Jump to content

Concessão do aeroporto de São José dos Campos tem ágio de 600%


TheJoker
 Share

Recommended Posts

21/02/2022

Por José Roberto Amaral
Secretaria de Inovação e Desenvolvimento Econômico

 

A Prefeitura de São José dos Campos realizou nesta segunda-feira (21) o leilão para concessão do aeroporto Prof. Urbano Stumpf com ágio de 600% em relação ao valor inicial previsto no edital, marca histórica para disputas semelhantes no Estado de São Paulo.

Depois de uma intensa disputa que durou uma hora e 35 minutos com 51 rodadas de lances, a Aeropart Participações Aeroportuárias S/A arrematou o aeroporto por R$ 16,15 milhões. O valor inicial previsto no edital era de R$ 2,3 milhões.

Além do valor de outorga, também cabe à empresa vencedora o pagamento dos estudos técnicos que embasaram a concessão no valor R$ 2,805 milhões.

Técnicos da Secretaria de Inovação e Desenvolvimento Econômico e da Assessoria de Projetos Especiais avaliaram como “extremamente satisfatório” o resultado da concorrência.

Para se ter uma ideia, o leilão de dois blocos de 22 aeroportos regionais paulistas realizado em julho de 2021 somou pouco mais de R$ 22 milhões, com ágio de apenas 11%.

Segundo os técnicos da prefeitura, São José consegui 55 vezes mais ágio do que o bloco de 22 aeroportos, o que mostra o desenvolvimento e capacidade de atratividade da cidade.

No início do processo de concessão, São José optou realizar o leilão do Prof. Urbano Stumpf separadamente com o objetivo de conseguir mais investimentos para o terminal.

O processo segue agora para avaliação da habilitação técnica da Aeropart Participações Aeroportuárias, que administra, entre outros, o aeroporto de Cabo Frio (RJ). Depois da fase recursal e da homologação, a empresa terá um prazo de cerca de 60 dias para iniciar a operação no terminal.

A concessão tem prazo de 30 anos com investimento de cerca de R$ 120 milhões para o período.

A concessão faz parte do Plano de Gestão 2021/24 e integra o PPI (Programa de Parcerias de Investimentos). O objetivo é otimizar o uso do terminal com a retomada e ampliação de voos regulares de carga e passageiros.

O leilão de concessão do aeroporto ocorreu apenas 14 meses depois da municipalização do terminal. São José reivindicava a gestão do aeroporto há pelo menos 25 anos

 

Concessão

O convênio entre a Prefeitura e o Ministério da Infraestrutura, que permitiu a municipalização do terminal, foi publicado em 2 de dezembro de 2020.

O processo de concessão teve início em janeiro de 2021 com a publicação do chamamento público para elaboração dos estudos técnicos.

Em agosto foram realizadas um total de 6 audiências públicas em todas as regiões da cidade para coletar as colaborações dos munícipes para a elaboração da versão final do edital.

Além do transporte de passageiros, o aeroporto tem um enorme potencial de mercado, inclusive internacional, para movimentação de cargas, com facilidade para integração dos modais rodoviário, marítimo e ferroviário.

O aeroporto obteve em 2014 investimentos de R$ 16 milhões para sua modernização. Várias foram as melhorias realizadas, com destaque para a ampliação do terminal de passageiros, que passou a ter 5.902 m² e capacidade de atendimento de até 700 mil passageiros por ano.

O sítio aeroportuário conta com uma área de 1.197.580,66 m². A capacidade de movimentação de cargas é estimada em 14,5 mil toneladas por ano.

https://www.sjc.sp.gov.br/noticias/2022/fevereiro/21/concessao-do-aeroporto-de-sao-jose-dos-campos-tem-agio-de-600/

Link to comment
Share on other sites

On 2/22/2022 at 7:56 AM, A345_Leadership said:

SJK tem um potencial inexplorado, principalmente na área de carga, devido ao pólo industrial que tem ali.

Exato! Ainda mais quando o investimento total é baixo, a concessionária tem a capacidade de até mesmo baixar tarifas para atrair operações, pois sua lucratividade requerida é muito mais baixa. 
Dois voos diários de carga adicionais podem fazer uma diferença tremenda em SJK enquanto não parecem impactantes nos grandes aeroportos. 


E cada aeroporto em uma macro região representa um ativo importante. Se o operador tiver a capacidade de capitalizar a região de forma adequada, o balanço vai agradecer, e vai colocar mais pressão sobre os grandes aeroportos que foram objeto de valores extremamente altos em suas concessões. 

Pena que tudo no Brasil esteja concentrado em SP. Não fosse isso veriamos um operador de fora por exemplo baseando 3 ATRs por lá e oferecendo voos ao Rio, BH, Brasilia, Ribeirão Preto, Cabo Frio.... tem mais de 1 milhão de habitantes no entorno! 

 

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

Dai tem desvantagem , os quase 100Km de distância do litoral afetam o alcance dos helicopteros, por exemplo. 

Nesse sentido Cabo Frio cobre bem a Bacia de Campos e por enquanto o Rio é disparado a melhor opção para Santos.  

 

SJK tem que focar no seu entorno - SJ Campos, Taubaté e região.
Para esses é imbatível como potencial opção de passageiros e carga.  

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

2 hours ago, TheJoker said:

PAX e carga já está provado que não consegue tirar de GRU. Quem sabe se descobrirem petróleo + ao sul, as operações offshore deslanchem.

A questão é saber quais aeronaves operarem em SJK e para quais destinos. Diário de ATR da Azul conectando com SDU e CNF pode ser viável com o apoio da operadora. Até mesmo BSB.

SJC é uma cidade rica, com parque industrial forte e no passado recebeu até operações da ABSA com DC-8. Salvo engano a Lufthansa Cargo tinha serviços de caminhões para a cidade. E como o Lipe disse, olhar o entorno: Taubaté, Guaratinguetá, Aparecida, Campos de Jordão e Litoral Norte, que vai melhorar muito com a segunda pista da Tamoios.

Link to comment
Share on other sites

59 minutes ago, A345_Leadership said:

A questão é saber quais aeronaves operarem em SJK e para quais destinos. Diário de ATR da Azul conectando com SDU e CNF pode ser viável com o apoio da operadora. Até mesmo BSB.

SJC é uma cidade rica, com parque industrial forte e no passado recebeu até operações da ABSA com DC-8. Salvo engano a Lufthansa Cargo tinha serviços de caminhões para a cidade. E como o Lipe disse, olhar o entorno: Taubaté, Guaratinguetá, Aparecida, Campos de Jordão e Litoral Norte, que vai melhorar muito com a segunda pista da Tamoios.

SDU AD tentou em 2019 e desistiu em jan20, preferindo CNF...aí veio a pandemia, até o momento não voltou. BSB JJ tentou em 2016, 4 meses com LF médio de 60%,  também não vingou.

Carga inter teve 2 operações em 2019, 1 em 2020, nada em 2021. Em jan22, AD fez um charter com 26 pax pra VIX, e não teve volta.

Com a privatização, os custos de operação pra cias vão subir...inevitável.

R$16 milhões foi +/- o que pagaram pra entrar em CFB, R$120 milhões de investimentos ao longo de 30 anos, pode ser quase nada nos primeiros 5 anos.

Esperar pra ver, e CFB até 2017 não dava dinheiro e estava tendo faturamento decrescente, apesar de ter cargueiro regular, operação offshore, e os charters de alta temporada até da argentina.

Link to comment
Share on other sites

45 minutes ago, TheJoker said:

SDU AD tentou em 2019 e desistiu em jan20, preferindo CNF...aí veio a pandemia, até o momento não voltou. BSB JJ tentou em 2016, 4 meses com LF médio de 60%,  também não vingou.

Carga inter teve 2 operações em 2019, 1 em 2020, nada em 2021. Em jan22, AD fez um charter com 26 pax pra VIX, e não teve volta.

Com a privatização, os custos de operação pra cias vão subir...inevitável.

R$16 milhões foi +/- o que pagaram pra entrar em CFB, R$120 milhões de investimentos ao longo de 30 anos, pode ser quase nada nos primeiros 5 anos.

Esperar pra ver, e CFB até 2017 não dava dinheiro e estava tendo faturamento decrescente, apesar de ter cargueiro regular, operação offshore, e os charters de alta temporada até da argentina.

Tem coisa errada nessas tentativas. Não adianta operar SJK, se SJK não foi conectada as demais regiões. Desenvolver um aeroporto no início não é tão fácil, e sei que a Azul tem boa expertise nisso, mas acho que faltou ligar SJK melhor as cidades próximas. 

TJ, as vezes você mira demais a estatistica e esquece de olhar ao redor. O que faltou ? Onde pecamos ? O que poderia ter sido feito melhor ?

Agora , também se pergunte - fazer SJK-RIO corrompe o que da minha operação ? 
Sabe aquela história de ter todos os hubs em CGH, VCP e GRU ? Pois é, nenhuma das 3 vai querer canibalizar suas operações.. então leia de novo meu primeiro comentário .... que maravilha seria ter um operador de fora da grande SP/Campinas... mas.... não tem! 

 

 

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

16 minutes ago, LipeGIG said:

TJ, as vezes você mira demais a estatistica e esquece de olhar ao redor. O que faltou ? Onde pecamos ? O que poderia ter sido feito melhor ?

Agora , também se pergunte - fazer SJK-RIO corrompe o que da minha operação ? 
Sabe aquela história de ter todos os hubs em CGH, VCP e GRU ? Pois é, nenhuma das 3 vai querer canibalizar suas operações.. então leia de novo meu primeiro comentário .... que maravilha seria ter um operador de fora da grande SP/Campinas... mas.... não tem! 

Isso quem tem que fazer são as aéreas, elas constantemente tentam abrir +rotas, mas se os yields&LFs não estiverem satisfatórios elas cortam. 

AD não vai basear um ATR só pra fazer um voo RIO-SJK, CNF até faz sentido porque tem outras rotas que o ATR pode fazer. 

Outro exemplo, fazer o que...

2016 AD SDU-CAW 32k pagos ida+volta
2018            15k
2019            10.8k

 

Link to comment
Share on other sites

Muito raro as cias fazerem referência a rentabilidade de alguma rota específica, então só dá pra ter noção se uma rota é rentável ou não, pelo número de frequências e LFs. 

Até agora não tenho visto rotas com LFs abaixo dos 70-80% que se mantenham por muito tempo, se alguém souber...vamos estudá-las.

Link to comment
Share on other sites

 

39 minutes ago, TheJoker said:

Isso quem tem que fazer são as aéreas, elas constantemente tentam abrir +rotas, mas se os yields&LFs não estiverem satisfatórios elas cortam. 

AD não vai basear um ATR só pra fazer um voo RIO-SJK, CNF até faz sentido porque tem outras rotas que o ATR pode fazer. 

Outro exemplo, fazer o que...


2016 AD SDU-CAW 32k pagos ida+volta
2018            15k
2019            10.8k

 

Basear uma aeronave não significa fazer só SJK-RIO, TJ. Eu me referi a basear em São José, não em Confins. 

Poderia ser:  2x RIO 1x RIO-CFR 1x CNF 1x RAO 

SJK 0700 SDU/GIG 0800 0830 CFR 0920 0950 SDU/GIG 1030 1100 SJK 1150 1220 CNF 1340 1410 SJK 1540 1610 SDU/GIG 1710 1740 SJK 1850 1920 RAO 2000 2040 SJK 2120

 

O problema de SJK é que não tem atratividade por não ter voo, não cataliza os passageiros da região pois os potenciais X passageiros do Vale do Paraiba para todos os mercados vão pra outro aeroporto. Mas não dá pra pensar só na cidade de São José. Sem os arredores, qualquer plano vai naufragar mais rápido que a Ita! 

39 minutes ago, TheJoker said:

Muito raro as cias fazerem referência a rentabilidade de alguma rota específica, então só dá pra ter noção se uma rota é rentável ou não, pelo número de frequências e LFs. 

Até agora não tenho visto rotas com LFs abaixo dos 70-80% que se mantenham por muito tempo, se alguém souber...vamos estudá-las.

Não fazem para não despertar o interesse das demais ! 

LF depende do custo.  As cias geralmente divulgam o Break even médio - que vai ser o custo total versus o total de assentos de assentos oferecidos, quanto você precisa, na média, pra pagar todas as suas contas. 

Mas cada voo tem uma história própria - se o unico voo de um mercado tem 50% de LF mas tem yield 40% superior a média.... equivale a 70% ... se você cortar, seu Break even sobe, mas sua ocupação média também sobe..  se nesse mesmo voo um percentual usava o voo e fazia conexão em uma rota que é cortada, e trocam a cia aérea, mas eram os mais rentáveis.... é a tal espiral grega, você tira um voo e faz outros virarem deficitários. 

Infelizmente nos faltam os dados mais importantes para aferir rentabilidade.


E no fim.. qual o resultado mais usual das cias Brasileiras ? Prejuizo. 

 

 

  • Like 1
  • Haha 1
Link to comment
Share on other sites

6 hours ago, LipeGIG said:

 

Basear uma aeronave não significa fazer só SJK-RIO, TJ. Eu me referi a basear em São José, não em Confins. 

Poderia ser:  2x RIO 1x RIO-CFR 1x CNF 1x RAO 

SJK 0700 SDU/GIG 0800 0830 CFR 0920 0950 SDU/GIG 1030 1100 SJK 1150 1220 CNF 1340 1410 SJK 1540 1610 SDU/GIG 1710 1740 SJK 1850 1920 RAO 2000 2040 SJK 2120

Não tem demanda pra isso tudo. RIO-CFB, SJK-RAO? Era melhor fazer 1-2 diários SJK-VCP com CNXs. :lol:

Link to comment
Share on other sites

15 hours ago, TheJoker said:

Com a privatização, os custos de operação pra cias vão subir...inevitável.

Talvez no médio e longo prazo sim. Mas hoje, para um aeroporto que não recebe voos regulares, qual seria o prejuízo em fazer isenção ou valores bem baixos para 1 ou 2 diários por um período? Eu acho que isso é um ponto tanto para operações de carga quanto passageiros. Para Infraero ela iria receber de qualquer forma se uma cargueira pousasse em GRU ou VCP ao invés de SJK.

A concessionária pode perder em taxas aeroportuárias, mas ganha em outras como estacionamento e movimento no seu aeroporto.

12 hours ago, LipeGIG said:

O problema de SJK é que não tem atratividade por não ter voo, não cataliza os passageiros da região pois os potenciais X passageiros do Vale do Paraiba para todos os mercados vão pra outro aeroporto. Mas não dá pra pensar só na cidade de São José. Sem os arredores, qualquer plano vai naufragar mais rápido que a Ita! 

Exato, aeroportos têm que ser pensados em contexto regional. Primeira questão, a ser pensada pelas operadoras e autoridades municipais, é por que os vôos não vingaram?

1 hour ago, Leandrinho said:

Mais um aeroporto concedido.

Enquanto isso, no Guarujá fizeram o contrário.

Malditos políticos. :ranting_1:

Calma, a concessão da SSZ à Infraero foi temporária, mais para viabilizar o aeroporto do que para gerenciar.

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

On 2/24/2022 at 6:07 AM, TheJoker said:

Não tem demanda pra isso tudo. RIO-CFB, SJK-RAO? Era melhor fazer 1-2 diários SJK-VCP com CNXs. :lol:

Não tem demanda pra esses voos de ATR ?  Você está mesmo falando sério ? Parece que SJ Campos e região não tem nada do que tem lá ... Embraer , J&J, GM, Panasonic, Ericsson, ITA, LG, GE, Alstom... não tem que todas tenham escritório ou não, mas falamos certamente de pessoas que tem renda para viajar de avião e negócios que sim, podem ser ligados a outros centros importantes. 


Um táxi SJK-GRU ou CGH certamente custa de R$ 180 a R$ 240 , um Uber não vai custar menos de uns R$ 100 

Mas pra que ter visão de demanda e custo relativos ?  Fazer SJK-Outra cidade-Destino final pode ser uma boa opção, mas por favor, dizer que inexiste demanda em SJK para voo de ATR... . 

On 2/24/2022 at 12:57 PM, A345_Leadership said:

 

Exato, aeroportos têm que ser pensados em contexto regional. Primeira questão, a ser pensada pelas operadoras e autoridades municipais, é por que os vôos não vingaram?

 

Perfeito. Quando um aeroporto mira uma região, facilita alimentação de voos com micro onibus ou onibus (estratégia que deu certo em VCP), apartir de um certo ponto criará a demanda necessária para a sustentabildiade da sua demanda.

Mas isso ocorre quando um operador se alinha com o aeroporto. 

VCP era um aeroporto de 80 mil pax em uma cidade bem grande parte de uma região importante e não capitalizava sobre isso. Quando se uniram Azul e inteligência para alimentar no inicio com ônibus e algumas conexões, se fez algo capaz de multiplicar por mais de 10x a demanda. 

 

  • Like 3
Link to comment
Share on other sites

Precisamos entender e aceitar a realidade, enquanto GRU e CGH (depois da concessão) não saturarem com O&D de PAX e carga, o resto não tem chance de pegar o tráfego de CNX que passa pela RMSP.  SJK é do lado, e até alternados são raros. VCP é exceção por causa da AD, mas também correria o risco de ser esvaziado caso a fusão com a LTM saísse, ou saia algum dia.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

21 hours ago, TheJoker said:

Precisamos entender e aceitar a realidade, enquanto GRU e CGH (depois da concessão) não saturarem com O&D de PAX e carga, o resto não tem chance de pegar o tráfego de CNX que passa pela RMSP.  SJK é do lado, e até alternados são raros. VCP é exceção por causa da AD, mas também correria o risco de ser esvaziado caso a fusão com a LTM saísse, ou saia algum dia.

TJ

Uma coisa independe da outra. 

Só uma coisa previne SJK e outros de crescer hoje em dia - o fato de que Gol, Azul e Latam tem interesses principais em GRU, VCP e CGH e abrir o que quer que seja em SJK significaria, por sua proximidade de todos os demais, risco de canibalização da própria demanda. 

Mas se houvesse um player externo, SJK seria uma pequena base interessante. Esse efeito acontece em outros países nas asas de empresas como Southeast (USA), Ryanair e Easyjet. 

 

 

 

  • Like 3
Link to comment
Share on other sites

Já voltei de SJK para o Sul de E190 da Azul, e para BH também. Tem demanda sim. Mas é a questão de como interligar estes coisa na malha da empresa. 

Moro em SJK e é uma cidade rica, e a maioria das população de maior renda veio de outras regiões para de estabelecer aqui, por causa das indústrias. Então tem demanda para voos de negócios e voos para visitar parentes. 

Conheço muita gente com família em Minas que iria, pelo menos uma vez por mês de avião para lá, caso existissem voos. 

Isso além dos vôos de carga. 

  • Like 3
Link to comment
Share on other sites

On 27/02/2022 at 09:14, Ozires said:

Já voltei de SJK para o Sul de E190 da Azul, e para BH também. Tem demanda sim. Mas é a questão de como interligar estes coisa na malha da empresa. 

Moro em SJK e é uma cidade rica, e a maioria das população de maior renda veio de outras regiões para de estabelecer aqui, por causa das indústrias. Então tem demanda para voos de negócios e voos para visitar parentes. 

Conheço muita gente com família em Minas que iria, pelo menos uma vez por mês de avião para lá, caso existissem voos. 

Isso além dos vôos de carga. 

Exatamente. 

Poderiam atrair passageiros não apenas do Vale do Paraíba e litoral norte, bem como a região de Itajubá.

Mas precisaria de um esquema similar com VCP (ônibus). E não acredito que irá vingar sem um novo player que aposte na cidade.

E novo player é difícil hein. Se um dia vingar operações para CNF, CWB, SDU e até VCP para alimentar o hub da AZ já estaria de ótimo tamanho - e conseguir atrair passageiros na alta temporada de verão com destino ao litoral norte Paulista.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

1 hour ago, naia said:

Exatamente. 

Poderiam atrair passageiros não apenas do Vale do Paraíba e litoral norte, bem como a região de Itajubá.

Mas precisaria de um esquema similar com VCP (ônibus). E não acredito que irá vingar sem um novo player que aposte na cidade.

E novo player é difícil hein. Se um dia vingar operações para CNF, CWB, SDU e até VCP para alimentar o hub da AZ já estaria de ótimo tamanho - e conseguir atrair passageiros na alta temporada de verão com destino ao litoral norte Paulista.

o litoral norte de são paulo tem muito potencial a ser explorado no meu ver

praias muito bonitas para todos os gostos (das de mar mais calmo p/ família, praias mais movimentadas, praias mais desertas, etc)

excelentes restaurantes

festas no verão

não deve em nada p/ outros destinos praianos já consagrados no território nacional, como região dos lagos no RJ ou as praias de santa catarina

 

na minha última ida ao nordeste em outubro, no aeroporto de recife, me surpreendeu um painel grande da secretaria de turismo de são paulo e na foto uma praia de ubatuba com os dizeres "estamos prontos para receber voce com muita hospitalidade" abaixo em letras menores "visite ubatuba"

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

On 26/02/2022 at 21:32, LipeGIG said:

TJ

Uma coisa independe da outra. 

Só uma coisa previne SJK e outros de crescer hoje em dia - o fato de que Gol, Azul e Latam tem interesses principais em GRU, VCP e CGH e abrir o que quer que seja em SJK significaria, por sua proximidade de todos os demais, risco de canibalização da própria demanda. 

Mas se houvesse um player externo, SJK seria uma pequena base interessante. Esse efeito acontece em outros países nas asas de empresas como Southeast (USA), Ryanair e Easyjet. 

Poderia ter uma operação simples:

  • AT7 0234560 CWB 0700 0750 SJK 0820 0900 SDU - Conexão para CNF
  • AT7 0234560 SDU 0700 0740 SJK 0815 0915 CNF   
  • AT7 0234560 CNF 1800 1900 SJK 1930 2010 SDU - Conexão para CWB
  • AT7 0234560 SDU 1830 1910 SJK 1940 2020 CWB

São 280 assentos saindo de SJK diariamente, considerando que tenha em média ocupação de 75%, são 210 passageiros necessários. Se 50% for originário de SDU, CWB e CNF (sem contar os que podem ficar na cidade), estamos falando de 105 passageiros/dia para embarque em SJK. Aí põe nesta conta Jacareí (18km), Caçapava (25km), Taubaté (45km), Pindamonhagaba (58km) Aparecida (83km) Guaratinguetá (87km), Caraguatatuba (82km) e Campos de Jordão (85km). São cidades cujo aeroporto mais próximo é GRU.

Podem ter 2 linhas de ônibus atendendo exclusivamente os voos ou então aproveitar as linhas existentes, sei de uma que faz Ubatuba-Caraguá-SJC-São Paulo.

Teoricamente funciona, mas é plausível. Só precisa de um player novo, não necessariamente baseado em SJK, mas que pense igual a Azul fez em 2008 com VCP, claro em escala menor.

 

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Na minha visão, a operação da AD para CNF estava dando muito certo. Excelente banco de conexões, OD razoável e aeronave certa.

Considerando a malha no SDU, acredito que um voo para lá também vingaria.

Agora, uma demanda regional que não vejo as empresas aéreas explorarem é o turismo religioso. O que tem de pacote para Aparecida, Cachoeira Paulista e Guaratinguetá, não é brincadeira. Um voo por semana, aos sábados, para várias capitais do Nordeste, também vingaria.

Tem que pensar fora da caixinha. Passageiros tem, e eu não aguento mais pegar Pássaro Marron em GRU. :P

 

  • Like 3
Link to comment
Share on other sites

14 hours ago, SimpleMan said:

Tem que pensar fora da caixinha. Passageiros tem, e eu não aguento mais pegar Pássaro Marron em GRU. :P

Esse é o problema! E vamos ser francos, a Azul só pensou fora da caixinha pois quebrou a cara no SDU.

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

1 hour ago, PT-KTR said:

Esse é o problema! E vamos ser francos, a Azul só pensou fora da caixinha pois quebrou a cara no SDU.

Em que sentido?

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade