Jump to content

SAS suspende uso do Bombardier Q400


LeonardoV

Recommended Posts

Aviões da Bombardier saem de operação após acidentes

 

 

Da Agência Estado

 

 

28/10/2007

16h11-A Scandinavian Airlines (SAS) informou ter suspendido permanentemente os vôos com o avião Bombardier Q400, também conhecido como Dash 8, após uma série de incidentes provocados por defeitos nos instrumentos de pouso.

 

A decisão foi anunciada um dia depois de um aparelho do tipo operado pela SAS com 44 pessoas a bordo se acidentar na Dinamarca quando parte de seus instrumentos de pouso entraram em colapso. "Decidi remover imediatamente as aeronaves Dash 8 Q400 de operação", disse o executivo-chefe da SAS, Mats Jansson, em comunicado.

 

No mês passado houve dois acidentes com o mesmo tipo de avião. Ninguém ficou ferido gravemente em nenhuma das três ocorrências.

 

Fonte: www.correioweb.com.br

Link to comment
Share on other sites

Aviões da Bombardier saem de operação após acidentes

 

 

Da Agência Estado

 

 

28/10/2007

16h11-A Scandinavian Airlines (SAS) informou ter suspendido permanentemente os vôos com o avião Bombardier Q400, também conhecido como Dash 8, após uma série de incidentes provocados por defeitos nos instrumentos de pouso.

 

A decisão foi anunciada um dia depois de um aparelho do tipo operado pela SAS com 44 pessoas a bordo se acidentar na Dinamarca quando parte de seus instrumentos de pouso entraram em colapso. "Decidi remover imediatamente as aeronaves Dash 8 Q400 de operação", disse o executivo-chefe da SAS, Mats Jansson, em comunicado.

 

No mês passado houve dois acidentes com o mesmo tipo de avião. Ninguém ficou ferido gravemente em nenhuma das três ocorrências.

 

Fonte: www.correioweb.com.br

 

Agora a pouco a empresa Wideroe, da Noruega, também decidiu remover de sua frota os aviões Q400. A coisa anda feia pra Bombardier...

 

Sds,

Vector

Link to comment
Share on other sites

Não que isso possa influenciar em planos ou nada, mas será que se a Embraer investisse em um turbo-hélice de 50+ pax, obteria sucesso?

Link to comment
Share on other sites

Esse ano teve o caso de um Dash-8 da ANA também, só que foi a bequilha que falhou.

 

Acho que quem deve estar dando pulos é a ATR.

 

Uma pena essa dos Dash-8, já ouvi falar muito bem dele.

 

Mas a priori, que eqpto tem a "pronta" entrega para substituir esses Dash-8 da SAS?

Link to comment
Share on other sites

Não que isso possa influenciar em planos ou nada, mas será que se a Embraer investisse em um turbo-hélice de 50+ pax, obteria sucesso?

 

Olha também ja me fiz essa pergunta varias vezes.

A resposta é bem complicada, uma eventual queda no petroleo, levaria todo o investimento ao espaço.

 

Operação mais do que complicada essa da SAS com os Q400.

Logo no começo da operação, o indice de despacho era tao mediocre, que a SAS chegou e exigir da Bombardier um Q400 adicional só para compensar a ineficiencia que estava tendo.

Link to comment
Share on other sites

Carso mebros do fórum

 

O Bombardier Q400 é uma excelente aeronave, muito rápida, ams está enfrentando problemas no trem-de-pouso.

 

Eu sugiro à Embraer, se for viável, criar um "Brasilião" de 50 lugares e um "Brasilinha" de 19 lugares.

 

Saudações

 

Caravelle

Link to comment
Share on other sites

Carso mebros do fórum

 

O Bombardier Q400 é uma excelente aeronave, muito rápida, ams está enfrentando problemas no trem-de-pouso.

 

Eu sugiro à Embraer, se for viável, criar um "Brasilião" de 50 lugares e um "Brasilinha" de 19 lugares.

 

Saudações

 

Caravelle

 

Espero bem que não aceitem a sugestao do BRasilinha.... Vai entrar em construçao, em Portugal, um aviao desse tipo com 19 passageiros: http://www.geci.net/skylander/uk/

Link to comment
Share on other sites

Aqui em Turku (sul da Finlândia) nós também fomos atingidos pelos problemas nos "Crash 8".

Antes desta suspensão tinhamos 3 vôos diários para Copenhague nesse equipamento, mas agora estamos sem vôos até segunda ordem. Agora saindo daqui de SAS, só via Estocolmo, adicionando uma escala a mais nas viagens.

Só temos aqui é que torcer para que eles encontrem aviões logo para repor esta "perda".

 

Abraco,

 

Edson

Link to comment
Share on other sites

Legal seria a volta do EMB120, desta vez baseado no ERJ135 ou seja 37 lugares, até 40 lugares e atuar no meio, agora se fosse pra rolar isso tinham que corrigir VÁRIOS problemas no E120, inclusive barulho, altura de cabine, vibração, roberto carlos, baleia, gugu...

Link to comment
Share on other sites

Mais uma fonte

 

SAS anuncia que vai deixar de operar aviões Q400 da Bombardier após terceiro acidente em dois meses

Valor Online

 

SÃO PAULO - A companhia aérea escandinava SAS decidiu assumir custos extra de US$ 47 milhões a US$ 62 milhões neste ano para encerrar as operações com seus aviões modelo Q400, fabricados pela canadense Bombardier. A decisão veio após um acidente ocorrido sábado com um desses aviões em Copenhagen, o terceiro em menos de dois meses.

 

A preocupação agora é que outros operadores da aeronave decidam seguir os passos da SAS, por terem perdido a confiança no aparelho. Além disso, há o risco de cancelamento de pedidos, o que afetaria duramente a fabricante canadense, que hoje disputa a terceira posição no ranking de aviação com a brasileira Embraer.

 

O Dash 8 Q400 da SAS, um bimotor turboélice com capacidade para 78 passageiros, se acidentou quando, ao tocar a pista, seu trem de pouso direito se quebrou. O avião se arrastou pela pista do aeroporto de Copenhagen, que teve de ser fechada para novos pousos. Nos dois acidentes anteriores, nos dias 8 e 12 de setembro, o problema também ocorreu nos trens de pouso. Nesses dois eventos, pelo menos cinco pessoas se feriram sem gravidade.

 

A confiança no Q400 diminuiu consideravelmente e nossos clientes estão cada vez mais duvidosos em escolher voar nesse modelo de avião, disse o executivo-chefe da SAS, Mats Jansson. Além de interromper o uso dos Q400, a companhia escandinava ainda vai pedir compensações no valor de US$ 78 milhões à fabricante do avião.

 

A Bombardier afirmou ontem ter ficado decepcionada com a decisão da SAS de não utilizar mais seus aviões, uma vez que o incidente no pouso ainda está sob investigaçãopelas autoridades dinamarquesas. Segundo a companhia, aparentemente o problema não tem relação com o que foi identificado como causa nos acidentes anteriores com os aviões desse modelo operados pelaSAS. Tanto que a companhia emitiu um aviso a todos os operadores (AOM, na sigla em inglês) informando sobre o acidente, mas recomendando que as operações com os aviões fossem mantidas sem alteração.

 

A empresa ainda afirmou que mantém sua confiança no Q400. Desde que entrou em serviço comercial em fevereiro de 2000, o Q400 se provou um avião seguro e confiável, com mais de 150 unidades em operação com 22 companhias em todo o mundo, afirma em nota. Até hoje, a frota de Q400 já registrou mais de um milhão de horas de vôo e 1,2 milhão de ciclos de pouso e decolagem, completa.

 

As vendas do Q400 se intensificaram com a alta no petróleo, por se tratar de um avião de baixo consumo de combustíveis - cujos preços aumentaram cerca de 45% apenas neste ano. Na semana passada, a empresa vendeu 12 unidades, por US$ 355 milhões, para a australiana Qantas Airlines, além de outras 10 unidades, por US$ 267 milhões, para um cliente europeu não discriminado. Desde que foi lançado o Q400, a Bombardier já vendeu 264 unidades, e entregou 164 em todo o mundo (até o último dia 31 de julho).

 

No total, a SAS operava, até sábado, 27 unidades do Q400, e havia sido a primeira operadora européia a utilizar o avião. A aeronave era usada em rotas dentro da escandinávia (Suécia, Noruega, Dinamarca e Finlândia) e em rotas internacionais curtas, dentro da Europa. Antes do acidente de sábado e depois da interrupção nas operações com o modelo, a empresa recolocou os aviões em uso entre os dias 4 e 14 deste mês.

 

Além da SAS, outras empresas que utilizam o modelo são a britânica Flybe, com 35 unidades, e a norte-americana Horizon Air, com 33. Também operam o modelo a japonesa Japan Airlines, a austríaca Austrian Airlines e a alemã Augsburg Airways. Segundo a Bombardier, nenhuma companhia brasileira utiliza o avião.

 

(José Sergio Osse | Valor Online)

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade