Jump to content

[EN] American Airlines compra 5,2% da Gol


Recommended Posts

Expanding our partnership with GOL

Dear International colleagues,

This year we’ve set our sights on our strategic partnerships— a driving force for American’s sustainable growth around the globe. In addition to creating new partnerships, like the one we recently announced with JetSMART, we’ve also been working to strengthen many of the key strategic relationships for our international business, providing our customers with a network and a travel experience that is second to none.  

As part of this effort, later today we will be announcing our plan to expand our partnership with Brazil’s largest airline, GOL. We will deepen our relationship with GOL by increasing our commercial cooperation, expanding our networks and connectivity and enhancing our elite loyalty member recognition. 

GOL will become American’s exclusive codeshare partner in Brazil and American will become GOL’s exclusive codeshare partner in the U.S., which will include more than 30 destinations served by American in the U.S. and more than 20 new destinations in South America served by GOL.

Additionally, American’s AAdvantage and GOL’s SMILES loyalty programs will create the largest joint frequent flyer program in the Americas with enhanced benefits coming in 2022, such as priority check-in and lounge access. For our customers, this will mean lower fares, more travel options and seamless access to American and GOL’s networks in the U.S. and South America.

The strengthened relationship will also allow for further commercial cooperation in areas such as purchasing, sales tools and systems integrations, as allowed by regulatory and contractual limitations. Cementing the partnership is a strategic investment of $200 million in GOL stock, that also will give us the right to appoint one member to GOL’s board of directors. 

As we take this next step in strengthening our partnership with GOL, we are certain that our complementary networks will create crucial growth opportunities for us in the region. American has a long and rich history in South America with more than 30 years of service, and this deepened relationship with GOL will only further enhance our industry-leading international network. 

We look forward to continuing to work with our colleagues in Alliances & Partnerships as we explore other opportunities around the globe.

Thank you for all that you do

Mensagem enviada hoje aos funcionários AA

  • Like 2
  • Thanks 1
Link to post
Share on other sites

 

Meus prezados

Sem a 'variante' Delta

Gol passa a ser parceira exclusiva da American Airlines no Brasil

American aumentará participação na Gol para 5,2%

spacer.png

Acordo pode concentrar, em definitivo, as operações da American em São Paulo e no Rio de Janeiro

A American Airlines e a Gol Linhas Aéreas ampliaram o nível do atual acordo de compartilhamento de voos (codeshare) para uma exclusividade que irá durar, pelo menos, três anos.

A partir de agora, a companhia brasileira se tornará a única parceira de codeshare da American no Brasil e vice-versa nos EUA. Com a combinação de suas redes, os passageiros poderão viajar para mais de 30 destinos atendidos nos EUA e mais de 20 novos destinos na América do Sul.

O novo status do relacionamento também permitirá uma maior cooperação comercial. Para isso, serão investidos US$ 200 milhões (R$ 1,05 bilhão) em 22,2 milhões de ações preferenciais recém-emitidas da aérea brasileira, resultando em um aumento de capital para 5,2%. Com isso, a American terá o direito de nomear um membro para o conselho de administração da Gol.

"O investimento, quando somado aos R$ 2,7 bilhões de capital de longo prazo captado no 2T21, eleva o capital de longo prazo total levantado para mais de R$ 3,7 bilhões nos últimos seis meses, incluindo mais de R$2 bilhões de capital novo. Essa liquidez adicional melhora ainda mais a flexibilidade financeira da Gol, ao mesmo tempo que minimiza a diluição para os acionistas”, segundo o Vice-Presidente Financeiro, Richard Lark.

Em 2022, a American Airlines completará 80 anos de operações na América Latina. No Brasil, possui bases nos aeroportos de Guarulhos (GRU), em São Paulo, e Galeão (GIG), no Rio de Janeiro. Com o novo acordo, reduz-se a possibilidade da volta dos voos diretos para as outras quatro capitais onde a companhia estava presente até o início da pandemia de covid-19.

Fonte: Marcel Cardoso – Aero Magazine 15 set 2021

Link to post
Share on other sites

release oficial  https://ri.voegol.com.br/download_arquivos.asp?id_arquivo=981F2674-161B-4A53-91A2-AE36FBE3B81D

 

Tava demorando pra G3 pegar +capital de giro pra conseguir fazer frente a briguinha entre AD e JJ. Agora falta AD se endividar+

 

#teamtreta, sangue e muita choradeira. :luke:

  • Like 1
  • Thanks 3
Link to post
Share on other sites
2 hours ago, TheJoker said:

release oficial  https://ri.voegol.com.br/download_arquivos.asp?id_arquivo=981F2674-161B-4A53-91A2-AE36FBE3B81D

 

Tava demorando pra G3 pegar +capital de giro pra conseguir fazer frente a briguinha entre AD e JJ. Agora falta AD se endividar+

 

#teamtreta, sangue e muita choradeira. :luke:

R$ 1 bi é um grande reforço. Melhor que emitir dívidas.

Muito bom para a laranjinha. 

  • Like 2
Link to post
Share on other sites

Esse movimento não foi bem aceito por alguns usuários do Airliners no tópico sobre o mesmo assunto.

https://www.airliners.net/forum/viewtopic.php?f=3&t=1464829 


Mas bem, são apenas usuários como nós que acaba falando mais do que sabe por baita achismo. 

No mais, ótimo investimento para a Gol. 

  • Haha 1
Link to post
Share on other sites

A promiscuidade entre as aéreas americanas e brasileiras: (risos)

A American era da Gol que depois que se envolveu com a Latam e resolveu trair com a Delta. 

A Delta fez a Gol trair a American. A American foi então para os braços da Latam, porém a Delta quis a Latam e largou a Gol. 

A união estável parece ser somente entre a Azul e a United rsrs 

  • Like 3
  • Haha 3
Link to post
Share on other sites
25 minutes ago, Geoshina said:

A promiscuidade entre as aéreas americanas e brasileiras: (risos)

A American era da Gol que depois que se envolveu com a Latam e resolveu trair com a Delta. 

A Delta fez a Gol trair a American. A American foi então para os braços da Latam, porém a Delta quis a Latam e largou a Gol. 

A união estável parece ser somente entre a Azul e a United rsrs 

American Airlines entrou sozinha, associou à TAM em 1997, depois foi para Gol quando a TAM virou Star Alliance, depois reataram, divorciaram e foi para Gol.

Delta Airlines fechou com a VARIG, depois foi abandonada e migrou para Transbrasil, depois voo solo até encontrar a Gol.

United já é mais estável. Inicialmente com a Transbrasil, depois VARIG pela Star Alliance, depois TAM, Gol, até encontrar a Azul e bigamia com a Avianca Brasil.

Brasil não é para amadores de aviação :lol: 

  • Like 2
  • Haha 2
Link to post
Share on other sites
1 hour ago, Cassio.Fernandes said:

Esse movimento não foi bem aceito por alguns usuários do Airliners no tópico sobre o mesmo assunto.

https://www.airliners.net/forum/viewtopic.php?f=3&t=1464829 


Mas bem, são apenas usuários como nós que acaba falando mais do que sabe por baita achismo. 

No mais, ótimo investimento para a Gol. 

Acho que eles estão mais p*tos com o fato da American ter recebido dinheiro do governo e agora comprar participações em empresas aéreas do que com a escolha do parceiro em si.

  • Like 3
Link to post
Share on other sites
25 minutes ago, Eric Breno said:

Acho que eles estão mais p*tos com o fato da American ter recebido dinheiro do governo e agora comprar participações em empresas aéreas do que com a escolha do parceiro em si.

pra manter salários e

Full-time equivalent employees at end of period   1S19  133.800   1S20  107.400   1S21   117.400    -16.400  ou -12,3%

RPM                                                                                  103.758                                         64.486                        -37,8%

Por curiosidade, 

Funcionários (no final do período)  G3                              15.328              15.981                 13.754      -1.574       -10,3%

RPK                                                                                     19.941                                           9.024                       -54,7%                                    

 

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

E até onde sei, as empresas aéreas estão com pressa de pagar as ajudas governamentais, pois isto limitam elas a fazerem investimentos no exterior. Para isso estão emitindo dívidas para pagar. 

A Lufthansa tem este plano, pois há barganhas. 

No fim, a ajuda governamental cumpriu seu objetivo, de passar segurança por meio de um empréstimo-ponte. Quem for menos prejudicado, sairá mais forte da crise.

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

De ruim mesmo, é a improbabilidade a partir de agora de se voar American de mercados secundários como BSB, CNF e POA. A Gol vai pintar e bordar com o MAX.

Por outro lado, DL, UA ou até mesmo a B6 podem arriscar alguma coisa fora do Rio/SP a longo prazo….

Link to post
Share on other sites

No myidtravel o preço das passagens da gol já estão mais baratas pra funcionários AA :cnana:

Link to post
Share on other sites

Se AA está livre pra investir mais aquisições é porque as restrições impostas pelo governo americano já caíram,quiçá veremos Delta no mesmo caminho fazendo aportes agora que a Latam está barata

Link to post
Share on other sites

Essa história LA > UA > AA > G3 > DL é bem Brasil mesmo.

Ainda recordo dos rumores da LATAM se juntar a SkyTeam e fazer da TAM a unica aerea no mundo a fazer parte de todas as alianças.

Link to post
Share on other sites
12 hours ago, Luckert said:

Se AA está livre pra investir mais aquisições é porque as restrições impostas pelo governo americano já caíram,quiçá veremos Delta no mesmo caminho fazendo aportes agora que a Latam está barata

As restrições caem quando o empréstimo é quitado, por isso que a AA e a DL fizeram juntas mais de USD 19 bi de emissão de dívidas.

Link to post
Share on other sites
1 hour ago, A345_Leadership said:

As restrições caem quando o empréstimo é quitado, por isso que a AA e a DL fizeram juntas mais de USD 19 bi de emissão de dívidas.

Que eu saiba só parte desses empréstimos tem essa restrição, a outra era „ ajuda governamental „ desde que não demitissem ninguém por um certo período e a outra parte foi „empréstimo „ .

 Por favor me corrija se estiver equivocado 

Link to post
Share on other sites

GOL Refinancia R$1,2 bilhão de Dívida de Curto Prazo e Conclui o Programa de Liability Management

(desde jan20 ela vem rolando dívidas de curto prazo, no montante de R$5.8 bi para 2024-26)

https://ri.voegol.com.br/download_arquivos.asp?id_arquivo=204638FD-58C6-45C2-B0B6-37042C4991A6

Link to post
Share on other sites

Existem ajudas governamentais mais técnicas. Colegas já citaram exemplos acima. Existem outras que são absolutamente indefensáveis, como a que TAP esta recebendo.

  • Like 1
Link to post
Share on other sites
22 hours ago, Luckert said:

Que eu saiba só parte desses empréstimos tem essa restrição, a outra era „ ajuda governamental „ desde que não demitissem ninguém por um certo período e a outra parte foi „empréstimo „ .

 Por favor me corrija se estiver equivocado 

Não sei bem os termos do CARES, mas no geral eram manutenção dos empregos, não investir ou fazer aportes no exterior, etc.

  • Like 2
  • Thanks 1
Link to post
Share on other sites
4 hours ago, MRN said:

Se não entendi errado, a AAL pagou os empréstimos do CARES em março

 

Isso.  Ela tinha crédito pra usar até $7.5bi do CARES, mas só pegou 550 milhões que foram pagos em mar21. Em compensação, ela conseguiu empréstimos de 10 bi no mercado, dando o AAdvantage como garantia.

https://news.aa.com/news/news-details/2021/American-Airlines-Prepays-Secured-Loan-From-U.S.-Department-of-the-Treasury-Terminates-Loan-Agreement-CORP-FI-03/default.aspx

 

ou https://www.fool.com/investing/2021/03/13/american-airlines-secures-10-billion-financing-pac/

Link to post
Share on other sites

+$150 milhões pra reforçar o caixa.

informa que sua subsidiária GOL Finance, uma companhia aberta (société anonyme) constituída sob as leis de Luxemburgo, precificou uma colocação de notes sênior garantidas no valor total de US$150 milhões, com juros remuneratórios de 8,000% ao ano e vencimento em 2026 (“Notes Adicionais”), como parte de uma emissão adicional e consolidada com as notes sênior garantidas da GOL Finance emitidas em 23 de dezembro de 2020 e em 11 de maio de 2021, no valor total de US$200 milhões e US$300 milhões, respectivamente, com juros remuneratórios de 8,000% ao ano e vencimento em 2026 (em conjunto com as Notes Adicionais, as “Notes”). O preço de emissão das Notes Adicionais é 100,750%, representando uma taxa de retorno até o vencimento de 7,728%. A Moody’s atribuiu um rating de B2 às Notes. Os compradores das Notes Adicionais deverão pagar os juros acumulados de 30 de junho de 2021 (inclusive) até a data da entrega das Notes Adicionais (exclusive), as quais esperamos que sejam entregues até 28 de setembro de 2021. As Notes terão vencimento em 30 de junho de 2026, poderão ser liquidadas antecipadamente a partir de 24 de dezembro de 2022 e serão garantidas por alienações fiduciárias sobre (i) substancialmente toda a propriedade intelectual da GOL, incluindo patentes, marcas, nomes de domínios, e (ii) as peças de reposição (spare parts) de aeronaves localizadas no Brasil. As garantias reais das Notes, em conjunto com outras garantias que podem ser adicionadas ao pacote de garantias reais pela GOL, estão disponíveis para servirem como garantia real em outras emissões de dívida garantida (senior secured debt) ou de dívida garantida conversível (senior secured exchangeable debt) da GOL, no âmbito do programa de emissão de dívida garantida da GOL, o qual é destinado para complementar as emissões de bonds não garantidos da GOL e trazer mais eficiência e diversidade à estrutura de capital da GOL. A GOL utilizará os recursos oriundos da oferta das Notes Adicionais para finalidades corporativas em geral, incluindo aquisições oportunas de aeronaves e capital de giro.

As Notes e as respectivas garantias não foram e não serão registradas sob o U.S. Securities Act de 1933, conforme aditado (o “Securities Act”), e serão ofertadas e vendidas (i) para investidores qualificados institucionais (qualified institutional buyers) (conforme definido na Rule 144A do Securities Act), e (ii) fora dos Estados Unidos da América para pessoas não residentes nos Estados Unidos (non-U.S. persons) conforme o Regulation S do Securities Act.

 

https://ri.voegol.com.br/download_arquivos.asp?id_arquivo=4261EC76-B534-4F5D-953C-BAEFA721445E

Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade