Jump to content

Voo no Aeroporto de Guarapari é cancelado e passageiros perdem Natal com familiares


Recommended Posts

:offtopic:   "Contos de natal em Guarapari"

 

https://g1.globo.com/es/espirito-santo/noticia/2020/12/24/voo-no-aeroporto-de-guarapari-e-cancelado-e-passageiros-perdem-natal-com-familiares.ghtml

 

O que esse povo queria, que AD disponibilizasse um 195/32N pra levar 5 pax de VIX pra CNF antes da meia noite?

  • Like 2
Link to post
Share on other sites

1 hour ago, TheJoker said:

:offtopic:   "Contos de natal em Guarapari"

 

https://g1.globo.com/es/espirito-santo/noticia/2020/12/24/voo-no-aeroporto-de-guarapari-e-cancelado-e-passageiros-perdem-natal-com-familiares.ghtml

 

O que esse povo queria, que AD disponibilizasse um 195/32N pra levar 5 pax de VIX pra CNF antes da meia noite?

É o tipo de situação em que os dois lados erram:

A empresa não move uma palha além do que a lei obriga pra minimizar transtorno (e às vezes não faz nem nem o que a lei prevê). Dizem na maior cara dura “só lamento, se vira”. Na hora de vender, o sistema de cobrança no cartão funciona que é uma beleza, nunca tem problema; na hora de resolver problema, ninguém é responsável por nada.

E os passageiros que acham que porque tão pagando têm direito a tudo no mundo. Comprar uma passagem pra compromisso em cima da hora tem seus riscos envolvidos.

  • Like 5
  • Thanks 2
Link to post
Share on other sites

Desculpem seguir no off, mas as companhias usam mais de seu poder e erram mais que os passageiros. Agora mesmo a Gol mudou a numeração da malha e simplesmente cancelou no sistema um voo sem realocar os passageiros no voo com nova numeração. Comprei passagem em julho para poder passar o aniversário de minha mãe, 20/12, e Natal com família. Quando recebi o e-mail de cancelamento somente tinha vaga para 22/12. O que dizer de uma conduta dessas? Porque não realocar todo mundo do voo antigo no voo novo (diferença de 30min), senão sacanear com o cliente?

  • Like 3
Link to post
Share on other sites
11 hours ago, TheJoker said:

:offtopic:   "Contos de natal em Guarapari"

 

https://g1.globo.com/es/espirito-santo/noticia/2020/12/24/voo-no-aeroporto-de-guarapari-e-cancelado-e-passageiros-perdem-natal-com-familiares.ghtml

 

O que esse povo queria, que AD disponibilizasse um 195/32N pra levar 5 pax de VIX pra CNF antes da meia noite?

Nem precisa ir tão longe, já que os pax estavam em Guarapari, pq não levaram para VIX e acomodaram em um voo?

  • Like 2
Link to post
Share on other sites
10 minutes ago, PT-KTR said:

Nem precisa ir tão longe, já que os pax estavam em Guarapari, pq não levaram para VIX e acomodaram em um voo?

Pensei exatamente a mesma coisa quando vi a matéria...

Link to post
Share on other sites
25 minutes ago, PT-KTR said:

Nem precisa ir tão longe, já que os pax estavam em Guarapari, pq não levaram para VIX e acomodaram em um voo?

 

Segundo a matéria, foi esse o relato do passageiro:

"Disseram que o voo desceu em Vitória e que a gente iria para Vitória, depois disseram que a gente ia sair daqui [Guarpari]. Depois disseram que não sairíamos nem daqui e nem de Vitória, porque não daria tempo para a gente chegar em Vitória para o embarque”, relatou o passageiro que esperava até as 20h um posicionamento oficial da empresa no aeroporto do balneário."

De acordo com a Azul, os clientes impactados seriam levados para o aeroporto de Vitória, mas a aeronave que faria o voo a partir de Vitória para Belo Horizonte foi submetida à uma manutenção não-programada.

A Azul Conecta é um serviço inovador e interessante, colocando voos com o nome de uma Grande empresa aonde somente a aviação geral chegava, MASSS o risco do negócio é gigantesco por conta de operar em aeroportos com quase nada de infraestrutura. Se a empresa quer ofertar esses voos, ela precisa já ter bem preparado um plano B para situações como essa. O passageiro pagou para viajar de A até B e quer chegar no destino, não importe como.

Acompanhando o fórum do Skyscrapercity, era tanto cancelamento de voos nas cidades Rondonienses de Cacoal e Ji-Paraná, que a Azul já definiu que só volta a operar nesses aeroportos quando eles estiverem com o procedimento RNAV aprovado.

  • Like 2
Link to post
Share on other sites

Os empolgados com os novos voos para Angra dos Reis e Paraty, por exemplo, que se preparem para fortes emoções. Com as habituais chuvas e instabilidade meteorológica na região da Costa Verde fluminense, no período de verão, o que não vai faltar é cancelamento de voos. Oremos!

Edited by Carlos Augusto
Link to post
Share on other sites
7 hours ago, A345_Leadership said:

É engraçado a pseudoabstração da reportagem com o nome da empresa. "Um voo de uma companhia aérea..." e lá no final coloca "Segundo a Azul...". Porr@, coloca logo que é um voo da Azul no primeiro parágrafo.

Igual uma matéria na RECORD esses dias, manchou o nome da Azul na fuselagem, mas deixou a cauda claríssima, bela e brilhante.

  • Haha 2
Link to post
Share on other sites

Situações adversas acontecem, de fato, mas, na maioria dos casos, a companhia área é completamente omissa quando existem estas situações, e como citado pelo colega acima, a Azul ainda se propõe a oferecer esse serviço de risco que é operar em aeroportos menores, então, no fundo, ela tem que arcar com as consequências.

Esperar que o passageiro comum tenha compreensão do cenário precário que a companhia aérea opera no aeroporto é pedir demais, até porque a companhia não tá fazendo nenhum favor, todo mundo ali pagou pelo serviço e tem o direito de que ele seja operado, além de que a legislação também protege.

A verdade é que os passageiros contratam um serviço e esperam que ele seja cumprido, independente ser 174 de um A320N ou 9 de um Caravan ou que seja com ou sem antecedência. É natural a frustração, cada passageiro está num voo por um motivo ou propósito, bem como tem os seus compromissos no seu destino, mas a gente não pode ficar nessa piedade com a companhia.

  • Like 1
  • Thanks 1
Link to post
Share on other sites
On 27/12/2020 at 22:10, PT-KTR said:

Nem precisa ir tão longe, já que os pax estavam em Guarapari, pq não levaram para VIX e acomodaram em um voo?

Eu até vi no FR24, no dia 24 só teve voos pela manhã.

https://www.flightradar24.com/data/flights/ad4095  dp 16:00   não operou dia 24

https://www.flightradar24.com/data/flights/ad4243  dp 11:06

https://www.flightradar24.com/data/flights/ad4413  dp 06:25

https://www.flightradar24.com/data/flights/ad4718  dp 08:50

https://www.flightradar24.com/data/flights/ad4579  dp 19:05   não operou 24 e seria ó único horário próximo, talvez tivesse que esperar pelos pax.

 

 

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

Eu sinceramente acho que, olhando pelos dados que a gente consegue filtrar, a regularidade e até mesmo a pontualidade dos voos Conecta em Guarapari está excelente. Condição climática adversa ainda cancela voo em qualquer aeroporto internacional do mundo, independentemente da data, tempestades não observam se é noite de natal ou não antes de cair. Esse mesmo problema de cancelamento "porque o avião não pousou" tem acontecido muito mais em GVR (até mesmo algumas vezes por manutenção não programada além de clima ruim) afetando muito mais pessoas ao longo de dezembro, e não gerou toda essa comoção.

Se é assim no mundo inteiro, as pessoas vão querer exigir que logo em Guarapari não tenha cancelamento por condição climática? Se tivesse ILS na pista de Guarapari o voo teria pousado, mas obviamente não tem e vai continuar não tendo.

Mas o que mais me incomoda nisso tudo é alguns tratarem a empresa como irresponsável e negligente por ter respeitado os mínimos e alternado o avião para VIX. Pra quem não conhece a região de Guarapari, tal como boa parte do litoral capixaba, o relevo é bastante imprevisível, por se tratar de um litoral plano mas salpicado de morros altos e íngremes, descer abaixo dos mínimos ali sem instrumentos ou RNAV é uma roleta russa, pode dar certo por meses e meses, mas algum dia alguém iria dar de cara com um morro daqueles e pronto, aí sim estariam tratando a empresa como irresponsável e negligente, com razão.

Quando é um ônibus viajando em 24/12 que fica preso em algum engarrafamento monstro e chega no destino só no dia seguinte, não aparece matéria em jornal nenhum contando o drama que foi passar a noite de natal parado em alguma rodovia.

Edited by diasfly
  • Like 3
  • Thanks 3
  • Confused 2
Link to post
Share on other sites
On 30/12/2020 at 08:35, diasfly said:

Eu sinceramente acho que, olhando pelos dados que a gente consegue filtrar, a regularidade e até mesmo a pontualidade dos voos Conecta em Guarapari está excelente. Condição climática adversa ainda cancela voo em qualquer aeroporto internacional do mundo, independentemente da data, tempestades não observam se é noite de natal ou não antes de cair. Esse mesmo problema de cancelamento "porque o avião não pousou" tem acontecido muito mais em GVR (até mesmo algumas vezes por manutenção não programada além de clima ruim) afetando muito mais pessoas ao longo de dezembro, e não gerou toda essa comoção.

Se é assim no mundo inteiro, as pessoas vão querer exigir que logo em Guarapari não tenha cancelamento por condição climática? Se tivesse ILS na pista de Guarapari o voo teria pousado, mas obviamente não tem e vai continuar não tendo.

Mas o que mais me incomoda nisso tudo é alguns tratarem a empresa como irresponsável e negligente por ter respeitado os mínimos e alternado o avião para VIX. Pra quem não conhece a região de Guarapari, tal como boa parte do litoral capixaba, o relevo é bastante imprevisível, por se tratar de um litoral plano mas salpicado de morros altos e íngremes, descer abaixo dos mínimos ali sem instrumentos ou RNAV é uma roleta russa, pode dar certo por meses e meses, mas algum dia alguém iria dar de cara com um morro daqueles e pronto, aí sim estariam tratando a empresa como irresponsável e negligente, com razão.

Quando é um ônibus viajando em 24/12 que fica preso em algum engarrafamento monstro e chega no destino só no dia seguinte, não aparece matéria em jornal nenhum contando o drama que foi passar a noite de natal parado em alguma rodovia.

Quem compra passagem aérea faz isso porque o produto vende “tempo” e a empresa que fornece sabe que tem nas mãos um produto extremamente perecível, ou seja, te levo do ponto A para B com conforto e segurança muito mais rápido que qualquer outro meio de transporte mas também o assento não vendido nunca mais poderá ser ofertado e tchau produto, o próximo voo já é outro produto. Assim, comparar com ônibus não me parece ser uma analogia válida seja só pra comparar fatos como para gerar fatos noticiosos. E aqui ninguém está reclamando ou não concordando que fatos imprevisíveis ou de força maior possam acontecer na aviação e muito menos ninguém exigiu voo em condições adversas. O que todos questionam é que via de regra não parece ter plano B para operar rotas que tenham alto risco ao negócio. Se alguém souber, poderiam compartilhar o plano de contingência e o plano de crise que a Azul fez para operar em Guarapari ou nos novos voos para Paraty e Cabo Frio, assim mata já a curiosidade pois os exemplos via de regra vêm demonstrando o contrário meio no “a gente vê o que faz quando der problema”. Num dia normal deve dar certo, mas numa véspera de feriado escancara o problema e obviamente vira notícia! Abraços aos foristas.

Link to post
Share on other sites
2 hours ago, rlreis said:

Quem compra passagem aérea faz isso porque o produto vende “tempo” e a empresa que fornece sabe que tem nas mãos um produto extremamente perecível, ou seja, te levo do ponto A para B com conforto e segurança muito mais rápido que qualquer outro meio de transporte mas também o assento não vendido nunca mais poderá ser ofertado e tchau produto, o próximo voo já é outro produto. Assim, comparar com ônibus não me parece ser uma analogia válida seja só pra comparar fatos como para gerar fatos noticiosos. E aqui ninguém está reclamando ou não concordando que fatos imprevisíveis ou de força maior possam acontecer na aviação e muito menos ninguém exigiu voo em condições adversas. O que todos questionam é que via de regra não parece ter plano B para operar rotas que tenham alto risco ao negócio. Se alguém souber, poderiam compartilhar o plano de contingência e o plano de crise que a Azul fez para operar em Guarapari ou nos novos voos para Paraty e Cabo Frio, assim mata já a curiosidade pois os exemplos via de regra vêm demonstrando o contrário meio no “a gente vê o que faz quando der problema”. Num dia normal deve dar certo, mas numa véspera de feriado escancara o problema e obviamente vira notícia! Abraços aos foristas.

se nem em vôo "normal" as empresas parecem ter um plano B

SEMPRE é uma confusão e desinformação sem tamanho

Link to post
Share on other sites

No mundo real, é inviável para absolutamente qualquer aérea deixar um avião reserva estacionado e uma tripulação extra em sobreaviso permanente em cada rincão do país, simplesmente aguardando o momento em que o avião titular não consiga efetuar o pouso, para entrar em ação e servir de plano B para que os passageiros afetados cheguem no destino final no mesmo dia (inclusive dando um "jeitinho" pra decolar mesmo que o clima ainda esteja péssimo).

Ou seja, o plano B pra situação "o avião que ia fazer meu voo não conseguiu pousar" vai sempre ser analisado na hora, e adequado para cada situação específica:

  • Se for uma base que recebe somente esse voo, uma vez ao dia, e não exista possibilidade de voos em nenhum aeroporto próximo, realmente é péssimo, mas não dá pra ligar pro Batman resolver. A solução da vida real é remarcar todos pro voo do dia seguinte e daí os passageiros vão chegar no destino com 24 horas de atraso, reclamando e querendo processar.
  • Se for uma base que recebe somente esse voo mas tiver uma opção de voo em aeroporto próximo, melhor, vão mandar os passageiros de ônibus pra lá e todos vão chegar no destino com um senhor atraso, reclamando e querendo processar.
  • Se for uma base média onde tem poucos voos mas tem algum outro voo pra outro destino onde existe possibilidade de conexão, ótimo, os passageiros vão chegar no destino com um atraso mediano, reclamando e querendo processar.
  • Se o ocorrido for em um hub e houver um avião e uma tripulação dando sopa prontos pra assumir o voo (o que mesmo em um hub é raro de acontecer), ótimo, os passageiros vão chegar no destino com pouco atraso, reclamando e querendo processar do mesmo jeito.


No final, por mais que a solução seja a melhor de todas, como a do último exemplo, sempre vai haver processos judiciais, a empresa vai arcar e refletir estes custos nas tarifas, pra depois muitos se perguntarem o porque de um voo regional ter uma tarifa tão "inexplicavelmente" mais cara.

Caso o volume de problemas e processos seja grande a ponto de a aérea envolvida não conseguir retorno financeiro compensando na tarifa, a rota é simplesmente descontinuada e a cidade deixa de ser atendida. Não é preciso ser um especialista pra notar esse padrão.

  • Like 3
  • Thanks 1
Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade