Jump to content

Fumaça e pânico em avião da Gol antes de escala em Confins


edsmorais

Recommended Posts

O desespero tomou conta dos 137 passageiros que, na madrugada de domingo, estavam a bordo do vôo 1629, da Gol Linhas Aéreas, que partiu de Porto Seguro (Bahia) com destino ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, com escala no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O avião decolou da cidade baiana por volta das 3h30 e, faltando apenas 15 minutos para o pouso na capital mineira, uma fumaça tóxica começou a sair das saídas de ar-condicionado. Os passageiros entraram em pânico, pois ninguém sabia o que estava ocorrendo. A primeira suspeita foi de que haveria um incêndio na aeronave.

 

O presidente da Federação das Associações, Pais e Alunos das Escolas Públicas de Minas Gerais (Fapaemg), Mário de Assis, de 48 anos, um dos passageiros, conta que, enquanto a fumaça se espalhava pela cabine de passageiros, houve muito medo a bordo. "Algumas pessoas choravam, havia os que rezavam, outros gritavam, principalmente as crianças, e vários, diante do susto e da falta de ar causada pela fumaça, desmaiaram. A tripulação estava assustada e, com voz trêmula, o piloto pediu que ficássemos calmos e com os cintos atados. Vi a morte de perto", desabafa.

 

Ele e mais 10 professores de Belo Horizonte foram a Porto Seguro depois de participarem de ações de assistência social no Norte de Minas e no Vale do Jequitinhonha. Alguns integrantes do grupo perceberam que, quando a aeronave saiu de Porto Seguro, já havia um barulho estranho no sistema de ventilação. De acordo com Mário, depois da fumaça, as aeromoças começaram a distribuir lenços e papéis umedecidos para amenizar os efeitos da intoxicação. "Como não era caso de despressurização, as máscaras não foram liberadas e as pessoas tinham dificuldade para respirar. O pavor durou exatamente 15 minutos", informa.

 

A professora Maria Pérola Macedo Gomes, de 53, conta que percebeu que havia algum problema no ar-condicionado. "A aeronave estava muito quente, parecia que o ar não estava ligado. De repente, a fumaça ficou muito forte e as pessoas ficaram sufocadas. O piloto avisou que pousaríamos, mas, pouco depois de começar a baixar a altitude do avião, ele voltou a subir. Só se via homens, mulheres e crianças chorando. A tripulação tentava nos tranqüilizar, mas não explicou o motivo do problema. Minha amiga, Cleunice Mendonça , angustiada, só falava na mãe e nos filhos. Tentei acalmá-la, porém, ela não resistiu e ficou desmaiada por cerca de 4 minutos."

 

De acordo com Maria Pérola, os passageiros que desmaiaram receberam equipamentos de oxigênio, distribuídos pela tripulação. "Fiquei muito preocupada com minha amiga, porque ela sofre de pressão alta. Uma outra amiga, a Joana D'Arc, que estava na poltrona atrás da minha, é alérgica. Ela ficou inerte com os olhos arregalados, pensei até o pior", revela.

 

MANUTENÇÃO Depois do pouso, o piloto informou aos passageiros que o problema pode ter sido causado por um defeito no sistema de refrigeração. Assim que o avião aterrisou, equipes de resgate, com bombeiros e ambulâncias, estavam preparadas para socorrer as pessoas, pois o piloto já havia alertado a Central de Operações de Confins. Maria Pérola informou que médicos entraram rapidamente na aeronave, para atender quem havia passado mal.

 

Funcionários da Infraero confirmaram que as equipes de resgate foram acionadas porque havia a suspeita de problemas causados por fumaça na cabine. O defeito pode ter sido causado por um vazamento de óleo hidráulico. Ainda de acordo com os funcionários, o avião da Gol pousou em Confins às 5h34.

 

A Gol, em nota distribuída à imprensa, confirmou que o problema no avião ocorreu no sistema de ar-condicionado e, por essa razão, a aeronave permaneceu emBelo Horizonte para uma manutenção não programada. Os passageiros que seguiriam para São Paulo embarcaram em outro vôo, que pousou no Aeroporto de Guarulhos às 9h10.

 

 

______________________________________________________________________________

Por favor, não digam que é sensacionalismo da imprensa, que é normal o sistema de ar-condicionado lançar gases para dentro do avião e outras coisas que costumam falar aqui...

Abraço,

Edsmorais

Link to comment
Share on other sites

  • Replies 96
  • Created
  • Last Reply

graças a Deus...o pessoal da Infraero e dos bombeiros de CNF são MUITO competentes...

participei da última simulação de acidente aéreo, treinamento deles,e fiquei impressionado!

eles são mto bons!

Link to comment
Share on other sites

Por favor, não digam que é sensacionalismo da imprensa, que é normal o sistema de ar-condicionado lançar gases para dentro do avião e outras coisas que costumam falar aqui...

Abraço,

Edsmorais

Normal não é. Porem toda maquina esta sujeita a falha, mesmo nestes aviões novos da Vrg. É sempre muito difícil opinar sem ter os reais dados. Tudo leva a crer que um dos sistemas de ar condicionado do 737, também chamados de “Pack” apresentou superaquecimento e acabou contaminando o ar da cabine com fumaça. Provavelmente mesmo após este sistema de ar condicionado ter sido desligado a fumaça demora alguns minutos para se dissipar. Evidente que causa pânico, existe até passageiro que entra em pânico só ao entrar em um avião, imagina com fumaça a bordo. Eu já vivi uma situação parecida e sei como existem pessoas escandalosas.

Link to comment
Share on other sites

O desespero tomou conta dos 137 passageiros que, na madrugada de domingo, estavam a bordo do vôo 1629, da Gol Linhas Aéreas, que partiu de Porto Seguro (Bahia) com destino ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, com escala no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O avião decolou da cidade baiana por volta das 3h30 e, faltando apenas 15 minutos para o pouso na capital mineira, uma fumaça tóxica começou a sair das saídas de ar-condicionado. Os passageiros entraram em pânico, pois ninguém sabia o que estava ocorrendo. A primeira suspeita foi de que haveria um incêndio na aeronave.

 

O presidente da Federação das Associações, Pais e Alunos das Escolas Públicas de Minas Gerais (Fapaemg), Mário de Assis, de 48 anos, um dos passageiros, conta que, enquanto a fumaça se espalhava pela cabine de passageiros, houve muito medo a bordo. "Algumas pessoas choravam, havia os que rezavam, outros gritavam, principalmente as crianças, e vários, diante do susto e da falta de ar causada pela fumaça, desmaiaram. A tripulação estava assustada e, com voz trêmula, o piloto pediu que ficássemos calmos e com os cintos atados. Vi a morte de perto", desabafa.

 

Ele e mais 10 professores de Belo Horizonte foram a Porto Seguro depois de participarem de ações de assistência social no Norte de Minas e no Vale do Jequitinhonha. Alguns integrantes do grupo perceberam que, quando a aeronave saiu de Porto Seguro, já havia um barulho estranho no sistema de ventilação. De acordo com Mário, depois da fumaça, as aeromoças começaram a distribuir lenços e papéis umedecidos para amenizar os efeitos da intoxicação. "Como não era caso de despressurização, as máscaras não foram liberadas e as pessoas tinham dificuldade para respirar. O pavor durou exatamente 15 minutos", informa.

 

A professora Maria Pérola Macedo Gomes, de 53, conta que percebeu que havia algum problema no ar-condicionado. "A aeronave estava muito quente, parecia que o ar não estava ligado. De repente, a fumaça ficou muito forte e as pessoas ficaram sufocadas. O piloto avisou que pousaríamos, mas, pouco depois de começar a baixar a altitude do avião, ele voltou a subir. Só se via homens, mulheres e crianças chorando. A tripulação tentava nos tranqüilizar, mas não explicou o motivo do problema. Minha amiga, Cleunice Mendonça , angustiada, só falava na mãe e nos filhos. Tentei acalmá-la, porém, ela não resistiu e ficou desmaiada por cerca de 4 minutos."

 

De acordo com Maria Pérola, os passageiros que desmaiaram receberam equipamentos de oxigênio, distribuídos pela tripulação. "Fiquei muito preocupada com minha amiga, porque ela sofre de pressão alta. Uma outra amiga, a Joana D'Arc, que estava na poltrona atrás da minha, é alérgica. Ela ficou inerte com os olhos arregalados, pensei até o pior", revela.

 

 

__________________________________

Por favor, não digam que é sensacionalismo da imprensa, que é normal o sistema de ar-condicionado lançar gases para dentro do avião e outras coisas que costumam falar aqui...

Abraço,

Edsmorais

 

Normal não é, mas sempre a midia exagera, amigão :thumbsup:

Link to comment
Share on other sites

Normal não é. Porem toda maquina esta sujeita a falha, mesmo nestes aviões novos da Vrg. É sempre muito difícil opinar sem ter os reais dados. Tudo leva a crer que um dos sistemas de ar condicionado do 737, também chamados de “Pack” apresentou superaquecimento e acabou contaminando o ar da cabine com fumaça. Provavelmente mesmo após este sistema de ar condicionado ter sido desligado a fumaça demora alguns minutos para se dissipar. Evidente que causa pânico, existe até passageiro que entra em pânico só ao entrar em um avião, imagina com fumaça a bordo. Eu já vivi uma situação parecida e sei como existem pessoas escandalosas.

 

Não só passageiro. Acho que qualquer um, até mesmo quem é da área, ficaria bem assustado. Fogo a bordo é uma das piores coisas que podem acontecer e, se aparece fumaça, a primeira coisa que vem a cabeça é isso. Manter a calma é fundamental para a tripulação e eles estão de parabéns.

 

Agora, como o passageiro sabe que a fumaça era tóxica? Ele fez análise dela? Agora só faltava dizer que era cancerígena também.

 

Abraços

 

Matheus

 

Link to comment
Share on other sites

a aeronave será liberada ainda hoja para a malha.....

mas agora, cabe entrada com processo à Gol contra danos morais neste caso, como pode alguns pax?

abçs

Link to comment
Share on other sites

Se eu estivesse a bordo dessa aeronave com cereteza teria ficado muito assustado com a fumaça só de lembrar a narração do Ivan Santanna no livro Caixa Preta sobre o acidente da RG em Orly. Evidentemente o problema foi outro como o Master muito competentemente elucidou e nesse caso o simples desligamento da pack defeituosa sanaria o problema mas sem saber disso eu iria ficar beeem assustado.

Link to comment
Share on other sites

Agora, como o passageiro sabe que a fumaça era tóxica? Ele fez análise dela? Agora só faltava dizer que era cancerígena também.

Hmmm... acredito que toda fumaça é tóxica, o que varia na verdade deve ser o grau de toxicidade. E borracha, plástico, isopor... ou seja... todo esse material presente no aviões e nos sistemas de ar condicionado, fatalmente acabam produzindo fumaça tóxica quando queimados...

 

Sem contar que, seja tóxica ou não, fumaça em um ambiente pressurizado assusta mesmo, como você colocou, mesmo entre pessoas "da área". No metrô todo mundo já se desespera, imagine num lugar onde não tem pra onde fugir!!

Link to comment
Share on other sites

Olá a todos,

 

Eu estava neste voo e gostaria de dar o meu depoimento. Primeiramente gostaria de dizer que sou um simples passageiro. Não entendo absolutamente nada de aviação.

 

O fato foi o seguinte: estava sentado bem a frente da aeronave e, mais ou menos já com uns 35 min de voo percebi a chefe de cabine saindo da cabine dos pilotos bem nervosa e chamou imediatamente um outro comissário de bordo. Neste instante começou a sair uma fumaça bem intesa na parte da frente onde eles ficam sentados. A fumaça tinha um cheiro muito forte. Neste mesmo momento, o avião começou a descer fortemente. A fumaça se espalhou rapidamente por toda aeronave.

 

Bom, depois disso, muitos passageiros começaram a entrar em pânico, inclusive minha esposa, eu tentei acalma-la e fiquei atento ao comportamento da tripulação porque não sabia o que estava acontecendo. Estava tentando perceber no comportamento da tripulação se o caso era sério ou não.

 

A única coisa que a tripulação falava era: "Nós vamos pousar"

 

Muitas pessoas começaram a passar mau com a fumaça e, alguns passageiros pediram para usar a mascara. Então, um dos comissários disse que não era o caso de usar mascara porque não tinha despressurização e que o ar interno do avião era o mesmo das mascaras.

 

Uma senhora que estava um pouco atras de mim desmaiou, a chefe de cabine começou a nos passar guardanápos para colocarmos no nariz e boca. Percebi que ao passar os guardanápos ela estava tremendo.

 

Neste momento, o pilo falou no sistema de audio que estava tomando as medidas de segurança necessárias e não disse mais nada.

 

 

Bom a partir daí vou falar por mim. Eu pensei que iria morrer. Fiquei apavorado. Não tem como explicar este sentimento, só quem estava lá sabe o que passamos. Principalmente porque a tripulação estava visivelmente nervosa. Pelo comportamento deles vi que era uma coisa séria.

 

Acho que passaram uns 5 minutos e a fumaça começou a diminuir. E veio um cheiro muito forte de combustível e depois pousamos.

 

Depois que a aeronave estava estacionada, a única coisa que o piloto disse foi: "Foram tomados todos os procedimentos necessários para tirar a fumaça interna da aeronave. Pode ter sido um problema no ar condicionado".

 

 

Contudo, acredito que a tripulação não sabia o que estava acontecendo e, se o piloto sabia porque ele não nos tranquilizou? Todos nós passageiros ficamos sem saber o que estava acontecendo.

 

Sinceramente não sei tecnicamente o que aconteceu. Mas eu e minha esposa ficamos muito abalados. Foi apavorante!

 

Alguém sabe o que pode ter acontecido?

 

Luiz.

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Olá a todos,

 

Eu estava neste voo e gostaria de dar o meu depoimento. Primeiramente gostaria de dizer que sou um simples passageiro. Não entendo absolutamente nada de aviação.

 

Luiz, você que estava lá, qual o prefixo da aeronave? Desejo que este susto passe rapidamente! Abração.

Link to comment
Share on other sites

Luiz, você que estava lá, qual o prefixo da aeronave? Desejo que este susto passe rapidamente! Abração.

 

 

Primeiramente gostaria de dizer que respeito muito a tripulação deste voo que eu estava. Vi que eles fizeram de TUDO para poder nos ajudar. O problema é que todos nós ficamos sem saber o que estava acontecendo. Não estou aqui para criticar ninguém, só queria entender também o que aconteceu.

 

o número do voo era 1629

 

Link to comment
Share on other sites

Agora, como o passageiro sabe que a fumaça era tóxica? Ele fez análise dela? Agora só faltava dizer que era cancerígena também. Matheus

Sim, toda fumaça é tóxica sim amigão, em maior ou menor grau de intencidade... Haja visto uma fumacinha que muitos jogão para dentro do corpo todo dia...

A fumaça que mata

Quarenta milhões de brasileiros estão colocando em risco suas próprias vidas: são fumantes. Deste total 81% querem deixar o vício mas somente 3% conseguem, de fato, abandonar o cigarro.

 

O tabagismo é considerada uma doença e classificada no Código Internacional de Doenças, o famoso CID, com F 17.

Mesmo com uma das mais rigorosas legislações para o controle do tabagismo (só perde para o Canadá), o Brasil ainda está à mercê das campanhas publicitárias da indústria tabageira que hoje têm, como alvo, os adolescentes a partir dos 13 anos.

 

Maior produtor mundial de tabaco, o Brasil deve exportar, até o final do ano, 600 mil toneladas do produto além de recolher US$ 5,5 bilhões em impostos.

A exportação de tabaco representa 2,5% dos negócios externos do Brasil.

 

Deixar de fumar é um desafio que poucos conseguem e a participação da família é fundamental no processo.

Conheça alguns números ligados ao tabagismo. São alarmantes e acendem as luzes de alerta.

- 7 segundos é o tempo gasto pela nicotina para chegar - via pulmão e corrente sanguínea - até o cérebro do fumante.

- 30% da população adulta do Brasil fumam, segundo a Associação Brasileira das Indústrias do Fumo (Abifumo).

- Quem fuma mais de 20 cigarros por dia vive, em média, 22 anos a menos que uma pessoa que não fuma. No Brasil, onde a expectativa de vida é de 68 anos, em média, o tempo de vida desse fumante é de 46 anos.

- O consumo de cigarro diminui em torno de 1,5% ao ano nos países ricos. Nos países em desenvolvimento, caso do Brasil, a quantidade de fumantes cresce quase que na mesma proporção.

- O Fumo é responsável por:

90% dos casos de câncer de pulmão

80% dos casos de enfisema pulmonar

40% dos casos de bronquite crônica e derrame cerebral

25% dos casos de infarto do miocárdio

- A Organização Mundial da Saúde estima que até 2025 o cigarro matará 500 milhões de pessoas em todo o mundo. Desse total, 200 milhões serão crianças e adolescentes que começaram a fumar nesta década.

- 8 a 10 pessoas morrem por hora no Brasil, em decorrência de doenças associadas ao cigarro.

- Entre as crianças de primeiro e segundo graus, 15% a 18% já são fumantes.

Fontes: INCA e OMS.

Parece uma fumacinha inocente né... Mas MATA!

Sem contar que, seja tóxica ou não, fumaça em um ambiente pressurizado assusta mesmo, como você colocou, mesmo entre pessoas "da área".

Certamente amigão, todos os da tripulação pensaram sim na possibilidade de perderem a vida num incendio a bordo...

Um susto pra ninguém botar defeito... ha!

Olá a todos, Eu estava neste voo e gostaria de dar o meu depoimento. ... ... ... A fumaça se espalhou rapidamente por toda aeronave... ... ... A única coisa que a tripulação falava era: "Nós vamos pousar"... ... ... Percebi que ao passar os guardanápos ela estava tremendo. Neste momento, o piloto falou no sistema de audio que estava tomando as medidas de segurança necessárias e não disse mais nada. Bom a partir daí vou falar por mim. Eu pensei que iria morrer. Fiquei apavorado. Não tem como explicar este sentimento, só quem estava lá sabe o que passamos. Principalmente porque a tripulação estava visivelmente nervosa. Pelo comportamento deles vi que era uma coisa séria. Acho que passaram uns 5 minutos e a fumaça começou a diminuir. E veio um cheiro muito forte de combustível e depois pousamos... ... ... Contudo, acredito que a tripulação não sabia o que estava acontecendo e, se o piloto sabia porque ele não nos tranquilizou? Todos nós passageiros ficamos sem saber o que estava acontecendo. Sinceramente não sei tecnicamente o que aconteceu. Mas eu e minha esposa ficamos muito abalados. Foi apavorante!

Luiz; Realmente, por alguns instantes não se sabe qual o problema realmente e quando se descobre e toma-se uma atitude para corrigir o mesmo, fica a expectativa de se ter tomado a ação correta e em tempo hábil... E é totalmente compreesível todo este apavoramento, inclusive da tripulação tremula, afinal ainda estão vivos as lembranças do acidente ocorrido aqui em Congonhas com cenas vistas ao vivo guardadas em nossas mentes...

É necessário que todos nós tenhamos em mente que não é natural do homem voar, caso contrário teríamos nacidos alados... Portanto, estamos sujeitos a estas situações, lembre-se sempre: "Imprevistos sobrevem a todos"

Parabéns ao Piloto e Co-piloto pela boa condução da cituação de alto risco. Parabéns a todos os comissários, pela boa

condução dos trabalhos; E felicidades a todos os passageiros e espero que tenham melhores histórias para contar em

seus próximos vôos.

 

Ps: Eu teria ficado muito assustado sem dúvida!

É isso ai...

Abraços.

 

Link to comment
Share on other sites

Caro LuizHenrique,

 

1. Alguém sabe o que pode ter acontecido?

 

Tomando como base o seu relato, isso foi um caso serio. Espero que alguem que trabalhe na empresa possa vir aqui e esclarecer alguma coisa, com dados concretos, e ao mesmo tempo, suponho que a companhia aerea que prestou o sevico devera (ou deveria) procurar os seus clientes e fornecer algum tipo de satisfacao, ou, ainda, pelo menos abrir um canal de contato para qualquer tipo de esclarecimento. Enfim ...

 

 

2. Alguém sabe o que pode ter acontecido?

 

Com relacao a atitude da tripulacao, independente da empresa aerea ou aeronave, todas as acoes sao baseadas a partir de um principio: evidencias ou suposicoes.

 

Quanto a primeira situacao, quando a origem do fogo ou fumaca for evidente (apesar de que muitas vezes um determinado ponto que foi detectado pode ser somente uma parte do problema), os comissarios vao administrar a situacao com procedimentos devidos, como isolar a area afetada, combater o fogo ou fumaca com equipamentos apropriados, reposicionar os passageiros, e assim por diante, e nao necessariamente nessa ordem. De forma coordenada, na cabine de comando, a acao dos pilotos estara vinculada ao tipo de problema, porque, dependendo da situacao, eles podem efetuar diversos procedimentos operacionais para lidar com um caso especifico para contribuir na extincao ou pelo menos ameniza-lo. Existem algumas divisoes nessa rotina, que abrangem varios sistemas da aeronave, e dependendo da situacao, como num caso que afete o sistema eletrico ou de ar condicionado, havera um tipo de acao.

 

A respeito do segundo cenario, esse, sim, e um caso inicialmente mais grave, porque quando nao ha sinais claros do que esta causando uma condicao de anormalidade, o trabalho dos tripulantes e muito mais extenso, e nem sempre o foco do problema e detectado. Nessas situacoes, algumas iniciativas sao tomadas, inicialmente fazendo uma investigacao, que inclui que tipo de cheiro e predominante, e dessa forma sera possivel coordenar os trabalhos e dividir as tarefas entre os tripulantes, no sentido de gerenciamento da situacao, como dar a devida atencao aos passageiros, inclusive acalma-los, e na cabine de comando, a partir de dados mais concretos, algumas acoes sao tomadas para isolar o foco e tentar fazer o combate com os recursos disponiveis. Paralelamente, existe uma rotina operacional para eliminar a concentracao de fumaca na aeronave, mesmo que nao tenha sido extinto o que esta motivando tal condicao (somente para voce ter uma ideia, o MD-11, em 2 cheques especificos – fumaca na cabine e sua remocao – tem pelo menos 5 paginas completas com diversos procedimentos).

 

Em todas as hipoteses, e altamente recomendavel pousar o mais breve possivel, mas desde que as circunstancias favorecam isso.

 

Obs 1: quanto ao oxigenio a bordo, nas mascaras individuais nos respectivos assentos, ele so pode ser empregado em caso de despresssurizacao. Nao ha isolamento com o ar da cabine, e o oxigenio proveniente do gerador ou de garrafas, dependendo da aeronave, mas que normalmente tem uma duracao limitada, mistura-se com eventuais gases existentes na cabine, e essa combinacao e extremamente nociva a saude, podendo inclusive causar a morte.

 

Obs 2: o oxigenio em cilindros especificos e limitado, e nao e disponivel para todos os passageiros, mas e importante salientar que os comissarios muitas vezes estao extremamente envolvidos com a situacao inusitada, e nao ha tempo para prestar esse tipo de auxilio, e o que podemos chamar de prioridade, e isso e aceitavel e nao deve ser entendido como falta de atencao. De qualquer forma, em caso de fogo ou ate mesmo de fumaca, nao e recomendavel disponibilizar mais uma fonte que possa alimentar essa condicao, como a possivel introducao de mais oxigenio na cabine de passageiros, e as mascaras tambem nao sao totalmente isoladas, e, portanto, ha uma grande chance de mistura desse oxigenio da garrafa com eventuais gases nocivos.

Link to comment
Share on other sites

Alguém sabe o prefixo da mesma??

 

Alguém tem essa informação!?

Sabe se a mesma aeronave ja esta disponivel na malha? :uhm:

Link to comment
Share on other sites

E fumaça de balada?

poke.gif

é que isso aí tá mais pra vapor do que pra fumaça

mas de qualquer forma... tem que ter algum componente químico na fórmula

 

vou pesquisar mais sobre essa questão vapor/fumaça

 

a príncípio, encontrei isso aqui:

 

Many commercial smoke machines use 'fog juice' that consists of glycols, glycerine, and/or mineral oil, with varying amounts of distilled water. The glycols are heated and forced into the atmosphere under pressure to create a fog or haze.

 

Glycols can undergo heat denaturation into highly toxic substances, such as formaldehyde.

 

Although often believed to be safe to breathe, exposure to mineral oil, glycol and glycerin-based theatrical fogs produced from fog or haze machines have been associated with adverse short and long-term effects on respiratory health in exposed performers and crew members, especially those with respiratory problems (such as asthma). One should therefore avoid breathing generated smoke or fog. It is safer to add smoke effects digitally in postproduction of films than to use theatrical smokes on set. Glycol-based fog is associated with headaches, dizziness, drowsiness and tiredness in those exposed. These results would be expected given that glycols share some chemical similarities to alcohols and given the small size of fog particles making it easy for them to enter the bloodstream. Symptoms of wheezing and chest tightness were associated with longterm exposure to theatrical smoke and fogs.

 

 

...algumas iniciativas sao tomadas, inicialmente fazendo uma investigacao, que inclui que tipo de cheiro e predominante

aproveitando a informação

existe algum treinamento olfativo para a tripulação em relação aos possíveis cheiros de fumaça dentro de um avião, visando identificar que tiipo de material pode estar queimando?

parece bobagem, mas é importante...

Link to comment
Share on other sites

A fumaça de balada não é nada mais nada menos do que o famoso gelo-seco. Este, por sua vez, é o CO2 em estado sólido, mais conhecido como dióxido de carbono, o grande responsável pelo aquecimento global e por grande parte das doenças respiratórias que afligem milhões de pessoas nos grandes centros urbanos. :thumbsup:

 

Portanto, não tem nada de vapor d' água.

Link to comment
Share on other sites

existe algum treinamento olfativo para a tripulação em relação aos possíveis cheiros de fumaça dentro de um avião, visando identificar que tiipo de material pode estar queimando?

parece bobagem, mas é importante...

 

Que eu saiba, alem do breve curso de sommelier que os comissarios fazem (pelo menos faziam na Varig) e de saber quando um sanduiche foi esquecido sem querer no forno da galley, acredito que nao ha outro treinamento voltado para o olfato :lala: .

 

Mas voltando a sua questao, nao, nao e bobagem ter um "nariz" apurado nesses casos. Tratando-se de uma emergencia desse genero numa aeronave, existem dois recursos elementares que podem auxiliar na analise de fumaca de origem desconhecida: um deles e descobrir qual e a area onde ha maior concentracao de fumaca ou de onde ela esta predominantemente surgindo (parece facil, mas nao e, principalmente se a cabine estiver escurecida, por algum desdobramento imprevisto), e o outro, e o tipo de cheiro predominante. E evidente que isso e apenas um referencial, mas para ativar um plano de acao numa situacao que obriga antes de tudo rapidez, o cheiro caracteristico de fumaca originaria da parte eletrica, por exemplo, difere daquele de outros materiais. E claro que se houver uma mistura ficara dificil dizer qual e a que poderia estar prevalecendo, porem, nesses casos, muitas vezes o estagio inicial de um incendio ja foi superado, em outras palavras, ele ate podera ter se alastrado (obs: nunca descobriram o que ocasionou o incendio num DC-9 da Air Canada, mesmo apos inumeros testes).

 

E muito dificil dizer e definir como administrar eficientemente tal emergencia, porque as variaveis sao multiplas, mas certos procedimentos seguem caminhos diferentes, inclusive qual tipo de extintor de incendio devera ser usado. E para a tripulacao tecnica poder trabalhar com um cheque, e importante definir qual caminho seguir, porque se eles efetivarem o processo em cima de um sistema - por exemplo, pensando que a fumaca e de origem no sistema de ar condicionado, quando na verdade era um curto-circuito no sistema de entretenimento -, eles correrao um enorme risco de perder tempo precioso combatendo o que nao existe, enquanto um fogo podera se alastrar pela aeronave adentro.

 

Vale dizer, tambem, que certas aeronaves possuem cheques simultaneos que seguem varios passos (steps, que tambem podem ser chamados de troubleshooting), para localizar efetivamente (ou pelo menos se aproximar) o ponto exato da origem. Usando mais uma vez o MD-11 de referencia (principalmente porque e uma aeronave que tem sistemas extremamente mais complexos que um B737), o cheque “Smoke/Fumes of Electrical, Air Conditioning, or Unknown Origin”, que podemos ver pelo titulo e bem abrangente, se for feito do comeco ao fim, sao 7 paginas e mais de 20 passos, sem levar em conta pausas intermediarias que sao necessarias para avaliacoes. Se considerarmos eventuais desdobramentos, cheques complementares e retorno ao ponto de origem (do cheque, nao da decolagem), isso podera levar uma infinidade de tempo, e o aviao correra riscos enormes de sofrer serias consequencias incontornaveis durante essa rotina. Mesmo sem essa complexidade, outras aeronaves, como o proprio 737 envolvido no tema desse topico, podem sofrer serios danos se as providencias nao forem suficientemente tomadas ou se elas nao surtirem os efeitos desejados.

 

Em resumo, tratando-se de fogo ou fumaca a bordo, muitas vezes e uma corrida contra o relogio, e um passo em falso podera significar que nao havera uma segunda chance.

 

Um abraco.

Link to comment
Share on other sites

Que eu saiba, alem do breve curso de sommelier que os comissarios fazem (pelo menos faziam na Varig) e de saber quando um sanduiche foi esquecido sem querer no forno da galley, acredito que nao ha outro treinamento voltado para o olfato :lala: .

 

Mas voltando a sua questao, nao, nao e bobagem ter um "nariz" apurado nesses casos. Tratando-se de uma emergencia desse genero numa aeronave, existem dois recursos elementares que podem auxiliar na analise de fumaca de origem desconhecida: um deles e descobrir qual e a area onde ha maior concentracao de fumaca ou de onde ela esta predominantemente surgindo (parece facil, mas nao e, principalmente se a cabine estiver escurecida, por algum desdobramento imprevisto), e o outro, e o tipo de cheiro predominante. E evidente que isso e apenas um referencial, mas para ativar um plano de acao numa situacao que obriga antes de tudo rapidez, o cheiro caracteristico de fumaca originaria da parte eletrica, por exemplo, difere daquele de outros materiais. E claro que se houver uma mistura ficara dificil dizer qual e a que poderia estar predominando, porem, nesses casos, muitas vezes o estagio inicial de um incendio ja foi superado, em outras palavras, ele ate podera ter se alastrado (obs: nunca descobriram o que ocasionou o incendio num DC-9 da Air Canada, mesmo apos inumeros testes).

 

Não sou especialista em fumaça :) mas, como eu estava lá, posso dizer que o cheiro parecia ser de coisa elétrica. Sou da área de informática e já vi várias fontes e placas de computadores queimando. Foi um cheiro bem parecido.

 

Outra coisa, alguém saberia dizer porque quando a fumaça sumiu, poucos instantes do pouso, surgiu um cheiro forte de combustível? Pude conversar com outros passageiros que estavam lá e eles sentiram também este cheiro.

 

Luiz.

 

Luiz.

Link to comment
Share on other sites

E fumaça de balada? :cutuca:

A fumaça de balada, na verdade não é CO2 como foi dito não. Aliás, está proibida toda a fabricação de máquinas que utilize este tipo de gáz, até as geladeiras não são mais fabricadas com este gáz. Na verdade a fumaça de balada é uma mistura de água com glicerina que se coloca em uma máquina, que eu não entendo bem o funcionamento dela, mas é um aparelho elétrico que sopra para fora aquela névoa branca... Há delas a venda na região da Rua Sta. Efigênia aqui no centro de São Paulo e deve-se seguir umas normas de metragem de ambiente para se colocar ela, pois se for uma sala pequena, pode-se trazer transtornos respiratórios.

Airframe, meu pai sempre falava uma frase nos educando que ainda hoje levo-a comigo...

"Esteja entre os bons e poderá ser como um deles... Esteja entre os ruins e logo será pior que eles..."

Vc tem o dom nato de discutir ou relatar um fato ensinando... E como quem ensina, aprende duas vezes, gostaria de te dizer que é sempre muito legal parar para ler tudo o que posta aqui. Parabéns! Continue! Um dia estarei próximo de ti... rsrsrs

 

É isso ai...

Abraços.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade