Jump to content

Vôo da TAM procedente de Milão com problemas


Mastercaptain

Recommended Posts

Já chega a quase 24 horas a demora na chegada de um vôo da TAM que deveria ter partido de Milão às 13 horas (Brasília) do último domingo, 27. O vôo JJ 8061 tinha como destino o Aeroporto Internacional de São Paulo, Guarulhos.

 

Um segundo vôo da companhia, que faria o trajeto contrário, Guarulhos/Milão, tinha horário programado de partida do Brasil às 19h10. A decolagem não foi realizada também devido a um problema mecânico na aeronave.

 

A TAM esclarece que ambos aviões tiveram que ficar em terra devido a manutenções preventivas. A companhia relata que a aeronave que opera a rota Milão/Guarulhos encontra-se em manutenção após ter sofrido impacto externo na região do flap da asa esquerda durante o pouso no Aeroporto de Malpensa no último sábado, dia 26. Não houve qualquer risco à segurança do vôo e o dano foi detectado durante inspeção de rotina na aeronave feita pela equipe de manutenção de Milão.

 

Dos 250 passageiros, 34 foram acomodados em hotéis de Milão e estão recebendo total assistência da companhia, incluindo refeições, traslados e telefonemas.

 

Os demais 216 passageiros foram acomodados nos vôos TAM JJ 8085 Londres/Guarulhos, JJ 8097 Paris/Guarulhos e JJ 8055 Paris/Galeão, que decolaram no domingo com destino a São Paulo e Rio de Janeiro. Os passageiros seguiram de Milão para os aeroportos de Londres e de Paris em vôos de companhias congêneres com as quais a TAM mantém acordos.

 

Já o vôo JJ 8061 desta segunda, 28, com 260 passageiros, está com decolagem prevista para 13h00, pelo horário de Brasília.

 

A companhia promoveu um remanejamento da sua malha em função da manutenção dessas duas aeronaves, uma em Milão e outra em São Paulo. Foram cancelados os vôos de hoje, JJ 8098 (Guarulhos/Paris) e JJ 8099 (Paris/Guarulhos). Os passageiros estão sendo reacomodados nos vôos da companhia imediatamente seguintes via Paris ou via Londres. Além disso, foi criado um vôo extra com o número JJ 9937 que fará a rota Milão/Guarulhos com decolagem programada para 18h50 da próxima terça-feira.

 

AE

 

Seria MD11?

Link to post
Share on other sites

  • Replies 50
  • Created
  • Last Reply

Fonte: Terra Notícias

 

 

Manutenção em avião retém 200 brasileiros na Itália

Cerca de 200 brasileiros estão detidos no aeroporto de Milão, na Itália. Eles são passageiros de um vôo da TAM com destino ao aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, que deveria ter decolado pela manhã, mas o Airbus 330 está passando por manutenção no hangar da empresa Alitalia. A informação é da Globonews.

 

 

Segundo a rádio CBN, a TAM informou que a aeronave encontra-se em manuntenção devido a um choque no pouso e a decolagem estava prevista para as 13h (horário de Brasilia).

Link to post
Share on other sites

Olha, eu to ouvindo por aí que a TAM tá feliz com os seus MD11. DIZEM que superou muito a expectativa da empresa.

 

Abraços

 

Matheus

Link to post
Share on other sites
após ter sofrido impacto externo na região do flap da asa esquerda durante o pouso no Aeroporto de Malpensa
Considerando a info do Red Carpet, não vou me meter a fazer análises técnicas pq aqui há gente mais indicada pra isso do que eu, mas vou dizer uma coisa: esse pouso do M11 dá o que falar, hein!!! :secret:
Link to post
Share on other sites

O MD11 é um avião com um histórico de “bounced landing’ incrível. Na Varig foram 3 ao longo de sua passagem. Um virou acidente no México. Varios capotaram após o pouso. Não é um avião para principiantes,inclusive esta escrito isto no manual.Quanto TAM estar gostando do avião não tenho dúvidas, com o leasing lá embaixo é uma maquina de ganhar dinheiro muito boa!

Link to post
Share on other sites

The MD-11 was designed with a smaller horizontal stabilizer than other airliners. That, plus the shifting of its center of gravity further aft, all to reduce drag and thus fuel burn, causes it to be unusually light on the controls. That design, known as “relaxed stability,” is common to fighter planes but is not normally found in the pitch axis of a civilian airliner. It makes it more likely that the pilot will overcontrol and exacerbate the situation, during a recovery attempt after a high altitude upset or during a bounced/hard landing.

 

AirlineSafety.Com

Link to post
Share on other sites
Olha, eu to ouvindo por aí que a TAM tá feliz com os seus MD11. DIZEM que superou muito a expectativa da empresa.

 

Abraços

 

Matheus

 

 

haha tomara que seja uma mensagem ironica hehe ..

 

Pq na verdade a TAM quer jogar no LIXO esses MD-11 ... que venham os 777 .. pq esses MD-11 só dão dor de cabeça..

Link to post
Share on other sites
haha tomara que seja uma mensagem ironica hehe ..

 

Pq na verdade a TAM quer jogar no LIXO esses MD-11 ... que venham os 777 .. pq esses MD-11 só dão dor de cabeça..

 

Bom, minha fonte tá vindo da manutenção E operações. A sua?

 

Abraços

 

Matheus

Link to post
Share on other sites
Hangar 7

 

Abraços

 

Hangar 7? Sede da TAM em CGH?

Bom, eu soube que os MD11 da TAM estão tendo um excelente aproveitamento, não só dos PAX mas dos porões de carga também. Como o mastercaptain disse, ele bem aproveitado é uma maquina de fazer dinheiro.

Quanto a manutenção, eu ouvi que existe os problemas sim, mas nada muito além dos A320 mais velhos.

Edit: Dar dor de cabeça aos mecanicos não quer dizer dor de cabeça aos diregentes. Fazer a maquina funcionar deve dar dor de cabeça aos mecanicos, mas faz a empresa ganhar dinheiro. É tudo uma questão de ponto de vista.

Abraços

 

Matheus

Link to post
Share on other sites
Hangar 7? Sede da TAM em CGH?

Bom, eu soube que os MD11 da TAM estão tendo um excelente aproveitamento, não só dos PAX mas dos porões de carga também. Como o mastercaptain disse, ele bem aproveitado é uma maquina de fazer dinheiro.

Quanto a manutenção, eu ouvi que existe os problemas sim, mas nada muito além dos A320 mais velhos.

Edit: Dar dor de cabeça aos mecanicos não quer dizer dor de cabeça aos diregentes. Fazer a maquina funcionar deve dar dor de cabeça aos mecanicos, mas faz a empresa ganhar dinheiro. É tudo uma questão de ponto de vista.

Abraços

 

Matheus

 

Isso no H7 é aonde fica a sede da empresa.

 

O excelente aproveitamento de pax e carga é consequencia da atual situação do mercado aonde a demanda é enorme a oferta é pequena não porque é o MD-11 que opera na rota.

 

Na teoria qualquer avião bem aproveitado é uma maquina de fazer dinheiro, mas fazer dinheiro não depende só do avião, mas de um todo, são diversos fatores, diretos e indiretos que formam o custo assento x km, um dos fatores que fez a TAM aceitar ter os MD-11 foi o leasing baixo (que como é comentado foi subsidiado pela Boeing) e que graças a isto tornou a operação dos MD-11 uma realidade não só para tampar o buraco até a chegada dos 777-300ER (que daqui a pouco estarão chegando) mas também deu a chance de operar uma aeronave que para citar alguns é antiga, cara e totalmente fora do "padrão" da frota da TAM (seja conforto ao cliente, seja operacionalmente falando), podendo ao mesmo tempo faturar algo na rota.

E lembrando mais uma vez que o custo operacional não depende de apenas uma variavel, mas de diversas variaveis, não é porque o leasing é baixo que o avião se tornará uma maquina de fazer dinheiro, hoje o preço do combustivel (que alias não é subsidiado por ninguém..) é uma das variaveis mais preocupantes e que mais pesam (alias o MD-11 é um beberrão).

 

Apenas finalizando, foi comentado que o MD-11 apresenta problemas como os A320 mais antigos, o problema maior nisto é que a TAM tem A320/A319 ou até F100 para cubrir o buraco deixado por um A320 mais antigo seja dentro do Brasil seja na América Latina, mas quando um MD-11 ou um A330-200 voando em uma rota intercontinental dá algum problema seja aqui no Brasil seja na Europa ou Estados Unidos isso gera uma bola de neve, uma dor de cabeça enorme para a empresa (financeiramente e para a propria imagem da empresa) e para os clientes (que acabam se irritando, perdendo compromissos, perdendo a confiança no produto da empresa, etc...), cubrir esta perda não é nem um pouco rápida e outra que todos nós sabemos que as cias nacionais não tem avião sobrando com capacidade para fazer rotas de longo curso, muito pelo contrario estão faltando e todas estão doidas atrás do primeiro avião que aparecer.

 

Abraços

Link to post
Share on other sites
Isso no H7 é aonde fica a sede da empresa.

 

O excelente aproveitamento de pax e carga é consequencia da atual situação do mercado aonde a demanda é enorme a oferta é pequena não porque é o MD-11 que opera na rota.

 

Na teoria qualquer avião bem aproveitado é uma maquina de fazer dinheiro, mas fazer dinheiro não depende só do avião, mas de um todo, são diversos fatores, diretos e indiretos que formam o custo assento x km, um dos fatores que fez a TAM aceitar ter os MD-11 foi o leasing baixo (que como é comentado foi subsidiado pela Boeing) e que graças a isto tornou a operação dos MD-11 uma realidade não só para tampar o buraco até a chegada dos 777-300ER (que daqui a pouco estarão chegando) mas também deu a chance de operar uma aeronave que para citar alguns é antiga, cara e totalmente fora do "padrão" da frota da TAM (seja conforto ao cliente, seja operacionalmente falando), podendo ao mesmo tempo faturar algo na rota.

E lembrando mais uma vez que o custo operacional não depende de apenas uma variavel, mas de diversas variaveis, não é porque o leasing é baixo que o avião se tornará uma maquina de fazer dinheiro, hoje o preço do combustivel é uma das variaveis mais preocupantes e que mais pesam e novamente o MD-11 é um beberrão.

 

Apenas finalizando, foi comentado que o MD-11 apresenta problemas como os A320 mais antigos, o problema maior nisto é que a TAM tem A320/A319 ou até F100 para cubrir o buraco deixado por um A320 mais antigo seja dentro do Brasil seja na América Latina, mas quando um MD-11 ou um A330-200 voando em uma rota intercontinental dá algum problema seja aqui no Brasil seja na Europa ou Estados Unidos isso gera uma bola de neve, uma dor de cabeça enorme para a empresa (financeiramente e para a propria imagem da empresa) e para os clientes (que acabam se irritando, perdendo compromissos, perdendo a confiança no produto da empresa, etc...), cubrir esta perda não é nem um pouco rápida e outra que todos nós sabemos que as cias nacionais não tem avião sobrando com capacidade para fazer rotas de longo curso, muito pelo contrario estão faltando e todas estão doidas atrás do primeiro avião que aparecer.

 

Abraços

 

Sim, eu concordo com voce, o MD11 é caro e totalmente fora dos moldes da empresa. Como ele está no inicio de sua operação lá, o chefe de manutenção não conhece todos os problemas pertinentes a não ser aqueles constados nos manuais de manutenção e ADs, assim não é possivel confecionar um programa de manutenção mais eficiente, anulando o foco de pequenos problemas logo no inicio. Agora, é claro que a TAM não permanecerá com esses MD11s após a chegada dos 773, justamente por serem muito poucos. O que estou querendo dizer que agora, nesse exato momento, a TAM está muito satisfeita com os seus MD11.

 

Só cutucando um pouco a TAM. Faz um bom tempo que seu marketing cedeu a economia. Conforto e atendimento já não fazem mais parte da filosofia da TAM. Falta um planejador e administrador na TAM, que junto com um economista, o Bologna, poderão equilibrar serviço a lucro.

 

Abraços

 

Matheus

Link to post
Share on other sites

Como se diz, o MD-11 é o melhor que tá tendo pra TAM hehe. Mas quando chegar os B773 zerados aí não sei se o pessoal vai ter saudade do maestro.

 

Abraço

Link to post
Share on other sites
Sim, eu concordo com voce, o MD11 é caro e totalmente fora dos moldes da empresa. Como ele está no inicio de sua operação lá, o chefe de manutenção não conhece todos os problemas pertinentes a não ser aqueles constados nos manuais de manutenção e ADs, assim não é possivel confecionar um programa de manutenção mais eficiente, anulando o foco de pequenos problemas logo no inicio. Agora, é claro que a TAM não permanecerá com esses MD11s após a chegada dos 773, justamente por serem muito poucos. O que estou querendo dizer que agora, nesse exato momento, a TAM está muito satisfeita com os seus MD11.

 

Só cutucando um pouco a TAM. Faz um bom tempo que seu marketing cedeu a economia. Conforto e atendimento já não fazem mais parte da filosofia da TAM. Falta um planejador e administrador na TAM, que junto com um economista, o Bologna, poderão equilibrar serviço a lucro.

 

Abraços

 

Matheus

 

 

Cara, com base em que você faz as seguintes informações?

 

 

1) o chefe de manutenção não conhece todos os problemas pertinentes a não ser aqueles constados nos manuais de manutenção e ADs...

 

2) assim não é possivel confecionar um programa de manutenção mais eficiente .... ???

 

3) anulando o foco de pequenos problemas logo no inicio ... ???

 

4) Agora, é claro que a TAM não permanecerá com esses MD11s após a chegada dos 773, justamente por serem muito poucos ???

 

5) Faz um bom tempo que seu marketing cedeu a economia....

 

6) Falta um planejador e administrador na TAM...

 

7) que junto com um economista, o Bologna, poderão equilibrar serviço a lucro.

 

 

 

Ou tudo é no famoso "EU OUVI DIZER"?

 

----------------------------------------------------------------

 

ATENÇÃO ÀS REGRAS:

 

3.1 - Por favor respeitem uns aos outros e escolham suas palavras sabiamente. Cada usuário tem seu próprio ponto de vista e este tem que ser respeitado. Se você tem algum problema com outro usuário ou não aprova algum tópico ou post e é capaz de mostrar que ele viola alguma regra, utilize o botão "Reportar". Pode-se também mandar uma mensagem privada para os moderadores a respeito do assunto.

3.1.1 - Por favor faça suas críticas, seja qual for e a quem for, de maneira construtiva. Criticas que não servirem a outro proposito que não seja provocar ou insultar serão apagadas e sua conta será passível de suspensão.

3.5 - Não provoque outros usuários ou cause confusão. Isso inclui posts ofensivos, nomes ofensivos, nicks ofensivos e qualquer tipo de expressão que a moderação julgue ser ofensivo.

Link to post
Share on other sites
Cara, com base em que você faz as seguintes informações?

1) o chefe de manutenção não conhece todos os problemas pertinentes a não ser aqueles constados nos manuais de manutenção e ADs...

 

Toda aeronave tem um manual de manutenção homologado para ela, com toda a programação de checks. Cabe a TODO chefe de manutenção de cias 121 e 135 fazer e assinar um programa de manutenção e submetelo a aprovação do orgão competente. Com o tempo, o chefe de manutenção pode observar o desgaste prematuro de uma peça. Se no manual está constando que ela precisa ser trocada ou vereficada no check de 200h, ele pode alterar para fazer isso no check de 100h, sendo menos provavel dela apresentar problemas nessas 100h livres.

Essas variaveis não previstas no projeto original da aeronave, podem ser ocasionadas pela operação de cada empresa, sendo que as vezes não é igual entre todas. O chefe de manutenção pode trocar qualquer peça dentro do prazo que está no manual, nunca além, mas antes sim.

 

2) assim não é possivel confecionar um programa de manutenção mais eficiente .... ???

 

Respondido acima.

 

3) anulando o foco de pequenos problemas logo no inicio ... ???

 

Se uma peça deu problema é porque o foco não foi detectado nos checks anteriores. Se não foi detectado, porque a checagem desse componente não tava no manual de manutenção. Descobrindo a causa do problema, a manutenção vai saber onde procurar, assim no futuro elas irão acontecer com menos frequencia. Claro que isso não funciona sempre, senão aviões nunca teriam problemas, mas em muitos casos isso que falei é válido.

 

4) Agora, é claro que a TAM não permanecerá com esses MD11s após a chegada dos 773, justamente por serem muito poucos ???

 

Com 3 MD11 somente é possivel operar 1 rota com mais de 10h de duração, caso um de fora, não será possivel suprir toda a oferta dele com 1 A330, deixando muitos paxs no solo. Foi o que aconteceu ontem.

 

5) Faz um bom tempo que seu marketing cedeu a economia....

 

Isso é obvio. A TAM sempre prezou o conforto e o atendimento, fez um marketing tremendo em cima disso. Olhe hoje. Ela nem toca mais nesse assunto. A TAM hoje tá se tornando uma Gol disfarçada de vermelho com a desculpa que são os novos tempos. Hoje um executivo não consegue abrir seu laptop dentro de um Airbus.

 

6) Falta um planejador e administrador na TAM...

7) que junto com um economista, o Bologna, poderão equilibrar serviço a lucro.

Ou tudo é no famoso "EU OUVI DIZER"?

 

Não, isso é fato. Logo os clientes dela irão perceber que não há diferença de serviço entre o dela e o da Gol, perdendo um conceito fudamental de marketing que é a fidelidade. Eu ACREDITO que TAM não está sendo muito inteligente em entrar no esquema LCLF, assim ela está batendo de frente com a Gol sendo que podia continuar oferecendo seu serviço diferenciado com concorrencia quase nula.

Na MINHA opnião, deveria haver um administrador que não seja um economista. Economista tende a resolver problemas atrás do dinheiro, variando a política conforme a situação. Assim a empresa não cresce em cima de uma base sólida de conceitos, ficando sem a fidelidade de seus clientes e sem uma imagem forte.

 

Abraços

 

Matheus

Link to post
Share on other sites
haha tomara que seja uma mensagem ironica hehe ..

 

Pq na verdade a TAM quer jogar no LIXO esses MD-11 ... que venham os 777 .. pq esses MD-11 só dão dor de cabeça..

 

Alê, seja como for nossos amados aviões ja estão voando! hoje está sendo realizado um vôo extra para MXP (JJ9535/9536) para acomodar os pax prejudicados no sabado e domingo e que não tiveram como ser acomodados via CDG ou LHR! Que saudade de quando isso aqui era feito só de F100 e F50, voava pro interior, lutavamos pelo lugar ao sol e eramos todos felizes!

Link to post
Share on other sites
Sim, eu concordo com voce, o MD11 é caro e totalmente fora dos moldes da empresa. Como ele está no inicio de sua operação lá, o chefe de manutenção não conhece todos os problemas pertinentes a não ser aqueles constados nos manuais de manutenção e ADs, assim não é possivel confecionar um programa de manutenção mais eficiente, anulando o foco de pequenos problemas logo no inicio. Agora, é claro que a TAM não permanecerá com esses MD11s após a chegada dos 773, justamente por serem muito poucos. O que estou querendo dizer que agora, nesse exato momento, a TAM está muito satisfeita com os seus MD11.

 

Só cutucando um pouco a TAM. Faz um bom tempo que seu marketing cedeu a economia. Conforto e atendimento já não fazem mais parte da filosofia da TAM. Falta um planejador e administrador na TAM, que junto com um economista, o Bologna, poderão equilibrar serviço a lucro.

 

Abraços

 

Matheus

 

 

Independente da parte operacional, pois ela SEMPRE terá que se adequar e se contentar com as escolhas feitas pela empresa, independente do modelo usado todos tem que saber tudo sobre ele e fazer com que ele funcione perfeitamente.

Concordo com você, a TAM está satisfeita com os MD-11, mas está satisfeita com eles, pois não tem alternativa.

O MD-11 é uma aeronave antiga e não devido a situação que a Varig passou quando operava ele, eles não chegou muito bem conservado, apesar da empresa ter na minha opinião pecado muito no conforto nos vôos domésticos, nos internacionais ela está tão bem ou melhor que as suas concorrentes, sejam elas internacionais ou nacionais, e o MD-11 nesse quesito não se encaixa MESMO.

 

Abraços!

 

Alê, seja como for nossos amados aviões ja estão voando! hoje está sendo realizado um vôo extra para MXP (JJ9535/9536) para acomodar os pax prejudicados no sabado e domingo e que não tiveram como ser acomodados via CDG ou LHR! Que saudade de quando isso aqui era feito só de F100 e F50, voava pro interior, lutavamos pelo lugar ao sol e eramos todos felizes!

 

Ainda bem é uma dor de cabeça a menos!

 

Avião foi feito pra voar! hehe

 

Devia ser melhor ainda quando era só F27 e EMB-110 hahaha

 

Abraços

 

Independente da parte operacional, pois ela SEMPRE terá que se adequar e se contentar com as escolhas feitas pela empresa, independente do modelo usado todos tem que saber tudo sobre ele e fazer com que ele funcione perfeitamente.

Concordo com você, a TAM está satisfeita com os MD-11, mas está satisfeita com eles, pois não tem alternativa.

O MD-11 é uma aeronave antiga e não devido a situação que a Varig passou quando operava ele, eles não chegou muito bem conservado, apesar da empresa ter na minha opinião pecado muito no conforto nos vôos domésticos, nos internacionais ela está tão bem ou melhor que as suas concorrentes, sejam elas internacionais ou nacionais, e o MD-11 nesse quesito não se encaixa MESMO.

 

Abraços!

 

PS escrevi tdo errado e no singular haha :suicide_anim:

Link to post
Share on other sites

Avião Bom

 

Mas afinal o MD11 é um avião bom ou não? Precisamos antes de mais nada definir este conceito na visão do Dono da empresa da sua excelência o Passageiro e na visão dos Tripulantes. Ficamos por enquanto com estes três, porque teria mais.

 

Passageiro: Para o passageiro, em sua grande maioria o que mais importa é o conforto e o entretenimento a bordo. Não conheço a configuração interna dos MD11 da TAM. O MD11 é mais largo e mais espaçoso se comparado ao A330 por exemplo.Caso a configuração de poltronas e entretenimento seja a mesma do A330, o passageiro praticamente tem o mesmo conforto, logo para o passageiro não faz muita diferença, isto vale também para o 777.A menos que a TAM brinde seus pax com uma configuração mais moderna e inovadora com os 777.

 

Dono da Empresa: Avião bom é avião com o menor custo operacional. Neste caso o MD11 da TAM leva vantagem. Mesmo considerando que o custo com querosene em uma viagem é de cerca de 25% a mais, que a manutenção é mais cara, o custo total do MD11 é muito inferor ao A330 tendo em vista o excepcional contrato de leasing que a TAM conseguiu no arrendamento destas aeronaves. Portanto a formula assento x km torna para ao TAM o MD11 um BOM AVIÃO.

 

 

Tripulantes: Os MD11 da TAM procedentes da Varig, tem um dos melhores sarcófagos para descanso. 6 camas para comissários e duas camas para os pilotos (localizadas em locais diferentes) A informação é que a TAM manteve estes “sarcófagos”.Tenho muitas horas de bom sonhos no confortável sarcófago do MD11.Muito bom realmente.Quanto a operação, esta aeronave é um pouco mais trabalhosa em relação aos aviões Boeing. Não sei precisar com relação ao A330 mas em relação ao 777 o MD é um avião de maior complexidade no quesito (pilotagem). Quem voou pode afirma tranqüilamente.É um bom avião.

 

 

Com relação a manutenção, vale lembrar que apesar de a TAM ter um engenheiro responsável pela aeronave(exigência da ANAC) toda a manutenção é feita pela VEM, que tem anos de experiência neste avião.

Link to post
Share on other sites
Avião Bom

 

Mas afinal o MD11 é um avião bom ou não? Precisamos antes de mais nada definir este conceito na visão do Dono da empresa da sua excelência o Passageiro e na visão dos Tripulantes. Ficamos por enquanto com estes três, porque teria mais.

 

Passageiro: Para o passageiro, em sua grande maioria o que mais importa é o conforto e o entretenimento a bordo. Não conheço a configuração interna dos MD11 da TAM. O MD11 é mais largo e mais espaçoso se comparado ao A330 por exemplo.Caso a configuração de poltronas e entretenimento seja a mesma do A330, o passageiro praticamente tem o mesmo conforto, logo para o passageiro não faz muita diferença, isto vale também para o 777.A menos que a TAM brinde seus pax com uma configuração mais moderna e inovadora com os 777.

 

Dono da Empresa: Avião bom é avião com o menor custo operacional. Neste caso o MD11 da TAM leva vantagem. Mesmo considerando que o custo com querosene em uma viagem é de cerca de 25% a mais, que a manutenção é mais cara, o custo total do MD11 é muito inferor ao A330 tendo em vista o excepcional contrato de leasing que a TAM conseguiu no arrendamento destas aeronaves. Portanto a formula assento x km torna para ao TAM o MD11 um BOM AVIÃO.

 

Tripulantes: Os MD11 da TAM procedentes da Varig, tem um dos melhores sarcófagos para descanso. 6 camas para comissários e duas camas para os pilotos (localizadas em locais diferentes) A informação é que a TAM manteve estes “sarcófagos”.Tenho muitas horas de bom sonhos no confortável sarcófago do MD11.Muito bom realmente.Quanto a operação, esta aeronave é um pouco mais trabalhosa em relação aos aviões Boeing. Não sei precisar com relação ao A330 mas em relação ao 777 o MD é um avião de maior complexidade no quesito (pilotagem). Quem voou pode afirma tranqüilamente.É um bom avião.

Com relação a manutenção, vale lembrar que apesar de a TAM ter um engenheiro responsável pela aeronave(exigência da ANAC) toda a manutenção é feita pela VEM, que tem anos de experiência neste avião.

 

Passageiro: Para o passageiro, em sua grande maioria o que mais importa é o conforto e o entretenimento a bordo. Não conheço a configuração interna dos MD11 da TAM. O MD11 é mais largo e mais espaçoso se comparado ao A330 por exemplo.Caso a configuração de poltronas e entretenimento seja a mesma do A330, o passageiro praticamente tem o mesmo conforto, logo para o passageiro não faz muita diferença, isto vale também para o 777.A menos que a TAM brinde seus pax com uma configuração mais moderna e inovadora com os 777.[b/]

 

A configuração interna do MD11 é exatamente como era na Varig .. não mudou nada, ou seja é péssimo e antigo, entretenimento é praticamente nulo.

 

Dono da Empresa: Avião bom é avião com o menor custo operacional. Neste caso o MD11 da TAM leva vantagem. Mesmo considerando que o custo com querosene em uma viagem é de cerca de 25% a mais, que a manutenção é mais cara, o custo total do MD11 é muito inferor ao A330 tendo em vista o excepcional contrato de leasing que a TAM conseguiu no arrendamento destas aeronaves. Portanto a formula assento x km torna para ao TAM o MD11 um BOM AVIÃO.

 

Nunca tive acesso ao contrato de leasing da aeronave para poder saber destes dados e principalmente para poder o equiparar com o A330 e ainda por cima afirmar que o custo total de um MD11 é muito inferior ao do A330. Se você tiver acesso a estes dados por favor nos demonstre pois eu estou curioso!

Link to post
Share on other sites
Com relação a manutenção, vale lembrar que apesar de a TAM ter um engenheiro responsável pela aeronave(exigência da ANAC) toda a manutenção é feita pela VEM, que tem anos de experiência neste avião.

 

E todos na TAM estão EXTREMAMENTE DESCONTENTES com o serviço prestado pela VEM. Ficou claro na semana passada que está havendo uma clara sabotagem, ou no mínimo muita "má vontade" no atendimento por parte da VEM. Segundo um amigo meu que era tripulante do vôo, um dos inerciais deu pane pouco depois da decolagem de MXP para GRU. A aeronave pode prosseguir o vôo com apenas 2 inerciais, mas não pode decolar com apenas 2. A tripulação informou a base MXP do ocorrido e também ao depto de manutenção via HF. A VEM estava plenamente ciente de que ´precisaria enviar um INS para GRU, e teve quase 12 horas para fazê-lo. Deixou para enviar no ÚLTIMO vôo saindo do GIG, e o que é pior.. para CGH!!!! Acabou que o vôo foi cancelado e a aeronave ficou groundeada... Foi necessário a TAM mandar um Citation do taxi aéreo para o GIG buscar as peças e o avião acabou decolando de GRU com um atraso de mais de 6 horas. Estão havendo atritos constantes entre o pessoal da VEM e da manutenção da TAM. O pior é que a empresa está refém dos péssimos serviços que a VEM vem prestando para eles aqui. Como a manutenção e o leasing estão sendo intermediados pela Boeing, não dá para rescindir o contrato e a coisa vai seguindo desta maneira... Não sei que motivos a VEM tem para agir desta maneira, pois agora ela é da TAP, mas me parece que muita gente lá ainda não se tocou que não são mais da Varig... Isso até foi motivo de discussão entre um pessoal da vem e da tam... Falta de profissionalismo é F*da!

Link to post
Share on other sites

O MD-11 é bem confortável para o passageiro, mas uma negação em termos de entretenimento.

 

Ontem haviam 4 A332 em GRU a noite e nenhum MD-11... 1 foi para o Rio logo por volta das 21h50 (MVA se eu anotei certo), o MVH cumpriu Nova York (com um certo carioca a bordo), o MVF faria o Londres e eu não consegui ver quem fez Miami, mas me pareceu o MVB. Um dos vôos de Paris ontem pelo visto foi cancelado.

 

Ah e está na hora da TAM arrumar mais espaço na sala vip.... lotada as 21h30... sem lugar para passageiros sentarem (e alguns desistiam de ficar pois o ambiente acabava ficando tão ruim quando no saguão)

: JFK, MIA, LHR, CDG (e ontem aparentemente não tinha 1!), SCL, ASU, EZE, GIG... vôo demais entre 22h30 e 23h50 para sala de menos.

 

Felipe

Link to post
Share on other sites
(...)

Ah e está na hora da TAM arrumar mais espaço na sala vip.... lotada as 21h30... sem lugar para passageiros sentarem (e alguns desistiam de ficar pois o ambiente acabava ficando tão ruim quando no saguão)

: JFK, MIA, LHR, CDG (e ontem aparentemente não tinha 1!), SCL, ASU, EZE, GIG... vôo demais entre 22h30 e 23h50 para sala de menos.

(...)

 

A sala VIP de internacional de GRU, vc fala, né? Isso é um fato. Está começando a se parecer com a da VARIG antigamente, era um fuzuê tão grande que era melhor ficar do lado de fora...

 

E em outros horáros no entanto a sala VIP fica praticamente uma sala particular. Entre 18-19 hs não tem viva alma. ou distribui melhor os horários ou aumenta

Link to post
Share on other sites
Toda aeronave tem um manual de manutenção homologado para ela, com toda a programação de checks. Cabe a TODO chefe de manutenção de cias 121 e 135 fazer e assinar um programa de manutenção e submetelo a aprovação do orgão competente. Com o tempo, o chefe de manutenção pode observar o desgaste prematuro de uma peça. Se no manual está constando que ela precisa ser trocada ou vereficada no check de 200h, ele pode alterar para fazer isso no check de 100h, sendo menos provavel dela apresentar problemas nessas 100h livres.

Essas variaveis não previstas no projeto original da aeronave, podem ser ocasionadas pela operação de cada empresa, sendo que as vezes não é igual entre todas. O chefe de manutenção pode trocar qualquer peça dentro do prazo que está no manual, nunca além, mas antes sim.

Respondido acima.

Se uma peça deu problema é porque o foco não foi detectado nos checks anteriores. Se não foi detectado, porque a checagem desse componente não tava no manual de manutenção. Descobrindo a causa do problema, a manutenção vai saber onde procurar, assim no futuro elas irão acontecer com menos frequencia. Claro que isso não funciona sempre, senão aviões nunca teriam problemas, mas em muitos casos isso que falei é válido.

Com 3 MD11 somente é possivel operar 1 rota com mais de 10h de duração, caso um de fora, não será possivel suprir toda a oferta dele com 1 A330, deixando muitos paxs no solo. Foi o que aconteceu ontem.

Isso é obvio. A TAM sempre prezou o conforto e o atendimento, fez um marketing tremendo em cima disso. Olhe hoje. Ela nem toca mais nesse assunto. A TAM hoje tá se tornando uma Gol disfarçada de vermelho com a desculpa que são os novos tempos. Hoje um executivo não consegue abrir seu laptop dentro de um Airbus.

Não, isso é fato. Logo os clientes dela irão perceber que não há diferença de serviço entre o dela e o da Gol, perdendo um conceito fudamental de marketing que é a fidelidade. Eu ACREDITO que TAM não está sendo muito inteligente em entrar no esquema LCLF, assim ela está batendo de frente com a Gol sendo que podia continuar oferecendo seu serviço diferenciado com concorrencia quase nula.

Na MINHA opnião, deveria haver um administrador que não seja um economista. Economista tende a resolver problemas atrás do dinheiro, variando a política conforme a situação. Assim a empresa não cresce em cima de uma base sólida de conceitos, ficando sem a fidelidade de seus clientes e sem uma imagem forte.

 

Abraços

 

Matheus

 

 

 

 

Matheus,

 

A minha intenção é de trazer um pouco mais de dados técnicos ao debate. Então veja o seguinte dado, com base no resultado financeiro da Tam em 2006 (Relatório Atual On Line em www.tam.com.br/ri).

 

A) Em R$ milhões

 

1) Receita Operacional Líquida em 2006: 7.344,6

2) Total de Custos Serv. Prest e Despesas Operacionais: (6.348,1)

3) Lucro Líquido: 556,0

 

 

B)

 

RASK (mercado doméstico):

 

2004 : R$ 0,208

2005: R$ 0,203

2006: R$ 0,199

 

Em A, percebe-se que a margem da empresa em 2006 foi de 7,5% de lucro. E que os

custos de prestação de serviços + despesas operacionais chegam a 86% de toda a receita da empresa.

 

Ou seja, o resultado financeiro das atividades da empresa foi semelhante ao rendimento da caderneta de poupança em um ano.

 

Em B nota-se que a Receita por Assento x Km está decaindo ao longo dos anos, com aumento do load-factor (vide site).

 

Em resumo, a cada ano, mais passageiros voando, mais aeronaves, mais custos/despesas operacionais e menor

receita por pax voado, principalmente decorrente da competição tarifária com a Gol.

 

E o mesmo com certeza acontece com a Gol.

 

 

Agora eu te pergunto? Na sua linha de raciocínio, você diz:

 

"Eu ACREDITO que TAM não está sendo muito inteligente em entrar no esquema LCLF, assim ela está batendo de frente com a Gol sendo que podia continuar oferecendo seu serviço diferenciado com concorrencia quase nula."

 

 

Não está sendo inteligente ou não tem escolha, principalmente em um país de renda tão baixa quanto o nosso, onde qualquer R$ 50 a menos na tarifa decidem por qual empresa viajar? Isso sem mencionar a exdrúxula carga tributária a que todas as empresas são condenadas no país?

 

 

E tem mais:

 

"Na MINHA opnião, deveria haver um administrador que não seja um economista. Economista tende a resolver problemas atrás do dinheiro, variando a política conforme a situação. Assim a empresa não cresce em cima de uma base sólida de conceitos, ficando sem a fidelidade de seus clientes e sem uma imagem forte."

 

 

Você vê outra forma de aumento de receita que não seja através de uma economia de escala, ou seja, para a empresa aumentar o lucro, terá que aumentar cada vez mais suas operações, reduzinho ao máximo os custos (e isso influi em elementos de diferenciação, como programa de fidelidade, etc), priorizando rotas over-hub, mercado internacional etc?

Link to post
Share on other sites
Avião Bom

 

Mas afinal o MD11 é um avião bom ou não? Precisamos antes de mais nada definir este conceito na visão do Dono da empresa da sua excelência o Passageiro e na visão dos Tripulantes. Ficamos por enquanto com estes três, porque teria mais.

 

Passageiro: Para o passageiro, em sua grande maioria o que mais importa é o conforto e o entretenimento a bordo. Não conheço a configuração interna dos MD11 da TAM. O MD11 é mais largo e mais espaçoso se comparado ao A330 por exemplo.Caso a configuração de poltronas e entretenimento seja a mesma do A330, o passageiro praticamente tem o mesmo conforto, logo para o passageiro não faz muita diferença, isto vale também para o 777.A menos que a TAM brinde seus pax com uma configuração mais moderna e inovadora com os 777.

 

Dono da Empresa: Avião bom é avião com o menor custo operacional. Neste caso o MD11 da TAM leva vantagem. Mesmo considerando que o custo com querosene em uma viagem é de cerca de 25% a mais, que a manutenção é mais cara, o custo total do MD11 é muito inferor ao A330 tendo em vista o excepcional contrato de leasing que a TAM conseguiu no arrendamento destas aeronaves. Portanto a formula assento x km torna para ao TAM o MD11 um BOM AVIÃO.

Tripulantes: Os MD11 da TAM procedentes da Varig, tem um dos melhores sarcófagos para descanso. 6 camas para comissários e duas camas para os pilotos (localizadas em locais diferentes) A informação é que a TAM manteve estes “sarcófagos”.Tenho muitas horas de bom sonhos no confortável sarcófago do MD11.Muito bom realmente.Quanto a operação, esta aeronave é um pouco mais trabalhosa em relação aos aviões Boeing. Não sei precisar com relação ao A330 mas em relação ao 777 o MD é um avião de maior complexidade no quesito (pilotagem). Quem voou pode afirma tranqüilamente.É um bom avião.

Com relação a manutenção, vale lembrar que apesar de a TAM ter um engenheiro responsável pela aeronave(exigência da ANAC) toda a manutenção é feita pela VEM, que tem anos de experiência neste avião.

 

Com relação ao descanso dos tripulantes no MD11 das 2 uma: Ou você está com completa amnésia ou nunca vôou este avião. O interior das aeronaves esta exatamente igual como era na Varig. Não há, nem nunca houve 6 camas para descanso dos comissários, eles descansam na classe econômica, da mesma maneira que decansavam na Varig. Quanto aos sarcófagos, são um aperto só e ficam muito próximos à galley sendo que qualquer barulho na galley, o q é inevitável, interrompe o sono dos trips técnicos.

Link to post
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.



×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade