Jump to content

Pilotos atrasados recebem vaia


Luna

Recommended Posts

Em Miami, os passageiros que esperavam o embarque de um vôo da American para Nova York, revoltados com o atraso de mais de uma hora na apresentação dos respectivos pilotos, receberam os retardatários com uma vaia tão intensa que estes cancelaram o vôo, temendo o que poderia acontecer após a decolagem. :thumbsdown_still:

 

Sds

 

Luna

 

Fonte : Jetsite.

 

Link to comment
Share on other sites

Em Miami, os passageiros que esperavam o embarque de um vôo da American para Nova York, revoltados com o atraso de mais de uma hora na apresentação dos respectivos pilotos, receberam os retardatários com uma vaia tão intensa que estes cancelaram o vôo, temendo o que poderia acontecer após a decolagem. :thumbsdown_still:

 

Nossa heuheue .. imagina a reação quando foi avisado o cancelamento então.

 

Abraço

 

Link to comment
Share on other sites

Em Miami, os passageiros que esperavam o embarque de um vôo da American para Nova York, revoltados com o atraso de mais de uma hora na apresentação dos respectivos pilotos, receberam os retardatários com uma vaia tão intensa que estes cancelaram o vôo, temendo o que poderia acontecer após a decolagem. :thumbsdown_still:

 

Sds

 

Luna

 

Fonte : Jetsite.

 

Isso é que é profissional !!

 

Se fosse no Brasil além de receber as vaias iriam colocar o rabinho entre as pernas e o vôo iria sais o mais rápido possível, lá fora , piloto AINDA tem moral perante a empresa, parabens ao Cmte!

 

Link to comment
Share on other sites

Bem feito para os PAX... tiveram o vôo cancelado.

Falta de respeito com a tripulação.

Sabe lá se a trip estava vindo de outro vôo que estava atrasado ou então foram acionados em cima da hora.

 

Link to comment
Share on other sites

Bem feito para os PAX... tiveram o vôo cancelado.

Falta de respeito com a tripulação.

Sabe lá se a trip estava vindo de outro vôo que estava atrasado ou então foram acionados em cima da hora.

 

 

Agora será que a tripulação nun pode ter culpa não?

Link to comment
Share on other sites

Isso é que é profissional !!

 

Se fosse no Brasil além de receber as vaias iriam colocar o rabinho entre as pernas e o vôo iria sais o mais rápido possível, lá fora , piloto AINDA tem moral perante a empresa, parabens ao Cmte!

Não vejo nada de profissional nisso. Pra falar a verdade, é uma enorme falta de respeito com os pax!

 

Bem feito para os PAX... tiveram o vôo cancelado.

Falta de respeito com a tripulação.

Sabe lá se a trip estava vindo de outro vôo que estava atrasado ou então foram acionados em cima da hora.

Bem feito por que? Eles têm culpa pelo atraso?

Se os pilotos estavam chegando de outro vôo ou foram acionados em cima da hora isso deveria, no mínimo, ter sido comunicado aos pax...

 

Agora será que a tripulação nun pode ter culpa não?

Exatamente. Claro que a gente sempre vai pensar bem antes de criticar algum aeronauta, mas ninguém é perfeito e pilotos também falham.

Abraços

Link to comment
Share on other sites

E me digam, e os paxs que não vaiaram? acabaram tendo o vôo cancelado também...

 

não dou parabéns a cia nem aos pilotos e sim aos americanos por ter se manifestado sua insatisfação. Aqui no Brasil vôo atrasa 5 horas, passageiros não recebe comida, não recebe informação alguma, não tem onde dormir e acaba tendo que ir de ônibus e pelo jeito tá está acostumado com isso.

Link to comment
Share on other sites

Kenia, você em breve fará parte deste grupo que é vaiado, desrespeitado, e que muitas vezes serve de para-raios dos problemas da empresa, da infraestrutura de aviação no país, da falta de educação do cidadão brasileiro que acha que pilotos são motoristas e que comissários são garçons... aí vc vai repensar suas palavras...

Não se iluda, nem crie falsas expectativas, pois a realidade certamente é muito diferente dos glamour que vc acredita que vai encontrar...

Aí vc vai achar que quando for pra internacional tudo vai mudar, só que no seu primeiro Milão vai encontrar um grupo extremamente educado de italianos e terá certeza que realmente ama muito o que faz, e que é feliz mesmo assim... Mas nunca mais vai esquecer das infelizes palavras que você escreveu neste fórum...

 

P.S. Certamente se os pilotos tivessem falhado, eles não estariam chegando atrasados pra fazer o vôo... já teriam sido substituídos por estes que foram vaiados (que estariam sim sendo hostilizados a toa)...

 

***** EDITADO PELA MODERAÇÃO *****

 

P.S. do P.S. Nen queira saber da educação e do respeito dos italianos...

 

Grosseria danada hein amigo ... E também não entendi essa colocação sobre brasileiros sendo que o fato aconteceu nos EUA.

 

Abraço

Link to comment
Share on other sites

Passengers on a recent American Airlines flight were so fired up from a delay in their crew showing up that they actually booed the employees when they boarded the plane. The pilots and flight attendants were so miffed that they canceled the flight, stranding passengers in Miami overnight.

 

Now who is the villain here? Nobody deserves to be booed at, especially when you're just doing your job and connected in from a late flight. But as a rule, passengers don't really know the full details of what's going on so we can expect them to act like a fussy mob. Especially if your job is to deal with passengers all day. Should you have really canceled the flight?

 

fonte:

Link to comment
Share on other sites

American Airlines Cancels Flight Due to Hostile Passengers

Last Edited: Monday, 07 Jul 2008, 10:37 PM EDT

Created: Monday, 07 Jul 2008, 10:37 PM EDT

 

American Airlines canceled a flight from Florida to New York because the passengers were angry and hostile.

MYFOXNY.COM -- A flight from Florida to New York Sunday night never got off the ground. That's because after the flight crew arrived late, angry and impatient passengers got verbally agitated and hostile. Apparently it was so bad, the crew wasn't comfortable working the flight so they refused to take off. Dick Brennan has the exclusive report.

 

 

 

Nada incomum, como eu já havia dito...

Link to comment
Share on other sites

Moonlight Shadow,

 

Pelo seu comentário e idade imaginei que você estava falando com propriedade sobre o assunto, meu comentário foi só a respeito do tom no qual foi escrito o post, mas isso é assunto superado.

 

Em relação às vaias? Sem comentários.... É o cumulo da falta de educação descarregar em um funcionário a raiva por um problema que pode ser culpa da cia., do tempo, ou de qquer outro fator externo. Perderam a razão.

 

Já em relação ao fato da tripulação ter agido de forma "profissional" ou não, acredito que profissionalismo é algo diferente de racionalismo ou inflexibilidade. Os estadunidenses são, culturalmente, menos flexíveis e mais racionais do que os latino-americanos, em todos os aspectos do seu dia a dia e na aviação isso não é diferente. Soma-se a isso os problemas de segurança ocorridos, criam-se então pessoas com muito medo e que seguem estritamente todos os protocolos. Não julgo muito menos condeno essa atitude, cultura é cultura, e motivos eles têm.

 

O que não concordo é que ser "profissional" signifique ser "durão" ou "radical". Como disseram, alguém pode ser extremamente profissional sem no entanto levar a ferro-e-fogo, resolvendo o assunto com inteligência e dando a volta por cima ao final do vôo no speech. Em muitas áreas ser profissional tem a ver justamente com ser flexível e saber lidar bem com situações adversas sem "espanar".

 

Imaginem um professor diante de uma classe de baderneiros? O que adiantaria ele "sair da sala' dizendo que não daria mais aula? Penalizaria os bons alunos e garantiria o sucesso da baderna. Um professor "profissional", teria jogo de cintura para colocar os baderneiros em situação desconfortável perante os demais alunos, fazendo com que se calassem, e ganhando assim o respeito do resto da turma, ao invés de gerar ainda mais hostilidade.

 

[ ]s!

Link to comment
Share on other sites

Fleury a diferença do veneno pro antídoto é apenas na quantidade...

 

Não se pode ser condescendente com a agressividade...

nem com o desrespeito...

 

Moonlight Shadow,

 

 

 

Imaginem um professor diante de uma classe de baderneiros? O que adiantaria ele "sair da sala' dizendo que não daria mais aula? Penalizaria os bons alunos e garantiria o sucesso da baderna. Um professor "profissional", teria jogo de cintura para colocar os baderneiros em situação desconfortável perante os demais alunos, fazendo com que se calassem, e ganhando assim o respeito do resto da turma, ao invés de gerar ainda mais hostilidade.

 

[ ]s!

 

 

Nos mesmo EUA isso acabou em assassinato a bordo... os passageiros após terem sido advertidos sobre o comportamento incoveninete um deles a bordo, perderam as medidas e acabaram linchando o infeliz...

 

Como eu disse a diferença está na quantidade... e muitas vezes o próprio antídoto causa a doença...

 

Minha esposa que o diga, está com Rubéola após ter sido vacinada :cutuca:

Link to comment
Share on other sites

Assunto complexo de ser analisado, principalmente tomando como base poucas informações, isso sem levar em conta eventuais filtragens e alterações por parte da imprensa.

 

Mas levando em consideração como sendo real essa situação - “tripulantes (e não somente os pilotos) são vaiados pelos passageiros e em função disso decidiram não realizar o vôo” -, é normal e aceitável notar pontos de vista distintos. Portanto, de certa forma, todos estão certos, mesmo apresentando opiniões opostas.

 

A minha interpretação:

 

Independente da razão do atraso (porque qualquer que seja o motivo, nenhuma pessoa tem o direito de agir com agressividade, exceto por auto defesa), os usuários têm direitos, mas dentro de certos limites. Do outro lado, a reação de funcionários que se deparam com situações não rotineiras, também deve ser adequada a tais circunstâncias. O problema maior ocorre, quando se forma o cenário da “tempestade perfeita”, isto é, os dois lados extrapolam o que cada parte tem de direito e, como resultado, há uma invasão de espaço do outro.

 

É visível observar que muitos passageiros se acham acionistas da empresa após comprarem suas passagens. Têm o direito, sim, da prestação do serviço, conforme o acordo firmado entre o que foi oferecido e o que foi pago, e isso inclui explicações por parte da empresa, no caso do que foi tratado e não está sendo cumprido, inclusive cobrar por uma ação, mas poucos entendem ou sabem quais são as formas e como devem proceder nesses casos, e o que invariavelmente acaba acontecendo é que o interesse de cada indivíduo, naquele dado momento, é que tem de prevalecer, e isso não quer dizer que estão errados, mas muitas vezes eles não conseguem distinguir a linha que divide a coerência de atitudes daquela dos excessos incontroláveis.

 

Por outro lado, as empresas se sentem muitas vezes donas da situação: “ofereço o que o posso, quando quiser ou puder e do jeito que for”. Isso muitas vezes nem é a filosofia da companhia aérea, mas dependendo do estado de humor e de preparo dos funcionários em posições chaves no atendimento ao cliente, o que poderia ser um terrível momento de enorme desconforto para todos, empresa e passageiro, mas contornável, se transforma numa enorme catástrofe quando na ausência de tato para lidar com uma situação fora da rotina, que é geralmente para pior, é lógico.

 

E tudo isso canalizado deverá desaguar em algum canto. Pegando esse cenário do tópico, eis que surgem os tripulantes, e para começar um incêndio, basta uma faísca.

 

Tripulante é um ser humano como outro qualquer, porém, no exercício de suas funções, é (ou pelo menos esperamos) treinado para lidar com diversas situações, inclusive com passageiros revoltados. Dentro de um cenário de guerra, vejo que existem artifícios que podem ser usados, antes da tropa “bater em retirada”. Entre eles:

 

- O comandante, em coordenação com o chefe de equipe, procurou apurar o que de fato estava acontecendo?

 

- Ao ser informado de tudo que motivou tal situação, ele, o comandante, procurou achar um ponto de equilíbrio para solucionar a situação, antes de tomar uma atitude baseada apenas no que ele viu ou ouviu? Sendo assim - aceitar as coisas do jeito que elas são, sem apuração - se ele discutir no trânsito, e logo após encontrar o mesmo motorista embarcando, ele terá o direito de proibir sua entrada?

 

- Não seria interessante esse comandante - acompanhado do seu chefe de equipe de comissários e do gerente ou supervisor do aeroporto - ir até o saguão, pegar o microfone e explicar o ponto de vista de quem está chegando naquela hora, numa atitude de um profissional (e empregado da companhia aérea, que espera que seus funcionários consigam lidar com situações de crise) que visa compreender perfeitamente o ânimo de todos, mas, principalmente, surge para demonstrar que está procurando uma solução, muito mais do que aumentar o problema?

 

- Após esses poucos, mas eficientes recursos, se ficar comprovado que os passageiros não querem embarcar (o que acho improvável) mas, sim, quebrar tudo, aí, sim, atitudes extremas, como o cancelamento do vôo, podem ser consideradas Podem ser, porque certamente nem todos os usuários estão envolvidos em determinada manifestação, e eles, portanto, não podem pagar pelo preço da ação de outros, mesmo que a turma do agito seja a maioria. Ainda mais no momento atual, todos sabem, principalmente nos EUA, o tamanho da encrenca que é ser preso a bordo. Tripulantes têm o pleno direito de agir - desde de que sob determinação do comandante - no caso de ações inconvenientes a bordo. Pelo simples fato de uma predisposição, isso não quer dizer que a ação será consumada. Se fosse dessa forma, a Varig deveria colocar seguranças a bordo em certos vôos que ela fazia, e muito pelo contrario, comissárias de bordo muito gentis eram designadas para realizar determinados vôos, mesmo quando a presença masculina, e irada, era maciça.

 

Bem, isso é o que penso, porque agi dessa forma em situações semelhantes, no Brasil, um país que ainda não definiu que posição tomar quanto a certas coisas que estão bem consolidadas em outros lugares. Aqui, a carteirada ainda fala mais forte, e dependendo da ação de um determinado comandante, tenho certeza de que poderá ser punido, principalmente quando o pessoal da sua própria empresa, como o gerente do aeroporto (e outros tripulantes, por incrível que pareça), fizer parte do coro que está vaiando, mas de outra forma, reportando o colega, e sabemos que na grande maioria das vezes a palavra de um comandante é a que menos prevalece, infelizmente. Nos EUA, eles, suponho, sabem o que fazem, mas em contrapartida, recebem o reconhecimento por seus serviços de forma apropriada.

 

* Aproveitando a oportunidade, o que lamento nesse fórum é como certos assuntos sensíveis e interessantes são tratados: "ou você pensa da minha forma, ou faço bico e não falo mais com você". É assim quando o assunto é Tam, é assim quando lentamente observo que comissários não querem dividir espaço com pilotos, como foi sutilmente induzido num tópico na seção de aeronautas e aeroviários. Caros profissionais: apresentem as suas criticas e sugestões, mas não tenham como limite o que cada um pensa. O enriquecimento acontece quando temos opiniões diversas sendo apresentadas, mesmo quando são contra a nossa vontade ou posição. No entanto, se encararmos de uma forma produtiva, conseqüentemente, vamos sempre aprender algo mais. E isso é o que a nossa profissão exige, sem distinção de área de atuação ou experiência.

 

Bom domingo a todos os meus colegas e usuários do transporte aéreo.

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

O piloto deve fazer o que for mais seguro pra ele e para os passageiros....se a segurança deles naquele momento se encontrava no chão, que o vôo não suba!! Mas assuma as consequências porque com certeza a empresa não gostou de cancelar um vôo pq o piloto teve o "orgulho ferido" (por mais que saibamos que não é isso, perante a empresa e aos passageiros o que "soa" é isso: O piloto cancelou um vôo por estar com o orgulho ferido).

 

 

-Kenia....repensa aí viu!!! pq só essa semana vc já entrou em 3 ou 4 polêmicas nas quais a galera discordava totalmente de vc....tais coisas vão queimando seu filme aqui no fórum com vários...pega leve.

Link to comment
Share on other sites

Independente dos demais comentários, o que me chama a atenção é que não temos elementos suficientes pelo curto "report" dado, para ponderar.

 

Alguém se perguntou:

 

1) Que tipo de informação os passageiros receberam ao longo de 1h30 de espera para o atraso da tripulação ?

 

2) Que dia da semana e horário isso ocorreu (sim... se foi no início da tarde para conexões no JFK, ou se no fim da noite com muitos tendo que fazer uma conexão para jatos regionais) ?

 

3) Por que se atrasou a tripulação ? (Acionada em substituição ? Congestionamento ?)

 

E precisamos entender o stress que é viajar nos EUA Hoje em dia. Não se dá nada ao passageiro e tudo se exige dele (chegar bem mais cedo, fazer check-in em casa, paga-se por bagagem extra, a segurança é algo que incomoda, dentre outros.

 

 

Felipe

Link to comment
Share on other sites

-Kenia....repensa aí viu!!! pq só essa semana vc já entrou em 3 ou 4 polêmicas nas quais a galera discordava totalmente de vc....tais coisas vão queimando seu filme aqui no fórum com vários...pega leve.

Eu acho que você está se preocupando demais com meus posts ao invés de procurar alguma informação melhor pra ajudar.

E o que pra você parece polêmica, pra mim é aprendizado. Se você acha que estou queimando meu filme aqui, é melhor perguntar pra cada um, pois eu, longe dos seus olhos, enviando e recebendo MPs, consigo viver em paz com a imensa maioria desse fórum! :thumbsup:

 

P.S. Sem contar o msn, claro!

Link to comment
Share on other sites

E tudo isso canalizado deverá desaguar em algum canto. Pegando esse cenário do tópico, eis que surgem os tripulantes, e para começar um incêndio, basta uma faísca.

...

Se fosse dessa forma, a Varig deveria colocar seguranças a bordo em certos vôos que ela fazia, e muito pelo contrario, comissárias de bordo muito gentis eram designadas para realizar determinados vôos, mesmo quando a presença masculina, e irada, era maciça.

...

Bem, isso é o que penso, porque agi dessa forma em situações semelhantes, no Brasil, um país que ainda não definiu que posição tomar quanto a certas coisas que estão bem consolidadas em outros lugares. Aqui, a carteirada ainda fala mais forte, e dependendo da ação de um determinado comandante, tenho certeza de que poderá ser punido, principalmente quando o pessoal da sua própria empresa, como o gerente do aeroporto (e outros tripulantes, por incrível que pareça), fizer parte do coro que está vaiando, mas de outra forma, reportando o colega, e sabemos que na grande maioria das vezes a palavra de um comandante é a que menos prevalece, infelizmente. Nos EUA, eles, suponho, sabem o que fazem, mas em contrapartida, recebem o reconhecimento por seus serviços de forma apropriada.

...

* Aproveitando a oportunidade, o que lamento nesse fórum é como certos assuntos sensíveis e interessantes são tratados: "ou você pensa da minha forma, ou faço bico e não falo mais com você". É assim quando o assunto é Tam, é assim quando lentamente observo que comissários não querem dividir espaço com pilotos, como foi sutilmente induzido num tópico na seção de aeronautas e aeroviários. Caros profissionais: apresentem as suas criticas e sugestões, mas não tenham como limite o que cada um pensa. O enriquecimento acontece quando temos opiniões diversas sendo apresentadas, mesmo quando são contra a nossa vontade ou posição. No entanto, se encararmos de uma forma produtiva, conseqüentemente, vamos sempre aprender algo mais. E isso é o que a nossa profissão exige, sem distinção de área de atuação ou experiência.

...

 

 

Caro Airframe, mais uma vez nos brindando com um excelente ponto de vista...

 

Carregar quatro faixas não é um fardo nem tão pouco uma licensa pra ser 'deus', mas uma recompensa para quem procura exercer suas funções com senso de justiça e profissionalismo, sem nunca se perder de seus ideais...

Link to comment
Share on other sites

Airframe,

 

Muito coerente o teu post, só faria uma pequena colocação, só para somar o que disse e fazer coro aos que comentaram antes... Há de se levar em consideração que os nossos colegas norte americanos passaram por um 11/09, levando a tolerância já normalmente mais baixa do que a nossa, para níveis ainda mais baixos.. Não consigo ver essa atitude como algo de alguém como orgulho ferido, mas de um povo que já sofreu muito com o medo de atentados e ataques, um povo que ainda tem várias feridas abertas e numa situação que com muita tranquilidade e profissionalismo poderia ser evitada, não pode ser feita por diversos fatores que influênciaram a tomada dessa atitude pelo CMTE.

 

att,

 

Israel

Link to comment
Share on other sites

será este mais um tópico fechado?

 

Este é o trabalho para a super- moderação....

 

a seguir cenas do próximo capítulos....

Link to comment
Share on other sites

será este mais um tópico fechado?

 

Este é o trabalho para a super- moderação....

 

a seguir cenas do próximo capítulos....

 

Acredito que o problema já está resolvido e que a discussão aqui voltará ao tema objeto do tópico.

Link to comment
Share on other sites

Isso é que é profissional !!

 

Se fosse no Brasil além de receber as vaias iriam colocar o rabinho entre as pernas e o vôo iria sais o mais rápido possível, lá fora , piloto AINDA tem moral perante a empresa, parabens ao Cmte!

 

Nem sempre ...

 

 

Não vejo nada de profissional nisso. Pra falar a verdade, é uma enorme falta de respeito com os pax!

 

 

Bem feito por que? Eles têm culpa pelo atraso?

Se os pilotos estavam chegando de outro vôo ou foram acionados em cima da hora isso deveria, no mínimo, ter sido comunicado aos pax...

 

 

Exatamente. Claro que a gente sempre vai pensar bem antes de criticar algum aeronauta, mas ninguém é perfeito e pilotos também falham.

Abraços

 

 

Gente apenas um relato como certamente muitos aqui possuem ...

 

Estávamos no hotel em Buenos Aires, já vinha de uma jornada longa e cansativa para toda a tripulação, quando simplesmente no período de repouso ... o telefone toca.

 

Eram 4 ou 5 da manhã ... e alguém do outro lado da linha informa que o vôo das 6/ 6 e pouco, ( não lembro-me do horário corretamente ) EZE/ GRU estava sem tripulação, pois, a mesma alternou SUMU. ... na mesma hora, informei sobre o descanso da trip, e isso não seria alterado em detrimento e/ ou descumprimento da legislação ... e por lá, continuei à dormir.

 

Desci para o café da manhã e eram quase 10, e qual não foi minha surpresa, deparei-me com a chegada desta tripulação que alternou; cansados e sem a menor condição de prosseguir ( voaram a noite toda ... ).

 

Ao término do período de repouso, veio uma modificação de escala de vôo, na qual, assumiríamos o tal vôo das 6 !!!!!

 

Imaginem que ao passarmos pela sala de embarque, a recepção calorosa que recebemos ... os passageiros ainda estavam lá, desde aquela manhã e já passavam das 13 hrs !!

 

De cara, perguntei ao despachante quais foram as providências tomadas e explicações dadas aos paxs ... o mesmo se esquivou, tentando amenizar os efeitos do "QUÊ" de fato, fora informado aos paxs ...

 

Descobrimos que toda a responsabilidade do atraso, fora imputada ao " nosso descanso " pelo próprio despacho local em seu speech !!!

 

E os paxs obviamente, sem entender a dinâmica de todo planejamento para um vôo, entenderam que a "culpa" de todos os seus problemas havia sido provocada por nossa tripulação.

 

Faltou sensibilidade e respeito do despacho local para com aqueles passageiros e com nossa tripulação.

 

Diante da situação, vendo todas aquelas pessoas indignadas sobre o motivo apresentado pelo despacho ( EZE ), pedi para uma de nossas comissárias ( fluente no espanhol ), ainda antes de embarcar na própria sala de embarque, a refazer toda a informação prestada anteriormente, explicando sobre a próprio condição meteorológica da região, desencadeou os problemas que todos passavam e, que nossa tripulação, não estava programada para aquele vôo, cujo a necessidade se fêz presente e necessária alteração.

 

A forma de "COMO" é informado sobre alguns infortúnios, é a "chave" para se obter um bom entendimento. As explicações dadas, amenizaram a situação, e trouxe-nos a credibilidade necessária junto aos paxs para que houvesse compreensão, mesmo diante dos absurdos cometidos pelo despacho naquele dia ...

 

O vôo saiu, os passageiros pediram nosso apoio e empenho para minimizar alguns efeitos, e encaminharam uma reclamação coletiva na época ao DAC ....

 

O que ocore, não é simplesmente a intransigência de um passageiro, é o descaso e falta de transparência e explicações dentro da verdade.

 

Onde muitos na aviação, independente de qual departamento pertencem numa empresa aérea, ainda insistem em pensar que passageiro é desinformado ... é bobo .... e não é !!! Definitivamente não é !!! As pessoas esquecem que estamos em pleno terceiro milênio, cujo informações podem ser facilmente acessada e ... sua veracidade verificada !!

 

Portanto amigos, NINGUÉM vai precisar de botar o rabinho entre as pernas e decolar com um vôo com passageiros "problemáticos" e desinformados. Simplesmente, usem a informação, de forma clara e elucidativa para que todos passem a compreender melhor a dinâmica daquilo que usam ... "a aviação como meio de transporte".

 

Mesmo assim, ainda prefiro transportar sonhos ... à carga.... ë mais prazeroso ... mesmo com um sorriso de obrigado, gostei de voar com voces!!

 

 

 

 

 

Abraços !!

Link to comment
Share on other sites

nossa que topic-barraco :huh:

 

bom... o Lipe listou todas minhas duvidas e eu só acrescentaria mais duas:

 

- os pax em questão foram reacomodados em algum voo seguinte ?

- a AA poderia penaliza-los pelo tal comportamento?

 

 

abs (sem vaias)

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade