Jump to content

Aeronáutica nega operação-padrão de controladores de vôo


Kleber

Recommended Posts

Aeronáutica nega operação-padrão de controladores de vôo

 

A Aeronáutica negou que os controladores de vôo tenham iniciado uma operação-padrão, que teria contribuído para o colapso da capacidade de controle do tráfego aéreo brasileiro. Em entrevista coletiva neste sábado, o diretor-geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Dcea), brigadeiro Paulo Roberto Cardoso Vilarinho, disse que os profissionais estão operando dentro das normas internacionais, cuidando de, no máximo, 14 aviões ao mesmo tempo. Ele negou que os controladores tenham tomado a iniciativa de reduzir a quantidade de vôos sob supervisão após o acidente com o Boeing da Gol, em Mato Grosso, que matou 154 pessoas.

 

 

- Eu estou traumatizado com o acidente e os controladores também estão. Mas estamos trabalhando dentro do limite previsto. Um controlador pode eventualmente cuidar de 15 ou 16 vôos, mas são situações esporádicas e normais - disse Vilarinho.

 

O comandante disse que a situação foi provocada por uma série de fatores, entre eles o aumento do número de vôos de aeronaves de pequeno porte em função das eleições, a expansão da aviação comercial e do número de vôos, problemas meteorológicos e a perda de oito controladores, afastados temporariamente em função do acidente da Gol - uma medida de praxe em caso de acidentes aéreos. Com a sobrecarga do controle aéreo, os atrasos nas decolagens desde sexta-feira chegam a quatro horas.

 

- Para fazer frente a este congestionamento precisamos de mais controladores. Hoje, eles trabalham próximo do limite.

 

O brigadeiro informou que o centro de controle aéreo de Brasília, cuja sobrecarga resultou no colapso, receberá o reforço de controladores vindos de unidades da Aeronáutica de todo o país. Seis já chegaram à cidade. O Cindacta 1 controla o tráfego aéreo dos principais aeroportos do país, entre eles, Guarulhos, Congonhas, Galeão, Santos Dummont, Juscelino Kubitschek (Brasília) e Confins (Belo Horizonte).

 

Vilarinho disse que os atrasos continuarão nos próximos dias, mas ele espera que, a partir de segunda-feira, o tráfego aéreo diminua.

 

O Globo/O Globo Online

Link to comment
Share on other sites

O comandante disse que a situação foi provocada por uma série de fatores, entre eles o aumento do número de vôos de aeronaves de pequeno porte em função das eleições, a expansão da aviação comercial e do número de vôos, problemas meteorológicos e a perda de oito controladores, afastados temporariamente em função do acidente da Gol - uma medida de praxe em caso de acidentes aéreos.
Hahahahahaha!!!! Que piada. Como se fosse verdade essa estórinha para boi dormir de que aumentou o número de vôos da aviação executiva e comercial. O leigo pode até acreditar, mas é uma piada essa declaração! Eles estão negando a todo custo a "operação padrão" pois não querem admitir que eles não tem controle sobre os CTAs. Essa estorinha de problemas meteorologicos também heim? Nunca deu problema, e coincidentemente agora foi dar? Hahahahaha!!

 

 

O brigadeiro informou que o centro de controle aéreo de Brasília, cuja sobrecarga resultou no colapso, receberá o reforço de controladores vindos de unidades da Aeronáutica de todo o país.

 

Do que adianta trazer gente de outros lugares? Os lugares que cederem controladores também ficarão desfalcados. Será trocar 6 por meia dúzia, pois falta pessoal em todo o Brasil. A solução ideal é recontratar os controladores da reserva, pagando o salário que eles recebem na reserva.

 

Eu já ouvi falar dessa possibilidade, mas eles têm a cara-de-pau de falarem na possibilidade de pagar somente 1/3 do que os da ativa ganham.

 

Que piada!!!

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade