Jump to content

Salgado Filho com 2 teminais de passageiros


leelatim

Recommended Posts

 

 

ZERO HORA

09 de setembro de 2010

AEROPORTO DUPLICADO

Antigo terminal será reativado

Até o fim do ano, estrutura deve ser utilizada para voos regionais e nacionais, o que ampliaria em 30% a capacidade de aviões

 

A tradicional tranqueira provocada pela hiperlotação do Aeroporto Internacional Salgado Filho em feriadões tem dias contados para acabar. Pelo menos é isso que espera a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), que até o fim do ano promete reativar o antigo terminal do aeroporto (Terminal 2).

 

Aestrutura está inoperante para voos de carreira há quase uma década, desde a inauguração do atual aeroporto, é usada apenas por táxis-aéreos e voos executivos.

 

A medida, divulgada ontem pelo Jornal do Comércio, prevê que o terminal antigo fique reservado para voos nacionais ou regionais de empresas de médio porte. As mais cotadas para ocupar a estrutura reformada são NHT, Trip e Avianca, além da Passaredo e da Pantanal, que ainda não atuam em Porto Alegre, mas que têm interesse em operar no Salgado Filho.

 

– O nome das empresas que ocuparão o terminal antigo ainda precisa ser definido, mas com certeza não serão as que têm voos internacionais. Vamos estudar as espectativas de crescimento das próprias companhias – explica o superintendente regional da Infraero, Jorge Herdina.

 

Ele confirma que o mercado “está superaquecido”. Com a retomada de operações no terminal antigo, a expectativa das autoridades é aumentar a capacidade de pousos e decolagens em Porto Alegre. Com isso, o movimento passaria dos atuais 6 milhões de passageiros anuais para 7 milhões.

 

O atual terminal tem 21 posições para aeronaves. O antigo tinha nove – dessas, sete devem ser reativadas. A capacidade de aviões aumentaria em 30%.

 

A Infraero tem R$ 2 milhões reservados para as obras no Terminal 2, que já começaram. A principal providência é reativar 20 balcões de check-in e dois aparelhos de Raio X. Novos funcionários também serão chamados, a partir de um banco de concursados.

 

Ampliação definitiva deve ser concluída até a Copa

 

O terminal antigo deve operar como fazia no passado, isto é, sem fingers (pontes de embarque com acesso direto às aeronaves). Os passageiros descerão na própria pista do aeroporto, o que pode ser desvantajoso, em dias de chuva.

 

A vantagem é que o desembarque poderá até ser mais rápido, já que serão disponibilizadas duas portas da aeronave para trânsito dos usuários (hoje, com finger, só a dianteira é liberada).

 

O novo terminal também passará por ampliações. Será criado o módulo operacional provisório (MOP), com o dobro do número de balcões de check-in (hoje são 30), nova sala de embarque e mais aparelhos de Raio X. A previsão é de que seja implantado até meados de 2011.

 

A estrutura funcionará, como o nome indica, apenas até que seja concluída a ampliação definitiva do Salgado Filho, orçada em R$ 345 milhões e que deve ficar pronta para a Copa de 2014. Ela deve ampliar a capacidade para 8,5 milhões de passageiros/ano.

 

sobe

Link to comment
Share on other sites

ZERO HORA

09 de setembro de 2010

AEROPORTO DUPLICADO

Exército vai ampliar pista do Salgado Filho

 

Na tentativa de evitar a burocracia que envolve licitações de grandes obras, a Infraero deve entregar ao Exército a tarefa de realizar a ampliação da pista do Salgado Filho (dos atuais 2.280 metros de comprimento para 3,2 mil metros). A obra permitirá que aviões realizem voos sem escalas para Europa e Estados Unidos. Ela também viabilizará que Jumbos decolem com mais carga que agora.

 

A opção pelos militares é quase uma solução interna, já que a Infraero e o Exército são subordinados ao mesmo ministério, o da Defesa.

 

O valor da ampliação ainda não é conhecido, mas o custo deve ser bem menor que os R$ 188 milhões orçados quando a ideia era entregar o projeto para a iniciativa privada. Os custos do Exército serão menores que o das empresas particulares. Ainda não está definida qual a unidade das Forças Armadas que fará a obra. É provável que seja o 10º Batalhão de Engenharia de Construção, sediado em Lages (SC). Outras opções, menos cotadas, são o VI Batalhão de Engenharia de Combate (São Gabriel) e o III Batalhão de Engenharia de Combate (Cachoeira do Sul).

 

– Uma opção, também, é usar uma companhia mista, que una soldados desses três batalhões – pondera um oficial de alto escalão do Comando Militar do Sul.

 

O convênio entre Exército e Infraero deve ser assinado em outubro.

 

 

Reforma em salas de desembarque e esteiras de bagagens do Terminal 2 do Salgado Filho já começou

 

 

 

Reforma em salas de desembarque e esteiras de bagagens do Terminal 2 do Salgado Filho já começou

 

 

Link to comment
Share on other sites

REC deveria seguir os passos de POA e instalar o aeromóvel do terminal a Estação Aeroporto do metrô e ativar o antigo terminal. Este poderia ficar restrito a voos regionais e companhias aéreas com pouca atuação em Recife (NOAR, TRIP, Avianca, Passaredo)

Link to comment
Share on other sites

REC deveria seguir os passos de POA e instalar o aeromóvel do terminal a Estação Aeroporto do metrô e ativar o antigo terminal. Este poderia ficar restrito a voos regionais e companhias aéreas com pouca atuação em Recife (NOAR, TRIP, Avianca, Passaredo)

 

A segunda fase do projeto do SBRF contempla a integração do antigo TPS, o problema é "somente" sair a licitação e afins (ou seja, dar prosseguimento)... O antigo TPS seria justamente direcionado para as empresas menores ou com poucos vôos que hoje se expremem na ala sul (Avianca, Webjet e TRIP, por exemplo). Não entendo como ainda não passaram a American pros balcões disponíveis na ala norte, liberando espaço para as outras empresas na ala sul, principalmente agora com o code-share com a GOL.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade