Jump to content

Governo de MG estuda ampliação do aeroporto de Ipatinga


Marcos

Recommended Posts

IPATINGA - O governo de Estado, através do Programa Aeroportuário de Minas Gerais (Proaero), pretende transformar o Aeroporto da Usiminas, em Santana do Paraíso, em aeroporto industrial. A idéia é concluir o projeto em quatro anos. Conforme o gerente do Proaero, Júlio César Diniz de Oliveira, a ampliação do aeroporto está ligada à expansão da Usiminas, prevista para até 2009.

 

“A idéia principal é alimentar o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, Confins, em Belo Horizonte, transformando-o numa espécie de hub, ou pólo para o desembaraço alfandegário feito em todo o Estado”, anunciou Oliveira. Além de Ipatinga, estão previstas construção e ampliação de aeroportos industriais nas cidades de Varginha, Montes Claros e Uberlândia

.

Dentre as cidades, Varginha, no sul de Minas, conforme a gerência da Proaero, encontra-se em estágio mais avançado, com praticamente toda a infra-estrutura necessária para operar. Falta apenas a homologação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). O aeroporto recebeu aportes de R$ 5 milhões da Aeronáutica.

 

Em Ipatinga, os trabalhos prevêem a ampliação da pista, aumento da capacidade e um novo terminal de passageiros como estabelece o projeto “Aeroportos Industriais”, criado pela Infraero com o objetivo de reduzir custos com armazenagem, transportes, impostos e segurança.

 

“Estamos elaborando o plano diretor do aeroporto, que tem uma forte vocação para carga, por isso a necessidade de um projeto. Cuidamos da parte física, mas a transformação do aeroporto exige uma série de questões legais, ações jurídicas e institucionais, o que não nos compete”, explicou Júlio de Oliveira, acrescentando que será necessário ao município de Santana do Paraíso fazer o gerenciamento do solo da pista do aeroporto.

 

Projeto

Os objetivos do Programa Aeroportuário de Minas Gerais são os mais variados, mas os principais estão ligados à recuperação da malha aeroportuária do Estado, otimização da distribuição espacial dos aeroportos, redução dos custos de transporte aéreo regional e aumento da segurança e conforto dos usuários. “Queremos atender os grandes centros econômicos e sociais do Estado e as demandas dos grandes conglomerados industriais, dentre outras. Fizemos uma série de levantamentos no Vale do Aço e chegamos à conclusão de que na região há uma demanda para que essa ampliação seja executada”, ressaltou o gerente do Proaero.

 

sbipsj0.jpg

Vista a partir da cabeceira 05. Foto de Wôlmer Ezequiel que ilustra a reportagem.

Link to comment
Share on other sites

Legal, vai ser bom pra Ipatinga. E tomara que a operação aumente também, de repente com a OceanAir operando jato.

 

Abraço

 

 

Com as restrições em PLU e o fim das conexões em CGH acho difícil avião a jato em Ipatinga, a não ser que a OceanAir aumente a oferta em CNF para permitir conexão.

 

Agora em relação a aeroportos industriais em Minas, será que vai vingar?

Embora tenha saído uma reportagem no jornal "O Tempo" dizendo que em Varginha já havia até uma empresa em fase de instalação no aeroporto local, Confins que é a porta de entrada no estado até hoje não emplacou como aeroporto industrial.

Link to comment
Share on other sites

Com as restrições em PLU e o fim das conexões em CGH acho difícil avião a jato em Ipatinga, a não ser que a OceanAir aumente a oferta em CNF para permitir conexão.

 

Agora em relação a aeroportos industriais em Minas, será que vai vingar?

Embora tenha saído uma reportagem no jornal "O Tempo" dizendo que em Varginha já havia até uma empresa em fase de instalação no aeroporto local, Confins que é a porta de entrada no estado até hoje não emplacou como aeroporto industrial.

 

O projeto é muito bacana no papel porque na prática está difícil. O governo de Minas vem fazendo várias negociações com a Infraero pra certas melhorias que são necessárias mas ainda sim está a passo de tartaruga. Na semana passada o Aécio Neves declarou que pode oferecer o dinheiro pra investir no projeto, através de convênio com a Infraero, mas que espera que a estatal coloque também dinheiro na ampliação do estacionamento, adequação do terminal e ampliação da pista. Vamos ver no que dá. De qualquer maneira acho que não se perde fazendo esses investimentos nos maiores aeroportos do estado.

 

Abraço

Link to comment
Share on other sites

já estava na hora de alguém começar a acabar com o monopólio da TOTAL...

a oceanair operando lá com F 100 já seria um grande passo!!!

Link to comment
Share on other sites

já estava na hora de alguém começar a acabar com o monopólio da TOTAL...

a oceanair operando lá com F 100 já seria um grande passo!!!

 

A Air Minas também já opera de lá para PLU, além do Fokker 50 da ONE para CNF. Já foi melhor pra Total hehe.

 

Abraço

Link to comment
Share on other sites

Moderno terminal de cargas

 

Ampliação prevê terminal de cargas ajustado à demanda dos conglomerados industriais da Região Metropolitana

 

IPATINGA - A ampliação do Aeroporto da Usiminas, localizado próximo ao Distrito Industrial de Santana do Paraíso, é uma realidade cada vez mais próxima. Para que os investimentos do governo do Estado, através do Programa Aeroportuário de Minas Gerais (Proaero) e da iniciativa privada, possam sair do papel, é necessário que a Usiminas mantenha seu projeto de expansão e que o município discuta as viabilidades da obra e realize as intervenções necessárias.

 

Conforme o gerente do Proaero, Júlio César Diniz de Oliveira, fazem parte dos investimentos a ampliação da pista, o aumento da capacidade do aeroporto e a construção de um novo terminal de passageiros “A intenção é transformar o aeroporto de Santana do Paraíso em um terminal de cargas. No estudo realizado na região, constatamos que, além da modernização do terminal de passageiros, precisamos atender as demandas dos grandes conglomerados industriais, como é o caso da Região Metropolitana do Vale do Aço”, destacou.

 

O gerente do Proaero, juntamente com representantes da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Secretaria Estadual de Transporte e Obras Públicas (Setop), Usiminas e da Prefeitura Municipal, participaram no início da semana de uma audiência pública para discutir a ocupação e o uso do solo no entorno do aeroporto. O encontro aconteceu na Câmara de Vereadores do Paraíso.

 

Segundo Júlio de Oliveira, Paraíso já consta na relação dos municípios que serão contemplados com a reforma e ampliação de aeroportos com investimentos do Proaero. “No próximo dia 23 deve ser publicado o edital de licitação para contratação dos projetos para vários aeroportos em Minas e Santana do Paraíso já está contemplado neste edital”, adiantou.

 

Planejamento

O aeroporto da Usiminas exerce uma atividade estratégica ao contribuir para desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Aço. “Santana do Paraíso, como parte integrante do contexto, tem como responsabilidade adequar o ordenamento territorial, mediante planejamento e controle do uso, do parcelamento e da ocupação do solo urbano referente ao aeroporto”, afirmou o prefeito Joaquim Correia de Melo, o Kim (PT).

 

Em relação aos investimentos, o gerente do Proaero disse que é preciso cumprir uma série de questões legais, jurídicas e institucionais. “Quando estiverem concluídas todas as reformas, o aeroporto de Santana do Paraíso passará a funcionar 24h por dia. Por isso é importante que a Prefeitura cumpra sua parte, fazendo a fiscalização da ocupação e do uso do solo ao seu entorno para evitar que aconteçam situações que coloquem em risco a aviação na região”, salientou Júlio Oliveira.

 

Reformas devem girar em torno de R$ 20 milhões

 

O gerente do Programa Aeroportuário de Minas Gerais (Proaero) informou que dos 151 aeroportos no Estado, 85 vão receber melhorias. “Ainda não há nada de concreto, mas por alto calculamos que deverão ser investidos cerca de R$ 20 milhões nas melhorias do aeroporto de Santana do Paraíso”, revelou Júlio Oliveira.

 

O prefeito Kim acredita que a Administração tem a maior parcela de responsabilidade na fiscalização e no acompanhamento da ocupação das áreas localizadas no entorno do aeroporto. “A omissão da Prefeitura pode representar uma grande ameaça para a operação das aeronaves. Tendo em vista esta preocupação, já apresentamos na Câmara um projeto de lei que dispõe justamente sobre o zoneamento de uso do solo na área do entorno do aeroporto”, explicou.

Link to comment
Share on other sites

A Air Minas também já opera de lá para PLU, além do Fokker 50 da ONE para CNF. Já foi melhor pra Total hehe.

 

Abraço

 

 

Não sei se está ruim não Diego.

De um ano pra cá a oferta de vôos para BH aumentou de 6 para 9/dia, entretanto as tarifas da Total permanecem a mesma e a Air Minas que chegou a pouco não adotou nenhuma promoção como faz em Bauru por exemplo, mantém a tarifa nivelada por cima.

Só a OceanAir, que opera em CNF em vez de PLU, tem tarifas menores. Só que como ela está expandindo em Confins e começou a oferecer IPN-CNF-CGH e IPN-CNF-BSB, parece que a ocupação do vôo está melhorando.

Link to comment
Share on other sites

Não sei se está ruim não Diego.

De um ano pra cá a oferta de vôos para BH aumentou de 6 para 9/dia, entretanto as tarifas da Total permanecem a mesma e a Air Minas que chegou a pouco não adotou nenhuma promoção como faz em Bauru por exemplo, mantém a tarifa nivelada por cima.

Só a OceanAir, que opera em CNF em vez de PLU, tem tarifas menores. Só que como ela está expandindo em Confins e começou a oferecer IPN-CNF-CGH e IPN-CNF-BSB, parece que a ocupação do vôo está melhorando.

 

Com certeza Marcos. O filé ainda deve estar bem grande, mesmo depois de dividido.

 

Abraço

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade