Jump to content

Primeiro avião comercial pós-soviético passará por atualizações


Recommended Posts

Meus prezados

Primeiro avião comercial pós-soviético passará por atualizações

Superjet 100 foi criado em parceria com empresas ocidentais, mas vai receber sistemas exclusivamente russos

spacer.png

Superjet 100 foi o primeiro avião comercial da Sukhoi e marcou uma nova fase na indústria aeronáutica russa

O Sukhoi Superjet 100 passará por um amplo programa de atualização, incluindo motorização e sistemas de aviônicos. Denominado como SSJ NWE (Novo Sukhoi Super Jet em tradução livre), a intenção é ampliar o uso de componentes produzidos na Rússia.

Atualmente Moscou tem adotado uma postura de priorizar as tecnologias locais, após um caminho de abertura de parcerias com empresas internacionais. Oficialmente a intenção é reduzir a dependência de parceiros estrangeiros para não correr riscos de embargos.

O programa será conduzido pela estatal United Aircraft Corporation (UAC), parte da gigante Rostec, que desenvolverá a nova variante do jato regional que deverá contar com os motores Aviadvigatel PD-14 e novos aviônicos produzidos com tecnologia russa.

Ainda que os PD-8 sejam uma variante dos PD-14, que são utilizados no MC-21 (MS-21, no alfabeto latino), seu desenvolvimento ainda está em andamento e a certificação está programada para 2023.  A intenção é substituir definitivamente o fornecimento dos motores atuais SaM146, desenvolvidos pela PowerJet, uma joint venture entre a Safran, da França, e russa NPO Saturn.

O Superjet 100 ainda passará por uma ampla reformulação nos seus sistemas aviônicos, elétricos e de comunicação, sendo produzidos totalmente com tecnologias russas. A mudança demandará uma nova certificação para o avião, que deverá ocorrer até 2024.

O programa é a principal aposta da UAC para o mercado regional russo, que mesmo sendo o único obtido pelo modelo, ainda sofre com a falta de interesse da maioria das empresas aéreas do país.

spacer.png

A russa Aviadvigatel criou o motor PD-8 como um derivado do PD-14 usado no MC-21

A maior conquista do Superjet 100, que conta com parceria de vendas da italiana Leonardo, foi um acordo com a empresa mexicana de ultrabaixo custo Interjet. Porém, o modelo teve uma vida operacional curta no México, especialmente em relação ao suporte pós-venda. A Interjet enfrentou dificuldades para a obtenção de peças que eram fornecidas apenas pela UAC, através de um complexo e lento processo de encomenda e liberação.

Projetado no início dos anos 2000, o Sukhoi Superjet 100 nasceu a partir de uma grande cooperação entre as principais fabricantes de aeronaves russas que tinham como ambição implantar um jato que pudesse cumprir rotas regionais e domésticas, além de operar em clima extremamente frio.

O programa contou com a consultoria da Boeing, que apoiou o desenvolvimento dos requisitos do projeto básico, ainda designado como Russian Regional Jet (RRJ 100). Na sequência, a NPO Saturn obteve uma importante parceria com a francesa Safran, para desenvolvimento dos motores SaM146, enquanto a então Finmeccanica (atual Leonardo) se tornou sócia da SuperJet International, que apoia a campanha de vendas no mercado internacional.

Porém, o projeto sofreu diversos atrasos, especialmente em relação ao processo de certificação. A Rússia teve de adaptar todos seus processos para atender aos requisitos de homologação das autoridades de aviação dos Estados Unidos e Europa, que são o padrão internacional. Assim, somente em 2011 o avião iniciou sua operação comercial, na Rússia.

A desconfiança de diversas empresas em relação a capacidade de suporte da UAC, aliada a experiência negativa da Interjet, praticamente tiraram o Superjet 100 do cobiçado mercado de jatos regionais, hoje dominado pelos Airbus A220 e Embraer E-Jet.

spacer.png

UAC pretende substituir toda a suíte de aviônicos do Superjet 100 por um sistema desenvolvido na Rússia

Apesar de toda dificuldade para se adaptar aos requisitos internacionais, a cooperação das empresas aeroespaciais russas foram fundamentais para a criação de novas tecnologias, inclusive rendendo parcerias estratégicas com países importantes, como o caso da China.

Atualmente a Irkut trabalha no MC-21, que conta com grande parte de seus sistemas fornecidos por empresas ocidentais. Além disso, trabalha com a chinesa Comac no desenvolvimento do CR929, o primeiro avião de duplo corredor desenvolvido na Rússia após o fim da União Soviética e o primeiro modelo do tipo na China.

Fonte: Gabriel Benevides e Edmundo Ubiratan – Aero Magazine 5  abr 2021 

 

Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade