Jump to content

Varig anuncia a demissão de 5.500 funcionários em todo o país


serious flyer

Recommended Posts

Varig anuncia a demissão de 5.500 funcionários em todo o país

da Folha Online, no Rio

 

A Varig anunciou hoje a demissão de 5.500 funcionários. A companhia aérea informou que do total de 9.485 funcionários alocados no Brasil, apenas 3.985 serão mantidos.

 

Segundo comunicado da empresa, começa hoje a "adequação do quadro funcional da empresa às reais necessidades de operações do momento".

 

A empresa informa que os funcionários estão sendo avisados do desligamento por seus superiores e, em casos excepcionais, por correspondência.

 

Em comunicado, a Varig diz estar discutindo com os sindicatos de seus funcionários as alterações necessárias nos acordos coletivos de trabalho, para que as rescisões contratuais se enquadrem no estabelecido pelo Plano de Recuperação Judicial. Tem sido dada prioridade à documentação relativa à liberação do FGTS e do Seguro

 

Desemprego

 

De acordo com a empresa, a reestruturação do quadro de pessoal não vai atingir as operações da Varig, que atualmente voa para São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Fortaleza, Salvador, Recife, Manaus (rotas no Brasil), Frankfurt e Buenos Aires (no exterior) com um total de dez aeronaves.

 

Além desses, a empresa opera a ponte aérea Rio de Janeiro-São Paulo diariamente e vôos extras. O Programa Smiles também não sofrerá alterações, segundo a companhia, e os passageiros vão poder continuar a fazer uso e creditar suas milhas.

 

Rescisão

 

Segundo documento encaminhado pela companhia aos trabalhadores, as verbas rescisórias são estimadas em R$ 253,1 milhões e incluem aviso prévio, férias vencidas e proporcionais, 13º salário, entre outras coisas.

 

O saldo de salários atrasados, que também se referem ao mês de julho, é estimado em R$ 106,2 milhões.

 

A companhia se comprometeu a entregar as rescisões contratuais e extratos do FGTS em um prazo de até 45 dias após a data de desligamento.

 

O presidente da Varig, Marcelo Bottini, havia informado na última reunião com sindicalistas que a viabilização desses pagamentos se dará por meio de créditos que a empresa tem a receber de ICMS dos Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

 

Check-in

 

Insatisfeitos com quase quatro meses de salários atrasados, funcionários dos aeroportos de São Paulo (Guarulhos e Congonhas), Porto Alegre e Curitiba exigem o pagamento imediato além de esclarecimentos quanto às demissões sob ameaça de cruzar os braços.

 

O Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos realiza assembléia que pode decidir pela paralisação por tempo indeterminado.

 

Os funcionários do check-in, do departamento administrativo e mecânicos da Varig no aeroporto de Congonhas fizeram uma paralisação entre 13h30 e 15h desta sexta-feira após tomarem conhecimento do comunicado interno no qual a companhia aérea avisava das demissões.

 

http://noticias.bol.com.br/economia/2006/0...t91u109761.jhtm

 

 

 

Mesma notícia, outra fonte.

 

 

 

Demissões na Varig chegam a 5.500 funcionários

 

Segundo a empresa, os funcionários estão sendo avisados por seus superiores e, em casos excepcionais, por correspondência, já que alguns não têm pontos fixos de trabalho

 

Renata Stuani

 

 

SÃO PAULO - A Varig vai demitir 5.500 funcionários. Ou seja, serão mantidos 3.985 funcionários de um total de 9.485 empregados. O presidente da Varig, Marcelo Bottini, revelou que a direção da empresa já comunicou oficialmente aos funcionários sobre os cortes que serão promovidos por conta do plano de recuperação da companhia aérea. Segundo ele, as demissões já começaram e serão anunciadas ao longo das próximas semanas pelas chefias de cada departamento. O executivo descartou a possibilidade de sair uma lista única com todos os funcionários que serão aproveitados pela nova Varig.

 

Em comunicado divulgado hoje, a direção da empresa explica que os funcionários que não têm local fixo, como comissários e pilotos, serão informados por correspondência enviada às suas casas. A empresa se compromete a realizar uma "contratação paulatina" dos empregados cortados, conforme o ritmo gradual de retomada do crescimento da frota e ampliação da malha de rotas nacionais e internacionais.

 

O documento também destaca que "as rescisões serão pagas na forma estabelecida pelo Plano de Recuperação Judicial aprovado por todos os credores". Será dado prioridade, portanto, à liberação do FGTS e a obtenção do Seguro Desemprego.

 

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que não vai comentar as demissões de funcionários anunciadas hoje pela direção da Varig em função do plano de recuperação da empresa. Segundo a Assessoria da Agência, "esse é um assunto relativo à estrutura da empresa e não é de competência do órgão regulador".

 

Situação da Varig

 

A Varig, com 79 anos de existência, está em recuperação judicial desde 17 de junho de 2005 e foi vendida em leilão para a VarigLog, sua ex-subsidiária de logística. Nos últimos dias, a empresa cancelou a maior parte das linhas. Ela opera neste momento com 10 aviões, voando para as seguintes cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Fortaleza, Salvador, Recife, Manaus (rotas no Brasil), Frankfurt e Buenos Aires (no exterior). Ela opera também a Ponte Aérea Rio-São Paulo (Santos Dumont-Congonhas) diariamente, rota que será o principal foco dos novos administradores neste momento.

 

A companhia mantém vôos extras para a Europa e América do Sul e uma linha para Miami e Nova Iorque (EUA) em dias alternados. O Programa Smiles não sofrerá alterações, embora os passageiros tenham tido dificuldade para utilizar as milhas por causa dos problemas nos serviços.

 

A antiga Varig, que se chamará Nordeste e herdará todas as dívidas, vai operar apenas com um avião. A expectativa é de que ela fique com apenas 50 funcionários. Já a nova companhia, criada com a venda para a VarigLog, deve absorver cerca de 2 mil empregados.

 

Veja a íntegra do comunicado distribuído aos funcionários

 

"MENSAGEM DO PRESIDENTE

 

Hoje, 28 de julho de 2006, damos início a uma das mais importantes fases do projeto de reestruturação da nossa Varig, promovendo a adequação do quadro funcional da empresa às reais necessidades das operações do momento. Alcançamos, todos juntos, muitas conquistas durante este período turbulento. Aprovamos, junto aos credores, o Plano de Recuperação Judicial e fizemos aquilo que quase ninguém acreditava ser possível: promovemos o leilão de ativos da Varig necessários à criação de uma nova empresa que levará, daqui para frente, a nossa marca de volta aos céus de todo o mundo. No entanto, todos sabíamos que no primeiro momento a nova empresa teria que promover profundas mudanças estruturais. E que, para isso, seria fundamental um período de adaptações necessárias à retomada de seu caminho para o crescimento, num futuro que, com certeza, será muito breve. A adequação do quadro de funcionários baseados no Brasil que iniciamos hoje não deve ser encarado, pura e simplesmente, como o fechamento de postos de trabalho. Pelo contrário, precisa ser visto como medida necessária e transitória para a manutenção e recuperação da Varig. Todos que trabalhamos no mercado de aviação sabemos que, a cada nova aeronave incorporada à frota da companhia, a cada rota nacional ou internacional adicionada à malha da empresa, mais trabalhadores devem ser contratados. Temos informações que, brevemente, outros aviões serão trazidos e o compromisso com os que dirigem a nova companhia é o de admitir - para os postos que forem criados - os funcionários agora desligados. Tenho convicção que cada um de nós cumpriu, e até mesmo excedeu, o papel que lhe coube até agora. É o que sempre soubemos fazer aqui na Varig: surpreender, superar expectativas, avançar e, mesmo diante das condições mais adversas, fazer com que a empresa fosse sempre a pioneira. Daqueles que serão absorvidos sei que posso esperar dedicação, lealdade, perseverança. E, principalmente, o trabalho com a inigualável marca dos funcionários da Varig. É assim que cada um de vocês poderá contribuir para que a companhia volte a crescer e, a curto/médio prazo, crie rapidamente novas oportunidades para que outros colegas voltem ao nosso convívio logo que possível. Os desligamentos começam a ser comunicados pessoalmente a vocês por suas chefias e, nos casos de funcionários que não têm local físico de trabalho, por correspondência enviada à residência de cada um. Posteriormente, os funcionários que agora deixam o nosso convívio diário serão comunicados por correspondência dos procedimentos para a rescisão contratual, Lembramos que, após a alteração dos acordos coletivos de trabalho - já em processamento junto aos Sindicatos - estas rescisões serão pagas na forma estabelecida pelo Plano de Recuperação Judicial aprovado por todos os credores. Será dada prioridade à documentação necessária à liberação do FGTS e do Seguro Desemprego.

 

Marcelo Bottini Presidente"

 

http://www.estadao.com.br/ultimas/economia.../jul/28/235.htm

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade