Jump to content

Com investimento de R$ 2 bi, Rio planeja metrô leve para o Aeroporto do Galeão


A345_Leadership
 Share

Recommended Posts

14 hours ago, Galeão-Cumbica said:

Comecei a trabalhar no GIG em 2003/2004 e lembro de logo no início sugerir à prefeitura, governo estadual, federal, Infraero, jornais, provavelmente também postei no velho Aeroforum, detalhadamente, exceto por confecção de renders, a criação de uma (mais uma) travessia Praça 15 x Ilha, talvez uma Niteroi x Ilha, com a construção de uma estação de barcas/aerobarcos na Praia do Galeão, de preferência bem na cara do retão, junto ao viaduto de acesso à Av 20 de Janeiro, bem como a construção de um terminal multimodal que despachasse tanto ônibus pra toda Ilha do Governador, quanto (aí sim) uma espécie de VLT, monotrilho, maglev, trenzinho, qualquer coisa sobre trilhos para os terminais 1 e 2 do GIG, aproveitando o canteiro central do retão. A única resposta que recebi foi de um colega de VARIG, que repercutiu a minha ideia aos risos, ridicularizando a sugestão, ao mesmo tempo que dava uma resposta simples e, infelizmente, convincente: "a máfia de ônibus da Ilha (Ideal e Paranapuan), a Viação 1001, a CCR Ponte e a Real Auto Ônibus não deixariam". Right said him... quase 18 anos depois, ainda parece um sonho simples, porém distante, beirando o impossível.

Eu tinha pensado ali no Galeão antigo, mas onde disse é um excelente local e ser multimodal também. Amortizaria os custos do GIG.

Lembro que 1999 ou 2000 a Infraero fez alguns testes de lanchas rápidas entre SDU e GIG. Pensando hoje, poderia até ter um canal para lanchas rápidas até o Centro, mas sem abrir mão das barcas, mas concordo que é quase impossível.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

No Brasil infelizmente não se faz infra-estrutura de longo prazo. 

Obvio que o Metro deveria ser a regra ainda mais no caso do GIG que fica dentro da cidade do Rio de Janeiro e parte de um dos poucos elos da cidade sem transporte coletivo (Ilha do Governador). 

O problema é que a "tira" do metro atual não consegue em momento algum atingir economia de escala para se bancar, e não adianta investir R$ 1 a 2 bilhões para levar 40 mil passageiros por dia. Transporte coletivo é dever do estado, mas tem que ser rentável, do contrário vai te inviabilizar fazer mais uma estação. 

Qual a solução ? Não sei se existe uma ! 

 

 

Link to comment
Share on other sites

5 hours ago, LipeGIG said:

No Brasil infelizmente não se faz infra-estrutura de longo prazo. 

Obvio que o Metro deveria ser a regra ainda mais no caso do GIG que fica dentro da cidade do Rio de Janeiro e parte de um dos poucos elos da cidade sem transporte coletivo (Ilha do Governador). 

O problema é que a "tira" do metro atual não consegue em momento algum atingir economia de escala para se bancar, e não adianta investir R$ 1 a 2 bilhões para levar 40 mil passageiros por dia. Transporte coletivo é dever do estado, mas tem que ser rentável, do contrário vai te inviabilizar fazer mais uma estação. 

Qual a solução ? Não sei se existe uma ! 

 

 

Lipe, são raros os exemplos de transporte de metrô que são lucrativos em sua atividade-fim. O benefício do metrô vem indiretamente por meio da redução de veículos, mais tempo para outras atividades, investimento imobiliário, etc.

O nosso sistema ainda é ruim porque há fragmentação de competências: o Metrô do RJ é de um concessionário, a Supervia é de outro, ambos com supervisão estadual. Quem controla a política urbana é o poder municipal, e estes sistemas têm limitado poder de fazer algo além de transporte público.

A chave é atrelar o investimento imobiliário com o transporte sobre trilhos no topo da pirâmide ou próxima a ela. Há uma especulação imobiliária em São Paulo com as obras da Linha 2 até a Penha, cujos ganhos não são compartilhados com o poder público. 

Outra é transformar as concessionárias de Metrô em empresas de mobilidade e de desenvolvimento urbano, com poder de política urbana. O Metrô de São Paulo tem terrenos excelentes ao lado de suas estações e é um parto transformá-los em edifícios corporativos ou centros comerciais. CPTM então nem se fala.

O melhor exemplo disso é o sistema da JR Group no Japão, basta ver o que é a estação de Shinjuku ou até mesmo a Tokyo Station. Lá é a aplicação pura do conceito de Transit Oriented Development antes mesmo de surgir este termo. A cidade de São Paulo fez isso no Plano Diretor e Zoneamento, mas quem controla o Metrô é o Estado e quem faz o desenvolvimento imobiliário é o privado...

 

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

15 hours ago, A345_Leadership said:

Lipe, são raros os exemplos de transporte de metrô que são lucrativos em sua atividade-fim. O benefício do metrô vem indiretamente por meio da redução de veículos, mais tempo para outras atividades, investimento imobiliário, etc.

O nosso sistema ainda é ruim porque há fragmentação de competências: o Metrô do RJ é de um concessionário, a Supervia é de outro, ambos com supervisão estadual. Quem controla a política urbana é o poder municipal, e estes sistemas têm limitado poder de fazer algo além de transporte público.

A chave é atrelar o investimento imobiliário com o transporte sobre trilhos no topo da pirâmide ou próxima a ela. Há uma especulação imobiliária em São Paulo com as obras da Linha 2 até a Penha, cujos ganhos não são compartilhados com o poder público. 

Outra é transformar as concessionárias de Metrô em empresas de mobilidade e de desenvolvimento urbano, com poder de política urbana. O Metrô de São Paulo tem terrenos excelentes ao lado de suas estações e é um parto transformá-los em edifícios corporativos ou centros comerciais. CPTM então nem se fala.

O melhor exemplo disso é o sistema da JR Group no Japão, basta ver o que é a estação de Shinjuku ou até mesmo a Tokyo Station. Lá é a aplicação pura do conceito de Transit Oriented Development antes mesmo de surgir este termo. A cidade de São Paulo fez isso no Plano Diretor e Zoneamento, mas quem controla o Metrô é o Estado e quem faz o desenvolvimento imobiliário é o privado...

 

Esses são alguns dos bons exemplos que precisam ser copiados. 

No fim, nobre A345, o transporte coletivo tem que ser uma função de sua rentabilidade. Metrô só cabe em cidades densas, e cada tipo de meio de transporte atende a demandas específicas. Vamos do micro ônibus passando por ônibus maiores, os BRT's, depois temos transportes de maior densidade... veículos leves sobre trilhos, trens suburbanos e metros que variam de 6 carros (Chicago), 8 carros (São Paulo) e 11 carros (Nova York). ônibus interestadual, aviões ou trens regionais que transportam por vezes 1.400 passageiros.

 A rentabilidade do metrô Rio (e do sistema de transporte metropolitano) é uma comédia e a própria operação da linha de trens suburbanos, que na década de 1980 transportava 1 milhão de passageiros por dia e conseguiu a proeza de hoje transportar menos que isso, 40 anos depois, mostra a falta de um projeto de longo prazo! Quantos passageiros transportam as Barcas ? E qual a integração entre TODOS esse modais ? 
 
 Zero 

 Até hoje a barca não teve uma conexão com o Metrô que nunca foi projetado para fazê-lo 
 O trem nunca permitiu integração com o Metrô, que faria o sistema como um todo prosperar. 
 O ônibus não se comunica com nada
 O VLT não se comunica com o metrô nem com o trem...

 O que falta nisso tudo ? Uma autoridade metropolitana de transportes única. 

  O metrô de SP se integra com o trem metropolitano - o problema do sistema de transporte de SP é que foi mal planejado só com um par de trilhos indo e vindo. As linhas futuras já deveriam planejar uma linha local e outra expressa, mesmo que seguindo o modelo do Trem 7 de Nova York que só tem 3 pares de trilhos e usa de manhã no rush Flushing-Manhattan, e na parte da tarde no rush Manhattan-Flushing

  Voltando ao GIG e o metrô - o projeto é até interessante, mas o meu ponto é que não dá pra tentar só resolver a situação do aeroporto, mas se procurarem resolver a situação de ao menos parte da Ilha do Governador, poderiam fazer quatro trilhos pois pelo menos até o Caju, a maior parte dos terrenos são públicos e o custo de desapropriação seria baixo. 

   Na reta do aeroporto , basta tomar conta da pista do BRT 
   Na Ilha, basta fazer um viaduto suspenso sobre a Estrada do Galeão. Nem que seja fazer só duas ou tres estações na Ilha, já ajudaria a cidade (e muito).

   Agora, essa parada na Maré.... pra mim tudo aquilo tem que ser removido!!!!!!!!!!!!!!! Eu sou contra tudo o que é ilegal. 

   

 

 

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

12 hours ago, LipeGIG said:

 

 

 

Lipe, conheço poucos sistemas de metrô que são superavitários. Há uns bons anos atrás era o metrô de Paris, Kuala Lumpur e São Paulo, mas o daqui excluía os investimento que o governo do estado faz na empresa. Talvez os sistemas de Tokyo, Seoul e Hong Kong sejam lucrativos.

Concordo que o ideal seja que a operação seja paga por ela mesma, mas pode abrir mão de um pequeno prejuízo em favor de outros benefícios indiretos. Há um estudo da UITP que comparou Houston, Nova Iorque, Paris, Munique e Hong Kong. Houston que tinha a menor utilização de transporte público, mas o maior custo dele em relação ao PIB era o mais alto (14%), enquanto Munique e Paris ficavam entre 5-7%, e Nova Iorque 10%. 

Mas a palavra-chave é a integração entre os modais mesmo, ter mais gente usando o sistema diminui seus custos. Fiquei surpreso quando soube que a Supervia e o Metrô Rio não tinha integração, não sei como está hoje. As linhas de metrô em São Paulo e Rio de Janeiro são pendulares, operando com pouco mais de 60% da capacidade em horários de pico. Além disso, a taxa de renovação destas linhas é pouco superior a 1, enquanto que o ideal é 2. Em SP só a Linha 1 e 2 consegue estes índices. 

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

7 hours ago, rodo1fo said:

Poderiam comprar os VLTs de Cuiaba, que estão desde a copa sem uso e descartados pelo governo (Gasto de 1 bi).

VLT é algo bem restrito, Rodolfo. 

Um bom lugar pra usar VLT seria a Faria Lima em São Paulo. O problema é o investimento necessário pra implantar, muito alto, e a capacidade de cada composição é restrita e não gera o resultado necessário nem pra pagar o investimento. 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade