Jump to content

Europa cria taxas punitivas ao invés de apoiar desenvolvimento da aviação


Recommended Posts

 

Meus prezados

Mais taxas e mesma poluição

Europa cria taxas punitivas ao invés de apoiar desenvolvimento da aviação

Iata destaca que medidas atuais apenas drenam caixa e não oferecem nenhuma solução para o setor aéreo.

Iata defende que taxas poderiam ser convertidas em incentivos no desenvolvimento de novas tecnologias

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês) alertou sobre os riscos de usar taxas adicionais como forma de reduzir as emissões de poluentes na aviação comercial.

A critica é uma resposta a proposta da União Europeia que planeja reduzir para zero as emissões de poluentes de aeronaves até 2050. Entre as medidas está a Fit for 55 que na prática se torna uma imposição punitiva ao setor, sem apresentar uma contra proposta viável no curto prazo.

"Como uma indústria global, a aviação está comprometida com a descarbonização. Não precisamos de medidas persuasivas ou punitivas, como impostos, para incentivar mudanças”, disse Willie Walsh, diretor geral da IATA.

Uma das criticas da associação é a criação de taxas pela a União Europeia que poderia oferecer incentivos para o desenvolvimento de tecnologias e medidas para tornar viável o uso de novos combustíveis na aviação comercial.

“Na verdade, os impostos sugam dinheiro do setor que poderia apoiar investimentos na redução de emissões, como a renovação de frotas e tecnologias limpas. Para reduzir as emissões, precisamos que os governos implementem políticas construtivas que se concentrem imediatamente em incentivos à produção de SAF e na implementação do Céu Único Europeu (Single European Sky)", alertou Walsh.

A Iata elaborou uma série de sugestões mais efetivas para apoiar a descarbonização direta do transporte aéreo, destacando o uso de combustível de aviação sustentável (SAF, na sigla em inglês), que reduzem as emissões em até 80% quando comparados ao combustível de aviação tradicional.

Porém, por ora, o fornecimento insuficiente e os preços altos limitaram o uso de SAF em todo o mundo. Apenas em 2021 serão utilizados 120 milhões de litros de combustível sustentável, ante mais de 350 bilhões de litros de querosene.

Outro ponto que a Iata destaca é a existência de medidas nacionais ou regionais múltiplas e descoordenadas, que além de encarecer o uso de SAF ainda tornam pouco claras as regras existentes.

O setor apoia o Esquema de Redução e Compensação de Emissões da Aviação Internacional (Corsia, em inglês) como uma medida global para toda a aviação internacional. Aliás, a Iata afirmou em nota que ˜está extremamente preocupada” com a proposta da Comissão para que os Estados europeus deixem de implementar o Corsia em todos os voos internacionais.

Outro ponto importante, que tem sido discutido pelo setor aéreo há vários anos é a criação do Céu Único Europeu (Single European Sky) que permitirá reduzir as emissões desnecessárias da gestão fragmentada do tráfego aéreo e suas ineficiências. A criação de um espaço aéreo único poderá reduzir as emissões da aviação na Europa entre 6 a 10%. Porém, os governos nacionais continuam atrasando a implementação da iniciativa.

"A visão de curto prazo da aviação é fornecer transporte aéreo sustentável e acessível para todos os cidadãos europeus com frotas que utilizam SAF e gestão de tráfego aéreo eficiente", disse Walsh.

Fonte: Edmundo Ubiratan – Aero Magazine 15 jul 2021

 

Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade