Jump to content

Queda PT-ONJ King Air em Caratinga MG


PT-KTR
 Share

Recommended Posts

45 minutes ago, PT-KTR said:

A missão das "bolas de basquete" não é alerta visual, mas sim de evitar que os fios se toquem em tempestade.

 

38 minutes ago, James007 said:

Exatamente. A função delas nunca foi sinalizar para aviões.

Viajaram nessa...

https://www.abntcatalogo.com.br/norma.aspx?ID=95

  • Thanks 2
Link to comment
Share on other sites

Reportagem no Estadão: https://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,mpf-cobrou-em-junho-anac-apuracao-de-denuncia-sobre-aviao-que-caiu-com-marilia-mendonca,70003890777

MPF cobrou da Anac em junho apuração de denúncia sobre avião que caiu com Marília Mendonça

De acordo com a reportagem, a empresa de Táxi Aéreo colocava pilotos com jornada estourada para voar.

Alem disso,  a reportagem também informa uma denúncia feita em maio: a aeronave com prefixo PT-ONJ "está desde o início do ano realizando voos com problemas no para-brisa, ocorrendo que o vidro fica embaçado com prejuízo visual em pousos e decolagens"

Fonte: Estadão

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

9 minutes ago, CabinCrew said:

Eu achei que estava ficando maluco. Bem... Então reafirmo o que disse, pelo Street view, não há as bolas laranjas nos fios de alta tensão da região do acidente

Tem apenas próximo a rodovia

nUZzGmy.png

https://www.google.com/maps/@-19.7719956,-42.1321959,3a,48.6y,355.42h,109.11t,360r/data=!3m6!1e1!3m4!1sB697OyZDXcFt36TS7kOPAw!2e0!7i13312!8i6656?hl=en

mas não tem ali no morro na final

Qve5bgJ.png

https://www.google.com/maps/@-19.7701843,-42.1085749,3a,60y,181.55h,125.58t/data=!3m6!1e1!3m4!1sTvhTC1wqa1_swXMaE1Y5sg!2e0!7i13312!8i6656?hl=en

Link to comment
Share on other sites

1 hour ago, raphok said:

  

 

 

 

Alias, se notarem, as bolas geralmente ficam apenas próximas as rodovias, quando as linhas se afastam não possuem essas sinalizações

É porque geralmente os helicópteros ou aviões em voo VFR seguem a via? 

 

Link to comment
Share on other sites

1 minute ago, Cassio.Fernandes said:

É porque geralmente os helicópteros ou aviões em voo VFR seguem a via? 

 

Nos cruzamentos com rodovias acredito que seja mais para alertar o piloto em caso de pouso em emergência mesmo.

Mas tava lendo que também tem outras situações que precisam ser sinalizadas.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

A ausência de sinalização em fio de alta-tensão não é causador de acidente. 


Isso me lembra quando sugeriram que o 3054 não aconteceria se o grooving já estivesse pronto...

  • Like 3
  • Confused 1
Link to comment
Share on other sites

As bolas laranjas sao instaladas sobre rodovias e outras infraestruturas relevantes pois são referências para voos visuais...

Alguns voos e corredores VFR seguem próximos aos alinhamentos de rodovias, ferrovias, canais e outros pontos de interesse importantes, logo, quando uma linha de energia cruza esses corredores utilizados para voo, devem (deveriam) ser sinalizados pelas tais bolas justamente para alertar a estes aviões em voo visual... Fora destes locais, por não serem comumente utilizados como corredores visuais de baixa altitude, não há necessidade de instalação das tais bolas. 

Edited by hmalga
  • Thanks 1
Link to comment
Share on other sites

Em uma breve pesquisa na internet achei algumas coisas sobre o assunto, mas bem vagas. Na ANAC é bem ruim de pesquisar.
Na ABNT eles colocam que qualquer área onde possa haver circulação de aviões e helicópteros deve haver tal sinalização.
Mas fica por ai, bem vago mesmo.

Enfim, triste. Agora é esperar o relatório do CENIPA.

Link to comment
Share on other sites

Olha o nível de parte da imprensa brasileira: o R7 publicou um vídeo de quase 10 anos atrás como se fosse do acidente que matou Marília Mendonça.

Se tivessem o mínimo de cuidado e verificassem a informação, teriam percebido que a geografia do local era bem diferente e que a aeronave do vídeo caiu de ponta-cabeça.

https://noticias.r7.com/brasilia/piloto-do-aviao-de-marilia-mendonca-morava-em-brasilia-05112021

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Printando aqui e enviando para um professor de faculdade que disse em sala de aula que as bolas de basquete eram para evitar o toque de fios! 

E acreditei né, é o que se espera em nível superior, bem como já vi bem afastado de rodovia e em lugares que avião não passa nem no FL410.

 

 

 

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

Ok, é uma queda, mas me surpreendeu um pouco a questão de o avião ter ficado consideravelmente “inteiro” e mesmo assim o acidente ter vitimado todos a bordo. Ia fazer uma comparação com um incidente conhecido de pouso duro, mas no fim acho que não seria uma comparação adequada. Quando sair, vou querer ler o relatório final, especialmente a parte que relata os aspectos de sobrevivência e as lesões.

Link to comment
Share on other sites

SERIPA iniciou os trabalhos hoje. E tenho pra mim que essa história da linha de transmissão ainda vai dar muito pano pra manga...

Link to comment
Share on other sites

1 hour ago, PT-KTR said:

Printando aqui e enviando para um professor de faculdade que disse em sala de aula que as bolas de basquete eram para evitar o toque de fios! 

E acreditei né, é o que se espera em nível superior, bem como já vi bem afastado de rodovia e em lugares que avião não passa nem no FL410.

 

Justo. Infelizmente professor universitário falando do que não entende é aquela coisa, um show de bobagens as vezes.

Os fios se mantém separados pela separação nas torres e pela tensão (mecânica) neles. Não é a bola que vai mantê-los distantes. Não tenho a norma da ABNT pra saber quando se pede, mas pode ser rota de helicópteros ou Geral?

Aqui tem o doc da FAA sobre isso https://www.faa.gov/documentlibrary/media/advisory_circular/ac_70_7460-1l_change_1_obstruction_marking_and_lighting_10062016.pdf

 

 

 

  • Like 3
Link to comment
Share on other sites

As referidas 'bolas' servem de orientação para voos de helicópteros em inspeção de linha e operações agrícolas, que são, teoricamente, os veículos aéreos que voam legalmente mais próximos da rede de energia. Uma aeronave em deslocamento de rotina, respeitando as regras apropriadas e em qualquer fase do voo, exceto em emergência, deveria passar longe de tudo isso. Porém ...

Quanto ao acidente, apesar de ainda no campo das especulações, não dá para deixar de observar alguns red flags ao ver um vídeo de uma aproximação naquela localidade, e o que gostaria de saber, após muitos alegarem que ocorreu de fato um choque com a rede elétrica, com a aeronave em voo controlado, é se houve algum gerenciamento de risco ao despachar esse voo, que não deixa de ser comercial, apesar de seguir outras normas contidas em RBAC específica.

Obstáculos, de todos os tipos, por si só são usuais em diversas áreas, e seria possível fazer uma lista de muitos ainda bem piores do que cabos de energia eventualmente mal posicionados. Ok, cada caso é um caso, mas esse aeródromo se enquadraria facilmente no que é chamado de categoria C na classificação das empresas de linha aérea, que exigiria, portanto, por parte de um empregador e, consequentemente, dos seus pilotos uma adequação prévia, como, por exemplo, um briefing detalhado das condições operacionais que o voo encontrará, como a presença de obstáculos diversos, "man made" ou naturais. Mas para que isso funcione, é necessário observar um detalhe: coordenação. Os responsáveis por esses aeródromos deveriam disponibilizar informações oficiais de dados peculiares de cada localidade, mas em pleno século XXI, percebo que ainda engatinhamos nesse processo de comunicação mais do que elementar.

No final, cada um joga para o colo do outro a responsabilidade pela irresponsabilidade.

  • Like 9
  • Thanks 2
Link to comment
Share on other sites

2 hours ago, Paulo Bueno said:

SERIPA iniciou os trabalhos hoje. E tenho pra mim que essa história da linha de transmissão ainda vai dar muito pano pra manga...

Tbm acho. Mesmo estando bem abaixo da rampa essa linha de transmissão, seria prudente sinalizar para ajudar aeronaves que estão ali em emergência, por exemplo.

Ou alertar quem estiver voando baixo para fazer um pouso curto ou então exibir as cachoeiras lá.

Edited by raphok
Link to comment
Share on other sites

Prezados, não sou especialista, nem sou piloto, mas uma torre de energia  a 4km de distância da pista, por mais que seja um obstáculo, não deveria ser a causa de um acidente, pois a aeronave não estava pousando em um terreno plano e sem obstáculos, estava pousando em uma região serrana. 

Quando citam a ausência das bolas laranjas, se fosse em horário sem iluminação ou com restrição de visibilidade em razão do clima, até acho que fariam alguma diferença, mas com o clima bom, visibilidade boa, também não me parece ser o motivo da colisão.


Cartas de aproximação estavam corretas? AISWEB informava as corretas condições do aeroporto e da pista? Fico com essa dúvida, pois, há mais de 11 meses o aeroporto da minha cidade (PFB) encontra-se fechado, e a burocracia para liberar a pista reformada é enorme, com medições de aeronave laboratório para verificar a precisão das posições da pista, além do redesenho das cartas aeronáuticas.

  • Like 1
  • Confused 1
Link to comment
Share on other sites

Quote

Cartas de aproximação estavam corretas? AISWEB informava as corretas condições do aeroporto e da pista?

O aeródromo não possui cartas de aproximação. 

Informações disponíveis na AISWEB através do ROTAER informam as dimensões da pista e cita presença de obstáculos (torres e antenas) nas proximidades.

Inclusive cita que os obstáculos estão violando o plano de proteção de aeródromo. (!!!) Esse, em minha opinião, é um dos fatos mais intrigantes do triste episódio.

É difícil saber como foi a questão da construção dessas torres e fios dentro da área de proteção de aeródromo, mas não me espantaria se soubesse que foi feito no jeitinho bra$ileiro, infelizmente como tudo por aqui.

Que Deus receba de braços abertos as pessoas que perderam suas vidas. 

  • Like 3
Link to comment
Share on other sites

1 hour ago, PFB-CGH said:

Quando citam a ausência das bolas laranjas, se fosse em horário sem iluminação ou com restrição de visibilidade em razão do clima, até acho que fariam alguma diferença, mas com o clima bom, visibilidade boa, também não me parece ser o motivo da colisão.

Mas mesmo de dia e sem restrição de visibilidade é quase impossível visualizar as linhas de transmissão sem as sinalizações (bolas laranjas).

Edited by raphok
  • Like 1
  • Thanks 2
Link to comment
Share on other sites

Para contribuir a discussão:

 

A CAP Carta Aeronáutica de Pilotagem de Ipatinga, de 1983, mostra a linha de transmissão, ou seja, ela está lá a muito tempo e provavelmente não viola o Plano Básico de Proteção de Aeródromo (PBZPA), que foi aprovado pelo DECEA em 2018. Os obstáculos listados no ROTAER são outros.
 

Sobre os PBZPA, https://aga.decea.mil.br/planos 

Honestamente eu não sei interpretar tudo isso.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

7 hours ago, Oliveira_BH said:

Ok, é uma queda, mas me surpreendeu um pouco a questão de o avião ter ficado consideravelmente “inteiro” e mesmo assim o acidente ter vitimado todos a bordo. Ia fazer uma comparação com um incidente conhecido de pouso duro, mas no fim acho que não seria uma comparação adequada. Quando sair, vou querer ler o relatório final, especialmente a parte que relata os aspectos de sobrevivência e as lesões.

O corpo humano não aguenta um choque vertical. Nessa situação, os danos aos ocupantes são piores do que numa desaceleração horizontal. A posição final da aeronave e seus destroços mostram que o deslocamento vertical foi grande e o horizontal praticamente nulos. Nessa situação, a sobrevivência é difícil. 

Link to comment
Share on other sites

26 minutes ago, Tintin said:

Para contribuir a discussão:

 

A CAP Carta Aeronáutica de Pilotagem de Ipatinga, de 1983, mostra a linha de transmissão, ou seja, ela está lá a muito tempo e provavelmente não viola o Plano Básico de Proteção de Aeródromo (PBZPA), que foi aprovado pelo DECEA em 2018. Os obstáculos listados no ROTAER são outros.
 

Sobre os PBZPA, https://aga.decea.mil.br/planos 

Honestamente eu não sei interpretar tudo isso.


O .pdf é o perfil vertical da pista (Downhill pousando na 02).

O .kml é basicamente a área de proteção, o que explica o NOTAM citando uma antena especificamente.

253174751_5309757272372859_3133631661612



Vou bater na tecla mais uma vez:


A antena e a linha de transmissão se fazem irrelevantes na investigação. O que deve ser investigado é: o que motivou o avião a lamber o terreno desta forma.

 

  • Like 5
  • Thanks 1
Link to comment
Share on other sites

21 minutes ago, MarceloF said:


O .pdf é o perfil vertical da pista (Downhill pousando na 02).

O .kml é basicamente a área de proteção, o que explica o NOTAM citando uma antena especificamente.

253174751_5309757272372859_3133631661612



Vou bater na tecla mais uma vez:


A antena e a linha de transmissão se fazem irrelevantes na investigação. O que deve ser investigado é: o que motivou o avião a lamber o terreno desta forma.

 

Show de bola, eu não havia conseguido abrir o arquivo .kml 

Quanto ao motivo, eu tenho uma suspeita, mas eu não vou especular sem ter mais informações.

Link to comment
Share on other sites

1 hour ago, MarceloF said:


O .pdf é o perfil vertical da pista (Downhill pousando na 02).

O .kml é basicamente a área de proteção, o que explica o NOTAM citando uma antena especificamente.

253174751_5309757272372859_3133631661612



Vou bater na tecla mais uma vez:


A antena e a linha de transmissão se fazem irrelevantes na investigação. O que deve ser investigado é: o que motivou o avião a lamber o terreno desta forma.

 

Sim. Você tem razão o que na minha concepção não invalida o fato dos fios de alta tensão não terem nenhuma sinalização de que estão ali. Supondo que estivessem com uma pane... Por isso abaixo da altitude ideal, já lutando com o avião, e foram surpreendidos por fios que não foram capazes de ver. A CEMIG segunda globo alegou que não é obrigada a colocar as bolas laranjas nos fios, o que eu considero um absurdo AINDA MAIS por estar próximo a um aeródromo, mesmo que o mesmo tenha chegado lá depois das torres. 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade