Jump to content

THY terá direito de tráfego Dakar-SP


51Tucano

Recommended Posts

De acordo com o Amadeus, a THY poderá vender o trecho que começa em 29/3.

 

Mais um motivo para a empresa apostar na rota, que além de passageiros, levará bastante carga, pois há uma certa demanda de carga entre BRA-SEN, tanto é que há vôos exclusivamente cargueiros que fazem o trecho e seguem para a Europa.

 

Sorte à Turkish!!!

 

 

E que venham Qatar,Malaysia, El Al, ANA, US Air,Qantas, ...

Link to comment
Share on other sites

Agora eu acho que esse vôo sai sim, será que já não era intenção desde o começo da THY de se ter os direitos de tráfego entre DKR e GRU? Visto que era possível operar non-stop entre IST-GRU?

Link to comment
Share on other sites

Agora eu acho que esse vôo sai sim, será que já não era intenção desde o começo da THY de se ter os direitos de tráfego entre DKR e GRU? Visto que era possível operar non-stop entre IST-GRU?

 

 

Com certeza eles estavam querendo o direito de tráfego para essa rota, pois além de passageiros poderão levar bastante carga agora que o Lula fez o comércio com a África aumentar, abrindo algumas embaixadas por lá.

 

Além de nonstop, o vôo poderia ser via LOS que é uma cidade maior e está em um país mais populoso e importante para o Brasil em se tratando de relações comerciais, como o petróleo.

 

Mas como para o oeste da África o tráfego maior é de carga, então eles, acho que optaram por uma escala com maior volume de transporte de carga, do que passageiros, senão, seria melhor via Nigéria.

Link to comment
Share on other sites

Agora, sim, acredito que esse vôo pd dar certo.

...há vôos exclusivamente cargueiros que fazem o trecho e seguem para a Europa...
Acho que é justamente pela existêcia de vôos com cargueiros puros que pd ser que a THY tenha alguma dificuldade para brigar neste segmento...
Link to comment
Share on other sites

Os cargueiros usam DKR apenas como escala intermediária pra re-abastecimento, até onde sei as empresas não transportavam carga de DKR pro Brasil ou do Brasil pra DKR.

Link to comment
Share on other sites

Os cargueiros usam DKR apenas como escala intermediária pra re-abastecimento, até onde sei as empresas não transportavam carga de DKR pro Brasil ou do Brasil pra DKR.

 

Realmente, todos os pousos que eu fiz na LOG tanto em DKR como em SID (Ilha do Sal) foram somente pousos tecnicos (so para reabastecer).

Varias vezes vi o 747F da Air France e o MD11F da Lufthansa por la. Sei que ha troca de tripulantes no voo da AF. Agora se ha descarregamento e carregamento nos voos da AF e LH eu nao sei dizer.

 

Abracos

 

Marcelo

Link to comment
Share on other sites

Os cargueiros usam DKR apenas como escala intermediária pra re-abastecimento, até onde sei as empresas não transportavam carga de DKR pro Brasil ou do Brasil pra DKR.
Mas um avião cargueiro voando quase vazio tem autonomia e alcance suficientes pra ir do Brasil a Europa s/ escalas e, como dizem que os vôos cargueiros trazem ao Brasil mt mais carga do que levam daqui pra Europa, presumo que, na maioria das vezes, quando há escala em DKR, seja pra levar carga pra lá embora tb possa ser o caso de escala técnica de um vôo carregado daqui pra Europa. Além disso, ha mt tempo atrás, quando eu ainda comprava Flap, lembro que no final daquelas edições especiais de aviação comercial na AL vinham dados sobre transporte de pax/carga/correios entre o Brasil e vários países e apareciam, raramente, é verdade, além de Senegal e Cabo Verde, Guiné e Guiné-Bissau, o primeiro com transporte pela AFR e o segundo pela VRG.
Realmente, todos os pousos que eu fiz na LOG tanto em DKR como em SID (Ilha do Sal) foram somente pousos tecnicos (so para reabastecer).
-Marcelo-, qual o critério utilizado para escolha de onde vai ser o pouso técnico?
Link to comment
Share on other sites

-Marcelo-, qual o critério utilizado para escolha de onde vai ser o pouso técnico?

O motivo exato eu nao sei. Mas posso imaginar que seja dinheiro hehehe (preço do combustivel, das taxas de pouso ou entao de sobrevoo).

A gente so sabia se ia confirmar o pouso intermediario (DKR ou SID) no momento que chegavamos na aeronave, pois as vezes mudava tudo do que estava planejado.

As vezes o voo virava direto (sem escalas). As vezes pousavamos em Recife tanto na ida quanto na volta, e em REC tinha descarregamento/carregamento (e, claro, abastecimento, entao nao precisava mais pousar em DKR), as vezes na volta pousavamos em Brasilia tambem. (Ja mandei varias mensagens de FRA pra galera de REC/BSB, quando era informado que iamos pousar nestas localidades, mas nunca fritaram o pouso, ehhehehehe, horario ingrato, ne?)

Como dizem, o voo cargueiro é muito "dinamico" hehehehe, nao é tao "engessado" quanto o de passageiros.

A Aviacao cargueira é aquilo: "Ame, ou deixe-a".

(Se eu pudesse escolher...)

 

Abracao

 

Marcelo

 

Link to comment
Share on other sites

Os cargueiros usam DKR apenas como escala intermediária pra re-abastecimento, até onde sei as empresas não transportavam carga de DKR pro Brasil ou do Brasil pra DKR.

 

 

De acordo com dados oficiais, que estão na edição especial da revista Flap deste ano, os números foram esses:

Destino Senegal-Brasil: 2.415.711kg (4% AF, 96% Lan)

Destino Brasil-Senegal: 492.929 kg (10% AF, 90% Lan)

 

Senegal-Brasil teve maior tráfego cargueiro do que:

África do Sul: 1.646.362

Angola: 39.916

Bolivia: 527.400

Canadá:2.241.941

Japão: 258.361

Panamá: 424.653

Paraguai: 357.474

Peru: 2.301.391

Uruguai: 1.057.292

Venezuela: 2.189.075

Link to comment
Share on other sites

Os cargueiros usam DKR apenas como escala intermediária pra re-abastecimento, até onde sei as empresas não transportavam carga de DKR pro Brasil ou do Brasil pra DKR.

 

 

De acordo com dados oficiais, que estão na edição especial da revista Flap deste ano, os números foram esses:

Destino Senegal-Brasil: 2.415.711kg (4% AF, 96% Lan)

Destino Brasil-Senegal: 492.929 kg (10% AF, 90% Lan)

 

Senegal-Brasil teve maior tráfego cargueiro do que:

África do Sul: 1.646.362

Angola: 39.916

Bolivia: 527.400

Canadá:2.241.941

Japão: 258.361

Panamá: 424.653

Paraguai: 357.474

Peru: 2.301.391

Uruguai: 1.057.292

Venezuela: 2.189.075

Link to comment
Share on other sites

51 tucano:

Estranha esta tabela da Flap.

Tanta carga p/ Senegal, país sem grande relações c/ Brasil, como Angola por ex.

Quase o mesmo movimento do Canadá.

 

Marco, esses números constam nos relatórios oficiais da ANAC para 2007.

 

Abraço

Link to comment
Share on other sites

De acordo com dados oficiais, que estão na edição especial da revista Flap deste ano, os números foram esses:

Destino Senegal-Brasil: 2.415.711kg (4% AF, 96% Lan)

Destino Brasil-Senegal: 492.929 kg (10% AF, 90% Lan)

 

Senegal-Brasil teve maior tráfego cargueiro do que:

África do Sul: 1.646.362

Angola: 39.916

Bolivia: 527.400

Canadá:2.241.941

Japão: 258.361

Panamá: 424.653

Paraguai: 357.474

Peru: 2.301.391

Uruguai: 1.057.292

Venezuela: 2.189.075

 

 

Nesses números eles contam a carga que vai para a Europa também? Imagino que possa ocorrer uma "inflação" dos números.

Link to comment
Share on other sites

Deve-se lembrar que grande parte da carga de/para a África que usualmente seria transportada por navios muitas vezes acaba tendo que ir via avião, pois é extremamente complicado encher um cargueiro para a África. Além disso, o Senegal serve de entreposto para todo o noroeste africano. E se pensarmos bem, 2400 toneladas anuais significa apenas 50 toneladas por semana, o que é algo totalmente dentro da realidade. Já o Canadá, cuja carga é transportada exclusivamente pela Air Canadá, enfrenta a concorrência das diversas companhias norte-americanas

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade