Jump to content
Sign in to follow this  
transvasp

Embraer AEW&C da Índia: notícias

Recommended Posts

A primeira aeronave fabricada pela Embraer com Sistema de Controle & Alerta Aéreo Antecipado (AEW&C) para Força Aérea da Índia está programada para ser apresentada oficialmente no Brasil no dia 21 de fevereiro de 2011.

 

cabs_aew_emb145.jpg

 

Arte da nova aeronave de alerta aéreo antecipado EMB-145 da Força Aérea da Índia.

Um membro da defesa confirmou para a revista especializada Aviation Week que o primeiro voo da nova aeronave fabricada sobre a plataforma do jato regional ERJ-145 deve ocorrer em maio. “O primeiro jato EMB-145 pousará na Índia em agosto desse ano para a posterior integração de sistemas e depois ser integrada na Força Aérea da Índia,” disse a fonte do governo indiano.

 

O Comitê do Gabinete de Segurança da Índia aprovou o programa em outubro de 2004. A Organização de Desenvolvimento e Pesquisa em Defesa entregou a tarefa para o Centro de Sistemas Embarcados (CABS) baseado em Bengaluru. O projeto inicial foi aprovado ao custo de US$396 milhões para o desenvolvimento de dois sistemas operacionais e um protótipo de engenharia dentro do período de 78 meses. Mas a Força Aérea da Índia conseguiu apenas finalizar os requerimentos operacionais em 2007. O comitê verificou o atraso e aumentou a provável data de finalização para março de 2014, enquanto aguarda a liberação de mais investimentos para realização de adicionais tarefas.

 

Segundo o oficial, a primeira aeronave já integrada com os sistemas AEW&C integrados deve voar na Índia no começo de 2012, com o processo de integração dos sistemas baseados no solo já iniciados de acordo com as especificações do EMB-145.

 

O modelo AEW&C deve impulsionar as atividades e capacidades de vigilância da Força Aérea da Índia, conseguindo detectar e vigiar aeronaves e UAVs, além de conseguir detectar emissões e sinais de comunicação radar.

 

O sistema indiano de AEW&C pode ser operado com uma tripulação máxima de 12 integrantes, podendo voar sem escalas por até 12 horas com reabastecimento aéreo.

 

Fonte: Força Aérea da Índia – Tradução e Adaptação do Texto: Cavok

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
A primeira aeronave fabricada pela Embraer com Sistema de Controle & Alerta Aéreo Antecipado (AEW&C) para Força Aérea da Índia está programada para ser apresentada oficialmente no Brasil no dia 21 de fevereiro de 2011.

 

cabs_aew_emb145.jpg

 

Arte da nova aeronave de alerta aéreo antecipado EMB-145 da Força Aérea da Índia.

Um membro da defesa confirmou para a revista especializada Aviation Week que o primeiro voo da nova aeronave fabricada sobre a plataforma do jato regional ERJ-145 deve ocorrer em maio. “O primeiro jato EMB-145 pousará na Índia em agosto desse ano para a posterior integração de sistemas e depois ser integrada na Força Aérea da Índia,” disse a fonte do governo indiano.

 

O Comitê do Gabinete de Segurança da Índia aprovou o programa em outubro de 2004. A Organização de Desenvolvimento e Pesquisa em Defesa entregou a tarefa para o Centro de Sistemas Embarcados (CABS) baseado em Bengaluru. O projeto inicial foi aprovado ao custo de US$396 milhões para o desenvolvimento de dois sistemas operacionais e um protótipo de engenharia dentro do período de 78 meses. Mas a Força Aérea da Índia conseguiu apenas finalizar os requerimentos operacionais em 2007. O comitê verificou o atraso e aumentou a provável data de finalização para março de 2014, enquanto aguarda a liberação de mais investimentos para realização de adicionais tarefas.

 

Segundo o oficial, a primeira aeronave já integrada com os sistemas AEW&C integrados deve voar na Índia no começo de 2012, com o processo de integração dos sistemas baseados no solo já iniciados de acordo com as especificações do EMB-145.

 

O modelo AEW&C deve impulsionar as atividades e capacidades de vigilância da Força Aérea da Índia, conseguindo detectar e vigiar aeronaves e UAVs, além de conseguir detectar emissões e sinais de comunicação radar.

 

O sistema indiano de AEW&C pode ser operado com uma tripulação máxima de 12 integrantes, podendo voar sem escalas por até 12 horas com reabastecimento aéreo.

 

Fonte: Força Aérea da Índia – Tradução e Adaptação do Texto: Cavok

 

 

Belo aviao

 

Devereah passar por REC e se fo com os outros E135, deverah pnt em REC.

 

Mas certamente deverah ter :ph34r: :ph34r: :ph34r: :ph34r: :ph34r: :ph34r: :ph34r: para fotograf-lo

 

Parabens a EMBRAER por mais esse.

 

CORSARIO 2402

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meus prezados:

Apresentada nova plataforma do EMB 145 AEW&C desenvolvida para o governo indiano

É o primeiro de três aviões que receberão o sistema de vigilância em desenvolvimento pelo DRDO

emb_145_aew.jpg

 

Representantes da Embraer e do Governo da Índia durante evento de apresentação do EMB 145 AEW&C, em São José dos Campos

São José dos Campos(SP) - A Embraer apresentou no dia 21 de fevereiro (segunda-feira),a primeira das três plataformas EMB 145 AEW&C (Airborne Early Warning & Control ou Alerta Aéreo Antecipado e Controle) para representantes do Governo da Índia, em cerimônia realizada na sede da Empresa, em São José dos Campos.

 

Com base no comprovado jato regional ERJ 145, da Embraer, a aeronave possui sistema de reabastecimento em vôo, comunicação por satélite, aumento significativo na capacidade de geração elétrica e refrigeração, e um amplo conjunto de modificações aerodinâmicas e estruturais. Essas melhorias permitirão a instalação de sistemas eletrônicos avançados atualmente em desenvolvimento pelo Departamento de Pesquisas e Desenvolvimento de Defesa (Defence Research & Development Organisation – DRDO) do Ministério da Defesa da Índia, sob a coordenação do Centro de Sistemas Aero-embarcados (Centre for Airborne Systems - CABS).

 

Após a apresentação oficial, o avião começará os exigentes testes em solo e em voo. O traslado para a Índia, onde receberá o equipamento que está sendo desenvolvido pelo DRDO, está previsto para o segundo semestre deste ano.

“O bom andamento desse programa tão complexo é fortemente baseado na boa vontade e no elevado nível de profissionalismo que ambas equipes, indiana e brasileira, têm demonstrado ao longo dos últimos dois anos e meio. Dada a experiência da Embraer na área de aeronaves de vigilância e equipamentos desse tipo, acreditamos que esse produto desenvolvido conjuntamente oferecerá excelente capacidade operacional, e estamos ansiosos pela entrada em serviço”, disse Eduardo Bonini, vice-presidente de Operações, Embraer Defesa e Segurança.

 

Atualmente, há quatro aviões Legacy 600, da Embraer, sendo utilizados pela Força Aérea da Índia (Indian Air Force – IAF) para o transporte de autoridades indianas e estrangeiras. Um quinto Legacy é operado pela Força de Segurança de Fronteiras (Border Security Force – BSF), subordinada ao Ministério do Interior da Índia .

A Embraer na Índia - A Embraer tem uma forte presença no mercado indiano, e tem como clientes de uma variedade de produtos tanto o governo nacional quanto organizações privadas. Além da IAF e da BSF, a Empresa tem obtido sucesso na venda de jatos executivos à companhias privadas na Índia, como Aviators Pvt. Ltd. - o primeiro cliente de jatos executivos Phenom na região – e Invision Pvt. Ltd., que atualmente possui a maior encomenda de jatos Phenom 300 e Phenom 100 na Índia.

 

Para apoiar as operações do crescente número de clientes e operadores de jatos executivos da Embraer no país, a Empresa nomeou a Indamer. Pvt Ltd. e a Air Works Pvt. Ltd. como centros de serviços autorizados.

Perfil- O EMB 145 AEW&C (Airborne Early Warning & Control ou Alerta Aéreo Antecipado e Controle) é um dos integrantes da família de aeronaves e sistemas de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (Intelligence, Surveillance and Reconnaissance – ISR) da Embraer.

 

O jato é derivado do ERJ 145, um dos mais bem sucedidos jatos regionais no mundo, com mais de 1.100 aeronaves entregues e 18 milhões de horas de vôo acumuladas.

A Embraer oferece aeronaves flexíveis, confiáveis e financeiramente acessíveis para missões ISR, mesclando perfeitamente eficiência e economia. Sua principal missão é detectar, rastrear e identificar alvos dentro da sua área de patrulhamento e transmitir essas informações para forças amigas, de modo a fornecer-lhes uma precisa e ampla visão do teatro de operações.

 

O EMB 145 AEW&C também tem capacidade para monitorar o espaço aéreo, controlar o posicionamento de caças em missões de interceptação, inteligência de sinais e vigilância marítima, de fronteira e de Zonas Econômicas Exclusivas. Dez aeronaves EMB 145 AEW&C já foram entregues a três forças aéreas no mundo. A Força Aérea Brasileira (FAB) opera cinco delas no Sistema de Vigilância da Amazônia (SIVAM).

Uma outra aeronave está em serviço no México, com a Secretaría de la Defensa Nacional (SEDENA), e a Força Aérea da Grécia (Hellenic Air Force) encomendou quatro jatos para operações junto à Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN).

 

O EMB 145 AEW&C para a Índia irá juntar-se à bem-sucedida família de aeronaves de vigilância da Embraer. Ele será equipado com um conjunto completo de sistemas de missão, composto por um potente radar de vigilância aérea e sistema de comando e controle, além de um conjunto completo de sistemas de apoio à missão, tais como avançados sistemas de comunicação e apoio eletrônico, link de dados, e dispositivos de auto proteção.

 

Os sistemas de missão estão atualmente sendo desenvolvidos pelo DRDO da Índia, e será integrado com a plataforma do EMB 145, sob a coordenação do CABS., A Embraer também está instalando, de acordo com os requisitos da DRDO, um sistema de reabastecimento ar-ar, uma fonte adicional de energia elétrica e uma unidade extra de refrigeração sobre a plataforma anterior do EMB 145 AEW&C.

fonte: PORTAL FATOR BRASILm via CECOMSAER 23 fev 2011

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Voo de testes do Embraer EMB-145 AEW&C indiano

 

Na manhã do dia 23 de novembro, o primeiro exemplar do Embraer EMB-145AEW&C Airborne Early Warning and Control, Alerta Antecipado por Radar Aerotransportado e Controle) da Força Aérea da Índia (FAI) fez o seu voo inaugural decolando do Aeroporto de São José dos Campos (SP), sede da Embraer.

Fruto de um programa conjunto, toda a parte de sensores e sistemas de missão está sendo desenvolvida pelo Departamento de Pesquisas e Desenvolvimento de Defesa (DRDO) do Ministério da Defesa da Índia, sob a coordenação do Centro de Sistemas Aerotransportados (CABS); coube à Embraer, entre outras partes, desenvolver o sistema de reabastecimento em vôo, e novos sistemas de geração elétrica e de refrigeração (necessários em função da eletrônica a ser instalada pelos indianos).

 

Os sistemas eletrônicos incluem um radar primário e um secundário; comunicação por satélite (SatCom); datalink em banda C; sistemas completos de contramedidas (chaff e flare); alerta de detecção por radar inimigo (RWR), e alerta de aproximação de míssil (MAWS). Mas nossa equipe pôde apurar que o jato indiano deverá ter também radar de varredura lateral (SLAR), e que o radar principal tem capacidades bastante similares, se não superiores, ao Erieye sueco (que equipa os E-99 da FAB).

 

Além disso, o AEW&C indiano terá capacidade real de guerra eletrônica, podendo fazer interferências (jamming) em comunicações ou sinais de radar adversários. Para sua função principal, de alerta e controle aéreo por radar, ele tem configuração interna de cinco consoles (workstations), ao contrário dos três dos E-99 brasileiros; e área de descanso para sete tripulantes.

Video e Fonte: http://www.creditori...as.aspx?id=2120

Edited by jambock
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meus prezados:

A história do AEW&C indiano começou em abril de 2008, segundo noticiou o CR:

http://forum.contatoradar.com.br/index.php/topic/28548

Bem que a FAB poderia fazer um upgrade no radar de seus E-99, adotando o radar que equipa os indianos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meus prezados:

EMBRAER - Entrega o primeiro EMB 145 AEW&C para a Índia

http://www.defesanet.com.br/site/upload/news_image/2012/08/9043_resize_300_200_true_true_null.jpg

 

Embraer entrega a primeira aeronave de vigilância aérea para a Índia . Data 16 Agosto 2012 Foto - EMBRAER

 

São Paulo, 16 de agosto de 2012 – A EMBRAER Defesa e Segurança entregou hoje a primeira aeronave EMB 145 AEW&C (Airborne Early Warning and Control ou Alerta Aéreo Antecipado e Controle) ao governo da Índia. A entrega ocorre após a conclusão de testes em solo e em voo que cumpriram as metas operacionais estabelecidas pela Embraer, pelo Centre for Airborne Systems (CABS) e Defence Research & Development Organisation (DRDO). A aeronave será entregue à Força Aérea Indiana após integração dos sistemas de missão, pelo CABS e DRDO, na Índia.

 

“A colaboração com o DRDO neste programa tão complexo fortalece os vínculos entre o Brasil e a Índia”, disse Luiz Carlos Aguiar, Presidente & CEO da EMBRAER Defesa e Segurança. “Estamos muito orgulhosos de atender às expectativas de nossos clientes fornecendo esta plataforma ao CABS e ao DRDO”.

 

“Este EMB 145 AEW&C incorpora recursos importantes, como sistema de reabastecimento em voo, um aumento significativo da capacidade elétrica e de refrigeração e um conjunto amplo de modificações estruturais que permitirão a instalação dos avançados sistemas de missão desenvolvidos pelo CABS na Índia em conjunto com os centros de trabalho do DRDO”, disse o Vice-Presidente de P&D (Aviônicos & Aero) do DRDO, Dr. Elangovan.

 

“O sucesso deste programa é símbolo da cooperação entre a Índia e o Brasil”, disse o Dr. Christopher, Diretor de Programa do AEW&C e Diretor do CABS. “O radar de varredura eletrônica ativa (Active Electronically Scanned Array - AESA), projetado e desenvolvido pelo CABS, que agora tem suas antenas instaladas no alto da fuselagem dessa aeronave Embraer modificada, é um exemplo dessa cooperação. O CABS e o DRDO integrarão todos os outros sistemas de missão na Índia e entregarão a aeronave à Força Aérea Indiana”.

 

As aeronaves AEW&C restantes serão entregues à Força Aérea Indiana, dentro de um contrato assinado em 2008, que inclui um pacote abrangente de treinamento, suporte técnico, peças de reposição e equipamento de apoio em solo. Quando entrarem em operação, estas aeronaves se somarão a cinco jatos Legacy 600 da Embraer atualmente operados pela Força Aérea Indiana (IAF) e pela Força de Segurança de Fronteiras (BSF) do Ministério do Interior da Índia.

 

Sobre o EMB 145 AEW&C

 

O EMB 145 AEW&C (Alerta Aéreo Antecipado e Controle) pertence à família de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (ISR) de aeronaves e sistemas da Embraer. Seu projeto é baseado no ERJ 145, uma das plataformas mais bem-sucedidas de jatos regionais do mundo, com mais de 1.100 unidades entregues e 19 milhões de hora de vôo. A EMBRAER proporciona uma aeronave flexível, confiável e acessível para missões ISR, com uma combinação perfeita de eficácia e economia.

Sua missão primária é detectar, rastrear e identificar alvos em sua área de patrulha e transmitir essas informações às forças aliadas para muni-las de uma visão operacional precisa e abrangente.

Desse modo, o EMB 145 AEW&C pode realizar gerenciamento do espaço aéreo, posicionamento de caças e controle de interceptação, inteligência eletrônica e vigilância marítima, de fronteira e de zonas econômicas exclusivas.

 

Sobre a Embraer Defesa e Segurança

 

A Embraer Defesa e Segurança é uma unidade de negócios da Embraer S.A. com mais de 40 anos de experiência no fornecimento de plataformas e sistemas superiores às Forças Armadas de todo o mundo para auxiliá-las em sua defesa e segurança. Com presença crescente no mercado global, cumpre papel estratégico no sistema de defesa do Brasil, fornecendo mais de 70% da frota de asa fixa da Força Aérea Brasileira (FAB).

O portfólio de produtos da Embraer Defesa e Segurança inclui aviões militares, tecnologias de radar de última geração, veículos aéreos não tripulados (VANT) e sistemas avançados de informação e comunicação, como as aplicações de Comando, Controle, Comunicações, Computação e Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (C4ISR).

Os aviões e as soluções militares da Embraer estão presentes em mais de 50 forças armadas de 48 países.

fonte: Defesanet 16 de Agosto, 2012 - 11:40 ( Brasília )

Edited by jambock

Share this post


Link to post
Share on other sites

Prezado DiegoOliveira:

Que excelente vídeo conseguistes, heim?! Pelos dispositivos existentes nas laterais, depreende-se que o indiano tem mais eletrônica embarcada que o seu similar brazuca.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fonte: Flight Global

 

 

 

 

Embraer is flight-testing the last of three EMB-145 aircraft modified to be fitted with an airbornesurveillance radar for India. Once the activity has been completed in Brazil, the aircraft will be delivered to the Indian Defence Research and Development Organisation's (DRDO) Centre for Airborne Systems to have an indigenous active electronically scanned array radar installed.

 

"They have two aircraft with the mission systems already installed," says Embraer, which adds that it provides technical assistance to India with regard to integrating the platform's mission systems. "It's a joint programme," Embraer says. "We have our technicians going there and some Indian technicians coming here."

 

The system, referred to in India as the Airborne Early Warning and Control System, is not operational yet, Embraer says. Two aircraft are still undergoing tests at the DRDO, but if the project proves to be successful it could be inducted into service with the Indian air force. Sources suggest that the type's radar is likely to have been designed with Israeli assistance.

 

One unique feature of the Indian aircraft is that they are fitted with an in-flight refuelling probe, which should boost their range and endurance considerably. "It's the first time one of our [intelligence, surveillance and reconnaissance] platforms based on the -145 has the air refuelling system," Embraer says.

 

Embraer says that while India has options to buy more of the aircraft, it cannot disclose that information.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meus prezados:

Os indianos já receberam duas aeronaves E-145 AEW&CS mas os seus sistemas, por eles desenvolvidos, ainda não se tornaram operacionais.

O CR já vem acompanhando os E-145 indianos desde que os mesmos eram uma possibilidade de venda:

 

http://forum.contato...__fromsearch__1

http://forum.contato...__fromsearch__1

http://forum.contato...__fromsearch__1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meus prezados:

AEW&C - ÍNDIA MODIFICOU EMBRAER EMB-145I (E-99)

A Índia desenvolveu o seu próprio Sistema Aéreo de Alerta Antecipado e Controle baseado no Embraer 145 modificado.

A Índia desenvolveu o seu próprio Sistema Aéreo de Alerta Antecipado e Controle (Airborne Early Warning & Control – AEW&C na sigla inglesa).

Como plataforma voadora para o radar de produção indiana foi usado um avião brasileiro Embraer EMB-145I modificado. Até o final deste ano, a Força Aérea da Índia vai receber o primeiro desses aviões AEW&C.

Dois “radares voadores” agora estão terminando testes de voo.

Os novos aviões serão uma boa adição aos existentes aviões de alerta e controle AWACS (Airborne Warning and Control System) da Força Aérea indiana baseados no avião russo Il-76, diz o colunista da Revista Militar Independente, Vladimir Scherbakov:

“De nome eles são iguais. Mas, em termos relativos, o Il-76 serve para reconhecimento de longo alcance, estratégico. E o modelo baseado no avião brasileiro atende melhor aos objetivos de inteligência tática.

O pesado Il-76 tem sérias limitações de baseamento: por exemplo, ele precisa de uma pista de decolagem longa.

Mas o avião brasileiro é menor e seus requisitos de comprimento de pista são mais modestos”.

Uma característica importante dos novos aviões AEW&C é que eles são um projeto conjunto indo-brasileiro.

Os aviões AWACS em serviço da Força Aérea indiana são Il-76 russos equipados com radares israelenses EL/M-2075 Phalcon. Enquanto que na plataforma voadora Embraer está montada uma antena indiana de varredura eletrônica ativa (Active Electronic Scanning Antenna – AESA) e outras componentes importantes do sistema de detecção antecipada e controle.

Este equipamento foi desenvolvido por cientistas do Centro de Sistemas de Aviação (Centre for Airborne Systems – CABS) da Organização indiana de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa (Defence Research and Development Organisation).

“O governo indiano dá grande atenção ao programa”, diz Vladimir Scherbakov. “Aqui, grande parte do trabalho em sistemas de rádio, que são justamente o próprio radar, bem como em outros sistemas, são efetuados por empresas indianas”.

Isso permite dar trabalho à indústria nacional e aumentar o seu nível tecnológico.

Na opinião de peritos, os aviões AEW&C de produção conjunta da Índia e do Brasil têm boas perspectivas. Segundo o jornal indiano New Indian Express, os produtores dos dois países já estão negociando a possibilidade de exportar suas máquinas para a América Latina.

Fonte: Olga Ivashina para a Voz da Rússia 03 de Setembro, 2014 - 14:30 ( Brasília )

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meus prezados
TECNOLOGIA: 1º Embraer 145 AEW&CS com recheio eletrônico projetado e montado pela indústria indiana será declarado operacional dentro de 60 dias
EmbhindudecolandoABREABREABRE.jpg
O primeiro dos dois jatos EMB-145 de alerta aéreo antecipado da Aviação Militar indiana estará plenamente operacional dentro de, aproximadamente, dois meses.
A informação foi dada, nesta sexta-feira (30.09), pelo jornal indiano The Hindu, principal diário indiano em língua inglesa, com tiragem diária de 1,17 milhão de exemplares.
Uma investigação científica que se prolongou por, aproximadamente, quatro anos, coordenada pela Defence Research and Development Organization – Organização para o Desenvolvimento e Pesquisa de Defesa (DRDO na sigla em inglês) – do Ministério da Defesa, concluiu a arquitetura e montagem de uma sofisticada aparelhagem de varredura eletrônica e Inteligência a bordo da aeronave.
O AEW & CS (Airbone Early Warning and Control System) indiano é, basicamente, um afiado sistema-radar que pode enxergar em profundidade o território inimigo, prevenindo a aproximação de qualquer ameaça ao espaço aéreo indiano.
Certificação – “A aeronave passou pelos ensaios operacionais necessários [ficou certificada]”, disse ao jornal uma fonte com acesso à pesquisa desenvolvida sob a supervisão da DRDO, “e está pronta para a incorporação em novembro ou um pouco mais tarde”.
De acordo com o mesmo informante, a segunda aeronave está passando por testes iniciais e é provável que se junte à primeira em meados de 2017, na Estação da Força Aérea de Bhisiana, em Bathinda, estado de Punjab, perto das fronteiras setentrionais da Índia.
O Centro para Sistemas Aerotransportados da DRDO, em Bengaluru, foi a entidade que concentrou todo odesign, integração e testes do sistema de alarme aéreo antecipado concebido para os jatos EMB-145.
A compra dessas aeronaves pelo governo de Nova Déli em 2008 enfrenta, contudo, uma investigação ordenada pelo ministro da Defesa indiano Manohar Parrikar, que pretende apurar se a operação comercial, de 208 milhões de dólares, incluiu algum tipo de propina paga pela Embraer para que o negócio fosse concluído.
Fonte: Roberto Lopes para site Plano Brasil 30 SET 2016

Obs.: pela quantidade de antenas, parece ser esta aeronave superior à FAB E-99

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meus prezados
Jato Embraer 145AEW será oficialmente incorporado à Defesa Aérea da Índia no próximo dia 23
Fotonado145indianoemvoolinda.jpg

A Força Aérea Indiana colocará em ação, formalmente, no próximo dia 23, a sua primeira aeronave EMB-145AEW, um jato configurado para missões de alerta aéreo antecipado e controle do espaço aéreo, recebido da fabricante brasileira quatro anos atrás.
O avião terá a missão precípua de detectar as violações do espaço aéreo indiano protagonizadas por jatos e helicópteros militares da China e do Paquistão.
As informações foram divulgadas, nesta sexta-feira (09.12), pelo portal de notícias China Topix, sediado nos Estados Unidos.
O avião da Embraer deverá atuar como um centro de comando e controle para apoiar operações de Defesa Aérea – monitorando várias aeronaves simultaneamente, em diferentes quadrantes do espaço aéreo indiano –, em um desempenho semelhante ao dos três grandes aparelhos Beriev A-50E/I AWACS (foto abaixo), de procedência russa, mantidos no Esquadrão Nº 50 da Base Aérea de Agra – todos equipados com um radar EL/W-2090 israelense.
Fotonado145indianoBeriev.jpg
“O sistema AEW&C pode apoiar a Força Aérea em missões de ataque e, no caso de hostilidades com os países inimigos, auxiliar as forças no campo de batalha tático”, acrescenta o texto do China Topix.
O recheio eletrônico do jato foi desenvolvido pela indústria indiana sob a supervisão da Organização de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa – uma agência estatal – e, aparentemente, também sob a assistência da indústria militar israelense. Missão geral desse complexo: dar aviso prévio sobre ataques de aeronaves e mísseis da Força Aérea do Exército de Libertação Popular (PLAAF) ou da Força Aérea Paquistanesa (PAF).
Mediante tais alertas será possível aos indianos acionar os seus caças mantidos de prontidão, e vetora-los para interceptar e destruir tais ameaças.
Cobertura – Dois importantes sensores estão montados no alto da fuselagem do EMB-145AEW, como se fossem uma única “unidade matriz de antena ativa” (AAAU), fornecendo cobertura de 240° do espaço aéreo ao redor da aeronave.
Esta matriz especial de radar consiste em um sistema de radar primário (AESA) com um sistema de identificação amigo/inimigo (IFF), apto, igualmente, a prover capacidades de ESM (Medidas de Apoio Eletrônicas) e CSM (Medidas de Apoio às Comunicações).
Datalinks vão conectar o jato AEW com os caças indianos, com um sistema de comunicação via satélite e as estações de controle do espaço aéreo em terra.
De acordo com o texto da China Topix, a Índia comprou três aviões ERJ-145, por US $ 300 milhões, com opção de adquirir mais um lote dessas aeronaves no futuro. Mas os chefes militares indianos afirmam que precisariam de 30 aeronaves AEW&C para manter os céus do país a salvo de intrusos.
Fotonado145indiano-1.jpg
Fonte: Roberto Lopes para site Plano Brasil 10 DEZ 2016

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meus prezados

Primeiro reabastecimento em voo de EMB-145 AEW&C indiano

https://youtu.be/e_9bLVdUUTc?t=3

A Força Aérea da Índia (IAF) realizou com sucesso o reabastecimento aéreo de um de seus aviões brasileiros de alerta aéreo antecipado e controle avançado (AEW&C) Embraer EMB-145.

O reabastecimento recentemente realizado por um avião-tanque Ilyushin Il-78 destina-se a melhorar o alcance operacional do EMB-145, informou o Departamento de Informações de Imprensa do governo indiano (PIB) em uma declaração de 30 de novembro.

“Um mero reabastecimento em voo de 10 minutos de duração pode gerar mais quatro horas de autonomia para a aeronave”, afirmou o PIB, acrescentando que esta foi a primeira vez que uma plataforma EMB-145 AEW&C da IAF foi reabastecida em voo.

“O reabastecimento em voo do Embraer é uma boa conquista, já que as plataformas AEW & C devem permanecer no ar durante períodos prolongados durante as operações”, disse o analista militar Marechal do Ar V K Bhatia (da reserva). Esta capacidade adicional tornará o avião EMB-145 AEW&C um multiplicador de força para a força aérea, acrescentou.

A IAF recentemente recebeu dois dos três EMB-145 encomendados em 2008 por US$ 208 milhões. As plataformas foram equipadas com os sistemas Netra AEW & C da Organização de Pesquisa e Desenvolvimento da Defesa (DRDO), que a IAF afirma fornecer cobertura de 240 graus, bem como um alcance entre 250 e 375 km.

A IAF também realiza reabastecimento aéreo para sua frota de Sukhoi Su-30MKI, Dassault Mirage 2000H e aeronaves de combate SEPECAT Jaguar, mas é prejudicada pela escassez de aviões-tanque.

A partir de sua base em Agra, o serviço opera seis aviões-tanque Ilyushin Il-78, que foram adquiridos em 2004. No entanto, fontes oficiais disseram que apenas dois deles estão operacionais, enquanto os quatro restantes são sem voar, esperando peças sobressalentes da Rússia.

Fonte: http://www.aereo.jor.br/2017/12/02/primeiro-reabastecimento-em-voo-de-emb-145-aewc-indiano/ via site Poder Aéreo 2 dez 2017

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meus prezados

“Avião-radar” Embraer 145 ganha sistema de reabastecimento aéreo na Índia
Jato com novo recurso pode ganhar mais quatro horas de autonomia ao ser reabastecida em voo

Um dos equipamentos militares mais avançados já desenvolvidos no Brasil, o “avião-radar” Embraer EMB-145 AEW&C (sigla em inglês para “Alerta Antecipado e Controle Aéreo”) completou com sucesso sua primeira operação de reabastecimento aéreo com a força aérea da Índia. O teste foi realizado na última quinta-feira (30/11) com o auxílio de um avião-tanque Ilyushin Il-78.

“Um mero reabastecimento em voo com 10 minutos de duração pode render mais quatro horas de autonomia para a aeronave”, informou a agência de notícia do governo indiano. Com essa modificação, o jato da Embraer agora pode permanecer voando por até 10 horas – a autonomia da aeronave sem reabastecimento aéreo é de seis horas.

A força aérea da Índia é o primeiro usuário do avião-radar projetado pela Embraer a adotar a capacidade de reabastecimento aéreo. Essa função chegou a ser testada pela fabricante brasileira em parceira com a Força Aérea Brasileira em 2003, durante as provas de avaliação e certificação da aeronave, mas o recurso não foi incorporado na versão da FAB, o E-99. Outros clientes do EMB-145 AEW&C são as forças aéreas do México, Grécia e do Brasil.

O avião foi reabastecido usando a técnica de “mangueira e cesto”. Em comunicado, o governo da Índia afirma que esse método exige “habilidades de voo excepcionais (dos pilotos), já que a aeronave receptora deve se conectar com precisão a sonda do receptáculo atrás do avião taque”.

Os componentes para reabastecimento aéreo são parte do pacote de modificações que a força aérea indiana chama de “nova geração” de seus EMB-145 AEW&C.

A modernização do avião também prevê a introdução de um novo sistema de busca, com maior alcance e possibilidade de encontrar objetos menores, como drones. O equipamento será desenvolvido na Índia, pela Organização de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa (DRDO).

O novo sistema de busca dos EMB-145 AEW&C da Índia são projetados para realizarem varreduras de 360° e encontrar a posição de aeronaves ou mísseis de cruzeiro a até 400 km de distância. O radar usado atualmente nos modelos indianos, também desenvolvido pela DRDO, tem uma cobertura de 240° e alcance máximo de 375 km. A atualização completa das aeronaves, porém, deve ser finalizada somente na próxima década.

Avião-radar

O Embraer 145 AEW&C, variação militar do jato comercial ERJ-145, foi desenvolvido pela Embraer no final da década de 1990 em resposta a uma demanda da Aeronáutica, que buscava uma aeronave para apoiar o projeto SIVAM (Sistema de Vigilância da Amazônia). O avião modificado voou pela primeira vez em 1999 e três anos depois entrou em operação com a Força Aérea Brasileira, com a designação E-99.

O avião usado pela FAB é equipado com o radar multimissão Ericsson PS-890 Erieye, fabricado na Suécia. O equipamento usa uma antena plana, de varredura eletrônica ativa, caracterizado por não depender do movimento giratório de 360° da antena de busca, comum em outros aviões que operam nessa tarefa, como clássico Boeing E-3 Sentry, da força aérea dos Estados Unidos.

O Erieye possui 192 módulos auto-direcionáveis de transmissão e recepção de sinais que permitem rastrear aeronaves de diferentes portes, mísseis de cruzeiro e embarcações. Segundo o fabricante, com a aeronave a 7.600 metros de altitude o equipamento é capaz de realizar varreduras com alcance de 350 km ao seu redor e pode acompanhar os movimentos de até 300 objetivos.

O Brasil é o maior operador do Embraer 145 AEW&C, com cinco exemplares na frota. Em seguida vem a Grécia, com quatro aparelhos, seguido de Índia e México, cada um com três aeronaves em serviço.

Fonte: Por Thiago Vinholes para site Airway via CECOMSAER 5 dez 2017

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meus prezados
Primeiro emprego em combate do Embraer EMB-145 AEWACS indiano
EMB-145-AEWACS.jpg?w=631&ssl=1
EMB-145 AEWACS da Força Aérea Indiana

 

A Índia empregou hoje um Airborne Early Warning and Control System (AEWACS) montado em uma aeronave da Embraer no ataque aéreo contra grupo terrorista baseado na Caxemira ocupada pelo Paquistão, tornando-se a primeira vez que tal sistema foi usado em combate pela Força Aérea Indiana (IAF).
A IAF realizou nesta terça-feira ataques aéreos contra campos de terroristas em Balakot, Muzaffarabad e Chakoti, através da Linha de Controle (fronteira não oficial entre Índia e Paquistão na região de Caxemira) usando 12 aviões multifuncionais Dassault Mirage 2000 guiados por UAVs Heron e um avião AWACS Embraer EMB-145, de acordo com vários meios de comunicação.
Os AEWACS da Embraer foram desdobrados para ajudar a IAF a vigiar os sistemas de defesa aérea inimigos e alertar os jatos de ataque quanto aos caças paquistaneses que poderiam ter sido utilizados para afastar os aviões Mirage da IAF.
O Sistema de Alerta Aéreo Antecipado e Controle (AEW&C) é desenvolvido pela Organização de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa da Índia (DRDO) e pelo Centro de Sistemas Aerotransportados (CABS). É também chamado de sistema DRDO NETRA AEW&CS, comumente chamado de “olho no céu”. O sistema é montado em aeronaves Embraer EMB-145 que foram adquiridas ao custo de US$ 300 milhões (INR 21 bilhões) anos atrás.
No Twitter, muitos observadores da aviação militar afirmaram ter notado a aeronave AEW&C indiana pairando sobre Nova Delhi durante o suposto ataque e poderia ter sido usada para coordenar o ataque dos caças Mirage 2000.
EMB-145-AEWC-para-a-%C3%8Dndia-foto-Embr
O controle do sistema de missão (MSC) do sistema AEW&C incorpora todos os dados dos sensores para permitir o controle do espaço aéreo alvo.
Ele avalia ameaças usando dados recebidos dos sensores de bordo e de outras fontes e apresenta a Air Situation Picture (ASP).
O sistema é composto principalmente por um radar primário ativo de varredura eletrônica (AESA) e um radar de vigilância secundária (SSR/IFF). O SSR fornece Medidas de Suporte Eletrônico (ESM) e Medidas de Suporte à Comunicação (CSM) que identifica e classifica as ameaças com base nas emissões delas. Ele também serve como um sistema de identificação Amigo ou Inimigo. A aeronave de vigilância também é equipada com uma sonda de reabastecimento aéreo para maior autonomia (até 9 horas com um reabastecimento ar-ar).
O Radar Warning Receiver (RWR), que é integrado ao sistema ESM, Missile Approach Warning System (MAWS) e Counter Measures Dispensing system (CMDS) formam a Self Protection Suite (SPS). O Sistema de Tratamento e Exibição de Dados (DHDS) apresenta a Imagem da Situação Aérea na Estação de Trabalho do Operador (OWS) e fornece recursos de comunicação para interagir com o sistema.
KW3555_AWACS_IAF_32685888110.jpg?resize=
O veículo aéreo não-tripulado Heron, de média altitude, da Israel Aerospace Industries (IAI) também foi usado na operação, de acordo com alguns informes da mídia.
O drone Heron pode permanecer no ar até 52 horas a até 10,5 km de altitude. O UAV pode transportar diferentes tipos de sensores, câmera termográfica (infravermelho) e vigilância terrestre à luz visível, sistemas de inteligência (COMINT e ELINT) e vários sistemas de radar, totalizando até 250 kg de carga útil.
O Heron também ajuda o Exército na aquisição de alvos para armas de artilharia.
Heron-TP-UAV-.jpg?w=1280&ssl=1
UAV Heron
Fonte: www.defenseworld.net via site Poder Aéreo 27 fev 2019

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meus prezados
Embraer/DRDO EMB-145I Netra – o olho indiano sobre o campo de batalha
O recente ataque da Força Aérea da Índia a posições de campos terroristas em território paquistanês foi também o batismo de fogo do Embraer/DRDO EMB-145I Netra, a plataforma de comando e controle baseada no Embraer EMB-145SA
As raízes do programa que resultaram no Embraer/DRDO EMB-145I Netra tiveram início em janeiro de 1999, com a queda do HAL/HS-748 do “Projeto Airawat”, então destinado a prover a Bharatiya Vayu Sena (BVS, Força Aérea da India) de uma aeronave AEW&C e cuja perda causou a morte de cientistas cruciais para o projeto, fazendo com que o mesmo fosse retomado só em 2002 para atender novos requerimentos: fornecer três aeronaves em missões de cinco horas ao longo da fronteira com o Paquistão, que deviam detectar e rastrear alvos com RCS mínimo de 5m2 com varredura radar de 120 graus, além de complementar os Beriev/IAI A-50EI “Phalcon”, então em desenvolvimento, nas funções de comando e controle.
O EMB-145 – do qual a BVS já operava quatro exemplares de um derivado, o Legacy – foi objeto de contrato em julho de 2008, entre os governos do Brasil (pelo qual respondeu a Embraer) e da India (que atuou através da DRDO, a Organização de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa e suas subsidiárias, de acordo com cada especialidade) para aquela finalidade, onde foram projetados os dispositivos de missão das aeronaves, integrados por Radares Primário (LRDE) e Secundário de Vigilância (CABS), Sistemas de Comunicação, Medidas de Apoio Eletrônico (DARE) e de Apoio de Comunicação (DLRL), Sistema de Autoproteção, Controlador do Sistema de Missão, Sistema de Manuseio e Exibição dos Dados e, finalmente, o Enlace de Dados (DEAL).
O radar primário é um modelo de varredura eletrônica ativa Doppler, na banda S, com 1.280 módulos eletrônicos de varredura, capaz de detectar separadamente até 300 contatos aéreos, navais e terrestres – contra estes atuando como um SLAR. Possui cobertura de 270º executada por duas antenas alojadas em compartimento dorsal de 8.24m e 900 kg. Aeronaves são detectadas com o facho movendo-se entre 3-12 graus por segundo e mísseis de cruzeiro a 3 graus por segundo. Dentre os modos operacionais constam “busca”, “rastreio-enquanto-varre”, “mapeamento terrestre”, “rastreio “prioritário” e “rastreio de alta performance”, podendo serem usados simultaneamente. Um alvo medindo 2m2 pode ser detectado a 200km, o alcance máximo sendo de 375 km. A velocidade de cruzeiro da aeronave é de 592km/h a 9.448m.
EMB-145I-Netra-3.jpg?resize=1024%2C683&s
O radar secundário permite identificar contatos aliados/hostis com alcance de 500km, cobertura de 360º e capacidade no modo S.
Os sistemas de comunicação, resistentes a contra-contramedidas eletrônicas fornecem canais de dados e voz em V/UHF não apenas para a tripulação, mas também para estações no solo.
As medidas de apoio eletrônico e de apoio de comunicação, com cobertura de 360 graus de azimute e +5/-15 graus em elevação, detectam e identificam, tanto em voo quanto no solo, emissores hostis catalogando-os em um arquivo com 3.000 sinais, contra os quais emissores inimigos podem ser comparados.
O sistema de autoproteção consiste de alerta radar (RWR), alerta de aproximação de míssil (MAWS) e subsistema dispensador de contramedidas (CMS).
O controlador do sistema de missão integra e gerencia os dados de todos os sensores mencionados, seus modos operacionais, as funções do controle de vetoração de aeronaves e o status de todos os sistemas de missão.
Por fim, o sistema de manuseio e exibição dos dados é composto por cinco estações de trabalho com telas de 20 polegadas de cristal líquido de matriz ativa (do mesmo tipo das instaladas no Beriev A-50EI, que podem assumir tarefas de controle, vigilância e contramedidas eletrônicas, tendo ferramentas de auxílio à missão.
Os operadores podem repassar a informação acerca dos alvos detectados via rádios criptografados ou por satélite, à velocidade de 64kbps e 300 km de distância, sendo capaz de vetorar mais de 40 aeronaves ao mesmo tempo. Possibilitando a formação de um quadro tático a ser fornecido às Estações Terrestres de Exploração, as aeronaves atuam conectadas aos Centros de Controle de Defesa Aérea e aos Centros de Operações Setoriais da BVS.
DRDO-Netra-AEWC.jpg?resize=1024%2C576&ss
Internamente, a partir do cockpit, há armários de manutenção dos equipamentos de missão em ambos os lados da fuselagem; seguidos por três estações de trabalho à direita e duas à esquerda; galley; cinco assentos para a tripulação reserva; módulos de lavatório; e, finalmente, outros armários dos dispositivos de missão, kit de sobrevivência e bote salva-vidas.
Um protótipo, já com o receptáculo de reabastecimento em voo possibilitando que o denominado EMB-145I duplique seu tempo de missão e ostentando um modelo em escala da antena foi apresentado em fevereiro de 2011, e voou pela primeira vez em 7 de dezembro de 2011, tendo sido avaliado por 300 horas antes de ser declarado operacional. O teto operacional é de 10.668 metros, com a altitude radar sendo 7.620m, a uma velocidade similar a das demais versões do EMB-45SA.
Em junho de 2012, voou para a Índia, onde teve início a instalação do equipamento de bordo, trabalho que estava programado para durar seis meses.
Atualmente a BVS opera três exemplares do EMB-145I “Netra” (“olho” no idioma hindi) na Base Aérea de Bathinda (Punjab, onde há um esquadrão de Sukhoi Su-30MKI), registrados entre KW3554 e KW3556, com o KW3555 tendo vetorado as aeronaves de ataque na mais recente missão em território paquistanês.
EMB-145I-Netra-3.jpeg?w=867&ssl=1
Fonte: Sérgio Santana* – site Poder Aéreo 27 fev 2019
*Bacharel em Ciências Aeronáuticas (Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL), pesquisador do Núcleo de Estudos Sociedade, Segurança e Cidadania (NESC-UNISUL) e pós-graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC/MG). Único colaborador brasileiro regular das publicações Air Forces Monthly, Combat Aircraft e Aviation News.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...