Jump to content

Tudo Azul... em Campinas


Nishan

Recommended Posts

(O Globo, Segundo Caderno, 27.11.2008)

 

Tudo azul... em Campinas

Enquanto o Rio perde uma empresa,

os cariocas perdem tempo e dinheiro

 

 

Sempre pensei que atrair empresas para o Rio fosse um bom negócio para a cidade e para o estado, sobretudo empresas ligadas a turismo. Pois parece que pensei errado. O governador, que deve entender mais disso do que eu -- até porque viajar tem sido sua principal atividade desde que assumiu o governo -- acaba de despachar para Campinas uma companhia aérea novinha em folha, que queria se estabelecer aqui e operar a partir do Santos Dumont.

 

Eu também achava, por sinal, que o Santos Dumont devia ser mais bem aproveitado, sobretudo depois que gastaram toda aquela dinheirama na sua reforma. É bem localizado, conveniente para quem vai e quem vem. Seu saguão quase sempre deserto é, sem dúvida, muito confortável para quem viaja, mas não parece fazer qualquer sentido operacional. Por outro lado, que sentido faz sair do Rio para, digamos, Brasília ou Belo Horizonte, gastando muito mais tempo no engarrafamento, na Linha Vermelha e num Galeão caindo aos pedaços do que no avião propriamente dito?

 

É claro que vejo a situação como uma viajante comum, que não usa helicóptero, vai de taxi para o aeroporto e nem sabe onde fica o hangar dos jatinhos executivos. Não tenho, portanto, a privilegiada visão do governador, que, lá do alto, certamente há de saber o que é melhor – se não para nós, pelo menos para ele, para as demais autoridades do ramo e, last but not least, para a TAM e para a Gol. Mas também, o que é que eu quero? Ninguém pode pensar em todo mundo ao mesmo tempo.

* * *

A Azul entra no ar (literalmente) a partir do dia 15 de dezembro e, segundo ótima entrevista dada por seu proprietário a Geralda Doca, aqui do jornal, terá passagens até 75% mais baratas do que as da concorrência. Eu não sabia quem era David Neeleman até começarem a surgir as primeiras notícias a respeito da Azul, mas, há tempos, sou fã da JetBlue, sua voadora norte-americana -- essa sim uma empresa de linhas aéreas verdadeiramente inteligentes, que sabe que passageiro, por barato que esteja pagando, quer algo mais de uma viagem além de barras de cereal.

 

Tenho certeza de que o povo de Campinas deve estar muito contente com o inesperado presente que ganhou, de mão beijada, do governo do Rio de Janeiro: quem é que não quer viajar sem escalas a um precinho camarada? O mínimo que a câmara de vereadores local poderia fazer, em troca, era dar a Sérgio Cabral o título de cidadão honorário, pelos excelentes serviços prestados à cidade.

 

Enquanto isso nós, cariocas, que já somos obrigados a ir a São Paulo para qualquer viagem internacional, continuaremos amarrados ao Galeão para vôos que poderiam perfeitamente sair ali da esquina. O secretário de transportes Júlio Lopes (outro que, há tempos, deve ter uma visão muito privilegiada lá do alto para não ver o que aos usuários comuns parece óbvio), afirma que a Azul é bem-vinda “desde que respeite as regras que visam à consolidação do Galeão”. Ou seja: desde que só use o Santos Dumont com o máximo de escalas e de desconforto para os passageiros.

* * *

E, já que estamos nisso: estava eu na fila para embarcar, há duas semanas, quando um grupo de mocinhas uniformizadas aproximou-se, distribuindo um folheto. Pensei que fosse promoção de assinatura de revista ou de operadora de telefonia, os dois maiores sucessos do hit parade da chateação aeroportuária desnecessária, mas, surpresa!, era uma novíssima novidade.

 

O folheto – na verdade, uma folha do tamanho de dois cartões postais, impressa a cores num ótimo papel – era propaganda da Infraero. Aceitei um e li com atenção; afinal, havia sido pago com o meu dinheiro. Num dos lados, na parte de baixo, um rapaz sorria, não sei exatamente do quê. Na parte de cima, estava escrito o seguinte: “A Infraero vem trabalhando 24 horas, de segunda a segunda, para deixar o Galeão melhor a cada dia”.

 

Do outro lado, mais uma frase de efeito: “O Galeão é grande. E, por isso mesmo, a reforma não é pequena.” Em alguma repartição, alguém deve estar se achando um gênio. Depois, mais lero lero a respeito das “importantes mudanças” e da “modernização e revitalização”, que, em tese, tornarão o Galeão “ainda melhor para todos nós”. Como, “ainda melhor”? Quer dizer que eles acham que está bom?

 

Mas o mais importante não é isso. É a lista do valor das obras em execução. Certamente querendo mostrar “transparência”, a Infraero informa: a substituição do piso e do revestimento vai ficar em R$ 3.744.723,97; a reforma dos sanitários públicos, a R$ 4.015.502,26; a instalação dos monitores de vigilância, R$ 1.414.117,63; e assim por diante. O custo dos folhetos, bem como o do encarte que saiu semana passada nos jornais, não foi especificado. Pergunto: dá para levar a sério um orçamento de milhões que especifica centavos? Pergunto de novo: isso é sacanagem, má fé, safadeza, ou todas as respostas acima?

 

Cora Rónai

Link to comment
Share on other sites

O artigo foi publicado na 4ªfeira passada e eu acabei esquecendo-o de postá-lo aqui no dia.

 

Quanto a discussão SDU-AZUL, eu não vou me aprofundar muito não. O SDU tem que ser Ponte-Aérea, vôos regionais, executivos e PONTO FINAL. Demais vôos domésticos: favor dirija-se ao AIRJ.

 

Sobre a parte que critica a INFRAERO eu até concordo com a jornalista. Só não entendi a parte dos centavos (hehehehe). No entanto, em relação ao que ela escreve sobre a Azul e a "ótima entrevista" do sr. Neelman, é melhor eu não dizer nada.

 

Vou mandar um email pra ela.

Link to comment
Share on other sites

Interessante que o outro tópico o secretário carioca defende GIG. Eu particularmente achei este texto da Cora rídiculo, por que ela fala que o carioca precisa ir para São Paulo para viajar para o exterior. Se abrir o SDU ai que isso vai ocorrer e até outros aeroportos podem ser beneficiados (CNF e BSB por exemplo) em menor escala. Em 2003 o Rio tinha apenas serviços non-stop para EZE, MVD, MIA, ATL, LIS, MAD,até FRA, CDG e LAD. E ganhou desde então SCL, LIM, PTY, IAH, OPO, e até as AFAs históricas se concretizaram, como os tradicionais Rio-Londres e Rio-Nova Iorque. Somente um destino deixou de ser atendido (FRA), mas até AZA tinha interesse em voar para Roma, se não fosse a burrocracia da Infraero.

 

Fora que estes novos vôos estão gerando receita para o Rio de Janeiro, ao contrário como antigamente, em que parte ficava no RJ e o restante ia para SP. Abre empregos, efeito multiplicador, aumentando o número de vôos, atraem mais empresas.

 

Isso a Cora não vê...

Link to comment
Share on other sites

Eu já mandei um e-mail com cerca de duas mil palavras acabando com ela.

 

Vou mandar um ainda hoje para ela.

É fácil sair falando besteira no jornal sem ter sequer noção do que se está escrevendo!

Link to comment
Share on other sites

Sim, é muito fácil sair escrevendo besteira em jornal. Principalmente quando você trabalha para o jornal.

 

É muito mais prático publicar sua "indignação" na sua coluna semanal em um jornal a ter publicar os dois lados da história, seus prós, seus contras, etc...

Link to comment
Share on other sites

Se a Infraero fizesse direito seu trabalho, e o Galeão estivesse num mínimo de condições de conforto e operacionalidade, essa discussão seria focada apenas no fato da maior comodidade de uso do Santos Dumont.

 

Mas não, devido ao péssimo estado do aeroporto, principalmente do T1, vira e mexe o estado deplorável do GIG, vira argumento favorável a maior utilização do SDU...

 

Não estou aqui argumentando contra ou a favor da liberalização do SDU, estou mostrando que sou totalmente a favor de que o Galeão receba os cuidados que um aeroporto de tal importância merece, tanto nas obras de manutenção do que já existe como que os planos de expansão não sejam abandonados ou venham a se iniciar tarde demais (como GRU, aeroporto já saturado em todos os aspectos, onde qualquer obra de expansão que se inicie hoje já se iniciará tarde demais!).

Link to comment
Share on other sites

 

E uma coisa que muito carioca parece não enxergar.

 

A Azul não abriu escritório no Rio de Janeiro, ela só quer usar o SDU como base de vôos.

 

A única coisa positiva para a cidade seria a base de tripulantes, mas isso é um tanto falso pois é cada vez mais comum ver tripulantes do RS, PR, SC, ES, MG, DF, RJ voltando para suas casas após uma etapa de vôos.

 

No meu vôo JFK-GIG tinha tripulante indo para POA, CWB, VIX e GRU, ou seja, base não é garantia de residência.

 

É triste ver a imprensa defendendo um ponto de vista corporativo que peca em sustentação quando o próprio presidente da Azul, continua morando em São Paulo e alardeando que faz uma vez por semana a rota SP-Nova York, mas quer brigar com o Governo do Rio por estar querendo sugar o SDU sem qualquer benefício substancial para a cidade.

 

Vou engrossar o coro e escrever para a Córa Ronai.

Link to comment
Share on other sites

Se a Infraero fizesse direito seu trabalho, e o Galeão estivesse num mínimo de condições de conforto e operacionalidade, essa discussão seria focada apenas no fato da maior comodidade de uso do Santos Dumont.

 

Mas não, devido ao péssimo estado do aeroporto, principalmente do T1, vira e mexe o estado deplorável do GIG, vira argumento favorável a maior utilização do SDU...

 

Não estou aqui argumentando contra ou a favor da liberalização do SDU, estou mostrando que sou totalmente a favor de que o Galeão receba os cuidados que um aeroporto de tal importância merece, tanto nas obras de manutenção do que já existe como que os planos de expansão não sejam abandonados ou venham a se iniciar tarde demais (como GRU, aeroporto já saturado em todos os aspectos, onde qualquer obra de expansão que se inicie hoje já se iniciará tarde demais!).

 

Entendo seu ponto vista.

Nutro do mesmo!

 

Link to comment
Share on other sites

Vou engrossar o coro e escrever para a Córa Ronai.

 

Sinal de que vamos lotar a caixa de entrada dela com e-mails deselegantes.

Estou bolando aqui o que vou escrever para ela. Talvez eu pegue leve e tente explicar para ela o meu ponto de vista. Dependendo do que ela me responder, eu boto farinha no molho para deixa-lo mais grosso.

Link to comment
Share on other sites

Sinal de que vamos lotar a caixa de entrada dela com e-mails deselegantes.

Estou bolando aqui o que vou escrever para ela. Talvez eu pegue leve e tente explicar para ela o meu ponto de vista. Dependendo do que ela me responder, eu boto farinha no molho para deixa-lo mais grosso.

 

Ih, gente, não precisam ser deselegantes. Eu tentei ser o mais elegante possível, derrotando o ponto de vista dela por nocaute argumentativo, tanto que ele nem respondeu. Aliás, é possível que nem tenha se dado ao trabalho de ler...

Link to comment
Share on other sites

Bom, em briga de cariocas o paulista aqui não mete maia a colher :D

 

Meu ponto-de-vista é semelhante ao da Cora Ronai, embora eu saiba que suas palavras sempre foram "receptivas" a favores e benesses, inclusive para parentes (isso é ouuuuutra história). Quando eu escrevi isso aqui, fui "metralhado" (no bom sentido) com excelêntes argumentos que me fizeram entender o outro lado da moeda.

Olhando para o meu umbigo, a abertura maior do SDU seria ótima mas não é por aí.

 

Eu tenho meus motivos para odiar o galeão e o seu acesso (já tive que voltar de marcha-a-ré dentro de um taxi por conta de tiroteios na vila do João e isso não se esquece), mas os argumentos dos colegas aqui são plausíveis, embora eu possa continuar pensando no meu umbigo e discordar totalmente deles.

 

Um abraço,

 

Rafael

Link to comment
Share on other sites

Bom, em briga de cariocas o paulista aqui não mete maia a colher :D

 

Meu ponto-de-vista é semelhante ao da Cora Ronai, embora eu saiba que suas palavras sempre foram "receptivas" a favores e benesses, inclusive para parentes (isso é ouuuuutra história). Quando eu escrevi isso aqui, fui "metralhado" (no bom sentido) com excelêntes argumentos que me fizeram entender o outro lado da moeda.

Olhando para o meu umbigo, a abertura maior do SDU seria ótima mas não é por aí.

 

Eu tenho meus motivos para odiar o galeão e o seu acesso (já tive que voltar de marcha-a-ré dentro de um taxi por conta de tiroteios na vila do João e isso não se esquece), mas os argumentos dos colegas aqui são plausíveis, embora eu possa continuar pensando no meu umbigo e discordar totalmente deles.

 

Um abraço,

 

Rafael

 

Você tem todo o direito de pensar assim, de preferir o Santos Dumont. Porém, tem de admitir que a Cora Rónai se contradiz. Ela quer voar para todo o canto a partir do Rio sem ter de parar em São Paulo, porém, mesmo assim, quer que o voo saia da esquina. Ela tem desejos inconciliáveis.

Link to comment
Share on other sites

Tenho acompanhado a imprensa quanto a utilização do SDU. Escrevem jornalistas, economistas, administradores de empresas,colunistas e lobistas. Até agora só não li artigos de quem realmente entende do "negócio", o PILOTO.

Eu, como piloto, sempre "fugi"da ponta aérea pois penso que aviação é para a frente,nada de ir e voltar. Nada contra quem gosta ou precisa.

A operação no SDU é uma operação especial pois requer um treinamento, um tipo de aeronave específica e procedimentos especiais. Isto tudo gera um custo para a empresa.

Voces já imaginaram o caos que seria a liberação do SDU de vôos para CWB,CPQ,CNF,BSB,VIX,FLN,SSA etc,etc... estando o "Pão de Açucar"encoberto ?

Abs, tailpipefire :thumbsdown_still:

Link to comment
Share on other sites

Incrível como a Azul seduziu toda a opinião pública carioca. Aquele David diz meia dúzia de palavras doces, faz um marketingzinho colocando o nome da cidade em um avião e para qualquer porcaria que ele disser todo mundo diz amém.

Link to comment
Share on other sites

A Azul deveria era parar de ficar chorando pelos cantos pela liberalização dos vôos do SDU e se adequar as regras atuais.

 

Se não estou enganado, pode-se sim voar do SDU para qualquer capital, desde que o vôo efetue escala em pelo menos duas cidades do interior.

 

Não seria viável um vôo SDU-RAO-UDI-BSB? SDU-SJK-NVT-POA?

Link to comment
Share on other sites

A operação no SDU é uma operação especial pois requer um treinamento, um tipo de aeronave específica e procedimentos especiais. Isto tudo gera um custo para a empresa.

Voces já imaginaram o caos que seria a liberação do SDU de vôos para CWB,CPQ,CNF,BSB,VIX,FLN,SSA etc,etc... estando o "Pão de Açucar"encoberto ?

Abs, tailpipefire :thumbsdown_still:

 

Uso isso como argumento direto. Mas as pessoas custam a entender.

 

 

 

[OFF TOPIC]

Aliás, quando falei que ia mandar uma carta deselegante para Cora, eu falei da boca para fora. Se eu fizer isso perco a razão.

 

Abraço!

Link to comment
Share on other sites

Que artigo mais estupido. Realmente o jornalismo brasileiro anda de mal a pior. Pessoas desta comunidade que apoiam a liberação do SDU, conseguiriam fz um artigo melhor, mais decente do que este que foi escrito. O duro é ver a senhora reclmar da falta de voos pr outras cidades no SDU ao msm tempo em que reclama da falta de voos internacionais n GIG. sera que ela realmente ñ percebe que uma liberação desenfreada do SDU só pioraria a fakta de voos internacionais no Rio. E outra, ela fala de um jeito como se ñ tivesses um voo internacional se quer no Rio, quando a situação melhorou bastante nestes ultimos anos, em parte, graças as transferencias de voos do SDU pr o GIG.

 

De uma certa forma, esta colunista de O Glbo, parece representar de forma geral a opinião da média dos cariocas, ou seja, ao msm tempo que a população do Rio quer um aeroporto central forte com voos pr todo canto do Brasil, eles também querem um GIG fortalecido com centenas e centenas de voos pr todo o mundo. Esq

Link to comment
Share on other sites

Que artigo mais estupido. Realmente o jornalismo brasileiro anda de mal a pior. Pessoas desta comunidade que apoiam a liberação do SDU, conseguiriam fz um artigo melhor, mais decente do que este que foi escrito. O duro é ver a senhora reclmar da falta de voos pr outras cidades no SDU ao msm tempo em que reclama da falta de voos internacionais no GIG. Sera que ela realmente ñ percebe que uma liberação desenfreada do SDU só pioraria a falta de voos internacionais no Rio. E outra, ela fala de um jeito como se ñ tivesses um voo internacional se quer no Rio, quando a situação melhorou bastante nestes ultimos anos, em parte, graças as transferencias de voos do SDU pr o GIG.

 

De uma certa forma, esta colunista de O Glbo, parece representar de forma geral a opinião da média dos cariocas, ou seja, ao msm tempo que a população do Rio quer um aeroporto central forte com voos pr todo canto do Brasil, eles também querem um GIG fortalecido com centenas e centenas de voos pr todo o mundo. Esquecem que no cenario atual, isto é impossivel pois pelo tamanho do mercado e do novo terminal do SDU, vai haver uma concorrencia predatoria entre os dois aeroportos com a provavel viotoria do SDU e a derrota do GIG e do Rio que vera varios voos internacionais e msm nacionais se deslocando pr São Paulo, Brasilia, etc. Querem abraçar o mundo e ñ se dão conta de que pode acontecer exatamente o contario, ou seja, o Rio se tornar cada vez mais uma cidade provinciana voltada apenas pr seu proprio umbigo. Em BH, infelizmente acontece a msm coisa. Muitos argumentam que Pampulha deve ficar com voos nacionais enquanto Tancredo Neves com os internacionais. Esquecem eles, que não ha como haver voos internacionais num aeroporto que ñ tem nem uma dezena de voos nacionais. Guarulhos é um grande exemplo disto. Sempre teve um enorme numero de vos internacionais mas também tb há uma grande quantidade de voos nacionais pr alimentarem os primeiros.

Link to comment
Share on other sites

Você tem todo o direito de pensar assim, de preferir o Santos Dumont. Porém, tem de admitir que a Cora Rónai se contradiz. Ela quer voar para todo o canto a partir do Rio sem ter de parar em São Paulo, porém, mesmo assim, quer que o voo saia da esquina. Ela tem desejos inconciliáveis.

 

Exatamente, Coiote. Ela se contradiz e suas opiniões são contraditórias até quando metia o pau na ex-Telemar (hoje Oi) e pedia ao Nelson XXXX, da redação do "Informática e etc" (caderno do "O Globo") para ligar e nos pedir benesses para sí e para a familia.. (ingressos, credenciais, etc...).

 

Um abraço,

 

Rafael

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Tenho acompanhado a imprensa quanto a utilização do SDU. Escrevem jornalistas, economistas, administradores de empresas,colunistas e lobistas. Até agora só não li artigos de quem realmente entende do "negócio", o PILOTO.

Eu, como piloto, sempre "fugi"da ponta aérea pois penso que aviação é para a frente,nada de ir e voltar. Nada contra quem gosta ou precisa.

A operação no SDU é uma operação especial pois requer um treinamento, um tipo de aeronave específica e procedimentos especiais. Isto tudo gera um custo para a empresa.

Voces já imaginaram o caos que seria a liberação do SDU de vôos para CWB,CPQ,CNF,BSB,VIX,FLN,SSA etc,etc... estando o "Pão de Açucar"encoberto ?

Abs, tailpipefire :thumbsdown_still:

 

O pão de açúcar encoberto não é problema, nem a pista curta do SDU, pois com treinamento e aeronaves adequadas a operação no SDU é segura. Mas como piloto eu vejo que hoje o Rio de Janeiro tem dois aeroportos que se atrapalham mutuamente. Um aeroporto tem uma localização privilegiada mas não tem como crescer. Outro tem como crescer, mas não temuma localização tão boa, e para complicar a situação, o relevo carioca, que tanto embeleza a cidade, acaba dificultando um fluxo de tráfego independente para os dois aeroportos. Acaba que ambos os aeroportos operam na prática como se fossem um só, a operação de um atrapalha o outro, e aí surgem atrasos, órbitas, sequenciamentos intermináveis.

 

Vejo isto como um problema de difícil solução, especialmente no caso do GIG.

 

Link to comment
Share on other sites

Não sei porque acham que o Galeão é mal-localizado. Óbvio que não é tanto quanto SDU, mas não é nada longe. 20 minutos do Centro, 35 minutos da Zona Sul e 30 minutos da Barra. Para uma metrópole, não são números muito altos.

Link to comment
Share on other sites

Olha eu acho importantissimo todos nos defendermos os nossos intereses e acho que vcs ai do Rio fazem isso muitissimo bem!

Agora cá entre nós!

Vcs não acham que esse assunto ja está mais do que esgotado?

Aqui no forum devem existir dezenas de topicos sobre esse assunto. Toda vez que um jornal repete a mesma noticia vem um trilhao de post sobre o mesmo assunto!

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade