rota e ir para uma empresa grande, e o preju dessa regional ter feito ground, simulador fora do país e afins? quem absorve?

Lei de mercado. Paga salário melhor e pacote bom e segura o carinha ou perde pra outra.

A TRIP tirou alguns comandantes da AZUL oferecendo salário maior e base. Azul tirou comandantes da TRIP oferecendo "uso da MEL" e escala.

ITA pode cobrar. Vai quem quer e precisa. Quando aquecer o mercado, sai sem problemas.

  • Haha 4
Link to post
Share on other sites

Acho engraçado isso, quando a empresa oferece as condições se aproveitando de um mercado saturado de profissionais tudo pode, mas na hora que o profissional também vai se aproveitar do mercado em alta ele não pode sair quando quiser? Quer segurar? Paga mais ou ofereça melhores condições.

Edited by Uptrim
  • Like 1
Link to post
Share on other sites
59 minutes ago, EXPAT ASIA said:

Lei de mercado. Paga salário melhor e pacote bom e segura o carinha ou perde pra outra.

A TRIP tirou alguns comandantes da AZUL oferecendo salário maior e base. Azul tirou comandantes da TRIP oferecendo "uso da MEL" e escala.

ITA pode cobrar. Vai quem quer e precisa. Quando aquecer o mercado, sai sem problemas.

... "uso da MEL". 

Sensacional! 

  • Like 2
Link to post
Share on other sites
7 hours ago, MarceloF said:


Num outro post meu tu não entendeu o que escrevi nas entrelinhas.

Vou ser mais específico dessa vez:
 

Ops, não estou discordando do seu ponto de vista. Ok, admito que as minhas ironias estão enferrujadas. My fault. 

Vou reformular o que escrevi para ficar mais claro:

No atual estágio e a médio prazo, a não ser que ocorra uma enorme reviravolta e a necessidade por mão de obra seja absurdamente imprevista, algo que nem os mais otimistas ainda conseguem imaginar, as empresas estarão à vontade para 'testar' o quanto que o mercado de trabalho suportará. Poderão apertar o parafuso até o limite ou, quem sabe, um pouco mais, tanto aqui como lá fora. Ou alguém se arrisca a dizer que quando as admissões retornarem faltarão candidatos para muitas empresas, mesmo após do jeito 'aos trancos e barrancos' como reduziram o quadro de funcionários? 

Como salientei, já disseram que tem pessoal 'pronto' para voar os aviões, passando por cima da cabeça de todos os outros que estão desempregados (às vezes muito mais qualificados do que toda turma que tem 'carteira', como se voar avião X ou Y fosse a seleção do projeto Apollo) e gente nova cheia de gás disposta a tudo pelo primeiro emprego. Guerra de foice no escuro? Possivelmente. Entretanto, vale notar, mesmo que de relance: ainda não tem absolutamente NADA formalizado, a empresa ainda está sendo montada e os prazos poderão ser naturalmente alterados. Inclusive, até o SNA já entrou na parada para exigir que a seleção não seja cobrada. Admito que não sei onde estão obtendo tanta informação privilegiada, num cenário que nem a página oficial da empresa foi apresentada. Teremos outra 'live' com o CEO daqui a dois dias, talvez com novidades. 

É mais do que evidente que torço pelo sucesso geral, da empresa e de quem precisa de trabalho, e claro que nunca 'me incluo fora dessa', mas dentro desse contexto de trocar os pés pelas mãos, com pessoas se importando com algo que nem tomou forma e, principalmente, invertendo a ordem das prioridades, colocando, por exemplo, em segundo plano o 'pacote' das condições gerais de trabalho, algo que certamente ainda está sendo criado ou sofrendo ajustes, se eu fosse da empresa Z ou W, começaria cobrando $5000 para a inscrição, e para mostrar como serei um patrão bonzinho, daria um desconto de $2000. Se fosse viável incluir um Training Bond, não hesitaria em utilizar este recurso. E mesmo assim choveria gente se candidatando. Fácil criticar? Nope, é a mais pura lei da selva do mercado de trabalho, sendo que o momento é de plenos poderes aos 'caçadores'.

A situação está ruim, mas muita calma nessa hora.

Edited by Jet Age
Link to post
Share on other sites
  • A345_Leadership changed the title to Itapemirim Linhas Aéreas - Atualizações

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.




×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade