Jump to content

Qantas is thinking of flying down to Rio


F-BVFA

Recommended Posts

Matt O'Sullivan

September 6, 2010

 

QANTAS is considering tapping into the booming Brazilian economy by flying to either Sao Paulo or the popular tourist destination of Rio de Janeiro.

 

Any decision to begin flights to Brazil is likely to result in the airline dropping services to Argentina's capital, Buenos Aires, because there is insufficient traffic to maintain two routes to South America.

 

Qantas would not comment on the speculation, but insiders said it was not a surprise to hear that Brazil was high on the airline's list of possible destinations because the resource-rich economy was booming. Sao Paulo's two airports have about twice the annual passenger traffic of Buenos Aires.

 

The Australia-Buenos Aires route is understood to still be unprofitable for Qantas despite a general improvement in demand for international flights.

 

Argentina's flag carrier, Aerolineas Argentinas, is planning to fly directly between Sydney and Buenos Aires early next year rather than stop over in Auckland, which would prove a bigger threat to Qantas on the route.

 

Flying to Sao Paulo or Rio de Janeiro could be a challenge for Qantas because of the long flight time. It would have to be flown by a four-engine aircraft such as a Boeing 747-400, which would not be able to take a full payload because of the distance between Sydney and either of the two Brazilian cities.

 

Some insiders said a broader alliance with Chile's flag carrier, LAN, which allowed Qantas to link to more South American destinations, made better sense than direct flights to Brazil. Qantas already codeshares on LAN flights between Sydney and Chile's capital, Santiago.

 

LAN and Qantas are both in the oneworld alliance, although the Chilean airline's recent takeover bid for the Brazilian airline TAM has cast some doubt over whether it will remain. TAM recently joined Star Alliance.

 

Insiders also said it was not the right time for Qantas to start a new route and it would be better to wait to see whether the global economy avoided entering a double-dip recession.

 

http://www.smh.com.au/business/qantas-is-t...0905-14w6g.html

Link to comment
Share on other sites

Não sei, mas se for pra Qantas voar pro Rio de Janeiro e, uma vez lá, ficar com aquela mesma conversa mole da US Airways, que só se pode ser feliz em GRU, é melhor nem vir. O povo continua conectando em Dubai ou na Argentina e tudo fica como está.

Link to comment
Share on other sites

Não sei, mas se for pra Qantas voar pro Rio de Janeiro e, uma vez lá, ficar com aquela mesma conversa mole da US Airways, que só se pode ser feliz em GRU, é melhor nem vir. O povo continua conectando em Dubai ou na Argentina e tudo fica como está.

 

A US não fala isso. Ela só quer voar pra GRU também. E no caso da Qantas não aconteceria, visto que não há disputa das frequências.

Link to comment
Share on other sites

Não seria melhor o título flying to Rio or SP, ou Brasil? Pois foi isso que entendi . . .

 

Estava demorando a QF se pronunciar, desde 1998 que ela dizia que pretendia voar para o Brasil. É o momento de aproveitar . . .

 

Sonhando um pouco, será que não dá para fazer um round-the-world com stop no Brasil, algo como PER-JNB-GIG/SYD-EZE-SYD-PER?

Link to comment
Share on other sites

Não seria melhor o título flying to Rio or SP, ou Brasil? Pois foi isso que entendi . . .

 

Certamente pois, no entender deles, a chamada daquele jeito chama mais atenção.

 

É uma rota bem interessante e dada a natureza dela acredito que um tag-on ou voo circular iria bem a calhar (já que duvido muito que se a QF vier ao Brasil ela deixe de vir a GRU pois mesmo que falte slot a InfraZero sempre da um jeitinho).

Link to comment
Share on other sites

Essa é uma rota que tem tudo para dar certo, mas acredito que seria melhor sendo SYD-AKL-GRU diário, porque dessa forma não haveria problema com payload e tendo escala em AKL atenderia outra cidade com bastante fluxo pro Brasil. A Qantas já tem um acordo com a TAM de distribuição de passageiros no Brasil e tendo a JetStar, empresa de baixo custo da Qantas, operando na Nova Zelândia rotas para cidades com muitos brasileiros como Wellington, Christchurch e Queenstown, os passageiros já poderiam despachar suas bagagens direto para elas. Fora que em SYD há um leque de conexões para várias cidades da Ásia como Singapore, Jakarta, Kuala Lumpur, Bali, Tokyo, Hong Kong...

 

SYD-AKL-GRU não seria a primeira rota de longo curso da Qantas a fazer escala em AKL, pois ela já faz, por exemplo, MEL-AKL-LAX..

 

A grande vantagem desse voo sobre as outras cias seria o fato do pax poder voar do Brasil para a Australia com apenas uma escala e sem escalas para a Nova Zelândia.

Link to comment
Share on other sites

Certamente pois, no entender deles, a chamada daquele jeito chama mais atenção.

 

É uma rota bem interessante e dada a natureza dela acredito que um tag-on ou voo circular iria bem a calhar (já que duvido muito que se a QF vier ao Brasil ela deixe de vir a GRU pois mesmo que falte slot a InfraZero sempre da um jeitinho).

 

Na verdade, foi uma alusao ao mundialmente famoso filme "Flying down to Rio". Caberia a quem postou a reportagem adicionar abaixo o real interesse da cia., mas....

 

So para esclarecer, GRU nao possui mais slots em algumas horas do dia, havendo portanto espaco em varias outras. Basta que a Qantas nao aplique para as horas de pico que nao havera problema em operar por la; vide 2 das melhores e mais agressivas cias do mundo que operam com sucesso em horarios mais tranquilas: Emirates e Qatar.

 

Ja vinha dizendo ha tempos da demora em se lancar uma rota Brasil-Australia tanto pelo sgmento turistico e de estudantes Brasileiros para Australia qto pelo interesse crescente dos executivos nesta importante rota do Pacifico Sul.

 

A sugestao do Gabriel acima eh de longe a mais coerente.

 

Pena que nao seja a TAM a primeira a lancar um GRU-AKL-SYD.

Link to comment
Share on other sites

Qual seria o real interesse da cia?

Pelo que entendi eles pretender aproveitar a boa fase financeira do mercado brasileiro para inserir uma rota que atrai muitos investidores e turistas. :thumbsup:

 

Creio que não há nada "obscuro" (politicagem e afins) nessa proposta de voos para o Brasil. :lala:

 

Link to comment
Share on other sites

Qual seria o real interesse da cia?

 

Andre, a meu ver, ha tempos que a Qantas vem percebendo o grande percentual de Brasileiros nos seus 3 voos semanais de EZE e, agora com a TAM+LAN, para evitar um perdominio maior da nova cia na rota Am. do Sul-Oceania, resolveu se antecipar e declarar o seu real interesse em ser a primeira a ligar o maior mercado da AL (e justamente sede da TAM) com a Oceania.

 

Vamos aguardar para ver a reacao da LATAM.

 

 

 

PS: So uma correcao na reportagem. GRU+CGH, possuem mais que 2 vezes o movimento de EZE+AEP...se contarmos VCP como parte do Terminal SP, fica ainda mais evidente a importancia desta regiao se comparado a Buenos Aires.

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Os gráficos abaixo mostram os horários de pico em GRU em relação aos slots e ao número de aeronaves no pátio. Lembrando que a situação abaixo não corresponde 100% à realidade (mas fica bem próximo), porque ela usa a base de hotrans da ANAC (que não inclui os fretes não regulares e o hotran aprovado não precisa necessariamente estar sendo usado pela companhia aérea).

 

slotsgrujulho2010.jpg

 

capacidadepatiogrujulho.jpg

 

 

Lembrando que esses gráficos foram montados com base nos hotrans disponibilizados no último dia de Julho. A entrada da Pantanal com mais força em GRU deve ter alterado um pouco essa situação.

 

Enfim, mas dá para se ter uma boa noção de quais horários são mais fáceis de se obter aprovação da Infraero para novos vôos em GRU.

Link to comment
Share on other sites

 

Tudo depende do lado a se utilizar. A Qantas pode voar Perth-Rio de Janeiros em escalas. Qualquer rota pelo Pacifico vai ser bem mais complicada.

E Perth é um mercado de óleo & gás.

 

Tem muito mais a considerar, sem dúvida.

 

 

Link to comment
Share on other sites

Tudo depende do lado a se utilizar. A Qantas pode voar Perth-Rio de Janeiros em escalas. Qualquer rota pelo Pacifico vai ser bem mais complicada.

E Perth é um mercado de óleo & gás.

 

Tem muito mais a considerar, sem dúvida.

 

PER-GIG sem escalas?? Mas isso são umas 8400 milhas.....a QF teria avião para fazer um vôo desses??

Creio que somente um 77L ou um A345, e a QF não possue nenhum dois....

Talvêz um PER-JNB-GIG?? Assim o GIG teria uma ligação direta com JNB.....

 

Mas creio que a QF vai esperar para ver se a Latam fica na One World ou vai para a * Alliance.....

Link to comment
Share on other sites

Tudo depende do lado a se utilizar. A Qantas pode voar Perth-Rio de Janeiros em escalas. Qualquer rota pelo Pacifico vai ser bem mais complicada.

E Perth é um mercado de óleo & gás.

 

Tem muito mais a considerar, sem dúvida.

 

Ela poderia operar 3x PER-JNB-GIG-GRU-SYD. PER-JNB já é servido pela SA, mas se houver quinta liberdade, ela poderia fazer GIG-JNB exclusivo (conexões em JNB, depois teria um tag-on até GRU que iria direto para SYD. Assim atenderia diferentes mercados.

Link to comment
Share on other sites

Senhores, façam suas apostas para as próximas cinco.

 

Eu arrisco nessa ordem

 

BoA

Singapore

Etihad

Qantas

Conviasa

 

A BoA já entrou com pedido de hotran há cerca de 1 mês.

Link to comment
Share on other sites

Não acho que Perth seria uma boa opção. Há um movimento razoável entre o Brasil e lá, mas não para esse tipo de voo. Com certeza seriam pelo menos umas 16:30 de viagem em voo direto, lembrando que é possível fazê-lo com cnx em JNB ou DXB. Esse voo teria restrições com o payload e seria muito mais fácil chegar a SYD via AKL. Acredito que GRU-AKL non stop seja feito em aproximadamente 14:30 de voo, já AKL-SYD são 3:20. Contando o tempo de solo em AKL, seria possível chegar a SYD em no máximo 19h, já via PER seriam aproximadamente 22h de viagem. Fora que o movimento BRA-AKL é maior que BRA-PER.

Link to comment
Share on other sites

Não acho que Perth seria uma boa opção. Há um movimento razoável entre o Brasil e lá, mas não para esse tipo de voo. Com certeza seriam pelo menos umas 16:30 de viagem em voo direto, lembrando que é possível fazê-lo com cnx em JNB ou DXB. Esse voo teria restrições com o payload e seria muito mais fácil chegar a SYD via AKL. Acredito que GRU-AKL non stop seja feito em aproximadamente 14:30 de voo, já AKL-SYD são 3:20. Contando o tempo de solo em AKL, seria possível chegar a SYD em no máximo 19h, já via PER seriam aproximadamente 22h de viagem. Fora que o movimento BRA-AKL é maior que BRA-PER.

 

Na verdade, a esmagadora maioria dos pax com origem e destino na Australia esta na costa Leste (entre Brisbane e Melbourne com SYD justamente no meio). Portanto, a Qantas deseja ligar SYD, ppal cidade e ppal hub com o Brasil da forma mais rapida e logica possivel. Alem disso, Perth pode ser a cidade do "oleo" na Australia, mas os lacos com o BR sao minimos...e, muito bem lembrado, atualmente pode-se fazer via JNB (SAA) e DXB (EK).

 

As maiores cias. Australianas com interesse e ja presenca no BR estao em SYD (McQuarie Group, Australian National Bank, QBE) e MEL (BHP Billiton), assim como a JBS Swift, proprietaria de uma gde, empresa naquele pais. Tal a forca desta cia la que seu CEO na Australia eh o numero 2 da ABBC (Australian Brazil Chamber of Commerce), "irma" da Camara Oficial de Comercio Brasil Australia sediada em SP e com regionais em BH, Goiania e Salvador.

http

://www.australiabrazil.com.au/index.ph...&Itemid=29

Uma ligacao atraves de AKL seria perfeita: de la, o pax poderia se conectar com varias cidades da Australia (e do resto da Oceania), fazendo portanto, por exemplo, GRU-AKL-MEL ou Brisbane ou Christchurch, etc etc...

Link to comment
Share on other sites

 

Alem dos laços com Perth e Melbourne, destaco os laços que envolvem o setor de esportes, e o potencial de turismo. São Paulo sem duvida é o maior originador, mas o maior destino seria o Rio de Janeiro.

Cada um tem suas vantagens:

 

- Australia é forte em mineração e alimentos. Cada um fica em um lugar

- Leisure, origem SAO, destino RIO

- Financeiro, ligações limitadas, SAO com RIO em menor numero devido ao BNDES, Eximbank e fundos

- Oleo & Gas, RIO

- Alimenticia, SAO

 

Melbourne é sede das multinacionais do setor de oleo e gas e mineração.

 

O Rio tem uma boa parte das multinacionais Australianas no pais, como a BHP Billiton (maior investimento Australiano no pais), Karoon Gas e Securency. Sao Paulo tem outras como Pacific Hydro (que tem operações em Natal e escritório em SP) e o Australian National Bank.

 

Enfim, é um país que lembra a França onde a maior parte do investimento fica fora de São Paulo.

 

Diferente de qualquer outro mercado, eu reitero o que disse no A.net. Qualquer dos dois tem a mesma força economica e de turismo, cada qual de sua forma.

 

Seja pra onde o voo for, é por decisão individual da Qantas.

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Ah, um ponto importante.

 

Competição:

 

GRU - Qatar, Emirates, Turkish, Air China

GIG - Nenhuma, nenhuma, nenhuma e nenhuma

 

GIG-SYD-Asia pode se tornar a melhor rota para empresas como Vale e Petrobras acessarem o "novo" mundo e empresas asiáticas acessarem o Rio.

 

 

Link to comment
Share on other sites

Na verdade, a esmagadora maioria dos pax com origem e destino na Australia esta na costa Leste (entre Brisbane e Melbourne com SYD justamente no meio). Portanto, a Qantas deseja ligar SYD, ppal cidade e ppal hub com o Brasil da forma mais rapida e logica possivel. Alem disso, Perth pode ser a cidade do "oleo" na Australia, mas os lacos com o BR sao minimos...e, muito bem lembrado, atualmente pode-se fazer via JNB (SAA) e DXB (EK).

 

As maiores cias. Australianas com interesse e ja presenca no BR estao em SYD (McQuarie Group, Australian National Bank, QBE) e MEL (BHP Billiton), assim como a JBS Swift, proprietaria de uma gde, empresa naquele pais. Tal a forca desta cia la que seu CEO na Australia eh o numero 2 da ABBC (Australian Brazil Chamber of Commerce), "irma" da Camara Oficial de Comercio Brasil Australia sediada em SP e com regionais em BH, Goiania e Salvador.

http

://www.australiabrazil.com.au/index.ph...&Itemid=29

Uma ligacao atraves de AKL seria perfeita: de la, o pax poderia se conectar com varias cidades da Australia (e do resto da Oceania), fazendo portanto, por exemplo, GRU-AKL-MEL ou Brisbane ou Christchurch, etc etc...

Perfeitamente! Grande parte dos brasileiros na Australia estão concentrados na Gold Coast, mas por ser SYD o principal hub da cia, talvez fosse melhor a origem do voo ser lá. Lembrando que a quantidade de brasileiros em Sydney também é impressionante! Estive lá há dois meses e nem parecia que eu estava do outro lado do mundo. Quer outra prova que esse voo daria certo? Veja a porcentagem de brasileiros embarcando pra Oceania nos voos da LAN e Aerolineas. Essa última mesmo, ia mandar a rota dela pro saco.

Link to comment
Share on other sites

Perfeitamente! Grande parte dos brasileiros na Australia estão concentrados na Gold Coast, mas por ser SYD o principal hub da cia, talvez fosse melhor a origem do voo ser lá. Lembrando que a quantidade de brasileiros em Sydney também é impressionante! Estive lá há dois meses e nem parecia que eu estava do outro lado do mundo. Quer outra prova que esse voo daria certo? Veja a porcentagem de brasileiros embarcando pra Oceania nos voos da LAN e Aerolineas. Essa última mesmo, ia mandar a rota dela pro saco.

 

Estive em SYD e MEL por 15 dias em Fevereiro e tb me impressionei com o numero de Brasileiros, a turismo e estudando. O Banco onde trabalho possui uma operação crescente em SYD e inclusive o CEO para a Oceania é um Brasileiro que antes ficava baseado em SP, sendo um dos VPs aqui.

Eu lhe encontrei e ele me disse que o potencial de geração de negócios é crescente e mencionou especificamente os setores de finanças, onde duas das maiores instituições daquele país fincaram o pé em SP e de frigorificos/agropecuaria liderado pela gigante JBS que adquiriu uma grande empresa lá tempos atrás.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade