Jump to content

Itália encerra sonho russo de vender globalmente aeronaves comerciais


Recommended Posts

Meus prezados

Crise na Rússia

Itália encerra sonho russo de vender globalmente aeronaves comerciais

Itália confisca ativos da SuperJet International e encerra projeto russo de vender aviões comerciais no mundo

spacer.png

Sukhoi Superjet 100 foi a primeira iniciativa russa de vender aviões comerciais no mundo - SuperJet

O governo da Itália congelou mais de 146 milhões de euros em ativos da SuperJet International, responsável pela comercialização no Ocidente do avião comercial russo Sukhoi SSJ 100. A apreensão de ativos enterra sonho russo de vender globalmente aviões comerciais.

A empresa é uma joint-venture entre a russa United Aircraft Corporation e a italiana Leonardo. Embora o embargo afete a sociedade, a justiça da Itália afirmou que foram atingidos apenas os 90% do ativo de propriedade russa, sem afetar os 10% da sociedade da Leonardo.

O confisco, no entanto, deverá atingir os mais de 140 funcionários da empresa, que não poderão ser remunerados de imediato. As autoridades trabalham com o banco italiano Intesa Sanpaolo afirmou que poderá liberar os pagamentos estritamente relacionados aos salários aos funcionários que abrirem uma conta pessoal. A intenção é impedir a transferência de fundos do SuperJet International para outras instituições.

O bloqueio ocorre em um momento de ampliação das sanções comerciais e econômicas contra a Rússia, que enfrenta o mais grave isolamento de sua história.

Além de impedir a movimentação financeira, a SuperJet ainda teve quatro aviões, que estão no aeroporto Marco Polo, em Veneza, proibidos de deixar a Itália. A sede da SuperJet International, em Veneza, também foi bloqueada pela justiça.

Dois dos aviões deveriam ter sido entregues para a mexicana Interjet, mas após uma série de problemas a companhia aérea cancelou o pedido*.

A SuperJet surgiu, em 2007, de uma parceria entre a Sukhoi e a então Alenia Aermacchi (atualmente Leonardo), em um modelo de joint-venture de 51/49 porcento das ações. Porém, com os constantes problemas de pós-venda por parte dos russos, a Leonardo vendeu quase a totalidade de suas ações, ficando com apenas 10% da sociedade. A Sukhoi, atual UAC, enfrentou uma série de críticas dos únicos dois operadores Ocidentais, a Interjet e a irlandesa CityJet.

Com os confiscos globais de ativos russos no exterior, a SuperJet possivelmente será liquidada, junto com o sonho da UAC em comercializar com sucesso o MS-21, seu mais novo avião comercial.

Com o fim da União Soviética a Rússia passou a desejar, pela primeira vez em sua história, ingressar no bilionários e concorrido mercado global de aviões comerciais. O Superjet 100, que contou com consultoria da Boeing, poderia disputar o segmento regional, mas suprte precário impediu qualquer chance de sucesso.

·       Receba as notícias de AERO diretamente das nossas redes sociais clicando aqui

·       Veja nossos vídeos no canal da AERO Magazine no YouTube

Fonte: Edmundo Ubiratan – Aero Magazine 29 mai 2022

* A maior conquista do Superjet 100, que conta com parceria de vendas da italiana Leonardo, foi um acordo com a empresa mexicana de ultrabaixo custo Interjet. Porém, o modelo teve uma vida operacional curta no México, especialmente em relação ao suporte pós-venda. A Interjet enfrentou dificuldades para a obtenção de peças que eram fornecidas apenas pela UAC, através de um complexo e lento processo de encomenda e liberação.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade