Jump to content

TAM e Gol obtêm áreas para terminais de cargas em Guarulhos


C010T3

Recommended Posts

TAM e Gol obtêm áreas para terminais em Guarulhos

 

Roberta Campassi, de São Paulo

12/11/2008

Valor

 

A TAM e a Gol conseguiram áreas no aeroporto internacional de Guarulhos para construir terminais de cargas. A Infraero, estatal que administra a infra-estrutura aeroportuária, informou que apenas as duas companhias aéreas mostraram interesse por dois terrenos existentes, de forma que não foi aberto processo de licitação para a concessão das áreas.

 

A TAM terá um terreno de aproximadamente 8,8 mil m, segundo a Infraero. A Gol informou que sua área está próxima de 10 mil m.

 

A TAM calcula que serão necessários investimentos de aproximadamente US$ 30 milhões para erguer o terminal. A estrutura dará suporte ao manuseio de carga internacional, segmento em ascensão desde que a companhia aérea ampliou a oferta de vôos ao exterior, especialmente para a Europa.

 

Os investimentos podem acontecer em 2009 desde que a TAM consiga financiamento com o BNDES, disse o vice-presidente de finanças e relações com investidores da empresa, Líbano Barroso. Na segunda-feira, durante apresentação para investidores, o executivo informou que a prioridade da companhia aérea no próximo ano é preservar o caixa e o nível de liqüidez, de forma que projetos dependentes de recursos próprios podem ser adiados. A TAM também disse que pretende cortar entre R$ 300 milhões e R$ 400 milhões em custos não ligados diretamente às operações aéreas.

 

A Gol informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que pretende começar os investimentos o mais rápido possível. A empresa depende apenas de algumas assinaturas finais no processo de concessão.

 

Entre janeiro e setembro, a TAM obteve receita de R$ 730 milhões com transporte de cargas, o que representa pouco mais de 9% da receita bruta total da companhia no período, de R$ 7,97 bilhões. A carga internacional, sozinha, gerou R$ 393 milhões. Neste ano, a empresa ampliou sua oferta internacional de vôos para carga e passageiros em 40%. Um dos impulsos para esse aumento foi a incorporação de dois Boeings 777 na frota, que têm porões maiores, em substituição a aeronaves MD-11.

 

No caso da Gol, a companhia obteve receita líquida de R$ 170 milhões com cargas nos primeiros nove meses deste ano, valor 46% superior ao registrado no mesmo período de 2007. A empresa atua principalmente com carga doméstica.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade