Jump to content

De olho agora nas férias de verão


LipeGIG

Recommended Posts

O Globo - 29/07/06

De olho agora nas férias de verão

Crise da Varig faz operadoras oferecerem descontos em pacotes para fim de ano

Ramona Ordoñez

 

Apesar dos transtornos que a crise da Varig ainda causa aos consumidores, a competição entre as companhias aéreas pela fatia de mercado da antiga líder e para recuperar as vendas mais fracas deste inverno vai beneficiar os turistas nas férias de verão. As agências de viagem já começaram a oferecer os pacotes tradicionais de fim de ano a preços iguais ou até menores do que os do ano passado. Como o abandono de rotas pela Varig fez desaparecerem cada vez mais rapidamente os bilhetes promocionais (com os descontos) das outras empresas, já há consumidores fechando pacotes para garantir os melhores preços. Esse movimento contrasta com o clima de tristeza que tomou conta ontem dos aeroportos, devido ao anúncio da demissão de 5.500 funcionários pela Varig.

 

Motivada pela crise, a funcionária pública Adriana Galvão e seu marido, José Galvão, foram ontem à agência Sóviagens, na Barra, para fechar a compra de um pacote de réveillon em Orlando e Nova York, voando pela America Airlines:

 

— Costumo organizar as férias com um pouco de antecedência. Mas agora, por causa desses problemas com a Varig, fiquei com medo de deixar para mais adiante e os preços ficarem muito altos.

 

Companhias ampliaram frota

O presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav), Leonel Rossi Júnior, disse que a expectativa é de um aumento de 10% a 15% em relação às vendas, no mesmo período do 2005, de pacotes de fim do ano e para o verão.

 

A euforia que tomou conta do setor para as vendas de pacotes para o fim do ano tem um motivo: as companhias aéreas, na expectativa de deixar para trás os fracos negócios de junho e julho — por causa da Copa do Mundo e da crise na Varig — já estão oferecendo tarifas no atacado, para as operadoras montarem os pacotes, com preços até 25% menores do que no mesmo período do ano passado.

 

— A economia brasileira vai bem, com o câmbio favorável. As pessoas estão gastando mais em turismo, seja no Brasil ou no exterior. As companhias estrangeiras cobriram os vôos internacionais suspensos pela Varig, enquanto principalmente a Gol e a TAM supriram muito bem o mercado doméstico. Por isso o setor está com expectativa de crescimento das vendas neste ano — disse Rossi.

 

Os executivos das operadoras e das agências de viagens afirmam que os melhores preços podem acabar em outubro ou novembro. Mariangela Botto, da Sóviagens, disse que já vendeu 16 pacotes para Orlando e Nova York. Ela afirmou que, devido aos problemas da Varig, decidiu antecipar a oferta de pacotes turísticos com preços razoáveis para a próxima temporada:

 

— Diante da possibilidade de não poder contar com a Varig, já fechei pacotes turísticos com companhias estrangeiras e nacionais para a próxima temporada. Mas o ideal é que as pessoas antecipem o máximo possível as compras, porque certamente mais adiante ficarão mais caros.

 

Segundo o presidente da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa), José Zuquim, tanto para o réveillon quanto para o verão, os pacotes até março estão com preços bons para os consumidores. Zuquim explicou que, de um lado, rapidamente companhias aéreas como a Gol, a TAM, a Ocean Air, a Web Jet e a BRA estão aumentando suas frotas, suprindo a carência surgida com o cancelamento dos vôos da Varig. Por outro lado, segundo o executivo, essas companhias estão oferecendo tarifas atraentes para a próxima temporada. E a própria Varig deve retomar algumas rotas.

 

— O setor levou um susto com uma grande retração nas vendas nos últimos dois meses, devido à Copa do Mundo e, principalmente, aos problemas com a Varig. Então agora, para tentar recuperar e estimular os consumidores, estão oferecendo preços razoáveis — explicou Zuquim.

 

O presidente da Braztoa afirmou que está claro que as companhias estrangeiras, assim como as nacionais, já ocuparam o espaço deixado pela Varig. Zuquim disse acreditar que a tendência é o consumidor ser ainda beneficiado com a acirrada concorrência existente entre as companhias que estão disputando o espaço deixado pela Varig. O executivo disse acreditar que, assim que se reestruturar, a Varig também entrará na disputa do mercado.

 

— Foi um mês de julho atípico, e agora as empresas aéreas estão soltando suas promoções. Quem puder antecipar seus planos e comprar os pacotes para o fim de ano vai ganhar — disse Zuquim.

 

A Valtat Viagens e Turismo também já está oferecendo pacotes de fim de ano. O agente Felipe Alves, da Valtat, disse que a procura ainda é pequena, mas que acredita que as vendas deverão se aquecer já a partir do mês de agosto.

 

— Os preços não subiram muito em relação ao ano passado, sendo que em alguns casos estão mais em conta — disse Alves.

 

Algumas agências têm pacotes para o réveillon em Cancún, por exemplo, a US$ 1.754 por pessoa, voando pela Aero México. Já o réveillon em Nova York, por Continental ou Delta Airlines, sai por US$ 2.270 por pessoa. Também é possível viajar para Lisboa e Paris no réveillon por US$ 1.542 por pessoa, pela TAP, ou apenas para a capital francesa por US$ 1.554 por passageiro, pela TAM.

 

O presidente da Abav disse que aos poucos o mercado aéreo começa a se recuperar dos efeitos provocados com a crise da Varig. Rossi disse que já a partir de agosto as agências deverão começar efetivamente a oferta dos pacotes de fim de ano.

 

— Todas as companhias estão se preparando, porque a procura está muito grande — disse Rossi.

Link to comment
Share on other sites

Guest Thales Coelho

Uma grande perda a solução ser fechar os pacotes com as companhias estrangeiras...

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade