Jump to content

Iberia ajusta-se ao preço do petróleo - Valor


boulosandre

Recommended Posts

Cynthia Malta

30/06/2008

 

 

 

 

 

A Iberia, a maior companhia aérea da Espanha, orgulha-se, como boa espanhola, de suas conquistas. Desde 1995 dá lucro todos os anos, suas ações valorizaram-se quase 80% desde que começou a ser cotada na Bolsa de Madri, em 2001, tem ? 2,5 bilhões de euros em caixa e é considerada a mais pontual da Europa. Mas diante de altas recordes do petróleo e das incertezas na economia mundial, a estratégia é apertar o cinto, olhar com lupa o comportamento da demanda e comprar aviões mais econômicos.

 

 

"A indústria aérea vive um momento mais que difícil", diz a diretora internacional de vendas da Iberia, Silvia Cairo, que comanda 14 gerências ao redor do mundo, incluída a do Brasil. A alta do petróleo vem acompanhada de uma desaceleração da economia mundial e essa combinação pode ser fatal para boa parte do setor. Ela, na última sexta-feira, relatava, impressionada, mas com voz firme, dados de um relatório sobre o mercado americano. "Com o barril a US$ 130, as dez maiores companhias aéreas dos Estados Unidos terão um aumento de gasto de US$ 25 bilhões neste ano. O petróleo já equivale a 25% do gasto total de algumas empresas, mas pode chegar a mais de 40% em outras". Silvia não disse qual é a fatia do petróleo na Iberia, mas responde que a meta de reduzir as despesas em 12% neste ano será cumprida, "excluindo-se o petróleo". No fim da tarde de sexta-feira, o barril estava sendo negociado acima de US$ 142.

 

 

 

A Iberia vai antecipar em um ano a troca de aeronaves mais antigas por outras mais modernas, que gastem menos petróleo. Onze aviões do modelo MD 89 vão parar de voar neste ano - seus substitutos serão definidos até dezembro. A frota, de 201 aviões, tem idade média de pouco mais de sete anos.

 

 

 

Na opinião de Silvia, compartilhada por outros especialistas, "haverá muitas falências e fusões" no setor aéreo a partir de agora. Só nos primeiros quatro meses deste ano, lembra, 11 companhias aéreas dos EUA decretaram concordata. "Mas a Iberia está em situação muito melhor. Temos um balanço saneado", diz ela. Em 2007 a empresa registrou lucro líquido de ? 327,6 milhões de euros e uma receita de ? 5,5 bilhões de euros. E também foi no ano passado que a Iberia despertou o apetite da British Airways, que tentou comprá-la aliando-se ao Texas Pacific Group, dos EUA. O plano fracassou e de alvo de aquisições, a Iberia, que tem o poderoso banco estatal Caja Madrid como maior acionista, passou a declarar-se compradora. Tentou comprar a Spanair, mas não chegou a um acordo com os donos, a escandinava SAS. Há um mês retirou a oferta. Com o petróleo em US$ 140 o barril, a Iberia opta pela cautela. "Mas continuamos interessados".

 

 

A Iberia, diz Silvia, ainda não suspendeu nenhum vôo, mas acompanha a demanda muito de perto. Se certa rota começa a registrar queda no número de passageiros, a ordem é trocar a aeronave por uma menor. Os EUA, que têm enviado menos turistas para a Espanha nos últimos meses, são o maior mercado da Iberia, seguidos de Argentina, imersa em nova crise econômica, e Brasil, para onde voa 19 vezes na semana.

 

 

 

A operação da Iberia no Brasil é lucrativa e tende a crescer, diz o diretor comercial Andres Lorenzetti, responsável pela empresa no país. O plano é abrir um vôo diário, entre Rio e Madri, a partir de 1º de novembro e em setembro começar a voar uma vez por semana de Madri a Salvador, sem escalas. Este último será feito em conjunto com a Iberworld, companhia espanhola de vôos charters.

 

 

 

O controle de despesas - ponto importante do próximo plano trienal, de 2009 a 2011, que ainda está sendo elaborado e tem anúncio estimado para setembro - abarca desde usar os dois lados do papel para imprimir textos até enviar relatórios aos pilotos com dados sobre o desempenho no que se refere a consumo de combustível. Eles não são punidos se gastam mais, mas o simples envio do relatório, com a informação do que seria a melhor performance, ajuda a criar a cultura da economia. A Iberia consegue pagar bem menos de US$ 130 o barril por quase metade do que consome, devido a operações de "hedge" (proteção), contratadas quando o petróleo estava mais barato. Mas há companhias em melhor situação - a American Airlines tem mais de 90% do seu consumo de petróleo "hedgeado" e a Air France terá 80% em 2009.

 

 

Link to comment
Share on other sites

A Iberia pode se orgulhar de ser uma das poucas que são lucrativas na Europa, inclusive sendo uma das poucas a lucrar pós 11 de setembro. Mas isso deve-se a sua rede latino americano, onde em alguns mercados reina absoluta devido à falta de concorrentes ou se tem são poucos estruturados para competir com a IB. Estes mesmo mercado alimenta os vôos intra-europeus da empresa. Apesar da performance financeira, a Iberia peca no atendimento de seus clientes.

 

Abs

Link to comment
Share on other sites

E pelo 3o ano consecutivo, promete operar diário o ano todo mas se restringe ao verão Brasileiro na MAD-GIG.

 

Como sempre, a IB adota uma postura reticente (sem motivo) ao Rio. Além de terem piorado o horário de seu vôo (tornando-o diurno na perna MAD-GIG) faz algum tempo, eles não deixam esse vôo diário o ano inteiro apesar das ocupaçãoes serem sempre muito altas.

 

Vai entender.

Link to comment
Share on other sites

Como sempre, a IB adota uma postura reticente (sem motivo) ao Rio. Além de terem piorado o horário de seu vôo (tornando-o diurno na perna MAD-GIG) faz algum tempo, eles não deixam esse vôo diário o ano inteiro apesar das ocupaçãoes serem sempre muito altas.

 

Vai entender.

 

No meu ponto de vista, a prioridade numero zero da IB no continente é BUE por razoes obvias...depois vêm os outros países "Hispânicos" e só depois o Brasil. Os invtos. Espanhois no Brasil vão de vento em popa e, neste caso, SP acaba se beneficando mais pelo numero e tamanho de empresas daquele país baseadas em SP.

Me estranha que, mesmo com o corte repentino da Air Europa no GIG, a IB não tenha tomado nenhuma ação, aguardando mais uma vez o verão Brasileiro. Tomara que seja definitivo pelo menos pois ela está reinando sozinha na rota.

Link to comment
Share on other sites

A IB vender MAD/SSA/MAD junto com a Iberworld vai manter mais ainda as ocupações desse vôo semanal em alta, já que além dos pacotes com as operadoras turísticas, as pessoas vão poder comprar por fora e ainda melhor que vai poder conectar com os vôos IB em MAD, inclusive para África.

Link to comment
Share on other sites

Espanhois no Brasil vão de vento em popa e, neste caso, SP acaba se beneficando mais pelo numero e tamanho de empresas daquele país baseadas em SP.

 

Antes que me interpretem mal, obviamente que há grandes empresas Espanholas baseadas no Rio (Repsol, Endesa, Iberdrola, etc..) ou em outros estados, mas as baseadas em SP como a Telefonica, Santander, Mapfre, Mapfre Re, Vivo, OHL, Grupo Editorial Santillana, Meliá, entre tantas outras, têm investido realmente fortemente no Brasil. Pelo meu Banco tenho percebido alguns de nossos maiores clientes Espanhóis indo conhecer o Brasil e prospectando terrenos para construir principalmente no interior de SP, MG e Centro-Oeste do país muito por causa do etanol, um setor que eles começam a perceber o potencial ja que na Espanha a situação está bastante complicada e ja ha uma bolha imobiliaria forte por lá.

Pelo que meus colegas de SP dizem, nunca se viu tantos empresários e executivos Espanhóis como agora no Brasil. Se resolvessem o imbroglio na alfandega....

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade