Jump to content

Carga de US$ 100 mil é roubada no principal aeroporto da Argentina


Rafael Santos

Recommended Posts

Buenos Aires, 4 out (EFE).- Uma carga de US$ 100 mil que estava em um avião que vinha dos Estados Unidos foi roubada hoje no aeroporto de Ezeiza, o principal da Argentina, informaram fontes oficiais à agência Efe .

O chefe da Polícia de Segurança Aeroportuária Marcelo Saín disse que no momento as autoridades estão investigando o desaparecimento e revistarão todo o aeroporto em busca do dinheiro e dos criminosos.

 

A força de segurança estava revistando hoje à tarde todos os funcionários da empresa Intercargo, responsável pelas bagagens despachadas nos aviões. Eles declararam greve por causa da ação.

 

A Associação de Pessoal Aeronáutico (APA) também declarou greve por tempo indeterminado. A atividade está paralisada nos aeroportos de Ezeiza, Córdoba, Mendoza, Bariloche, Rosário e nos de vôos domésticos em Buenos Aires.

 

A carga de US$ 100 mil chegou na manhã de hoje no vôo 847 da companhia United Airlines.

 

O subdiretor da Polícia de Segurança Aeroportuária, Julio Postiglioni, disse à imprensa que geralmente as cargas com dinheiro são enviadas dentro de um contêiner lacrado.

 

A Alfândega argentina disse que detectou - no momento de descarga do avião - uma sacola com o lacre rasgado, na presença da Polícia de Segurança Portuária e de uma empresa que transporta dinheiro.

 

Postiglioni afirmou que o juiz Carlos Ferreiro Pella se encarrega de investigações quando o contêiner é aberto em Ezeiza e, eventualmente, em outro aeroporto.

 

A falta do dinheiro foi detectada pelos funcionários de uma empresa de transporte que devia carregar as bolsas com o dinheiro.

 

"O dinheiro foi despachado por uma empresa americana", disse Postiglioni. Segundo ele, há dois funcionários da empresa Intercargo que ainda não chegaram.

 

A Alfândega afirmou que a carga era de um envio de dinheiro de bancos.

 

A greve provocou atrasos em vôos. No entanto, as Aerolineas Argentinas e a American Airlines, que não usam o serviço da Intercargo, conseguem decolar na hora.

 

Rodrigo Borrás, secretário de Imprensa, Cultura e Propaganda da Associação Pessoal Aeronáutica, disse que a Polícia Aeronáutica e a Intercargo estão fazendo uma "caça as bruxas" contra os funcionários. EFE nk rg/fal

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade