Jump to content

Governo de Minas apresenta potencial do AITN como primeiro aeroporto-cidade da América do Sul


E175

Recommended Posts

Governo de Minas apresenta potencial do AITN como primeiro aeroporto-cidade da América do Sul

 

Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Portal Minas Online) - 07.11.2008

 

BELO HORIZONTE - (07/11/2008) As potencialidades do Aeroporto Internacional Tancredo Neves (AITN) e as ações do Governo de Minas para torná-lo o primeiro aeroporto-cidade da América do Sul foram apresentadas a quase 500 empresários, especialistas e potenciais investidores do setor aéreo presentes ao “Fórum Internacional de Aeroportos-Cidades: Minas Gerais a caminho da nova economia”, realizado hoje (07), em Belo Horizonte.

 

O destaque do evento, organizado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais e pela Câmara Americana de Comércio (Amcham), foi a presença do criador do conceito, o diretor do Kenan Institute of Private Enterprise da Universidade da Carolina do Norte (EUA), John Kasarda. Ele está trabalhando com o Governo de Minas na implantação do planejamento estratégico do AITN como aeroporto-cidade.

 

Segundo ele, o conceito pressupõe, além de ampla infra-estrutura de terminais de passageiros e de carga, a operação de aeroporto industrial no local, a ocupação ordenada da região de entorno, a atração de empresas com produtos e serviços de alto valor agregado e de distritos industriais com tecnologia de ponta, a existência de vias de acesso duplicadas e conservadas, de rede de ensino, de complexos residenciais, hotéis e áreas de lazer e de cidades vizinhas com qualidade de vida.

 

“O AITN tem grande potencial por possuir as principais características necessárias ao desenvolvimento de um aeroporto-cidade: ampla área dentro e no entorno do aeroporto, fácil acesso à capital e região metropolitana, tecnologia de ponta para aviação e o mais importante, apoio político para torná-lo real”, disse. Atualmente, existem 16 projetos de aeroportos-cidades em andamento no mundo. Belo Horizonte é o único em toda a América do Sul.

 

AMPLIAÇÃO - De acordo com o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Raphael Andrade, o projeto do Governo de Minas para o AITN contempla a expansão dos terminais de passageiros e de carga, a extensão da pista em mais 660 metros para aviões cargueiros de grande porte, a ampliação do estacionamento, melhorias no sistema viário interno com a interligação à MG 424 e futuramente à MG 010, e ainda a modernização das instalações, de modo a alcançar a capacidade anual de 20 milhões de passageiros, 370 mil movimentos de aeronaves e 150 mil toneladas de carga transportadas.

 

“A consolidação do Aeroporto Internacional Tancredo Neves como hub logístico é o primeiro passo para alcançarmos nosso objetivo e fator de grande importância no plano estratégico do Governo para o desenvolvimento da economia do Estado. Buscamos dotar Minas Gerais de instrumentos modernos de desenvolvimento, capazes de inserir o Estado cada vez mais na nova economia mundial”, afirmou.

 

As ações em favor da consolidação do AITN como um dos principais terminais de transportes de passageiros e de cargas do país começaram a ser desenvolvidas em 2003, em parceria com a Infraero e outros órgãos federais e municipais. Um dos objetivos é aumentar as possibilidades de inserção das empresas mineiras que têm grande potencial de incrementar os negócios se houver disponibilidade de infra-estrutura. Atualmente, 40% do valor de comércio internacional são transportados por avião. A expectativa é que o tráfego de carga aérea triplique até 2025.

 

Os primeiros resultados já começaram a aparecer e empresas do setor aeronáutico anunciaram investimentos significativos na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Em julho, a Gol Linhas Aéreas confirmou a duplicação do centro de manutenção de aeronaves, inaugurado em 2006, dos atuais 47,7 mil metros quadrados para 91 mil metros quadrados. Em maio, a Trip Linhas Aéreas assinou protocolo de intenções que prevê a transferência do centro de manutenção de aeronaves da companhia para o Estado e a realização de estudos para a implantação de um centro de treinamento de aeronaves. O anúncio mais recente foi da TAM Executiva, empresa de táxi aéreo do grupo, que divulgou planos para instalar junto ao Aeroporto da Pampulha um centro de manutenção de (aviões e helicópteros).

 

Aeroporto industrial - Nos próximos dias será anunciada a empresa vencedora da concorrência para a execução das obras de infra-estrutura básica do Aeroporto Industrial, que vai ocupar uma área de 46 mil m² dentro do AITN.

 

Mediante investimentos da ordem de R$ 10 milhões do Governo de Minas, as obras da primeira etapa prevêem a urbanização da área, construção de um entreposto aduaneiro, realocação da cabine de medição de energia elétrica e interligação à rede elétrica do Aeroporto Internacional.

 

Resultado de convênio firmado entre o Governo de Minas e a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), as obras são o passo inicial para a concretização do projeto, que tem a meta de estimular a implantação no Estado de empresas de alta tecnologia que têm no modal aéreo o principal meio de transporte de matérias-primas e produtos finais.

 

Pólo de aviação civil - Outra ação do Governo do Estado voltada para o fortalecimento do setor aéreo mineiro foi a criação, em parceria com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), do Pólo de Aviação Civil de Minas Gerais.

 

A iniciativa visa à integração entre as esferas governamentais, instituições de ensino e empresas privadas para implantar ações coordenadas para o setor, com a difusão e desenvolvimento de tecnologia e o estabelecimento de novos parâmetros de qualidade na formação de mão-de-obra, pesquisa e desenvolvimento científico.

 

A primeira ação, anunciada em outubro, será o financiamento parcial ou total de cursos de formação para os futuros trabalhadores da indústria aeronáutica – pilotos e profissionais de manutenção – nas universidades e centros de treinamento existentes no Estado. De acordo com a Anac, só os exercícios práticos custam em torno de R$ 7 mil para pilotos privados e R$ 26 mil para pilotos comerciais.

 

O objetivo é atender a crescente e imediata demanda gerada pelos diversos investimentos do setor anunciados para o Estado, entre eles os projetos de expansão das companhias Gol, Trip e TAM e da fabricante de helicópteros Helibras.

 

Proaero - Paralelamente, o Governo de Minas investe no Projeto de Desenvolvimento da Infra-estrutura Aeronáutica e Aeroportuária do Estado de Minas Gerais (Proaero). O projeto vai permitir a revitalização dos aeroportos do interior do Estado e sua interligação com o aeroporto da Pampulha, que se firmará com hub na consolidação da malha aérea regional.

 

A previsão é que, até 2011, estejam em operação 158 aeroportos, dos quais 69 com pistas asfaltadas e 35 com balizamento noturno. Com isso, 92% dos 853 municípios mineiros estarão a, no máximo, 80 km de distância de um aeroporto de médio ou grande porte e com operação de dia e à noite. O índice atual é de 52%.

 

 

Abraço

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade