Jump to content

LH reduz de 5 para 3 GRU-MUC no verao Brasileiro


boulosandre

Recommended Posts

O Hardi (que muitos aqui conhecem) postou no A.net a reducao de 5 para 3 freq. semanais GRU-MUC no verão Brasileiro.

No mesmo período, a rota MUC-PEK tb será reduzida de 7 para 5 frequencias.

 

O interessante é que em um momento de crise Global, comeco de recessão na Europa e o dólar instável e com viés de alta no Brasil, o número de assentos na rota Brasil-Alemanha ainda terá um pequeno aumento na oferta de assentos (segundo comentário do LipeGIG), visto que a TAM comecou a voar com os 77W, com maior capacidade que os 345.

 

Outro ponto que eu ressalto é que há 1 ano, a rota era servida no trecho Alemanha-Brasil diurno e desde Maio, ambos os trechos sao noturnos, portanto utilizando "mais aeronaves" já que um 343 fica estacionado em SP por umas boas horas.

 

Um outro comentário interessante de um outro membro bastante ativo no A.net é que MUC tem cada vez mais funcionado como um hub intra-Europe flights (com inclusive mais voos deste tipo que FRA), enquanto que FRA se consolida cada vez mais como um hub intercontinental. O upgrade da TAM mostra isto, onde GRU-MUC perdeu assentos, mas GRU-FRA ganhou e em maior quantidade. Inclusive a rota GRU-MUC-PEK, muito utilizada, foi toda reduzida em detrimento da GRU-FRA-PEK.

 

Ainda acho que para o verao Brasileiro, poderá haver mais acomodacoes para a Europa, apesar que, até agora, somente a TP efetivamente reduziu capacidade nesta rota.

 

 

 

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

O Hardi (que muitos aqui conhecem) postou no A.net a reducao de 5 para 3 freq. semanais GRU-MUC no verão Brasileiro.

No mesmo período, a rota MUC-PEK tb será reduzida de 7 para 5 frequencias.

 

O interessante é que em um momento de crise Global, comeco de recessão na Europa e o dólar instável e com viés de alta no Brasil, o número de assentos na rota Brasil-Alemanha ainda terá um pequeno aumento na oferta de assentos (segundo comentário do LipeGIG), visto que a TAM comecou a voar com os 77W, com maior capacidade que os 345.

 

Outro ponto que eu ressalto é que há 1 ano, a rota era servida no trecho Alemanha-Brasil diurno e desde Maio, ambos os trechos sao noturnos, portanto utilizando "mais aeronaves" já que um 343 fica estacionado em SP por umas boas horas.

 

Um outro comentário interessante de um outro membro bastante ativo no A.net é que MUC tem cada vez mais funcionado como um hub intra-Europe flights (com inclusive mais voos deste tipo que FRA), enquanto que FRA se consolida cada vez mais como um hub intercontinental. O upgrade da TAM mostra isto, onde GRU-MUC perdeu assentos, mas GRU-FRA ganhou e em maior quantidade. Inclusive a rota GRU-MUC-PEK, muito utilizada, foi toda reduzida em detrimento da GRU-FRA-PEK.

 

Ainda acho que para o verao Brasileiro, poderá haver mais acomodacoes para a Europa, apesar que, até agora, somente a TP efetivamente reduziu capacidade nesta rota.

 

Porque não faz um code share com a TP e coloca esses dois voos no dia em que a TP nao opera em CNF ?? Ah mais antes ela nem voa pro GIG...

Essa LH nao consegue manter nem dois voos diários pro Brasil. Apanha da todas as Européias na rota Brasil. Daqui a pouco ate a Condor terá mais voos que ela por aqui...

 

Link to comment
Share on other sites

O Lipe não deve estar contando com a RG. Agora, se fizermos uma série histórica, o tráfego Sudeste do Brasil-Alemanha só tem diminuído. A LH só tem mostrado fraqueza e vou além. Essa diminuição em MUC vai virar uma bola de neve. Não manter o voo agora pode levar à migração de tráfego, reduzindo a demanda do ano que vem ainda mais.

Link to comment
Share on other sites

Não consigo entender essa decisão da LH.

 

Existe espaço para os 2 GRU-FRA (B773 da Tam e B744 da própria Lufthansa), o GRU-MUC e ainda um GIG-FRA diários. Acho que trata-se muito mais de indisponibilidade de aeronaves (manutenção programada, lançamento de novas rotas, etc.) do que uma tentativa de adequação de oferta à demanda. Dificilmente a ocupação média das aeronaves aumentará significativamente, pois a rota é fortíssima em passageiros que viajam a negócios e a maioria destes preferirá fazer uma rápida conexão em algum outro hub europeu do que esperar um/dois dias para ter a opção do vôo direto. Acredito que a LH terá um aumento de ocupação na rota de no máximo 5 pontos percentuais, referentes aos poucos passageiros que aceitarem adiar/adiantar a viagem pela opção do vôo direto. Ou seja, o número absoluto de passageiros transportados deverá diminuir bastante. O impacto só não será tão grande para a LH porque muitos que viajariam para/via MUC trocarão por FRA e ZRH. Mas também um número nada desprezível de passageiros optará por CDG, LHR, AMS, etc. A concorrência agradece!

 

Quanto ao fato de o A343 ficar parado por um bom tempo em GRU, será que a LH não poderia extender o MUC-GRU até EZE? Claro que a empresa já possui vôos FRA-EZE rapidamente conectáveis com MUC, mas eu acredito que haja demanda suficiente para viabilizar a etapa de passageiros brasileiros e argentinos que buscam um serviço premium entre São Paulo e Buenos Aires para concorrer com a BA e servir como alternativa às demais companhias. Portanto, será que a empresa poderia fazer isso?

Link to comment
Share on other sites

Não consigo entender essa decisão da LH.

 

Existe espaço para os 2 GRU-FRA (B773 da Tam e B744 da própria Lufthansa), o GRU-MUC e ainda um GIG-FRA diários. Acho que trata-se muito mais de indisponibilidade de aeronaves (manutenção programada, lançamento de novas rotas, etc.) do que uma tentativa de adequação de oferta à demanda. Dificilmente a ocupação média das aeronaves aumentará significativamente, pois a rota é fortíssima em passageiros que viajam a negócios e a maioria destes preferirá fazer uma rápida conexão em algum outro hub europeu do que esperar um/dois dias para ter a opção do vôo direto. Acredito que a LH terá um aumento de ocupação na rota de no máximo 5 pontos percentuais, referentes aos poucos passageiros que aceitarem adiar/adiantar a viagem pela opção do vôo direto. Ou seja, o número absoluto de passageiros transportados deverá diminuir bastante. O impacto só não será tão grande para a LH porque muitos que viajariam para/via MUC trocarão por FRA e ZRH. Mas também um número nada desprezível de passageiros optará por CDG, LHR, AMS, etc. A concorrência agradece!

 

Quanto ao fato de o A343 ficar parado por um bom tempo em GRU, será que a LH não poderia extender o MUC-GRU até EZE? Claro que a empresa já possui vôos FRA-EZE rapidamente conectáveis com MUC, mas eu acredito que haja demanda suficiente para viabilizar a etapa de passageiros brasileiros e argentinos que buscam um serviço premium entre São Paulo e Buenos Aires para concorrer com a BA e servir como alternativa às demais companhias. Portanto, será que a empresa poderia fazer isso?

 

Não, GRU-MUC e MUC-PEK estão recebendo diminuições. A questão é que GRU-MUC já havia sido diminuído para 5x devido à manutenção. Uma redução maior traz à tona algo a mais. Se MUC-GRU for estendido até EZE, será criado um problema para o FRA-EZE embrionário. Sinceramente, o maior problema da LH é a falta de 332s. Se tivesse algum, teria como equilibrar melhor os voos. A TAM também não está ajudando nada ao inundar FRA de Y.

Link to comment
Share on other sites

Não, GRU-MUC e MUC-PEK estão recebendo diminuições. A questão é que GRU-MUC já havia sido diminuído para 5x devido à manutenção. Uma redução maior traz à tona algo a mais. Se MUC-GRU for estendido até EZE, será criado um problema para o FRA-EZE embrionário. Sinceramente, o maior problema da LH é a falta de 332s. Se tivesse algum, teria como equilibrar melhor os voos. A TAM também não está ajudando nada ao inundar FRA de Y.

Coiote, eu não citei MUC-PEK porque pra mim pouco importa quantas frequências semanais a LH terá em tal rota. Por isso me concentrei no fato de a empresa estar reduzindo o MUC-GRU de 5 para 3 frequências semanais. Aproveito para reafirmar: Air France/KLM e British Airways agradecem!

 

Quanto ao FRA-EZE, acho o B744 superdimensionado para a rota, ainda mais no começo. Melhor seria fazer a rota 7 vezes por semana com o A343 e prolongar o MUC-GRU (que também seria diário) até a capital portenha, aproveitando também o público Brasil-Argentina que busca um serviço premium. Claro que existiria o problema da disponibilidade de 4 A343, direitos de tráfego Brasil-Argentina e outros empecilhos, mas acho que seria a melhor opção, junto com o FRA-GIG, para a companhia se consolidar no Cone Sul e resolver o problema do A343 que fica parado durante horas em GRU.

 

Abraços.

Link to comment
Share on other sites

Coiote, eu não citei MUC-PEK porque pra mim pouco importa quantas frequências semanais a LH terá em tal rota.

 

Fico feliz que pouco lhe importa, talvez isso prove a inconsistência do argumento de que há indisponibilidade de equipamento, pois isso significaria que a indisponibilidade é grande, algo um tanto esquisito...

Link to comment
Share on other sites

Fico feliz que pouco lhe importa, talvez isso prove a inconsistência do argumento de que há indisponibilidade de equipamento, pois isso significaria que a indisponibilidade é grande, algo um tanto esquisito...

:uhm:

Link to comment
Share on other sites

Essa LH nao consegue manter nem dois voos diários pro Brasil.

 

Não se esqueça do diario GRU-ZRH que também faz parte do grupo, sendo ZRH um excelente hub para as principais cidades do Oriente.

 

Serão portanto 17 vôos na baixa e possivelmente 21 na alta.

 

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade