Jump to content

ANAC realiza audiência pública sobre a utilização do Aeroporto Santos Dumont


lylyanna

Recommended Posts

logotipo.jpg

 

ANAC realiza audiência pública sobre a utilização do Aeroporto Santos Dumont

 

Publicado em 11/12/08, às 16h00

 

Brasília, 12 de dezembro de 2008 – A Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC realiza na próxima terça-feira (dia 16 de dezembro) uma audiência pública sobre a proposta de revogação da Portaria nº 187/DGAC, de 8 de março de 2005, que impõe restrições à utilização do Aeroporto Santos Dumont e demais aeroportos na Área de Controle Terminal do Rio de Janeiro. A audiência pública complementa o processo de transparência da ANAC, iniciado com a Consulta Pública sobre o mesmo assunto que foi aberta no dia 18 de novembro e que está disponível na Internet até as 18h do dia 19 de dezembro (http://www.anac.gov.br/transparencia/consu...EmAndamento.asp).

 

A proposta da ANAC é promover a melhor utilização do Aeroporto Santos Dumont, beneficiando os passageiros que hoje não tem opção de vôos para outros destinos no aeroporto da região central do Rio de Janeiro. Desde março de 2005, a Portaria nº 187 destinou o aeroporto para receber apenas vôos da ponte-aérea Rio-São Paulo – inclusive com jatos de grande porte – e vôos para outros destinos limitados a aeronaves turbo-hélice de até 50 assentos. Como a pista e as demais instalações do Santos Dumont comportam a operação de jatos de grande porte com segurança, não existe uma razão técnica para a restrição determinada pela portaria.

 

A Lei nº 11.182/2005, que criou a ANAC, estabelece que as únicas condições para restringir a utilização de um aeroporto devem ser a capacidade operacional e o atendimento às normas de serviço adequado. Em função disso, a ANAC tem o dever legal de promover a melhor utilização dos aeroportos dentro de sua capacidade e por isso propõe a revogação da portaria.

 

O estudo realizado pela ANAC com as razões técnicas para a revogação da portaria está disponível na Internet como Exposição de Motivos. Nele há dados que demonstram que a restrição ao Aeroporto Santos Dumont não provocou o aumento do tráfego de passageiros no Rio de Janeiro a partir da utilização do Aeroporto Tom Jobim (Galeão), como era a proposta da Portaria nº 187.

 

De 2003 a 2007, o número de passageiros em vôos com origem ou destino ao Rio de Janeiro nos vôos domésticos cresceu 7,92% ao ano, menos que os 11,63% da média nacional. Nos vôos internacionais, o movimento permanece estável desde 2003. Além disso, também não foi atingida a meta prevista à época da edição da portaria de transformar o Galeão em um ponto distribuidor de vôos (hub): em 2007, apenas 1,1% dos passageiros de vôos internacionais que desembarcaram no Galeão fizeram conexões para outras cidades e, nos vôos domésticos, o número de conexões caiu de 13,3% em 2005 para 11,5% no ano passado. Na comparação com o Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP), por exemplo, o percentual de conexões em 2007 foi de 11,2% nos vôos internacionais e nos 13,7% domésticos.

 

Além disso, por restrições de espaço aéreo, a liberação do Santos Dumont proposta pela ANAC é limitada a um máximo de apenas 23 movimentos de pouso ou decolagem por hora – o Galeão, por comparação, tem capacidade horária de 48 movimentos. Em horários de pico, quando a conectividade é mais importante, a capacidade adicional a ser liberada no Santos Dumont seria de no máximo 12 movimentos a ser distribuída entre as empresas interessadas em operar no aeroporto.

 

A audiência pública será realizada no auditório da Gerência Regional da ANAC em Brasília, cidade sede da Agência (Setor de Hangares – Lote 4 – Aeroporto Internacional de Brasília), das 10h às 13h. A participação é livre, mas para se manifestar verbalmente é necessário fazer inscrição até as 12h do dia 15 de dezembro (segunda-feira), enviando um e-mail com a identificação da empresa ou entidade representada e o nome do porta-voz para o e-mail: consultapublica.portaria187@anac.gov.br .

 

 

ANAC
Link to comment
Share on other sites

logotipo.jpg

 

ANAC realiza audiência pública sobre a utilização do Aeroporto Santos Dumont

 

Publicado em 11/12/08, às 16h00

 

Brasília, 12 de dezembro de 2008 – A Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC realiza na próxima terça-feira (dia 16 de dezembro) uma audiência pública sobre a proposta de revogação da Portaria nº 187/DGAC, de 8 de março de 2005, que impõe restrições à utilização do Aeroporto Santos Dumont e demais aeroportos na Área de Controle Terminal do Rio de Janeiro. A audiência pública complementa o processo de transparência da ANAC, iniciado com a Consulta Pública sobre o mesmo assunto que foi aberta no dia 18 de novembro e que está disponível na Internet até as 18h do dia 19 de dezembro (http://www.anac.gov.br/transparencia/consu...EmAndamento.asp).

 

A proposta da ANAC é promover a melhor utilização do Aeroporto Santos Dumont, beneficiando os passageiros que hoje não tem opção de vôos para outros destinos no aeroporto da região central do Rio de Janeiro. Desde março de 2005, a Portaria nº 187 destinou o aeroporto para receber apenas vôos da ponte-aérea Rio-São Paulo – inclusive com jatos de grande porte – e vôos para outros destinos limitados a aeronaves turbo-hélice de até 50 assentos. Como a pista e as demais instalações do Santos Dumont comportam a operação de jatos de grande porte com segurança, não existe uma razão técnica para a restrição determinada pela portaria.

 

A Lei nº 11.182/2005, que criou a ANAC, estabelece que as únicas condições para restringir a utilização de um aeroporto devem ser a capacidade operacional e o atendimento às normas de serviço adequado. Em função disso, a ANAC tem o dever legal de promover a melhor utilização dos aeroportos dentro de sua capacidade e por isso propõe a revogação da portaria.

 

O estudo realizado pela ANAC com as razões técnicas para a revogação da portaria está disponível na Internet como Exposição de Motivos. Nele há dados que demonstram que a restrição ao Aeroporto Santos Dumont não provocou o aumento do tráfego de passageiros no Rio de Janeiro a partir da utilização do Aeroporto Tom Jobim (Galeão), como era a proposta da Portaria nº 187.

 

De 2003 a 2007, o número de passageiros em vôos com origem ou destino ao Rio de Janeiro nos vôos domésticos cresceu 7,92% ao ano, menos que os 11,63% da média nacional. Nos vôos internacionais, o movimento permanece estável desde 2003. Além disso, também não foi atingida a meta prevista à época da edição da portaria de transformar o Galeão em um ponto distribuidor de vôos (hub): em 2007, apenas 1,1% dos passageiros de vôos internacionais que desembarcaram no Galeão fizeram conexões para outras cidades e, nos vôos domésticos, o número de conexões caiu de 13,3% em 2005 para 11,5% no ano passado. Na comparação com o Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP), por exemplo, o percentual de conexões em 2007 foi de 11,2% nos vôos internacionais e nos 13,7% domésticos.

 

Além disso, por restrições de espaço aéreo, a liberação do Santos Dumont proposta pela ANAC é limitada a um máximo de apenas 23 movimentos de pouso ou decolagem por hora – o Galeão, por comparação, tem capacidade horária de 48 movimentos. Em horários de pico, quando a conectividade é mais importante, a capacidade adicional a ser liberada no Santos Dumont seria de no máximo 12 movimentos a ser distribuída entre as empresas interessadas em operar no aeroporto.

 

A audiência pública será realizada no auditório da Gerência Regional da ANAC em Brasília, cidade sede da Agência (Setor de Hangares – Lote 4 – Aeroporto Internacional de Brasília), das 10h às 13h. A participação é livre, mas para se manifestar verbalmente é necessário fazer inscrição até as 12h do dia 15 de dezembro (segunda-feira), enviando um e-mail com a identificação da empresa ou entidade representada e o nome do porta-voz para o e-mail: consultapublica.portaria187@anac.gov.br .

 

 

ANAC

 

 

Esse indice de apenas 1,1% de pax fazendo conexao em GIG, é um banho de agua fria para torna-lo um HUB internacional dentro do Brasil.

Alem disso a queda nas conexoes nacional associada a queda dos embarques em SDU, corroboram para a tese do governo.

Vai ser um bate boca dificil.

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Esse indice de apenas 1,1% de pax fazendo conexao em GIG, é um banho de agua fria para torna-lo um HUB internacional dentro do Brasil.

Alem disso a queda nas conexoes nacional associada a queda dos embarques em SDU, corroboram para a tese do governo.

Vai ser um bate boca dificil.

 

Não sei de onde você tirou isso.

 

Uma coisa é fato, você tem algum problema não só com o Galeão mas também com a cidade do Rio de Janeiro.

 

O Galeão ja é um HUB intl querendo você ou não.

 

Temos 6 vôos vindos da Europa, mais de 10 vindos das Amércias Central e Norte, um vindo da África e outros do próprio continente Sul Americano.

 

 

Link to comment
Share on other sites

Galera, momento cívico... :rolleyes:

 

Quero ver todo mundo do Rio de Janeiro, tanto os que são contra quanto os que são à favor, participando desse debate. Os que não puderem ir a Brasília participar da Audiência Pública, por favor participem pelo menos da Consulta Pública na internet. É o interesse de vocês que está em jogo. Exerçam a cidadania de vocês de forma plena. Democracia não é só votar a cada dois anos. É, também e mais importante, participar da decisão dos rumos da sociedade.

 

Abraços. :thumbsup:

 

PS: Uma coisa que eu não entendo é o fato de essa Audiência Pública ser feita em Brasília. Não é o destino do Rio de Janeiro que está em jogo? Por que a discussão não é feita nessa cidade, então. Isso está com cara de que a decisão final já foi tomada e o fato de não ser feita no Rio de Janeiro parece estratégia para evitar o surgimento de eventuais problemas (limitando a participação de cariocas) e, ao mesmo tempo, passar a falsa impressão de se tratar de um processo participativo. :macumba:

Link to comment
Share on other sites

Eu juro que só não vou para BSB, porque estarei na Alemanha. Se tivessem marcado a maldita audiência com a antecedência necessária, eu teria me programado, mas três dias úteis antes é pura conspiração.

Link to comment
Share on other sites

PS: Uma coisa que eu não entendo é o fato de essa Audiência Pública ser feita em Brasília. Não é o destino do Rio de Janeiro que está em jogo? Por que a discussão não é feita nessa cidade, então. Isso está com cara de que a decisão final já foi tomada e o fato de não ser feita no Rio de Janeiro parece estratégia para evitar o surgimento de eventuais problemas (limitando a participação de cariocas) e, ao mesmo tempo, passar a falsa impressão de se tratar de um

processo participativo. :macumba:

 

Elementar meu caro Thiago!

 

Brasília é o lugar, se é que vocês me entendem.

 

 

 

 

PS: Nada contra a população de Brasília que nada tem a ver com as robalheiras que ocorrem em Brasília. Só para não gerar polêmicas.

 

Link to comment
Share on other sites

O próprio fato de se fazer uma audiência pública já é algo estúpido.

 

Vão perguntar à população o que eles acham do Santos-Dumont ser utilizado pelas aéreas, e nada mais! Vão perguntar a publicitários, médivod, advogados, até taxistas ou domésticas, mas quantos desses terão a mínima noção de alguma coisa? Ninguém!

 

A ANAC vai acabar é, muito inocentemente, colocar como fatos as mentiras símias do Neeleman e do Janot e perguntar, sim ou não. Ah puh-lease!

Link to comment
Share on other sites

Vão perguntar à população o que eles acham do Santos-Dumont ser utilizado pelas aéreas, e nada mais! Vão perguntar a publicitários, médivod, advogados, até taxistas ou domésticas, mas quantos desses terão a mínima noção de alguma coisa? Ninguém!
É exatamente o que acho. Aliás, provavelmente, já está td decidido. Essa consulta pública é só pra dizer "tá vendo, a pop do Rio quer a volta dos vôos pro SDU", enfim, só pra forjar um referendo público.
A ANAC vai acabar é, muito inocentemente, colocar como fatos as mentiras símias do Neeleman e do Janot e perguntar, sim ou não.
Aí é que eu não entendo vcs! Pq vcs chamam a ANAC de inocente, de "sem visão" ou de coisas do tipo? Essa droga está mais do que comprada! Os argumentos, tanto os da ANAC, como os da AZUL, como os daqui do fórum a favor da volta dos vôos pro SDU não cabem no conceito de estapafúrdios nem no de desculpa esfarrapada.
Link to comment
Share on other sites

aí é que eu não entendo vcs! Pq vcs chamam a ANAC de inocente, de "sem visão" ou de coisas do tipo? Essa droga está mais do que comprada! Os argumentos, tanto os da ANAC, como os da AZUL, como os daqui do fórum a favor da volta dos vôos pro SDU não cabem no conceito de estapafúrdios nem no de desculpa esfarrapada.

 

Fui irônico, Electra :hypocrite:

Link to comment
Share on other sites

É preciso atentar ao fato de que isso é uma consulta pública e não uma consulta ao público. Se fosse realmente uma coisa séria, pra saber o interesse de quem está envolvido, seria no mínimo com a participação de todas as partes envolvidas, e portanto algo a ser realizado no respectivo local alvo da discussão. Esse molde de consulta da ANAC não serve pra nada, poderia ser fechado só pra eles, não faria diferença nenhuma.

 

Abraço

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade