Jump to content

Rio veta mais vôos para o SDU e pode ir à Justiça contra a ANAC


C010T3

Recommended Posts

Rio veta mais vôos para Santos Dumont

 

Para secretário, ampliação do aeroporto vai esvaziar operações no Galeão

 

O Governo do Rio é contra a abertura do aeroporto Santos Dumont para mais vôos além da Ponte aérea Rio-São Paulo e regionais. Para o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Julio Bueno, a audiência pública proposta pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para acabar com as restrições no Santos Dumont compromete a revitalização do Galeão e prejudica a concessão do aeroporto, com o risco de esvaziamento. Bueno disse que o governo vai participar ativamente da consulta pública e usará até de medidas legais para impedir a transferência de mais vôos para o Santos Dumont.

O governo é contra a abertura indiscriminada do Santos Dumont. Não podemos esvaziar o Galeão. No segundo semestre será lançado o edital de concessão. Nesse momento, somos contra. Mas depois da concessão, vale a concorrência - argumentou o secretário, acrescentando que a atual situação do Galeão dá mais peso ao processo de concessão que, segundo ele, tem entre os interessados empresas que operam os aeroportos de Paris (França) e Frankfurt (Alemanha).

O diretor da Anac Alexandre Gomes de Barros voltou a dizer que, com base em estudos, a agência identificou que as restrições no Santos Dumont feitas em 2004 não ajudaram a melhorar o movimento dos aeroportos do Rio.

Julio Bueno disse que não diverge da tese da Anac, mas da estratégia. E considera que a precipitação da Anac com a consulta pública está relacionada à companhia aérea Azul, que pleiteia sua entrada no Rio a partir do Santos Dumont.

- Adoramos a Azul, mas amamos o Rio. Se a condição é voar pelo Santos Dumont, nesse momento somos contra - disse o secretário.

Sobre o fato de a Azul ter dito que traria sua área operacional para o Rio. Bueno disse que, se a empresa quer vir mesmo para a cidade, que monte a sede totalmente aqui.

- De que adianta a área operacional se a sede continua em São Paulo? Tem de ser totalmente carioca, os executivos têm de morar no Leblon - afirmou ele.

O diretor de Marketing da Azul, Glanfranco Beting, disse que a empresa não pode iniciar vôos do Galeão, já que seus aviões Embraer, com 100 lugares, não têm competividade com modelo de mais de 180 lugares das concorrentes que operam no Galeão.

- Temos interesse no Rio, mas não faremos nada que nos impeça de competir e sobreviver. Nas ultimas reuniões com o governo do estado, explicamos que é difícil competir pelo Galeão. Queremos operar 22 destinos partindo do Rio, gerar sete mil empregos, movimentar a economia.

A Azul mantém os planos de começar a voar em dezembro. Ao ser perguntado como fica a situação da empresa já que a consulta pública do Santos Dumont

ainda será lançada, Beting não escondeu que há interesse de cidades como Campinas pela companhia.

- Tudo dependerá da sinalização do governo do Rio. A cidade já perdeu uma grande empresa e a Azul adoraria ser uma empresa do Rio.

 

Fonte: O Globo de 12/11/2008

Link to comment
Share on other sites

Dessa forma que foi colocado o governo do Rio ficou numa sinuca agora. Mas de toda forma essa de sede no Rio pra mim é balela. À medida que a operação crescer vão acabar se expandindo em outros aeroportos, a sede vai continuar na Azulville, um eventual hangar de manutenção não tem lá muita condição de ficar no SDU (no máximo ela vai ocupar um dos que já existem, para algum suporte). Se eles estão rejeitando o GIG não vejo qual é a grande vantagem desse projeto da Azul pro Rio. Agora, uma dúvida .. será que a ANAC pretende liberar o SDU só para a Azul? Mexer na portaria pra atender somente um operador? Porque se a restrição cair por terra ela será sufocada da mesma forma, se bobear até mais do que no GIG. Por outro lado se for elevado para 100 pax, sem restrição de destino, caracteriza uma clara intenção do governo de beneficiar a nova companhia em detrimento das demais.

 

Abraço

Link to comment
Share on other sites

Discordo...

 

Interesses à parte, se existe um aeroporto qualquer, independente de onde fica, que tem capacidade operacional de receber mais vôos, por quê não fazê-lo? Claro, obedecendo as devidas restrições. Quem deve escolher de onde e para onde voar é o usuário do serviço. Simples assim!

 

Quanto ao argumento dos " 100 passageiros", tudo me parece bem simples: é só outras empresas se adaptarem. Vai demorar alguns meses, mas acabam se adaptando, sim... Acho, sinceramente, uma sacada de mestre. Fomanta a indústria nacional. De mestre...

 

Se fossemos falar em justiça, haveria slots em Congonhas para qualquer entrante. Isso seria livre mercado. Mas o Brasil tem essa coisa horrenda chamada "direito-adiquirido". Um marcha à ré típica do Brasil...

 

Quanto a "esvaziar" o Galeão... oras, se o RJ tem demanda mesmo, o Santos Dumont não vai ser o vilão do Galeão. O Galeão tinha, sim, é que buscar seu nicho, encontrar seu papel no cenário atual.

 

E antes de comentários, informo a todos que não sou nem contra nem a favor da Azul. Nem da TAM. Sou contra a Gol pelas 4 vezes em que fui humilhado pela companhia e alguns de seus despreparados funcionários. Mas até tenho simpatia pela empresa, graças aos B737-800NG... mas de Gol não pretendo voar mais, apenas os vôos que ganhei no acordo que fiz na justiça para compensar as humilhações...

 

Portanto, indo CONTRA a maré: sou A FAVOR da Azul em SDU!!!!

 

Abraços!

Link to comment
Share on other sites

Dessa forma que foi colocado o governo do Rio ficou numa sinuca agora. Mas de toda forma essa de sede no Rio pra mim é balela. À medida que a operação crescer vão acabar se expandindo em outros aeroportos, a sede vai continuar na Azulville, um eventual hangar de manutenção não tem lá muita condição de ficar no SDU (no máximo ela vai ocupar um dos que já existem, para algum suporte). Se eles estão rejeitando o GIG não vejo qual é a grande vantagem desse projeto da Azul pro Rio. Agora, uma dúvida .. será que a ANAC pretende liberar o SDU só para a Azul? Mexer na portaria pra atender somente um operador? Porque se a restrição cair por terra ela será sufocada da mesma forma, se bobear até mais do que no GIG. Por outro lado se for elevado para 100 pax, sem restrição de destino, caracteriza uma clara intenção do governo de beneficiar a nova companhia em detrimento das demais.

 

Abraço

 

A luta é legítima, mas toda a argumentação é falha. Aliás, muito foi distorcido pela jornalista. Existem inúmeros argumentos contra a liberação do SDU, mas esse Julio Bueno parece não entender muito do assunto. Ele ter falado essa besteira de sede só deixou transparecer que o governo do estado estava disposto a aceitar a Azul no SDU se a sede fosse aqui, o que eu acho errado.

Link to comment
Share on other sites

Ficou MAIS QUE CLARO que o governo do Rio nao esta NEM AÍ para o GIG quanto a trafego, ele quer saber do bolso dele vendendo o aeroporto.

 

Entao quem aqui ficou levantando bandeirinha pró GIG, pode começar a lamentar.

 

Os politicos do Rio nao estao dando a minima para se vai ter so GIG ou se o SDU vai engolir o trafego.

 

E se depender de consulta publica ainda mais a coisa vai ser de lavada!

 

Agora o caldo entornou....

 

Link to comment
Share on other sites

Rio veta mais vôos para Santos Dumont

 

Para secretário, ampliação do aeroporto vai esvaziar operações no Galeão

 

O Governo do Rio é contra a abertura do aeroporto Santos Dumont para mais vôos além da Ponte aérea Rio-São Paulo e regionais. Para o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Julio Bueno, a audiência pública proposta pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para acabar com as restrições no Santos Dumont compromete a revitalização do Galeão e prejudica a concessão do aeroporto, com o risco de esvaziamento. Bueno disse que o governo vai participar ativamente da consulta pública e usará até de medidas legais para impedir a transferência de mais vôos para o Santos Dumont.

O governo é contra a abertura indiscriminada do Santos Dumont. Não podemos esvaziar o Galeão. No segundo semestre será lançado o edital de concessão. Nesse momento, somos contra. Mas depois da concessão, vale a concorrência - argumentou o secretário, acrescentando que a atual situação do Galeão dá mais peso ao processo de concessão que, segundo ele, tem entre os interessados empresas que operam os aeroportos de Paris (França) e Frankfurt (Alemanha).

O diretor da Anac Alexandre Gomes de Barros voltou a dizer que, com base em estudos, a agência identificou que as restrições no Santos Dumont feitas em 2004 não ajudaram a melhorar o movimento dos aeroportos do Rio.

Julio Bueno disse que não diverge da tese da Anac, mas da estratégia. E considera que a precipitação da Anac com a consulta pública está relacionada à companhia aérea Azul, que pleiteia sua entrada no Rio a partir do Santos Dumont.

- Adoramos a Azul, mas amamos o Rio. Se a condição é voar pelo Santos Dumont, nesse momento somos contra - disse o secretário.

Sobre o fato de a Azul ter dito que traria sua área operacional para o Rio. Bueno disse que, se a empresa quer vir mesmo para a cidade, que monte a sede totalmente aqui.

- De que adianta a área operacional se a sede continua em São Paulo? Tem de ser totalmente carioca, os executivos têm de morar no Leblon - afirmou ele.

O diretor de Marketing da Azul, Glanfranco Beting, disse que a empresa não pode iniciar vôos do Galeão, já que seus aviões Embraer, com 100 lugares, não têm competividade com modelo de mais de 180 lugares das concorrentes que operam no Galeão.

- Temos interesse no Rio, mas não faremos nada que nos impeça de competir e sobreviver. Nas ultimas reuniões com o governo do estado, explicamos que é difícil competir pelo Galeão. Queremos operar 22 destinos partindo do Rio, gerar sete mil empregos, movimentar a economia.

A Azul mantém os planos de começar a voar em dezembro. Ao ser perguntado como fica a situação da empresa já que a consulta pública do Santos Dumont

ainda será lançada, Beting não escondeu que há interesse de cidades como Campinas pela companhia.

- Tudo dependerá da sinalização do governo do Rio. A cidade já perdeu uma grande empresa e a Azul adoraria ser uma empresa do Rio.

Fonte: O Globo de 12/11/2008

 

Em verde estão os trecho que entendo pertinentes, em vermelho está um monte de burrices ditas pelo Sr. Secretário e pela ANAC. Em negrito está a clara pressão que a Azul está fazendo pelo uso do SDU.

 

Agora, a parte que para mim supera qualquer nível de burrice, falta de tato e ignorância comercial é a seguinte: "Nesse momento, somos contra. Mas depois da concessão, vale a concorrência". Vamos fazer um rápido exercício, cada um se coloque no lugar do administrador de uma empresa que pretenda entrar na concorrência pelo GIG, e pense bem se após ouvir essa frase dita pelo Sr. Secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado do Rio de Janeiro se você colocaria algumas centenas de milhões de dólares num contrato para gerir um aeroporto que corre enorme risco de ser esvaziado, inclusive com apoio do Governo do Estado após sua gestão passar para a iniciativa privada.

 

Pensaram?

 

Qual a conclusão de vocês?

 

Eu, pensaria duas vezes antes de entrar na concorrência e se entrasse reduziria significativamente o valor da minha oferta.

Link to comment
Share on other sites

Em verde estão os trecho que entendo pertinentes, em vermelho está um monte de burrices ditas pelo Sr. Secretário e pela ANAC. Em negrito está a clara pressão que a Azul está fazendo pelo uso do SDU.

 

Agora, a parte que para mim supera qualquer nível de burrice, falta de tato e ignorância comercial é a seguinte: "Nesse momento, somos contra. Mas depois da concessão, vale a concorrência". Vamos fazer um rápido exercício, cada um se coloque no lugar do administrador de uma empresa que pretenda entrar na concorrência pelo GIG, e pense bem se após ouvir essa frase dita pelo Sr. Secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado do Rio de Janeiro se você colocaria algumas centenas de milhões de dólares num contrato para gerir um aeroporto que corre enorme risco de ser esvaziado, inclusive com apoio do Governo do Estado após sua gestão passar para a iniciativa privada.

 

Pensaram?

 

Qual a conclusão de vocês?

 

Eu, pensaria duas vezes antes de entrar na concorrência e se entrasse reduziria significativamente o valor da minha oferta.

 

Com certeza, mas esse Julio Bueno não é muito inteligente, sinceramente... Ele deve ter ficado preso a algum comentário de que um concessionário privado seria mais atrativo para as cias. aéreas, e que em uma concorrência, ela se sairia melhor que a Infraero.

Link to comment
Share on other sites

Por outro lado se for elevado para 100 pax, sem restrição de destino, caracteriza uma clara intenção do governo de beneficiar a nova companhia em detrimento das demais.

 

Abraço

 

Pode até ficar claro que foi, agora...considerando que não só a Azul opera jatos pra essa capacidade...Oceanair tem os Fokkers-100, Trip vai vir aí com E-jets e a Azul com E-jets, então...por mais que fique na cara que a mudança ocorreu por causa da Azul, não será uma medida da qual só ela poderá se beneficiar. Aliás, muito pelo contrário, se eu fosse da ONE, aproveitaria a medida e o fato de ter aviões sobrando na malha e iria logo pro SDU, aproveitaria que lá teria a concorrência "apenas" (entre muitas aspas, claro) da Azul. Isso se a liberação for mesmo para aeronaves de até 100 assentos, o que eu até acredito que POSSA ocorrer devido não só às vindas de E-190 quanto também pela mudança de alguns pedidos de 195 para 190.

Link to comment
Share on other sites

O diretor de Marketing da Azul, Glanfranco Beting, disse que a empresa não pode iniciar vôos do Galeão, já que seus aviões Embraer, com 100 lugares, não têm competividade com modelo de mais de 180 lugares das concorrentes que operam no Galeão.
O que tem a ver quantidade de assentos com competitividade? Os ER9 da Azul não tem assentos do meio e isso, por si só, já é um enorme atrativo. Além disso, com um avião de 100 lugares é mt mais fácil ter um aroveitamento mais alto do que com um de 180. O GB acha que engana td mundo.
A cidade já perdeu uma grande empresa e a Azul adoraria ser uma empresa do Rio.
:rofl: :rofl: :rofl: Alguem aí acredita que uma empresa que tem o Giafranco Beting no alto escalão tem algum interesse no Rio?!?!?! Ele acha que td mundo aqui é otário de não perceber qu eles vêm com esse papo agora pra depois, quando tirarem td do Rio, se é que vão botar alguma coisa, virem com a desculpa de que a cidade não correspondeu.
...gerar sete mil empregos...
:rofl: :rofl: :rofl: 7000 empregos?!?! Com 35 aviões, seriam 200 por aeronave, nem a VRG nos piores dias chegou a isso. Ah, mas tem os indiretos! E daí?!?!? Quem aqui acredita que vão chegar a 7000? Os caras não tem senso de ridículo na hora de enganar!
...há interesse de cidades como Campinas pela companhia.
Seria duplamente excelente! Além de não esvaziar o GIG, levaria de CGH e GRU, mts pax de Campinas, região e interior de SP que embarcam em CGH/GRU pelo fato das empresas cobrarem preços absurdamente mais altos em VCP.
Link to comment
Share on other sites

O diretor de Marketing da Azul, Glanfranco Beting, disse que a empresa não pode iniciar vôos do Galeão, já que seus aviões Embraer, com 100 lugares, não têm competividade com modelo de mais de 180 lugares das concorrentes que operam no Galeão.

E como vai ser em CGH, CWB, POA, BSB, SSA, REC, etc? Foi o argumento mais chulé que ouvi.

Link to comment
Share on other sites

:rofl: :rofl: :rofl: 7000 empregos?!?! Com 35 aviões, seriam 200 por aeronave, nem a VRG nos piores dias chegou a isso. Ah, mas tem os indiretos! E daí?!?!? Quem aqui acredita que vão chegar a 7000? Os caras não tem senso de ridículo na hora de enganar!Seria duplamente excelente! Além de não esvaziar o GIG, levaria de CGH e GRU, mts pax de Campinas, região e interior de SP que embarcam em CGH/GRU pelo fato das empresas cobrarem preços absurdamente mais altos em VCP.

Bom...a idéia é que chegue a 76 aviões, mas realmente, SÓ no Rio de Janeiro seria difícil criar 7 mil empregos.

 

aliás, quanto ao seu comentário da relação acft/funcionário...a TAM não está tao longe dos 200/avião não...acredito que esteja na casa dos 170, 180/avião.

Link to comment
Share on other sites

Ficou MAIS QUE CLARO que o governo do Rio nao esta NEM AÍ para o GIG quanto a trafego, ele quer saber do bolso dele vendendo o aeroporto.

 

Entao quem aqui ficou levantando bandeirinha pró GIG, pode começar a lamentar.

 

Os politicos do Rio nao estao dando a minima para se vai ter so GIG ou se o SDU vai engolir o trafego.

 

E se depender de consulta publica ainda mais a coisa vai ser de lavada!

 

Agora o caldo entornou....

 

o aeroporto nem do governo do Rio é... :thumbsdown_still:

Link to comment
Share on other sites

Bom...a idéia é que chegue a 76 aviões, mas realmente, SÓ no Rio de Janeiro seria difícil criar 7 mil empregos.

 

aliás, quanto ao seu comentário da relação acft/funcionário...a TAM não está tao longe dos 200/avião não...acredito que esteja na casa dos 170, 180/avião.

 

não se esqueça que na conta estão agrupados os funcionários da TAM CARGO e a toda a rampa, não estando limitado apenas a gestão de aeroportos e tripulações...

Link to comment
Share on other sites

não se esqueça que na conta estão agrupados os funcionários da TAM CARGO e a toda a rampa, não estando limitado apenas a gestão de aeroportos e tripulações...

 

Sem dúvida, assim como imagino que os 7 mil citados pelo Beting, embora seja mesmo meio exagerado, também seja considerando tudo isso. Em tempo, mencionei isso mais por curiosidade, já que além de tudo isso que vc citou, tem ainda o fato da TAM trabalhar com aviões maiores, rotas mais longas e tudo isso requer mais funcionários, óbvio que na Azul será menos.

Link to comment
Share on other sites

Bom saber que pelo menos o governo estadual tem gente que tem (ou pelo menos finge bem) mais que QI de alface.

 

O diretor de Marketing da Azul, Glanfranco Beting, disse que a empresa não pode iniciar vôos do Galeão, já que seus aviões Embraer, com 100 lugares, não têm competividade com modelo de mais de 180 lugares das concorrentes que operam no Galeão.

- Temos interesse no Rio, mas não faremos nada que nos impeça de competir e sobreviver. Nas ultimas reuniões com o governo do estado, explicamos que é difícil competir pelo Galeão. Queremos operar 22 destinos partindo do Rio, gerar sete mil empregos, movimentar a economia.

A Azul mantém os planos de começar a voar em dezembro. Ao ser perguntado como fica a situação da empresa já que a consulta pública do Santos Dumont

ainda será lançada, Beting não escondeu que há interesse de cidades como Campinas pela companhia.

- Tudo dependerá da sinalização do governo do Rio. A cidade já perdeu uma grande empresa e a Azul adoraria ser uma empresa do Rio.

 

Ah, Gianfranco, faça-me o favor. Dizer que não vai operar no Rio por causa da limitação de assentos é puro blefe, e blefe dos ruins. Se é assim, não vão operar em nenhum aeroporto de uma cidade grande, já que Gol, VARIG e TAM servem todas.

 

Sem contar que a própria idéia de que vai entrar em desvantagem é ridícula. A Azul não cansou de dizer que ofereceria mais conforto dentro dos aviões, mais freqüências e destinos não atendidos, possibilitados por um avião que exige ocupação menor para ser lucrativo? Então? Onde está o problema? Só vejo vantagens para a Azul.

 

Um macaco mentiria melhor que ele.

 

Ótimo querer saber que a Azul quer ser uma empresa do Rio, mas o Rio não deve girar em torno dos interesses da Azul. Se esse é o preço, que se mandem para Campinas. Estamos cheios de exemplos de empresas que resolveram ignorar o mercado e levaram um tapa de luva de pelica de gente de mais visão depois.

 

Não servir a segunda maior cidade do país... faz-me rir!

 

 

Interesses à parte, se existe um aeroporto qualquer, independente de onde fica, que tem capacidade operacional de receber mais vôos, por quê não fazê-lo? Claro, obedecendo as devidas restrições. Quem deve escolher de onde e para onde voar é o usuário do serviço. Simples assim!

 

Quanto ao argumento dos " 100 passageiros", tudo me parece bem simples: é só outras empresas se adaptarem. Vai demorar alguns meses, mas acabam se adaptando, sim... Acho, sinceramente, uma sacada de mestre. Fomanta a indústria nacional. De mestre...

 

Quanto a "esvaziar" o Galeão... oras, se o RJ tem demanda mesmo, o Santos Dumont não vai ser o vilão do Galeão. O Galeão tinha, sim, é que buscar seu nicho, encontrar seu papel no cenário atual.

 

 

O problema é convencer as companhias aéreas de que isso seria uma tacada de mestre, não é?

 

Se fosse liberado para aeronaves de até 100 assentos, seria ótimo. Mas é mais fácil mudar a legislatura do que a frota das empresas.

 

E o Galeão não é "aeroporto de nicho". Aeroporto de nicho é o SDU. Seria um ótimo nicho operar vôos pontuais, mas a ganância das cias impediria isso. Iriam transplantar a maioria das ops no Galeão para o Santos-Dumont.

 

No fim, teríamos a mesma maluquice que havia em SP até o acidente da TAM: GRU operando com 12, 14 milhões de pax ao ano e CGH com 18. É um cenário impossível de se sustentar, é loucura correr atrás dele.

 

Não é questão de "Rio ter demanda ou não". A questão é que, mais cedo, mais tarde, vão transferir tudo para SDU, independente da demanda. Isso não é nada prático para o pax, só para as companhias aéreas e é a demanda DELAS que seria atendida, não a nossa.

Link to comment
Share on other sites

 

A reação do Governo era esperada e como eu já citei, eu não brigaria com o Cabral com o apoio do Lula

 

Engraçado é ver o Gianfranco brigando pelo Rio que ele tanto critica. Só acho muito engraçado também que conforme citado pelo Electra, o E190 não funciona no GIG contra os A320 (ué.. não falaram em novos "pares de cidades") e agora

querem exclusividade no SDU para serem os primeiros voando para BSB, CWB, SSA, CNF, VCP, POA...

Por isso sou contra duplamente, primeiro por querer usar o SDU (se os paulistas permitem o uso massificado de CGH,

é uma questão deles que eu respeito) em detrimento de um GIG que promete estar renovado em breve, e em segundo,

por alterar as regras do jogo no segundo tempo, enquanto GOL, WEBJET e TAM investem no Galeão desde 2001.

 

Ficou MAIS QUE CLARO que o governo do Rio nao esta NEM AÍ para o GIG quanto a trafego, ele quer saber do bolso dele vendendo o aeroporto.

 

Entao quem aqui ficou levantando bandeirinha pró GIG, pode começar a lamentar.

 

Os politicos do Rio nao estao dando a minima para se vai ter so GIG ou se o SDU vai engolir o trafego.

 

E se depender de consulta publica ainda mais a coisa vai ser de lavada!

 

Agora o caldo entornou....

 

Meu Deus:

 

1) Sim, o governo do estado do Rio está "aí" para o GIG, ele não quer saber do bolso dele pois o Aeroporto pertence a UNIÃO (Governo Federal)

 

2) Levantar a bandeirinha ? Ninguém está em impedimento meu caro, a defesa tem méritos e itens bem claros, você pode desmerecer, mas eles existem.

 

3) Os políticos do Rio ? Você é um deles ? Por favor não fale coisas que você não domina. Existem frentes claramente formadas para fortalecer o Galeão e se você pesquisar um pouco vai ver que comitivas de Deputados Federais foram diversas vezes a Infraero cobrar as reformas. E você acha que os R$ milhões liberados em 2008 e não previstos no Orçamento sairam da boa vontade da Infraero ? Foi pressão do Governo do Estado e dos Deputados Federais.

 

4) Consulta Pública. Veja, a Azul pode entrar em uma guerra contra um estado da federação e ela vai sempre sair

derrotada, seja direta ou indiretamente. O estado tem que liberar certidões e autorizações, e pode atrasá-las, pode

fazer questionamentos seguidos, pode tornar a vida da Azul um mundo preto. É o que ela quer ?

A ANAC pode entrar em conflito com o Governo Estadual, o mandato do Cabral é dado pelo povo, o da ANAC.....

 

O resultado da Consulta Pública vai ser bem claro, a proposta da ANAC vai ser derrotada e ela vai dizer que a Culpa é do Governo do Estado e da Prefeitura do Rio.

 

Graças a Deus somos governados por bons cariocas do mesmo partido!

 

 

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

A reação do Governo era esperada e como eu já citei, eu não brigaria com o Cabral com o apoio do Lula

 

Engraçado é ver o Gianfranco brigando pelo Rio que ele tanto critica. Só acho muito engraçado também que conforme citado pelo Electra, o E190 não funciona no GIG contra os A320 (ué.. não falaram em novos "pares de cidades") e agora

querem exclusividade no SDU para serem os primeiros voando para BSB, CWB, SSA, CNF, VCP, POA...

Por isso sou contra duplamente, primeiro por querer usar o SDU (se os paulistas permitem o uso massificado de CGH,

é uma questão deles que eu respeito) em detrimento de um GIG que promete estar renovado em breve, e em segundo,

por alterar as regras do jogo no segundo tempo, enquanto GOL, WEBJET e TAM investem no Galeão desde 2001.

 

 

 

Meu Deus:

 

1) Sim, o governo do estado do Rio está "aí" para o GIG, ele não quer saber do bolso dele pois o Aeroporto pertence a UNIÃO (Governo Federal)

 

2) Levantar a bandeirinha ? Ninguém está em impedimento meu caro, a defesa tem méritos e itens bem claros, você pode desmerecer, mas eles existem.

 

3) Os políticos do Rio ? Você é um deles ? Por favor não fale coisas que você não domina. Existem frentes claramente formadas para fortalecer o Galeão e se você pesquisar um pouco vai ver que comitivas de Deputados Federais foram diversas vezes a Infraero cobrar as reformas. E você acha que os R$ milhões liberados em 2008 e não previstos no Orçamento sairam da boa vontade da Infraero ? Foi pressão do Governo do Estado e dos Deputados Federais.

 

4) Consulta Pública. Veja, a Azul pode entrar em uma guerra contra um estado da federação e ela vai sempre sair

derrotada, seja direta ou indiretamente. O estado tem que liberar certidões e autorizações, e pode atrasá-las, pode

fazer questionamentos seguidos, pode tornar a vida da Azul um mundo preto. É o que ela quer ?

A ANAC pode entrar em conflito com o Governo Estadual, o mandato do Cabral é dado pelo povo, o da ANAC.....

 

O resultado da Consulta Pública vai ser bem claro, a proposta da ANAC vai ser derrotada e ela vai dizer que a Culpa é do Governo do Estado e da Prefeitura do Rio.

 

Graças a Deus somos governados por bons cariocas do mesmo partido!

 

 

Felizmente alguém teve saco para explicar para os bairristas como o negócio funciona...

Agora vamos ver ser a ANAC e a Azul vão ter peito para peitar o Governo Estadual e Deputados Federais.

A falta de criatividade por parte do Beting para evitar o uso do Galeão é notável. Fico triste em ver um executivo levar a paixão bairrista dele ao extremo. Ele faz oposição ao Galeão não é de hoje. Segundo suas palavras, a Infraero deveria ter investido em um terceiro terminal em GRU ao inves de investir no segundo do GIG.

Se for para operar só no SDU, que não opere na cidade maravilhosa. Entrou agora e ja quer sentar na janela. Espera na roleta enquanto o onibus está cheio, senhor Beting!!!

 

Abraço!

Link to comment
Share on other sites

Engraçado é ver o Gianfranco brigando pelo Rio que ele tanto critica. Só acho muito engraçado também que conforme citado pelo Electra, o E190 não funciona no GIG contra os A320 (ué.. não falaram em novos "pares de cidades") e agora

 

Foi totalmente previsível. Campinas pode ser um ótimo mercado, porém não possibilitaria o crescimento meteórico que a Azul deseja e planeja. O Rio é crucial para manter esse ambicioso plano de frota.

Link to comment
Share on other sites

Foi totalmente previsível. Campinas pode ser um ótimo mercado, porém não possibilitaria o crescimento meteórico que a Azul deseja e planeja. O Rio é crucial para manter esse ambicioso plano de frota.

 

Realmente, mais previsível impossível.

 

Link to comment
Share on other sites

Enquanto isso, a equipe de terra da Azul SDU está de molho em casa sem saber o que vai acontecer. Recrutaram um grande grupo de pessoas, quase todos empregados da Varig/Gol, ligaram no dia 5 à noite pedindo urgência com as ctps, todos pediram demissão e conseguiram as carteiras nos dias 6 e 7 e no dia 7 à noite receberam uma ligação dizendo que o treinamento, que começaria nesta segunda-feira, estava suspenso sem previsão de início. O medo deles agora é que tudo tenha ido por água abaixo com esse impasse do SDU. E agora, que todos pediram demissão?

Link to comment
Share on other sites

Enquanto isso, a equipe de terra da Azul SDU está de molho em casa sem saber o que vai acontecer. Recrutaram um grande grupo de pessoas, quase todos empregados da Varig/Gol, ligaram no dia 5 à noite pedindo urgência com as ctps, todos pediram demissão e conseguiram as carteiras nos dias 6 e 7 e no dia 7 à noite receberam uma ligação dizendo que o treinamento, que começaria nesta segunda-feira, estava suspenso sem previsão de início. O medo deles agora é que tudo tenha ido por água abaixo com esse impasse do SDU. E agora, que todos pediram demissão?

E agora? E agora correm o risco de ficar sem emprego por causa dessa palhaçada. O que será que o governador fará por essas pessoas? Acho que nada né.

 

Edit: Mas eu acredito que no final acabará se resolvendo...de um jeito ou de outro acredito que a Azul entre no RJ.

Link to comment
Share on other sites

Enquanto isso, a equipe de terra da Azul SDU está de molho em casa sem saber o que vai acontecer. Recrutaram um grande grupo de pessoas, quase todos empregados da Varig/Gol, ligaram no dia 5 à noite pedindo urgência com as ctps, todos pediram demissão e conseguiram as carteiras nos dias 6 e 7 e no dia 7 à noite receberam uma ligação dizendo que o treinamento, que começaria nesta segunda-feira, estava suspenso sem previsão de início. O medo deles agora é que tudo tenha ido por água abaixo com esse impasse do SDU. E agora, que todos pediram demissão?

 

 

E agora? E agora correm o risco de ficar sem emprego por causa dessa palhaçada. O que será que o governador fará por essas pessoas? Acho que nada né.

 

Edit: Mas eu acredito que no final acabará se resolvendo...de um jeito ou de outro acredito que a Azul entre no RJ.

 

Se a empresa não tem o OK para operar no SDU como ela sai contratando ? Me perdoem mas eu não vejo como correta a política de passar por cima de qualquer lei que ainda se encontra em discussão.

 

A responsabilidade é da Azul, não do Governo do Estado.

 

Como exemplo, um dia todo mundo dá como certa a importação de carros usados, eu me adianto e contrato uma equipe de 30 pessoas para importar e vender carros usados... e o governo diz que nada vai acontecer no Rio e que a medida vai permitir apenas importação pelo Amapá. A culpa é do governo ?

 

Lei é Lei e só deixa de valer quando é alterada ou revogada.

Link to comment
Share on other sites

Se a empresa não tem o OK para operar no SDU como ela sai contratando ? Me perdoem mas eu não vejo como correta a política de passar por cima de qualquer lei que ainda se encontra em discussão.

 

A responsabilidade é da Azul, não do Governo do Estado.

 

Como exemplo, um dia todo mundo dá como certa a importação de carros usados, eu me adianto e contrato uma equipe de 30 pessoas para importar e vender carros usados... e o governo diz que nada vai acontecer no Rio e que a medida vai permitir apenas importação pelo Amapá. A culpa é do governo ?

 

Lei é Lei e só deixa de valer quando é alterada ou revogada.

E vai contratar na véspera de começar a operar? E o treinamento, etc? Se fosse assim, aliás, não teria nenhum funcionário de aeroporto contratado ainda...afinal, ela ainda não tem autorização para operar nenhuma rota, quando na verdade já sabemos que pelo menos em VCP, SDU, CWB e mais alguns já está com a equipe pronta.

 

Além do que ainda não acabou...vamos esperar a consulta pública e a decisão da ANAC, que pelo que eu saiba é a ela que cabe decidir isso.

Link to comment
Share on other sites

que pelo que eu saiba é a ela que cabe decidir isso.

Se o estado protestar judicialmente é bem provavel que a ANAC e Azul sairão com uma mão na frente e outras atrás dessa situação.

Nada contra a Azul, antes mesmo de começar ja tenho muita vontade de trabalhar la e de ser passageiro dela. Mas ela praticamente quer atropelar todas as leis e normas que vão de encontro com o rumo dela...

Link to comment
Share on other sites

E vai contratar na véspera de começar a operar? E o treinamento, etc? Se fosse assim, aliás, não teria nenhum funcionário de aeroporto contratado ainda...afinal, ela ainda não tem autorização para operar nenhuma rota, quando na verdade já sabemos que pelo menos em VCP, SDU, CWB e mais alguns já está com a equipe pronta.

 

Além do que ainda não acabou...vamos esperar a consulta pública e a decisão da ANAC, que pelo que eu saiba é a ela que cabe decidir isso.

 

Desculpe-me, mas começar a operar com menos de um mês de passagens à venda não é uma situação prevista. Toda a pressa da Azul não tem precedentes...

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade