Jump to content

[TÍTULO ATUALIZADO] CCR arremata Aeroporto da Pampulha por R$ 34 milhões


Recommended Posts

2 hours ago, naia said:

Obrigado.

 

Seria possível um voo PLU-VAG-CGH/GRU, trocando o número do voo mas levando os passageiros da Pampulha para SP via Varginha?

Sim, mas aí voce perde tempo, encarece o produto, tornando CNF mais atrativo ao pax que tempo é dinheiro. Mas seria a solução de fazer PLU-CGH via VAG, PLU-SDU via JDF, PLU-VIX via IPN ou GVR, PLU-BSB via UBA ou POJ... mas, voce esbarra no relatado. A GOL tentou como o colega falou via IZA e morreu na praia.

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

  • Replies 88
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

PLU privatizada e sem restrições operacionais impactaria diretamente a Azul, que teria que desmontar CNF e, consequentemente, a RMBH perderia um hub que liga a região a diversas cidades do país.

Saudades Air Minas. 

E, de novo, esqueceu de incluir variáveis…   No exemplo do KTR, e tomando como base o declarado, UBA se estourar 600 mil pax/ ano seria inviavel p PLU…   So haveriam voos p UBA a p

CCR levou por R$34 milhões, só teve outro interessado o Consórcio ASA.

Edited by TheJoker
Link to post
Share on other sites
Just now, TheJoker said:

CCR levou por R$34 milhões.

34 milhões de lance e mais 10 milhões para desligamento da turma da Infraero.

Link to post
Share on other sites
  • A345_Leadership changed the title to [TÍTULO ATUALIZADO] CCR arremata Aeroporto da Pampulha por R$ 34 milhões
8 minutes ago, A345_Leadership said:

Eu achei bem baixo para o porte do aeroporto.

Mesmo que continue nos moldes atuais de restrição?

Link to post
Share on other sites
15 minutes ago, MRN said:

Mesmo que continue nos moldes atuais de restrição?

Sim. O potencial de PLU para aviação executtiva, geral e como polo de serviços é imenso e pouquissimo explorado... mas ainda assim o aeroporto é bem movimentado, o tráfego executivo é bem intenso. Se o fechamento do Carlos Prates se concretizar, o movimento deve crescer.

Além do mais, a CCR é sócia da BH Airport, que administra CNF, com isso, muito provavelmente vão administrar PLU de modo a não competir com CNF.

Link to post
Share on other sites

A concessão está prevista para durar 30 anos, com investimentos estimados pelo governo do estado em R$ 151 milhões.

Desse montante, cerca de R$ 65 milhões devem ser investidos nos primeiros três anos na modernização do local.

https://www.cnnbrasil.com.br/business/aeroporto-da-pampulha-mg-e-concedido-a-iniciativa-privada-por-r-34-milhoes/

Link to post
Share on other sites
40 minutes ago, Nicholas773 said:

 

 

 

40 minutes ago, Nicholas773 said:

Além do mais, a CCR é sócia da BH Airport, que administra CNF, com isso, muito provavelmente vão administrar PLU de modo a não competir com CNF.

Tomara, isso vai dar um fim, pelo menos pelos próximos 20 anos de uma briga enorme e de várias discussões, um dos grandes impeditivos para o crescimento de CNF caiu hoje.

Link to post
Share on other sites
7 hours ago, Renatosilva said:

 

 

Tomara, isso vai dar um fim, pelo menos pelos próximos 20 anos de uma briga enorme e de várias discussões, um dos grandes impeditivos para o crescimento de CNF caiu hoje.

Ou nao…

Daqui p frente, tanto faz p CCR

Edited by MCAS MAX
Link to post
Share on other sites

Se existe alguma forma de Confins e Pampulha co-existirem, nós descobriremos agora.
A CCR não vai permitir a mudança dos voos premium (CGH e SDU) de CNF para PLU caso isso prejudique os bancos de conexão da Azul em CNF.

Por outro lado, eu não sei qual o tipo de poder eles tem sobre isso além da negociação com as companhias. Caso a restrição caia, o operador tem poder para negar uma nova rota, de PLU para CGH, por exemplo, simplesmente porque ele não quer e prefira que o voo saia de CNF?

Link to post
Share on other sites
1 hour ago, Guilherme.penna.carvalho said:

Se existe alguma forma de Confins e Pampulha co-existirem, nós descobriremos agora.
A CCR não vai permitir a mudança dos voos premium (CGH e SDU) de CNF para PLU caso isso prejudique os bancos de conexão da Azul em CNF.

Por outro lado, eu não sei qual o tipo de poder eles tem sobre isso além da negociação com as companhias. Caso a restrição caia, o operador tem poder para negar uma nova rota, de PLU para CGH, por exemplo, simplesmente porque ele não quer e prefira que o voo saia de CNF?

Quem não permite é a ANAC, a concessão não alterou as restrições de PLU.

  • Like 1
Link to post
Share on other sites
1 minute ago, TheJoker said:

Quem não permite é a ANAC, a concessão não alterou as restrições de PLU.

Mas quem define a distribuição de slots é a concessionária, certo? Nesse caso, a CCR pode negar os slots e liberar apenas os que quiser, mesmo que a operação seja liberada pela ANAC. Ou em um caso mais extremo, a concessionária pode simplesmente não oferecer nenhuma infraestrutura de embarque para voos comerciais, caso não haja essa exigência em contrato.

Link to post
Share on other sites
3 minutes ago, A350-1041 said:

Mas quem define a distribuição de slots é a concessionária, certo? Nesse caso, a CCR pode negar os slots e liberar apenas os que quiser, mesmo que a operação seja liberada pela ANAC. Ou em um caso mais extremo, a concessionária pode simplesmente não oferecer nenhuma infraestrutura de embarque para voos comerciais, caso não haja essa exigência em contrato.

Não, nesses 5 coordenados  https://www.gov.br/anac/pt-br/assuntos/regulados/empresas-aereas/slot/bases-de-dados

Edited by TheJoker
Link to post
Share on other sites

Pelo que li, está prevista a demolição do atual TPS e a construção de um GAT (terminal de aviação geral) minúsculo de “contêiner” (estrutura pequena metálica e pré-moldada). Deverá ter menos de 1000m2 de área construída ao todo, contando com os dois andares.

Só terá, basicamente, um raio-x e uma sala de estar com sofás e bar no primeiro andar (para receber os poucos passageiros de jatinho) e um segundo andar administrativo.

O mais interessante será a destinação do gigantesco espaço vazio do terreno, onde devem construir shopping, centro de convenções, hotel, restaurantes e edifícios corporativos. Tudo com vista maravilhosa do aeroporto. A ideia será criar um pólo turístico e de negócios na região, explorando o potencial da vista para os aviões.

Ao menos, essa era a ideai da CCR/Zürich quando fizeram o estudo para o estado e vai de encontro com o edital de concessão.

Assim, caso o atual TPS seja realmente demolido, adeus a qualquer tipo de voo comercial em PLU

Link to post
Share on other sites
12 hours ago, MCAS MAX said:

Ou nao…

Daqui p frente, tanto faz p CCR

Não tanto faz porque uma reabertura de PLU faria CNF perder mais tráfego que só o origem/destino para SP, Rio, BSB., etc em função das perdas de conectividade. Com isso seria menos receita de taxas aeroportuárias, taxas de embarque, das concessões de loja, e muitas outras.
Imagino que a potencial receita que a CCR pode ganhar com a reabertura de PLU para certos voos comerciais é menor do que a perda que ela teria em CNF, e com certeza eles sabem disso

 

50 minutes ago, A350-1041 said:

Mas quem define a distribuição de slots é a concessionária, certo? Nesse caso, a CCR pode negar os slots e liberar apenas os que quiser, mesmo que a operação seja liberada pela ANAC. Ou em um caso mais extremo, a concessionária pode simplesmente não oferecer nenhuma infraestrutura de embarque para voos comerciais, caso não haja essa exigência em contrato.

Como a concessionária é uma entidade que administra um aeródromo público, ela não tem o poder de proibir uma operação em conformidade com as normas da ANAC e as leis brasileiras. Contudo, ela pode tomar medidas no aeroporto que desencorajem, dificultem ou inviabilizem esse tipo de operação (como cobrar tarifas altas, negociar pouco com as empresas aéreas, reduzir capacidade do TPS ou do pátio...), desde que obedeçam o contrato de concessão. Agora botar essas medidas em prática sem que elas prejudiquem nem PLU nem CNF são outros 500, o melhor é fazer pressão para que a ANAC mantenha as restrições atuais.

 

4 minutes ago, AndrePrates said:

Pelo que li, está prevista a demolição do atual TPS e a construção de um GAT (terminal de aviação geral) minúsculo de “contêiner” (estrutura pequena metálica e pré-moldada). Deverá ter menos de 1000m2 de área construída ao todo, contando com os dois andares.

 

Não tenho certeza, mas acho que o TPS de PLU (ou pelo menos parte dele) é tombado.

Link to post
Share on other sites

Já está nos 29:00, as obras exigidas em PLU. Aos 23:00 tem o sítio atual. Não tem demolição do terminal atual.

Link to post
Share on other sites
2 hours ago, TheJoker said:

Quem não permite é a ANAC, a concessão não alterou as restrições de PLU.

Eu sei que as restrições permanecem.
Porém, essas restrições existem devido ao lobby da administradora de Confins.
Se for do interesse deles, as restrições caem em um minuto.

  • Like 2
Link to post
Share on other sites
23 hours ago, MRN said:

Mesmo que continue nos moldes atuais de restrição?

Sim, como disse o @Nicholas773, há o potencial da aviação executiva. 

Acrescento também os investimentos imobiliários, mesmo que tímidos que o operador pode fazer, ou então usar para realização de eventos.

No final concessão aeroportuária é negócio imobiliário, não é apenas a aviação.

Link to post
Share on other sites

Vocês não acham, que agora que esta nas mãos da CCR, ela vai mexer os pauzinhos pra liberar voos comercias em PLU? 

Digo isso porque ali é uma mina de ouro, ela pode readequar o terminal, resolver o problema das enchentes e colocar rotas diretas dali para diversas capitais e cobrar os olhos da cara que o publico corporativo vai pagar. 

Acredito eu que quem viaja de SP, RJ, REC e outros para BH não seja por conexão e sim a trabalho. 

E PLU não é tão longe do centro. 

Link to post
Share on other sites
8 minutes ago, Cassio.Fernandes said:

Vocês não acham, que agora que esta nas mãos da CCR, ela vai mexer os pauzinhos pra liberar voos comercias em PLU? 

Digo isso porque ali é uma mina de ouro, ela pode readequar o terminal, resolver o problema das enchentes e colocar rotas diretas dali para diversas capitais e cobrar os olhos da cara que o publico corporativo vai pagar. 

Acredito eu que quem viaja de SP, RJ, REC e outros para BH não seja por conexão e sim a trabalho. 

E PLU não é tão longe do centro. 

Poder ela pode.


A questão é o impacto que isso terá em CNF. Colocar rotas para SP, RJ e BSB, hoje, significaria praticamente 100% dos voos de Gol e Latam em CNF. A Azul acabaria sendo obrigada a também mandar alguns desses voos para PLU e isso prejudicaria o banco de conexões de CNF, reduzindo a oferta de voos para outras cidades, que hoje se sustentam parcialmente por conexões e parcialmente por O&D (como a maioria dos Hubs).

A CCR certamente sabe de todos esses impactos. Se ela vislumbrar uma possibilidade de reabrir PLU sem perder dinheiro em CNF (leia-se, perdendo menos do que ganhará na Pampulha), provalemente é isso que acontecerá.

  • Like 1
Link to post
Share on other sites
9 minutes ago, Guilherme.penna.carvalho said:

Poder ela pode.


A questão é o impacto que isso terá em CNF. Colocar rotas para SP, RJ e BSB, hoje, significaria praticamente 100% dos voos de Gol e Latam em CNF. A Azul acabaria sendo obrigada a também mandar alguns desses voos para PLU e isso prejudicaria o banco de conexões de CNF, reduzindo a oferta de voos para outras cidades, que hoje se sustentam parcialmente por conexões e parcialmente por O&D (como a maioria dos Hubs).

A CCR certamente sabe de todos esses impactos. Se ela vislumbrar uma possibilidade de reabrir PLU sem perder dinheiro em CNF (leia-se, perdendo menos do que ganhará na Pampulha), provavelmente é isso que acontecerá.

Eu entendo. Infelizmente CNF ou BH não tem o mesmo poder de SP capital que CGH e GRU conseguem sobreviver mesmo sendo tão próximos. 

É uma situação difícil para a região. O que poderia ocorrer é criar uma certa quantidade de rotas entre as capitais e ter os mesmos voos em CNF para conexões, algo que acontece muito aqui em SP, porem esbarraria no que eu comentei acima, a região ainda não tem esse poder de manter dois aeroportos e tbm não da pra confiar nas companhias, se elas verem que o negocio da lucro elas tiram de um e coloca no outro sem dó. 

Difícil. Agora é ver como isso vai se desenrolar nos próximos meses 

Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.




×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade