Jump to content

Planos de Curitiba receber primeiro voo direto com Europa são adiados


Kleber

Recommended Posts

Planos de Curitiba receber primeiro voo direto com Europa são adiados

 

Vice-governador e presidente do Comitê Executivo teria encontro com a TAP, mas posição da Fifa em postergar anúncio de subsedes faz negociação ficar estacionada

13/03/2009 | 15:23 | Thiago de Araújo

 

 

Curitiba poderia ter duas grandes notícias na próxima semana. A primeira de que será uma das 12 subsedes da Copa do Mundo de 2014. A outra seria a possibilidade de ganhar o seu primeiro voo direto com a Europa, sem escalas. Entretanto, ambas vão ficar para o futuro, graças a posição da Fifa em adiar para o fim de maio a definição das cidades do Mundial no Brasil. Assim, o encontro entre Orlando Pessuti e dirigentes da TAP também foi cancelado.

 

O vice-governador do Paraná e presidente do Comitê Executivo de Curitiba para Assuntos da Copa de 2014 viajaria neste sábado e iniciaria a sua agenda europeia na segunda-feira em Lisboa, onde teria um importante encontro com a empresa portuguesa de transporte aéreo. Todavia, a reunião que pode dar à capital paranaense o seu primeiro voo entre o Aeroporto Internacional Afonso Pena e Lisboa foi postergada, para uma data a ser definida.

 

As negociações prosseguem em andamento, e Pessuti espera assinar os acordos que viabilizem o voo ainda neste primeiro semestre. O interesse da companhia portuguesa é grande, já que os diretores da TAP reconhecem que a vinda da Copa de 2014 para a Curitiba pode gerar um grande fluxo de turistas europeus para a cidade. Além desta visita em Portugal, o vice-governador passaria pela Itália e pela Suíça, onde acompanharia a decisão da Fifa.

 

Enquanto aguarda o andamento das negociações com a TAP e o anúncio das 12 subsedes do Mundial, Pessuti deve começar na próxima semana uma reformulação no Comitê Executivo, com a entrada de novas entidades e dirigentes de outras regiões do Paraná, como Foz do Iguaçu, Paranaguá, Maringá, Londrina e Ponta Grossa.

 

Fonte: Portal RPC

Link to comment
Share on other sites

As negociações prosseguem em andamento, e Pessuti espera assinar os acordos que viabilizem o voo ainda neste primeiro semestre.

 

O Aeroporto de Curitiba já tem condições para receber voos directos da Europa sem qualquer tipo de melhoramentos?

 

Abraço

Link to comment
Share on other sites

O aeroporto Afonso Pena possui condições de receber um vôo da europa direto sem problemas, agora, sair daqui um direto de volta é impossível, estamos a 930m de altutide média e a pista tem seu comprimento da época da segunda guera, com 2.212m!!

De lá para cá jamais ganhou 1 metro sequer a mais.

Estamos caminhando rumo a saturação, sinais disso já são observados, cada vez mais aviões pousam e decolam inclusive os cargueiros que chegam com carga e decolam vazios....

Um novo alento será a copa de 2014, onde as notícias se preocupam com os acessos do aeroporto à cidade mas ninguém fala do aeroporto!!

Acho que há mais coisas que atravancam a evolução do aeroporto do que nossa imaginação...

Link to comment
Share on other sites

O Governo do Paraná deveria deixar de esperar pela Infraero e financiar a extensão com os próprios meios, senão isso só vai sair às vésperas da Copa em uma daquelas obras feitas a toque de caixa...

Link to comment
Share on other sites

O Governo do Paraná deveria deixar de esperar pela Infraero e financiar a extensão com os próprios meios, senão isso só vai sair às vésperas da Copa em uma daquelas obras feitas a toque de caixa...

Sem dúvida Coiote. Mas isso dificilmente irá ocorrer. O governo Requião gosta de declarar que "fez uma opção pelos pobres", esquecendo-se que infraestrutura de transportes atrai investimentos e diminui a pobreza. Faltam ainda 2 anos para o fim do seu governo. Dificilmente teremos algo nessa direção antes disso. Teremos que esperar o próximo governador.

Com chances reais de chegar ao Palácio Iguaçu estão Osmar Dias (que perdeu a última eleição por uma diferença mínima) e Beto Richa (atual prefeito de Curitiba, recém reeleito).

Link to comment
Share on other sites

Sem dúvida Coiote. Mas isso dificilmente irá ocorrer. O governo Requião gosta de declarar que "fez uma opção pelos pobres", esquecendo-se que infraestrutura de transportes atrai investimentos e diminui a pobreza. Faltam ainda 2 anos para o fim do seu governo. Dificilmente teremos algo nessa direção antes disso. Teremos que esperar o próximo governador.

Com chances reais de chegar ao Palácio Iguaçu estão Osmar Dias (que perdeu a última eleição por uma diferença mínima) e Beto Richa (atual prefeito de Curitiba, recém reeleito).

 

É uma pena, pois se o governador do Paraná tentar usar uma estratégia como a do Cabral de falar tão mal do aeroporto até que isso passe a ser uma humilhação para a Infraero, isso não vai funcionar, pois quem faz pressão real mesmo é a opinião pública, e essa, infelizmente, não consegue se sensibilizar com a falta de metros na pista.

Link to comment
Share on other sites

É uma pena, pois se o governador do Paraná tentar usar uma estratégia como a do Cabral de falar tão mal do aeroporto até que isso passe a ser uma humilhação para a Infraero, isso não vai funcionar, pois quem faz pressão real mesmo é a opinião pública, e essa, infelizmente, não consegue se sensibilizar com a falta de metros na pista.

 

 

Se ao menos o Neeleman conseguisse lamentar a falta do hub azulino em CWB devido ao comprimento da pista... em segundos o problema estaria resolvido. O poder de sedução dele poderia ser mais aproveitado pelo país! :macumba:

Link to comment
Share on other sites

Em resposta ao comentário feito pelo Stratocruiser em outro tópico, http://forum.contatoradar.com.br/index.php...44367&st=40 :

Curitiba não tem, definitivamente, nenhuma vocação para hub, especialmente se comparado com o Galeão:

 

1) Terminal não é grande o suficiente;

2) Pista curta e taxiways precárias;

3) Nevoeiros fecham o aeroporto constantemente. Não há CAT-III;

4) Curitiba é uma excelente cidade :wub_anim: mas não tem a mesma importância econômica e turística do Rio;

5) Está localizada muito ao sul (não é suficientemente central para servir como hub), exceto se pensado como hub para vôos entre países da Am. Latina, mas esse papel já é cumprido por São Paulo, que fica a apenas mais 40 minutos de vôo.

 

Não quero dizer com isso que Curitiba não tenha demanda para pelo menos 1 vôo diário para a Europa. Quero dizer é que como hub não serve.

Com TPS, pátio, taxiways, e pistas ampliados, e CAT-III instalado, certamente CWB cumpriria com a função de hub de conexões. Afinal de contas CWB é a porta de entrada para a região Sul.

Certamente um vôo da TAP num hub em CWB estaria como a mão e a luva.

Link to comment
Share on other sites

Certamente um vôo da TAP num hub em CWB estaria como a mão e a luva.

 

E distribuiria para onde, com a TAP voando para todas as esquinas do Brasil? Brasil-LIS cada vez mais é uma rota OD, e sem conexões.

 

Só vejo mesmo potencial para pegar parte das conexões do interior do PR. Naturalmente, considero que POA, tão logo resolvam os problemas de pista, ganhará o seu LIS também. Se apenas CWB for reformada, aí sim pode haver espaço. Existe FLN-CWB pela TAM?

Link to comment
Share on other sites

Meu comentário no outro tópico foi em resposta a quem sugeriu que o Afonso Pena teria precedência ao Galeão no papel de hub. Porém, já que foi trazido para cá, não apenas reitero o que escrevi, como acrescento ainda que:

 

1) Não basta 1 vôo da TAP para transformar CWB em hub da noite para o dia;

2) Investimentos em infraestrutura não precluem o uso do Afonso Pena como aeroporto não-hub;

3) Embora CWB necessite escandalosamente de investimentos, outros aeroportos também o necessitam. O Brasil como um todo talvez ganhasse mais com a criação de um grande hub no Nordeste ou em Brasília, do que com um novo ponto de concentração vizinho a São Paulo;

4) Se for para concentrar vôos dessa forma na região de Curitiba, então melhor é que se amplie Guarulhos. As chances de o Brasil ganhar vôos novos para destinos inéditos aumentaria com melhorias em GRU do que dividindo tráfego com um hipotético hub curitibano, especialmente porque, como é de amplo conhecimento, CWB tem menos O&D do que SP e Rio, e tem potencial turístico menor do que o Nordeste (embora Foz seja uma das melhores atrações do Brasil).

 

Por fim, deve-se sim investir com urgência no Afonso Pena, porque o aeroporto não condiz com o tamanho da cidade e da região metropolitana. Curitiba é uma das mais importantes e ricas cidades do continente, mas tem um aeroporto que parou no tempo.

 

Já um hub em CWB? Afasta de mim esse cálice!

Link to comment
Share on other sites

Jornal de hoje fala em 3ª pista o que considero devaneio, os verdes vão acampar naquele bosque que se desenvolveu nas terras compradas pelo Estado nos anos 80, com uma pista decente, com piso e TWY adequados, pátios maiores como projetado e um TPS ampliado, este sim é urgente, ah! e CTA menos medrosos que operem com separação menor, temos vários aeroportos com movimento bem maior do que no Afonsão e operam muito bem com pista única.

Link to comment
Share on other sites

E como é que se amplia a pista atual?

 

A terceira pista é a única saída para CWB, especialmente para as operações cargueiras, pois hoje existe uma imensa ineficiência logística por conta do comprimento da pista do aeroporto.

Link to comment
Share on other sites

4) Se for para concentrar vôos dessa forma na região de Curitiba, então melhor é que se amplie Guarulhos. As chances de o Brasil ganhar vôos novos para destinos inéditos aumentaria com melhorias em GRU do que dividindo tráfego com um hipotético hub curitibano, especialmente porque, como é de amplo conhecimento, CWB tem menos O&D do que SP e Rio, e tem potencial turístico menor do que o Nordeste (embora Foz seja uma das melhores atrações do Brasil).

 

Por fim, deve-se sim investir com urgência no Afonso Pena, porque o aeroporto não condiz com o tamanho da cidade e da região metropolitana. Curitiba é uma das mais importantes e ricas cidades do continente, mas tem um aeroporto que parou no tempo.

 

Já um hub em CWB? Afasta de mim esse cálice!

 

Curitiba é o 4º destino no Brasil em viagens de negócios de extrangeiros e o Sul está na frente do Nordesde em viagens de lazer. O turismo de negócios, além de ser menos sazonal que o de lazer, permite um yield mais alto para as cias aéreas, o que será levado muito em conta por elas.

 

Abraços

 

Matheus

Link to comment
Share on other sites

Matheus, os números sobre turismo de lazer que conheço são diferentes. Esses aqui, por exemplo, são dados da movimentação de passageiros pela CVC nos primeiros 9 meses de 2008:

 

1º Porto Seguro - 140.645 pax.

2º Natal - 102.377 pax.

3º Fortaleza - 85.176 pax.

4º Maceió - 71.564 pax

5º Porto de Galinhas - 51.023 pax

6º Costa do Sauípe - 37.729 pax

7º Gramado - 30.780 pax

8º Salvador - 29.909 pax

9º Recife - 22.170 pax

10º Foz do Iguaçu - 21.437 pax

 

Fonte: http://www.turismoehotelaria.com.br/turism...ew.asp?id=27734

 

É uma amostra enviesada, porque reflete apenas os dados da CVC (não incluem por exemplo, turistas europeus que vão ao Nordeste, nem argentinos que vão às praias de Santa Catarina; acrescente-se que a maioria dos pacotes parte de SP/RJ, o que nessa lista enfraquece cidades vizinhas, como Curitiba, além das próprias SP/RJ). Ainda assim, como trata-se da maior operadora, penso que indique pelo menos uma tendência de onde se concentra o turismo de lazer.

 

Mas não há dúvidas de que Curitiba e arredores tem potencial turístico subaproveitado, além de ser um centro econômico plenamente consolidado, e que carece de infraestrutura apropriada.

Link to comment
Share on other sites

Matheus, os números sobre turismo de lazer que conheço são diferentes. Esses aqui, por exemplo, são dados da movimentação de passageiros pela CVC nos primeiros 9 meses de 2008:

 

1º Porto Seguro - 140.645 pax.

2º Natal - 102.377 pax.

3º Fortaleza - 85.176 pax.

4º Maceió - 71.564 pax

5º Porto de Galinhas - 51.023 pax

6º Costa do Sauípe - 37.729 pax

7º Gramado - 30.780 pax

8º Salvador - 29.909 pax

9º Recife - 22.170 pax

10º Foz do Iguaçu - 21.437 pax

 

Fonte: http://www.turismoehotelaria.com.br/turism...ew.asp?id=27734

 

É uma amostra enviesada, porque reflete apenas os dados da CVC (não incluem por exemplo, turistas europeus que vão ao Nordeste, nem argentinos que vão às praias de Santa Catarina; acrescente-se que a maioria dos pacotes parte de SP/RJ, o que nessa lista enfraquece cidades vizinhas, como Curitiba, além das próprias SP/RJ). Ainda assim, como trata-se da maior operadora, penso que indique pelo menos uma tendência de onde se concentra o turismo de lazer.

 

Mas não há dúvidas de que Curitiba e arredores tem potencial turístico subaproveitado, além de ser um centro econômico plenamente consolidado, e que carece de infraestrutura apropriada.

 

Os dados da CVC se referem ao turismo interno, de lazer e ainda por cima somente dessa operadora. Os dados sobre o turismo externo, mostram Curitiba em 4º lugar em turismo de negócios. Com certeza no turismo de lazer estamos muito atrás, até porque não temos praia e esse é o principal objeto de desejo de quem escolhe o Brasil para passar as férias.

 

Abraços

 

Matheus

Link to comment
Share on other sites

Curitiba é o 4º destino no Brasil em viagens de negócios de extrangeiros e o Sul está na frente do Nordesde em viagens de lazer. O turismo de negócios, além de ser menos sazonal que o de lazer, permite um yield mais alto para as cias aéreas, o que será levado muito em conta por elas.

 

Abraços

 

Matheus

 

 

Os dados da CVC se referem ao turismo interno, de lazer e ainda por cima somente dessa operadora. Os dados sobre o turismo externo, mostram Curitiba em 4º lugar em turismo de negócios. Com certeza no turismo de lazer estamos muito atrás, até porque não temos praia e esse é o principal objeto de desejo de quem escolhe o Brasil para passar as férias.

 

Abraços

 

Matheus

 

Acho que o Lipe respondeu àquela parte destacada em vermelho...

Link to comment
Share on other sites

Curitiba é o 4º destino no Brasil em viagens de negócios de extrangeiros e o Sul está na frente do Nordesde em viagens de lazer. O turismo de negócios, além de ser menos sazonal que o de lazer, permite um yield mais alto para as cias aéreas, o que será levado muito em conta por elas.

 

Os dados da CVC se referem ao turismo interno, de lazer e ainda por cima somente dessa operadora. Os dados sobre o turismo externo, mostram Curitiba em 4º lugar em turismo de negócios Com certeza no turismo de lazer estamos muito atrás, até porque não temos praia e esse é o principal objeto de desejo de quem escolhe o Brasil para passar as férias.

 

 

:uhm: :uhm: :uhm: :uhm: :uhm: :uhm: :uhm:

Link to comment
Share on other sites

Realmente pareceu contraditório da minha parte. Curitiba por si só está atrás de muitas cidades do Nordeste em relação ao turismo de lazer, mas a região Sul em relação a região nordeste realmente está a frente, com 42.1 % dos visitantes extrangeiros a lazer, contra 29%

Quem quiser consultar, esses são os dados referentes ao ano de 2005:

http://200.189.169.141/site/arquivos/dados...co_2006_pdf.pdf

 

Abraços

 

Matheus

Link to comment
Share on other sites

Mas nesse caso não estamos falando somente de viagens aéreas, mas principalmente dos milhares de argentinos que se dirigem todos os anos às praias catarinenses por via terrestre.

Link to comment
Share on other sites

Matheus, não lhe tiro a razão quanto a certos números, mas de fato, como o Thiago menciona acima, a quantidade de estrangeiros que tem a região Sul como destino e que chega por via terrestre é bastante grande.

 

As tabelas não estratificam por entrada vs. destino (não dá para fazer uma análise de Mantel-Haenszel :P), mas pode-se ter uma idéia observando como se distribuem as entradas pela região Sul. A esmagadora maioria entra por via terrestre:

 

- PR 637.194 turistas, 599.073 por via terrestre, apenas 30.238 por via aérea;

- SC 109.025 turistas, 57.832 por via terrestre, 48.009 por via aérea;

- RS 642.325 turistas, 555.859 por via terrestre, apenas 78.996 por via aérea.

 

Não é a mesma coisa que destino final, mas dá uma boa noção, porque quem vai de carro não vai muito longe (não devem ser muitos os argentinos que vão de carro ou de ônibus de Córdoba para Fortaleza).

 

Isso comprova mais uma vez que Curitiba não tem vocação para hub aéreo.

 

EDIT: Esses dados são de 2006. Infelizmente os dados de 2008 divulgados pelo MTur são bem menos completos.

Link to comment
Share on other sites

Stratocruiser,

Pelo visto foi uma boa eu ter reservado minhas palavras para os seus conterrâneos as usarem.

Mas, vamos ao que interessa: CWB, assim como VCP e CNF, pode ser um dos hubs para a desconcentração de SAO e RIO.

Link to comment
Share on other sites

Matheus, não lhe tiro a razão quanto a certos números, mas de fato, como o Thiago menciona acima, a quantidade de estrangeiros que tem a região Sul como destino e que chega por via terrestre é bastante grande.

 

As tabelas não estratificam por entrada vs. destino (não dá para fazer uma análise de Mantel-Haenszel :P), mas pode-se ter uma idéia observando como se distribuem as entradas pela região Sul. A esmagadora maioria entra por via terrestre:

 

- PR 637.194 turistas, 599.073 por via terrestre, apenas 30.238 por via aérea;

- SC 109.025 turistas, 57.832 por via terrestre, 48.009 por via aérea;

- RS 642.325 turistas, 555.859 por via terrestre, apenas 78.996 por via aérea.

 

Não é a mesma coisa que destino final, mas dá uma boa noção, porque quem vai de carro não vai muito longe (não devem ser muitos os argentinos que vão de carro ou de ônibus de Córdoba para Fortaleza).

 

Isso comprova mais uma vez que Curitiba não tem vocação para hub aéreo.

 

EDIT: Esses dados são de 2006. Infelizmente os dados de 2008 divulgados pelo MTur são bem menos completos.

 

Eu nunca discordei que Curitiba não tem vocação para hub aéreo. Discordei na parte em que você diz que Curitiba não tem vocação para turismo. Tem bastante sim, para o turismo de negócios. Você conhece a estrutura da nossa cidade para esse fim. Bons locais para eventos, com bom transporte e uma rede hotelera que atende com folga essa demanda.

O Turismo de lazer, com toda certeza, se tiver uma boa publicidade no outro lado do Atlântico, tem muito a crescer. As prais de SC não devem nada as do NE com a vantagem de serem melhor estruturadas e terem vida fora dos resorts.

 

Agora, Curitiba não tem vocação para hub por causa da sua localização geográfica. Se alguém de Florianópolis, Porto Alegre, Londrina ou qualquer outra cidade do Sul precisar pegar uma conexão para a Europa ou Estados Unidos, tanto faz ir para GRU quanto ir para CWB, já que o sentido de viagem continua o mesmo e o tempo de viagem não mudará.

O que temos aqui é um grande potencial local, que eu quis explicitar pelos números que postei primeiramente, atendendo não só Curitiba,mas também parte norte de SC, o mais rico desse estado, que já se desloca para Curitiba de carro para pegar avião (é só observar no estacionamento do Afonso Pena a quantidade de carros de Joinville, Jaraguá e até Blumenau).

 

Abraços

 

Matheus

 

 

Link to comment
Share on other sites

Tranquilo Matheus, entendi sim que você não sugere Curitiba como hub, já que conhece bem a cidade e o aeroporto atual, bem como planos de expansão (que são sempre modificados aos sabores das conveniências de políticos que controlam a Infraero).

 

O colega qwert deseja sugerir o contrário, propondo o Afonso Pena como alternativa ao Galeão. Acredito que já foram apresentados dados suficientes que provam que o Afonso Pena não serve para isso.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade