Jump to content

Gringo Go Home!´ Isso é certo para o Rio?


Fãdaembraer

Recommended Posts

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, deu uma de Hugo Chaves... Num rompante de ira após a Anac liberar novos voos no aeroporto Santos Dumont, detonou uma carga perigosa de preconceito, debochando do dono da Azul Linhas Aéreas, o "gringo" David Neeleman.

 

Um empresário que teve a capacidade de levantar uma companhia aérea a partir do nada, que priorizou a compra de aviões nacionais, que está gerando milhares de empregos, que está querendo aumentar a oferta de voos para o Rio em plena crise, que montou uma equipe de executivos de primeiríssima linha, entre tantos outros pontos positivos, merece mais respeito dos representantes do poder público estadual.

 

 

Não pode um governador atacar um empresário como Neeleman porque ele está, dentro de seu direito, buscando o melhor para a sua empresa. Derrotado em sua tentativa de barrar novos voos ao aeroporto central carioca, o governador deveria mirar seu ataque ao colega de partido, o ministro da Defesa ,Nelson Jobim, ou então à presidente da Anac, Solange Vieira. A iniciativa privada precisa de respeito, até para que o governo tenha autoridade para atrair novos investimentos para o Estado.

 

Um governante tem que manter o nível do debate. Se está furioso, que fuzile o mundo político que contrariou os seus interesses e não quem está investindo no Rio de Janeiro.

 

Jornal de Turismo

 

Link to comment
Share on other sites

  • Replies 78
  • Created
  • Last Reply

Direto ao ponto! Se dermos razão ao Cabralzinho e seu chororô, esqueçamos então o capitalismo, o direito a livre concorrência e o mercado.

 

O governador tem que batalhar para melhorar o acesso ao aeroporto internacional, melhorar (e muito) a segurança dos acessos e trabalhar para trazer mais empresas e visitantes para o Estado. O resto é, se for por motivos republicanos, birra e joguete político.

 

Rafael

Link to comment
Share on other sites

Direto ao ponto! Se dermos razão ao Cabralzinho e seu chororô, esqueçamos então o capitalismo, o direito a livre concorrência e o mercado.

 

Em tempos de mercado financeiro se liquefazendo, sem dúvida é uma afirmação irônica.

 

O fato é que isso vai ALÉM de picuinhas entre o papel do mercado e do governo. É um plano a longo prazo, que envolve sacrifícios do governo, da iniciativa privada e da população. No final, há a recompensa para todos.

 

Mas vem uma companhia espernear (o termo "chororô" vem bem a calhar para o que a Azul fez) e isso é "o que o mercado quer". O mercado agora é só a Azul...

 

Acho incrível como endeusam o Neeleman e a Azul. Cabral ameaçou, isso é fato. Mas para vocês, isso é errado. Mas, quando o Neeleman ou o Janot ameaçam o Rio e o governo, aí é "pressão" ou "lobby". Façam-me o favor.

 

Como disse o Coiote: Menos. Muito menos.

Link to comment
Share on other sites

IluvGIG,

 

Quem é o Neeleman para ameaçar o Rio? Os caras apenas estão usando o legítimo direito de lucrar. Já quando o governador, que é o representante do Estado do Rio de Janeiro ameaça que vai aumentar impostos, que vai retaliar, etc, realmente representa uma ameaça verdadeira. Aumentar ICMS? Quem ganha com isso? Só Estado! Perdem os passageiros que teriam o repasse direto nas passagens. Retaliar? Comoéqueé? Retaliar uma empresa que vai empregar cidadãos do Rio de Janeiro? Chavez fazendo escola nas Laranjeiras???

 

O Neeleman precisa muito mais do Rio de Janeiro e dos passageiros da Cidade/Estado do que o Estado dele e da Azul. Logo a força da ameaça é (seria)desproporcional.

 

Sobre o capitalismo, não é porque fizeram M atrás de M que o modelo é imprestável. Na minha opinião, ele até sairá fortalecido depois disso tudo. Têm sido profilática e didática esta crise toda. E o direito a livre concorrência todos nós temos e o mercado é e deve ser livre para se ajustar a oferta e procura. Interferência política nisso seria o mesmo que meter religião no meio da ciência.

 

Abraço,

 

Rafael

Link to comment
Share on other sites

Coitado do David Neelman. Menino pobre que veio da favela e construiu os seus primeiros aviões com o lixo que ele pegava da fábrica da Embraer. Fundou a sua 1ª cia áerea com os seus aviões artesanais e vendia as passagens nos sinais de trânsito e esquinas das cidades...

 

MENOS, BEM MENOS.

Link to comment
Share on other sites

Quem é o Neeleman para ameaçar o Rio?

 

Bom, certamente alguém que chega na imprensa e lança factoides, como "Se não abrirem SDU, só vamos voar para a cidade em 2013"; "O Rio perdeu R$ 1,4 bilhão ao mandar a Azul embora", ou talvez "Entre Rio e BH só viajam 900 pessoas por dia. Com SDU e PLU, seria muito mais" não o faz por outro motivo que não seja convencer a mídia brasileira (que sabidamente nunca foi expert no assunto aviação e caiu como patos nessas mentiras) e pressionar o governo. Neeleman não pode fazer nada, mas ele mentiu, e mentiu muito feio. Mas eu aceito o seu ponto de vista. Pior que ele, sem dúvida, é a ANAC, que apoiou a abertura de SDU simplesmente desconsiderando um crescimento anual de 12%. Isso é imperdoável. Não sei se o pessoal da ANAC é irremediavelmente corrupto ou irremediavelmente retardado. Dado o histórico dessa exemplar agência, me sinto inclinado a acreditar que ambas opções estão corretas.

 

Os caras apenas estão usando o legítimo direito de lucrar. Já quando o governador, que é o representante do Estado do Rio de Janeiro ameaça que vai aumentar impostos, que vai retaliar, etc, realmente representa uma ameaça verdadeira. Aumentar ICMS? Quem ganha com isso? Só Estado! Perdem os passageiros que teriam o repasse direto nas passagens. Retaliar? Comoéqueé? Retaliar uma empresa que vai empregar cidadãos do Rio de Janeiro? Chavez fazendo escola nas Laranjeiras???

 

Eu falo isso até me cansar, mas vou repetir sempre.

 

Existe um PROJETO a LONGO PRAZO para o Rio de Janeiro. Exige sacrifício de todos. Parem de pensar em aeroportos como meras estações de embarque e desembarque de passageiros e passem a encará-los como porta de entrada de empreendimentos. O Rio não ganha absolutamente nada com 5 vôos diários a mais para Brasília. Mas lucra com vôos a mais para centros do capitalismo global, como Londres ou NY, coisa que só agora veio acontecer.

 

O passageiro não perde nada com SDU sobretaxado. Não é para ser aeroporto de tráfego executivo, high yield, corporativo, que paga o que puder para ter o conforto de pousar no Centro do Rio? Então não vão se incomodar.

 

SDU e GIG AINDA não são complementares. Um canibaliza o outro. Reclamam que a prioridade é de GIG, e eu não sei porque. Se eu dos dois tem de sair subutilizado, nem que seja por um tempo, por que ainda existe dúvida???? Temos um aeroporto com maior capacidade do país sendo reformado ao custo de 500 milhões de reais (o mesmo que SDU, diga-se de passagem) e acham mais justo que se dê prioridade ao de 8 milhões!! Qual você acha que daria mais prejuízo para o governo brasileiro? SDU vazio ou GIG vazio? Porque não invertem a lógica?

 

E note-se que SDU não permaneceria vazio por muito mais tempo. Cresceu 12% ao ano em 2008. Agora, existe gente que diz que "SDU está vazio". Nunca vi tamanha imbecilidade. "ESTAR" é diferente de "SER". Aeroporto é obra cara, demorada e complicada. Não é para saturar em 3 anos. Só SDU que PRECISA saturar em 3 anos. Vai ver os novos terminais de SIN, ou DXB - todos são novos, e funcionam com capacidade semelhante a de SDU - 50% ou menos. Mas vai entender, não é, estamos falando de dois dos aeroportos mais mal administrados do mundo! Não é à toa que nenhum deles despontou como grande hub.

 

A ANAC tem uma tara por aeroporto saturado que é perigosa para nós, cariocas, e tão perigosa tanto para o país.

 

E o direito a livre concorrência todos nós temos e o mercado é e deve ser livre para se ajustar a oferta e procura. Interferência política nisso seria o mesmo que meter religião no meio da ciência.

 

Então é no mínimo irônico que, no centro mundial do capitalismo, em Nova York, exista um aeroporto... restrito. Imagino que, seguindo os preceitos da livre concorrência, deveria se operar quantos vôos se pudesse a partir de LGA, para que destinos se pudesse, e deixasse-se que o mercado decidisse o que é melhor para ele.

 

Mas La Guardia não pode operar vôos além de um determinado perímetro em 6 dias da semana, apesar de, tecnicamente, isso ser possível. É uma política de adequar os serviços a infra-estrutura a que eles se prestam. E, falando de aeroportos, pensar apenas no hoje é pensar errado. E só estão pensando no hoje.

 

A minha indignação maior não é nem que tenham aberto SDU, é que o tenham feito baseando-se em argumentos tão insustentáveis e repletos de tantas falhas que qualquer pessoa conseguiria identificá-los e jogar na cara da ANAC.

 

Mas, como estamos falando da simpaticíssima empresa que comprou Embraers e tem TVzinha para divertir o passageiro, então todo mundo tem de dizer "amém".

Link to comment
Share on other sites

E a desculpa mais ridícula é a de que "não existem slots em CGH e a Azul não poderá fazer a Ponte, por isso é justo que liberem SDU-VCP". Quer dizer, agora a Azul vai cuidar do tráfego Rio-SP via CAMPINAS? A Ponte é rota (deveria ser) para OD. Seja com 2 ou 15 mil empresas, o fato é que Congonhas simplesmente se saturou. A Azul chegou em um ônibus lotado. Deu azar. Pena pra ela. Ela que espere o próximo.

 

Quando você chega em um ônibus cheio, existe algo que lhe dê a ideia de que você tem prioridade sobre os demais? Que é justo que se desaproprie algum slot de uma companhia, todos dos quais foram adquiridos através de processos legais de concessão, e cedê-lo à Azul?

 

Quando você chega na fila do banco, acha justo que todos lhe dêem passagem?

 

Pois é. A Azul fez isso tudo parecer muito justo.

 

A British não tira slots da cartola em LHR; a EK demorou anos para conseguir slots em NRT. Só a Azul, dentre todas as aéreas do mundo, nasceu com o dom divino de merecer slots no aeroporto que ela quiser, quando quiser. Patético, para dizer o mínimo.

Link to comment
Share on other sites

E a desculpa mais ridícula é a de que "não existem slots em CGH e a Azul não poderá fazer a Ponte, por isso é justo que liberem SDU-VCP". Quer dizer, agora a Azul vai cuidar do tráfego Rio-SP via CAMPINAS? A Ponte é rota (deveria ser) para OD. Seja com 2 ou 15 mil empresas, o fato é que Congonhas simplesmente se saturou. A Azul chegou em um ônibus lotado. Deu azar. Pena pra ela. Ela que espere o próximo.

 

Quando você chega em um ônibus cheio, existe algo que lhe dê a ideia de que você tem prioridade sobre os demais? Que é justo que se desaproprie algum slot de uma companhia, todos dos quais foram adquiridos através de processos legais de concessão, e cedê-lo à Azul?

 

Quando você chega na fila do banco, acha justo que todos lhe dêem passagem?

 

Pois é. A Azul fez isso tudo parecer muito justo.

 

A British não tira slots da cartola em LHR; a EK demorou anos para conseguir slots em NRT. Só a Azul, dentre todas as aéreas do mundo, nasceu com o dom divino de merecer slots no aeroporto que ela quiser, quando quiser. Patético, para dizer o mínimo.

 

 

:rulez: :rulez: :rulez:

 

Não poderia ter dito melhor....

 

Link to comment
Share on other sites

Cabral pegou pesado...

Mas o David Neeleman deve estar fazendo festa regada a suco de uva com alcool na sede da Azul. Ta nem ai para o Sérgio Cabral...

 

 

Link to comment
Share on other sites

E a desculpa mais ridícula é a de que "não existem slots em CGH e a Azul não poderá fazer a Ponte, por isso é justo que liberem SDU-VCP". Quer dizer, agora a Azul vai cuidar do tráfego Rio-SP via CAMPINAS? A Ponte é rota (deveria ser) para OD. Seja com 2 ou 15 mil empresas, o fato é que Congonhas simplesmente se saturou. A Azul chegou em um ônibus lotado. Deu azar. Pena pra ela. Ela que espere o próximo.

 

Quando você chega em um ônibus cheio, existe algo que lhe dê a ideia de que você tem prioridade sobre os demais? Que é justo que se desaproprie algum slot de uma companhia, todos dos quais foram adquiridos através de processos legais de concessão, e cedê-lo à Azul?

 

Quando você chega na fila do banco, acha justo que todos lhe dêem passagem?

 

Pois é. A Azul fez isso tudo parecer muito justo.

 

A British não tira slots da cartola em LHR; a EK demorou anos para conseguir slots em NRT. Só a Azul, dentre todas as aéreas do mundo, nasceu com o dom divino de merecer slots no aeroporto que ela quiser, quando quiser. Patético, para dizer o mínimo.

 

Pô IluvGIG,

 

Mas ninguém está tirando slot da cartola. SDU tem espaço para os tais 23 slots por hora e não está usando essa capacidade. CGH a AZUL não entra tão cedo (minha opinião) pois aí sim teriam que tirar da cartola, além do que eles vão apanhar feito criança aqui...TAM e GOL vão espreme-lo até a última gota. E sou favorável a idéia de abrir SDU, inicialmente, para praças com as quais o Rio não tem ligação direta. É o mais sensato, reconheço. Além da ligação de negócios entre cidades médias de SP, PR, SC, RS e MG, por exemplo, aumentaria o turismo. Até porque ninguém ou quase ninguém da RMSP vai querer fazer uma "ponte-aérea" VCP-SDU, ainda mais que se tem GRU-GIG por R$ 120,00 cada perna...mas para o pessoal do interior vai ser interessante.

 

Mas daí ao governo partir para o desespero foi fora de tom demais...o cara é empresário, gente! O que vocês fariam sentados no lugar dele? Volto a dizer. Lobby, pressão política, usar a mídia, etc é legítimo desde que não tenha corrupção ou outras sujeiras. Se para isso o cara teve que molhar a mão de alguém, que seja punido por isso.

 

Abraço,

 

Rafael

 

Link to comment
Share on other sites

Bom, certamente alguém que chega na imprensa e lança factoides, como "Se não abrirem SDU, só vamos voar para a cidade em 2013"; "O Rio perdeu R$ 1,4 bilhão ao mandar a Azul embora", ou talvez "Entre Rio e BH só viajam 900 pessoas por dia. Com SDU e PLU, seria muito mais" não o faz por outro motivo que não seja convencer a mídia brasileira (que sabidamente nunca foi expert no assunto aviação e caiu como patos nessas mentiras) e pressionar o governo. Neeleman não pode fazer nada, mas ele mentiu, e mentiu muito feio. Mas eu aceito o seu ponto de vista. Pior que ele, sem dúvida, é a ANAC, que apoiou a abertura de SDU simplesmente desconsiderando um crescimento anual de 12%. Isso é imperdoável. Não sei se o pessoal da ANAC é irremediavelmente corrupto ou irremediavelmente retardado. Dado o histórico dessa exemplar agência, me sinto inclinado a acreditar que ambas opções estão corretas.

 

 

 

Eu falo isso até me cansar, mas vou repetir sempre.

 

Existe um PROJETO a LONGO PRAZO para o Rio de Janeiro. Exige sacrifício de todos. Parem de pensar em aeroportos como meras estações de embarque e desembarque de passageiros e passem a encará-los como porta de entrada de empreendimentos. O Rio não ganha absolutamente nada com 5 vôos diários a mais para Brasília. Mas lucra com vôos a mais para centros do capitalismo global, como Londres ou NY, coisa que só agora veio acontecer.

 

O passageiro não perde nada com SDU sobretaxado. Não é para ser aeroporto de tráfego executivo, high yield, corporativo, que paga o que puder para ter o conforto de pousar no Centro do Rio? Então não vão se incomodar.

 

SDU e GIG AINDA não são complementares. Um canibaliza o outro. Reclamam que a prioridade é de GIG, e eu não sei porque. Se eu dos dois tem de sair subutilizado, nem que seja por um tempo, por que ainda existe dúvida???? Temos um aeroporto com maior capacidade do país sendo reformado ao custo de 500 milhões de reais (o mesmo que SDU, diga-se de passagem) e acham mais justo que se dê prioridade ao de 8 milhões!! Qual você acha que daria mais prejuízo para o governo brasileiro? SDU vazio ou GIG vazio? Porque não invertem a lógica?

 

E note-se que SDU não permaneceria vazio por muito mais tempo. Cresceu 12% ao ano em 2008. Agora, existe gente que diz que "SDU está vazio". Nunca vi tamanha imbecilidade. "ESTAR" é diferente de "SER". Aeroporto é obra cara, demorada e complicada. Não é para saturar em 3 anos. Só SDU que PRECISA saturar em 3 anos. Vai ver os novos terminais de SIN, ou DXB - todos são novos, e funcionam com capacidade semelhante a de SDU - 50% ou menos. Mas vai entender, não é, estamos falando de dois dos aeroportos mais mal administrados do mundo! Não é à toa que nenhum deles despontou como grande hub.

 

A ANAC tem uma tara por aeroporto saturado que é perigosa para nós, cariocas, e tão perigosa tanto para o país.

 

 

 

Então é no mínimo irônico que, no centro mundial do capitalismo, em Nova York, exista um aeroporto... restrito. Imagino que, seguindo os preceitos da livre concorrência, deveria se operar quantos vôos se pudesse a partir de LGA, para que destinos se pudesse, e deixasse-se que o mercado decidisse o que é melhor para ele.

 

Mas La Guardia não pode operar vôos além de um determinado perímetro em 6 dias da semana, apesar de, tecnicamente, isso ser possível. É uma política de adequar os serviços a infra-estrutura a que eles se prestam. E, falando de aeroportos, pensar apenas no hoje é pensar errado. E só estão pensando no hoje.

 

A minha indignação maior não é nem que tenham aberto SDU, é que o tenham feito baseando-se em argumentos tão insustentáveis e repletos de tantas falhas que qualquer pessoa conseguiria identificá-los e jogar na cara da ANAC.

 

Mas, como estamos falando da simpaticíssima empresa que comprou Embraers e tem TVzinha para divertir o passageiro, então todo mundo tem de dizer "amém".

 

 

É exatamente isso que as pessoas não conseguem ver. O povo tem a visão muito fechada, muito focada no agora. Sim, agora vai ser ótimo ter um monte de vôos saindo do SDU para 3.000 destinos nos Brasil, porque é perto do Centro, da Zona Sul, não passa pela Linha Vermelha, é de acesso mais fácil por transporte público e bla bla bla bla bla bla bla.

Só que daqui a alguns anos tudo que o GIG conquistou nos últimos tempos será jogado na lata do lixo. Os vôos internacionais vão embora. Vão ficar só aqueles clássicos (Paris, Miami, Buenos Aires, Lisboa e um ou outro mais). O resto (Houston, New York, Londres, Atlanta, Cidade do Panama, etc) vão para o saco. Os vôos internacionais geram muito mais receita para a cidade do que meia dúzia de vôos para Brasília, Campinas e Vitória partindo do Santos Dumont, só que a população não consegue ver isso.

Será um desastre: teremos um aeroporto com capacidade de 16milhões transportando 5 milhões e olhe lá.

Planejamento não se faz no curto prazo. É no mínimo do médio para o longo prazo. Essa mudança de regras toda hora não é saudável, faz com que as empresas fiquem receosas de investir aqui e a cidade sai muito prejudicada.

 

Link to comment
Share on other sites

Mas ninguém está tirando slot da cartola. SDU tem espaço para os tais 23 slots por hora e não está usando essa capacidade. CGH a AZUL não entra tão cedo (minha opinião) pois aí sim teriam que tirar da cartola, além do que eles vão apanhar feito criança aqui...TAM e GOL vão espreme-lo até a última gota.

 

Sim, mas eu estou justamente falando de CGH. Ouvi várias vezes muitas pessoas falando "como a Azul não pode acessar SDU (mentira 1), porque todos os slots já foram injustamente distribuídos entre TAM e Gol (mentira 2), e voar a Ponte Aérea, então é justo que a Azul ganhe direito a voar SDU-VCP (mentira 3). Isso é que eu acho incrível, as pessoas quererem que se abra SDU porque CGH está lotado. Como se o trunfo da Ponte não fosse conectar Rio a SP, e sim SP ao Santos-Dumont. A própria Azul disse que não podia usar SDU, o que todos sabem que é uma mentira deslavada. A Azul se justificou usando uma suspeita de que houve irregularidade no processo de concessão de slots para TAM e Gol (confesso que não me surpreendo se fosse verdade; mas, mesmo assim, a ideia de Azul mal existia àquela época...) e por isso não podia acessar SDU, ou seja, referia-se diretamente à Ponte. Ela usou uma rota que não pretende fazer em um aeroporto que não pretende pousar para atender os seus interesses. Esse tipo de joguinho vil é que eu desprezo na Azul.

 

Meu medo mesmo não é abrir e só. É abrir e não respeitar o limite. Estamos cheios de exemplos disso pelo Brasil, inclusive o próprio SDU, que, apesar de vizinho de um aeroporto que funcionava com 30% da capacidade, carregou durante anos um fardo que era operar em 200% de sua capacidade.

 

E sou favorável a idéia de abrir SDU, inicialmente, para praças com as quais o Rio não tem ligação direta. É o mais sensato, reconheço. Além da ligação de negócios entre cidades médias de SP, PR, SC, RS e MG, por exemplo, aumentaria o turismo. Até porque ninguém ou quase ninguém da RMSP vai querer fazer uma "ponte-aérea" VCP-SDU, ainda mais que se tem GRU-GIG por R$ 120,00 cada perna...mas para o pessoal do interior vai ser interessante.

 

Concordo com você. Se é para abrir, que se abra para não-capitais. Agrada o David com toneladas de vôos SDU-VCP e ainda rende alguns vôos que hoje não existem a partir de GIG. As únicas não-capitais que GIG tem acesso são VCP (que pode sofrer bastante com o fim da conexão com GIG, que era a opção mais prática de conectar-se para vôo int'l), e IGU, eu acho. Não ajuda em nada, mas pelo menos atrapalha muito menos que escancarar o aeroporto.

 

Se para isso o cara teve que molhar a mão de alguém, que seja punido por isso.

 

Se fosse assim, não ia sobrar um... seja Azul, Varig, Gol, TAM... ê Brasil.

 

Abraços.

Link to comment
Share on other sites

 

Como eu esperava, vem a reação do Governo.

 

Se a ANAC se achou poderosa para rasgar uma portaria, espero que sustente o que vem por aí com um arsenal de medidas legais que vão fazer a vida de quem quer operar no SDU vai tornar um inferno.

 

Bom para o Estado que vai aumentar a arrecadação de impostos (de 4% para 18%)

 

Quer vantagem.... lá vem ela....

 

E Iluv, brilhantes palavras

Link to comment
Share on other sites

Direto ao ponto! Se dermos razão ao Cabralzinho e seu chororô, esqueçamos então o capitalismo, o direito a livre concorrência e o mercado.

 

O governador tem que batalhar para melhorar o acesso ao aeroporto internacional, melhorar (e muito) a segurança dos acessos e trabalhar para trazer mais empresas e visitantes para o Estado. O resto é, se for por motivos republicanos, birra e joguete político.

 

Rafael

desde quando a livre concorrencia existe de fato? Nós todos sabemos que o mundo não é tão 'perfeito' assim.

 

não estou dando mérito nenhum ao cabral, muito pelo contrário, acho que ele poderia ter ficado quietinho na dele, mas daí todo mundo ficar a favor da ANAC nessa decisão absurdo só porque o Cabral falou besteira é ooooutra história. :thumbsup:

 

Link to comment
Share on other sites

Um empresário que teve a capacidade de levantar uma companhia aérea a partir do nada, que priorizou a compra de aviões nacionais, que está gerando milhares de empregos, que está querendo aumentar a oferta de voos para o Rio em plena crise, que montou uma equipe de executivos de primeiríssima linha, entre tantos outros pontos positivos, merece mais respeito dos representantes do poder público estadual.

A Azul está fazendo obra de caridade ao comprar aviões nacionais, gerar milhares de empregos, criar oferta de voos em crise e montar uma equipe de executivos de primeirissima linha?

 

Não pode um governador atacar um empresário como Neeleman porque ele está, dentro de seu direito, buscando o melhor para a sua empresa. Derrotado em sua tentativa de barrar novos voos ao aeroporto central carioca, o governador deveria mirar seu ataque ao colega de partido, o ministro da Defesa ,Nelson Jobim, ou então à presidente da Anac, Solange Vieira. A iniciativa privada precisa de respeito, até para que o governo tenha autoridade para atrair novos investimentos para o Estado.

Ahhhh, buscando o melhor para a companhia dele! e o rio de janeiro?

O governador se irritou com o empresário filantropo porque a ANA®C ofereceu essa proposta para a azul de mao beijada? A ANA®C reavaliou a situação do SDU e pensou: coitadinha dessa empresa nova, vamos oferecer só para eles uma regra nova, vamos mudar as regras as quais as outras empresas tiverem que se adaptar e seguir; só porque essa empresa é uma coitadinha... sei muito bem...

 

Um governante tem que manter o nível do debate. Se está furioso, que fuzile o mundo político que contrariou os seus interesses e não quem está investindo no Rio de Janeiro.

O governante deveria sim manter o nível do debate. MAS o mundo pilantrapolitico deveria ser mais coerente, sensato e deveria consultar os planos macro, tanto da cidade/estado e país. isto sem falar em NÃO CEDER a imposições feitas por empresas.

 

Link to comment
Share on other sites

Como bem falaram aqui estamos vendo a Venezuelização do meu querido Rio de Janeiro.

 

Não é só o governador que tem esta atitude chavista, mas muitos de meus concidadãos

Link to comment
Share on other sites

Eu acho que seria bem mais prático, a Azul esquerecr do RJ e BH por enquanto, já que eles só querem as coisas do jeito deles e pronto, n tem por que ta batendo cabeça.

 

Os dois Voos que peguei da Azul em REC sairam com mais de 80% de ocupação , assim como os voos de FOR MAO e NVT com certeza tb sairão bem cheios, se eles entrame em BSB, FLN, AJU, MCZ, JPA e diversas outras cidades carente de voos e de preços competitivos tb terão exelentes taxas de ocupação.

 

Assim o RJ e BH não são imprescindíveis pra Azul, a WJ passou um tempão crescendo muito bem sem precisar de GRU, se GRU que é GRU não é tão imprescindível assim quem dirá GIG ou CNF

Link to comment
Share on other sites

Como bem falaram aqui estamos vendo a Venezuelização do meu querido Rio de Janeiro.

 

Não é só o governador que tem esta atitude chavista, mas muitos de meus concidadãos

 

Você considera o Texas uma Venezuela? Você considera a França uma Venezuela? Você considera a Itália uma Venezuela? Você considera o Japão uma Venezuela?

Link to comment
Share on other sites

Achava que este discurso terceiro mundista Yankees go Home etc era exclusivo do Chaves, Fidel. Mas vejo que o Cabral está adotando ele com força e apoiado por alguns ilustres cariocas.

 

Em tempo: O Neeleman é brasileiro nato, com todos os direitos que a Constituição fornece

 

A Constituição proíbe a distinção legal entre brasileiros natos e naturalizados, exceto quanto aos casos nela previstos:

 

São privativos de brasileiro nato os seguintes cargos:

Presidente e Vice-Presidente da República;

Presidente da Câmara dos Deputados;

Presidente do Senado Federal;

Ministro do Supremo Tribunal Federal;

da carreira diplomática;

de oficial das Forças Armadas;

de Ministro de Estado da Defesa; e

os seis cargos de membro do Conselho da República mencionados no art. 89, item VII, da Constituição Federal.

nenhum brasileiro pode ser extraditado, exceto o naturalizado, em caso de crime comum praticado antes da naturalização, ou de comprovado envolvimento em tráfico de drogas.

a propriedade de empresas jornalísticas, de rádio ou TV é privativa de brasileiros natos ou naturalizados há mais de dez anos.

Link to comment
Share on other sites

Achava que este discurso terceiro mundista Yankees go Home etc era exclusivo do Chaves, Fidel. Mas vejo que o Cabral está adotando ele com força e apoiado por alguns ilustres cariocas.

 

Em tempo: O Neeleman é brasileiro nato, com todos os direitos que a Constituição fornece

 

A Constituição proíbe a distinção legal entre brasileiros natos e naturalizados, exceto quanto aos casos nela previstos:

 

São privativos de brasileiro nato os seguintes cargos:

Presidente e Vice-Presidente da República;

Presidente da Câmara dos Deputados;

Presidente do Senado Federal;

Ministro do Supremo Tribunal Federal;

da carreira diplomática;

de oficial das Forças Armadas;

de Ministro de Estado da Defesa; e

os seis cargos de membro do Conselho da República mencionados no art. 89, item VII, da Constituição Federal.

nenhum brasileiro pode ser extraditado, exceto o naturalizado, em caso de crime comum praticado antes da naturalização, ou de comprovado envolvimento em tráfico de drogas.

a propriedade de empresas jornalísticas, de rádio ou TV é privativa de brasileiros natos ou naturalizados há mais de dez anos.

Caro colega forense.

Você acha que o governador do rio de janeiro fez isso só porque Neeleman fala com um sotaque diferente, ou porque é considerado "gringo"???

Acho que a atitude do governador se deu pelo "forçar a barra" feito pela empresa, e não pelo fato do Neeleman ser "gringo". Acho que apenas e só por esse motivo, o seu argumento cai por terra.

Se o governador tem um plano de crescimento/proteção do seu estado e alguma empresa tem uma visão contraria, o governador tem que aceitar tudo de bom grado?

Acho que estamos saindo um pouco do foco da questão, e não se esqueça, que a intriga do "gringo" foi criada pela midia.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade