Jump to content

[VASP] Empresa tem perspectivas de voltar a voar no segundo semestre de 2008


Rafael Santos

Recommended Posts

01/10/2007 01:31

Empresa tem perspectivas de voltar a voar no segundo semestre de 2008

A VASP reuniu na semana passada (27), os credores da companhia para dar continuidade aos entendimentos sobre sua recuperação, com os cinco cinco fundos constituídos com os ativos e ações de sociedade para pagamento de seus credores e outras deliberações. A Assembléia terá continuidade no dia 30 de outubro, prazo votado pelos credores para que a Vasp receba e analise propostas de alienação de suas unidades produtivas. Três investidores, Ocean Air, Digix e Haite Group, manifestaram interesse por algumas destas áreas.

 

A empresa - que já foi uma das maiores do País - suspendeu suas operações no início de 2005, em razão da intervenção judicial decidida pela14a Vara da Justiça do Trabalho de São Paulo. Atualmente, está sob o comando de uma diretoria interventora, composta pelo presidente Raul Medeiros, e pelos diretores João Losasso e Roberto de Castro, apoiados por um grupo de consultorias.

Com a Infraero, principal credora, a amortização da dívida está prevista para o prazo de quinze anos: cinco anos de carência, a contar a partir da data do início das operações da Vasp, e dez anos para pagamento do montante da dívida em parcelas semestrais,

 

A perícia feita calcula o patrimônio da VASP em torno de R$ 6,5 bilhões, com um passivo de R$ 5 bilhões. Segundo Raul de Medeiros, o patrimônio líquido da Vasp é positivo e a companhia tem ativos suficientes para saldar suas dívidas. A VASP conta atualmente com 330 funcionários, a maioria na área técnica, prestando serviços de manutenção a outras empresas. Ainda segundo Medeiros, há expectativas otimistas para que a VASP volte a operar no segundo semestre de 2008.

 

Fonte: http://www.bj.inf.br/conteudo_visualiza.php?contcod=8535

Link to comment
Share on other sites

Segundo um conhecido, os velhos 737-200 da VASP não são mais viáveis para voltar a voar, devido ao custo elevado de revisão que seriam submetidos. Pode até ser que eles tenham guardado alguns deles em hangares, o que evitaria o desgaste pelo tempo. Por outro lado, esses aviões são pouco competitivos para voos regulares de passageiros.

 

Seria muito bom ver a VASP de volta !!!

Link to comment
Share on other sites

Segundo um conhecido, os velhos 737-200 da VASP não são mais viáveis para voltar a voar, devido ao custo elevado de revisão que seriam submetidos. Pode até ser que eles tenham guardado alguns deles em hangares, o que evitaria o desgaste pelo tempo. Por outro lado, esses aviões são pouco competitivos para voos regulares de passageiros.

 

Seria muito bom ver a VASP de volta !!!

 

 

Sim sim... na verdade eu sei de tudo isso... mas não custa nada sonhar né? :rolleyes: :rolleyes: :rolleyes:

 

Ps.: Não havia prestado atenção que estava postando no lugar errado, sorry! :lala:

Link to comment
Share on other sites

Vamos aguardar dia 25/12, se a Anac liberar o pouso do bom velhinho e suas renas em CGH, quem sabe...

 

Infelizmente não será possível, ouvi dizer que os reversos do trenó estão pinados! :suicide_anim: :rofl:

Link to comment
Share on other sites

Só acredito passando a V1...

 

 

Será que pedir os breguinhas de volta também seria pedir demais? :rolleyes: :rofl:

 

 

No way, além dos Check D tem um monte de DA pra cumprir, mais RVSM, mais alguns boletins de serviço, isso tudo fica muito mais caro que o valor do avião, compensa mais vender pra virar TV de Plasma, panela, frigideira, talher e por aí vai...

Link to comment
Share on other sites

No way, além dos Check D tem um monte de DA pra cumprir, mais RVSM, mais alguns boletins de serviço, isso tudo fica muito mais caro que o valor do avião, compensa mais vender pra virar TV de Plasma, panela, frigideira, talher e por aí vai...

a questão não são os Check-D ou RVSM.

precisam do cargo smoke detector, e isso é um item ABSURDAMENTE caro.

 

só esse AD é quase que fatal para os bregas que estão parados.

 

isso sem contar que terão de por hushkits...

ai já viu....

Link to comment
Share on other sites

a questão não são os Check-D ou RVSM.

precisam do cargo smoke detector, e isso é um item ABSURDAMENTE caro.

 

só esse AD é quase que fatal para os bregas que estão parados.

 

isso sem contar que terão de por hushkits...

ai já viu....

 

Pois é, foi o que eu disse, DAs e Boletins de Serviço... :hypocrite: :cutuca:

Link to comment
Share on other sites

Fora as revisões,o que falta para o PP-SNM voltar a operar?Digo,falta alguma coisa "absurdamente" cara para ele?

 

Abs

comprar dois motores bons. :hypocrite:

Link to comment
Share on other sites

Fora as revisões,o que falta para o PP-SNM voltar a operar?Digo,falta alguma coisa "absurdamente" cara para ele?

 

Abs

 

Existe um problema maior no SNM, está abandonado em GRU né, ninguem vai lá cuidar desses aviões, o que prova a "burrice" da intervenção que abandonou pelo país peças e mais peças para 737-200, 300 e A300, e os aviões "vizinhos" à CGH. Talvez hoje o SNN esteja melhor que o SNM. Acho que no fim das contas o único avião bom na VASP é o PP-SFI.

Link to comment
Share on other sites

Por mais que eu gostaria de ver esses bregas voando, eu truco qualquer possibilidade da Vasp voltar a voar (com qualquer avião). Mesmo que a justiça aceite uma eventual proposta da ONE isso não acontece. Até porque não faz parte dos planos do Efromovich.

 

Um abraço.

Link to comment
Share on other sites

Por mais que eu gostaria de ver esses bregas voando, eu truco qualquer possibilidade da Vasp voltar a voar (com qualquer avião). Mesmo que a justiça aceite uma eventual proposta da ONE isso não acontece. Até porque não faz parte dos planos do Efromovich.

 

Um abraço.

 

Pelo visto então vou ter que procurar alguma promoção pra ir de POA ao nordeste e comprar uma passagem da TAF pra qualquer lugar... só pra matar a saudade dos bregas... :P

 

Estou sofrendo crises de abstinência. :ahhh:

Link to comment
Share on other sites

733 é uma boa para um reestabelecimento gradativo da Vasp. Comeca com rotas pequenas, e vai expandindo conforme o crescimento da empresa. Falando nisso: Há 733 pra Leasing?

Link to comment
Share on other sites

Desejo muito que a Vasp e muitas outras pudessem voltar a voar, mas com um país onde a política manda e a justiça vem depois...Muito difícil !

É melhor a VASP vender tudo e comprar LET410. HEHEHEHHEHEHEHEHE.... Será que vai dar?

 

I hope it comes back to the sky !

Link to comment
Share on other sites

Pessoal... desistam do brega... a empresa que comprar a VASP não vai mantê-los!! Quem dera a ONE se torna-se VASP...

 

Com certeza a chance de termos um brega voando com as cores da VASP é praticamente nula. Alguém acreditou que eu estava falando sério? :cutuca: :rolleyes:

Link to comment
Share on other sites

Já pensou a VASP recomeçando como em 1933? Com aviões regionais tipo LET410 ou EMB120 cobrindo o interiorzão de SP, seria legal!

 

Ah mas é aquela coisa.... é um nome ainda reconhecido nacionalmente... deveria voltar a ser doméstica senão internacional.... Oceanair não pega pessoal, é um nome difícil de pronunciar e longo...

 

abraços!!

Link to comment
Share on other sites

Ah mas é aquela coisa.... é um nome ainda reconhecido nacionalmente... deveria voltar a ser doméstica senão internacional.... Oceanair não pega pessoal, é um nome difícil de pronunciar e longo...

 

abraços!!

 

Ocêanáir não é difícil não seu moço! Já vi muita gente pronunciando direitinho que nem eu! :cutuca:

Link to comment
Share on other sites

Eu não acredito nem em VASP nem em Tranbrasil voando de novo. Mas para alimentar o sonho de alguns aqui ai vai uma informação que ninguem ainda se lembrou, para decolar com qualquer um de seus aviões a VASP precisa acertar as contas de estacionamento de todos os seus aviões com a INFRAERO.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade