Jump to content

Aeroportos de JDF e Regional da Zona da Mata


Carlos Augusto

Recommended Posts

Fonte: TRIBUNA DE MINAS, 29/09/2007

 

O vice-presidente da República, José Alencar (PRB), defendeu ontem a manutenção dos vôos comerciais no Aeroporto da Serrinha. Segundo ele, o início das atividades do Aeroporto Regional, em Goianá, não pode significar a desativação da pista de Juiz de Fora. “Os dois aeroportos poderão funcionar simultaneamente. Não há nenhum problema”, disse, durante abertura do 2º Fórum de Desenvolvimento de Juiz de Fora, Zona da Mata e Vertentes. O vice-presidente se comprometeu, ainda, a viabilizar recursos da União para, em parceria com o Governo de Minas, construir um novo acesso ao Aeroporto Regional. “Vamos abraçar essa causa. Vamos pedir com todo apreço ao presidente (Lula) e também lutar por ela junto ao Ministério dos Transportes e a tudo que possa ser capaz de realizar essa obra, importante não só para Juiz de Fora, mas também para toda Zona da Mata”.

 

Falando para empresários e lideranças da região, Alencar pediu que, durante as discussões do Fórum de Desenvolvimento, fosse abordada a necessidade de uma nova estrada para Goianá como estratégia para o desenvolvimento da Zona da Mata. Em tom menos cordial, o prefeito Alberto Bejani (PTB) considerou inapropriada qualquer atividade no Aeroporto Regional antes da construção de um novo acesso. “Se se atreverem a fazer isso (transferir os vôos de Juiz de Fora para Goianá), vou acionar a Justiça. Quero saber quem vai se responsabilizar se acontecerem acidentes naquela rodovia (MG-353) nas condições atuais?” questionou. Bejani disse, ainda, que vai cobrar a fatura política do presidente Lula. “Juiz de Fora não pode ficar sem aeroporto, não pode ser penalizada, e ter apoiado o Lula. Se for assim, melhor seria ter apoiado o Alckmin (Geraldo Alckmin, candidato do PSDB à Presidência)”.

 

Governo quer recompor com PMDB

O vice-presidente José Alencar evitou polemizar com os aliados do Governo ao comentar a rebelião da bancada do PMDB no Senado, que acabou inviabilizando a Secretaria Especial de Planejamento de Longo Prazo, chefiada pelo filósofo Mangabeira Unger (PRB). Os peemedebistas tomaram a decisão em retaliação ao Planalto pelo não atendimento dos pedidos de liberação de emendas e cargos, além do descontentamento com os petistas que defendem a saída de Renan Calheiros (PMDB) da presidência do Senado.

 

Segundo o vice-presidente, independente de qualquer coisa, o Parlamento tem autonomia e deve ser respeitado. “Em relação à decisão do Congresso, nós não podemos fazer nada. A Câmara e o Senado são casas absolutamente autônomas e soberanas. Então, nós respeitamos. É claro que tem muitos caminhos para que se haja a recomposição, e o Governo deseja recompor”.

 

O tom conciliador de Alencar, no entanto, não evitou uma alfinetada ao parlamentares por conta do conhecimento sobre a nova pasta. “As pessoas votam em determinado momento com a sua consciência. Isso tem que ser objeto de um intenso trabalho. Por exemplo, se tivesse havido maiores reuniões do próprio ministro (Mangabeira Unger) junto às lideranças do Senado, para que elas conhecessem o trabalho que vai ser realizado e que já está sendo feito por este ministério, não teria acontecido isso. Ninguém pode gostar do que não conhece”. E concluiu: “De qualquer maneira, está garantido que o ministério (Secretaria Especial de Planejamento de Longo Prazo) vai existir. O Brasil nunca trabalhou a longo prazo, nunca organizou idéias a longo prazo”.

 

Questionado em relação ao fato de apenas 11% dos brasileiros acreditarem nos políticos, conforme pesquisa feita pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), o vice-presidente considerou o índice como lamentável. “Tem havido muito mal exemplo. Quando você faz alguma coisa errada, mesmo que seja uma minoria insignificante, repercute e acaba atingindo a todos”. Para ele, a realidade só vai mudar se houver punição. “O que nós precisamos fazer é dar força à punição, dar força à investigação e à punição de tudo aquilo que for errado”.

Link to comment
Share on other sites

CGH-SDZY-CNF

CNF-SDZY-CGH

 

ou

 

CGH-CNF-SDZY-GIG

GIG-SDZY-CNF-CGH

 

Gol, B73G.

 

PLU-JDF-SDU

SDU-JDF-PLU

 

OceanAir e Total, E120/ATR42.

 

Será que é isso que o Alencar imagina (se é que imagina alguma coisa na prática)?

 

Abraço

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade