Jump to content

Pampulha volta ao centro da polêmica


Recommended Posts

aviation_news_release_4a.jpg Pampulha volta ao centro da polêmica

 

 

Vice-prefeito de BH quer retorno dos voos para Rio, SP e Brasília para aeroporto, enquanto estado aposta em Confins.

 

Geórgea Choucair.

 

A polêmica ao redor do aumento de oferta de voos no Aeroporto da Pampulha está de volta. O vice-prefeito de Belo Horizonte, Roberto Carvalho, reuniu-se ontem em Brasília com representantes da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para tratar da revitalização do Aeroporto da Pampulha. Na reunião, foi discutida a transferência de alguns voos do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, para a Pampulha. O foco seriam rotas de Belo Horizonte para São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro.

 

“O aeroporto da Pampulha não pode voltar ao caos que era nem ficar praticamente desativado como está. Tanto a Infraero como a Anac entenderam que a revitalização é necessária. O próximo passo vai ser um encontro com o governador para discutir a questão”, afirmou Carvalho. A discussão da reabertura de voos na Pampulha volta à tona em momento que o governador Antonio Anastasia não dá nenhum sinal de interesse em transferir voos de Confins.

 

O governador deve seguir linha próxima da adotada por Aécio Neves no ano passado, que foi contrário à decisão da Anac de derrubar a portaria 993, de 1997, que proibia aeronaves com mais de 50 assentos na Pampulha. A medida desagradou a Aécio Neves na época, que investiu na Linha Verde – via rápida de acesso ao aeroporto de Confins – e no eixo de desenvolvimento rumo ao aeroporto internacional. Aécio foi taxativo: “A mudança não será implementada”.

 

Desde então, a Anac decidiu fazer estudos sobre a capacidade operacional do terminal, considerando pista, pátio e questões de segurança. E o aeroporto da Pampulha não inaugurou nenhum voo novo. As companhias aéreas Trip e Passaredo são as únicas que operam com voos regulares no aeroporto atualmente. “Gostaríamos de colocar novos voos lá, mas está tudo parado. Desde março do ano passado que só conseguimos fazer alguns ajustes de horário”, afirma Evaristo Mascarenhas de Paula, diretor de vendas e marketing da Trip.

 

CACHORRO NA PISTA

 

Um cachorro sem raça definida provocou atrasos na decolagem de pelo menos quatro vôos ontem no Aeroporto Internacional de Confins, na Grande BH. Às 11h20, o pessoal da torre do aeroporto percebeu o cão na pista e alertou o setor de operações da Infraero. Os pousos e decolagens foram suspensos e equipes de manutenção entraram na pista para capturar o animal, que conseguiu escapar. Uma vistoria foi realizada para tentar identificar o local por onde o cachorro entrou, já que o terminal aéreo é totalmente cercado, para evitar entrada de animais na área de circulação das aeronaves. As operações do aeroporto foram retomadas às 11h48.

 

SUCESSÃO NA ANAC

 

A menos de 15 dias da despedida de Solange Vieira da presidência da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o nome do atual assessor da Secretaria de Infraestrutura da Casa Civil, Marcelo Guaranys, ganha força como provável sucessor ao cargo. O mandato da atual titular se encerra dia 17 e ela já manifestou que deixará a reguladora com objetivo de ter mais tempo para a vida pessoal. Desde segunda-feira, a agência está sob o comando do diretor Cláudio Passos, nomeado por Solange para substituí-la durante as férias.

 

Fonte: Revista Aviação Notícias (AviacaoNoticias.com.br)

 

aviation_news_release_4a.jpg+Ver mais notícias

 

aviacao_noticias_9.jpg
Link to comment
Share on other sites

Não tem polêmica. Primeiro, não sei porque o vice-prefeito resolveu tocar nesse assunto, já que o prefeito é totalmente alinhado com o governador e não concorda com esta mudança. Segundo, os protagonistas da história são Infraero, ANAC e governo de Minas, estando a prefeitura de fora da discussão, pois já havia dito que concordaria com a decisão do estado. O que ele vai conseguir é no máximo criar um desconforto com o governo estadual. Além disso está criando tumulto inútil, pois não precisaria tocar nessa questão de transferência, isso é burrice. Basta liberar determinados voos que eles se criarão lá sem precisar sequer citar o nome Confins. A demanda está muito aquecida.

 

De qualquer forma esta discussão deve voltar nas esferas que lhe são pertinentes, principalmente agora que a agência dá sinais de que começará a aprovar novos voos na Pampulha e que existe a possibilidade da presidência ser ocupada por Marcelo Guaranys.

 

Obs.: Roberto Carvalho é do PT.

Link to comment
Share on other sites

"nem ficar praticamente desativado como está" - Foi super infeliz ao dizer isso!

PLU, na minha opinião, tem que ser só aviação regional, executiva, geral e taxi aéreo. Investir ali para comercial é gastar dinheiro atoa, uma vez que ali "esgotaria" rápido e CNF tem um excelente sítio aeroportuário para expansão.

E quem reclama que CNF é longe, concorda que seria melhor investir em obras para melhorar o trânsito no centro de BH? Pegou a Linha Verde, estolando 20 min. você chega ao aeroporto.

Na Europa, há vários aeroportos afastados da cidade, porque aqui tem que ser diferente?

Link to comment
Share on other sites

Aeroportos são equipamentos publicos que devem ser usados. Atualmente CNF está no limite do TPS e do patio. O terminal de carga já virou patio de passageiro e até mesmo o patio da aviação geral já foi usado pra desembarque de pax. E a expansão do tráfego lá continua. PLU tem capacidade ociosa. É possivel sim colocar alguns voos na PLU e isso em nada vai prejudicar CNF. Como PLU não vai poder crescer muito, as empresas vão colocar alguns voos para o RJ, SP, BSB por exemplo. Seriam voos de yeald mais elevado, para o publico que paga mais caro pela proximidade com o centro da cidade, similar ao que ocorre no RJ e em SP. E CNF ia ser um pouco desafogado, criando mais condições de crescimento. CNF é um aeroporto consolidado e PLU não vai se trasnformar em ameaça para ele. Não usar PLU é uma decisão equivocada a meu ver.

Link to comment
Share on other sites

Aeroportos são equipamentos publicos que devem ser usados. Atualmente CNF está no limite do TPS e do patio. O terminal de carga já virou patio de passageiro e até mesmo o patio da aviação geral já foi usado pra desembarque de pax. E a expansão do tráfego lá continua. PLU tem capacidade ociosa. É possivel sim colocar alguns voos na PLU e isso em nada vai prejudicar CNF. Como PLU não vai poder crescer muito, as empresas vão colocar alguns voos para o RJ, SP, BSB por exemplo. Seriam voos de yeald mais elevado, para o publico que paga mais caro pela proximidade com o centro da cidade, similar ao que ocorre no RJ e em SP. E CNF ia ser um pouco desafogado, criando mais condições de crescimento. CNF é um aeroporto consolidado e PLU não vai se trasnformar em ameaça para ele. Não usar PLU é uma decisão equivocada a meu ver.

 

Tudo depende da forma que será feito. A tia Sol parece ter ficado um pouco chateada por ter que colocar a viola no saco e sair andando, que resolveu congelar o aeroporto por 1 ano. A ANAC é que deveria ter apresentado o estudo que foi prometido, no qual seria exposta a capacidade horária (levando em consideração a capacidade do terminal de PASSAGEIROS, não da pista) para depois sim avaliar se liberaria por slots, etc. Não o fez até hoje e curiosamente agora, com a saída eminente da Solange, voltaram a aparecer os pedidos de voos pra lá. Foi um período bom para CNF, mas ruim para PLU. Dá pra chegar num meio termo nisso.

Link to comment
Share on other sites

Aeroportos são equipamentos que devem ser utilizados de forma otimizada, com certeza, mas a infraestrutura existente ao seu redor também são equipamentos que devem ser utilizados de forma otimizada e, voltar a operar aeronaves maiores que um ATR-72 ou um ERJ-175 em PLU significa utilizar de forma equivocada os equipamentos existentes ao redor do aeroporto. A coisa tem que ser vista de forma ampla, e não apenas focada no aeroporto, pois a operação deste envolve uma séria de outros detalhes que têm que ser igualmente pensados e pesados.

 

Operar em PLU é assinar o comprovante de atrasos nas obras de CNF, isso sim.

 

Inclusive, arrisco afirmar que operar aeronaves deste porte em PLU afetará o tempo para acesso a CNF, uma vez que as vias que ligam Belo Horizonte à linha verde (Antonio Carlos/Pedro I e Cristiano Machado) são também as vias que ligam a região central à Pampulha.

Link to comment
Share on other sites

O problema é que CNF apenas conseguiu se consolidar com as transferências de vôos e "congelamento" de PLU. A Azul mesmo, quando começou, disse que só operaria em BH se fosse em PLU... hoje CNF é hub secundário.

 

De fora pode parecer que CNF está consolidado, mas quem é daqui sabe que da mesma forma que o aeroporto saiu de "às moscas" para "saturado", o inverso também pode acontecer.

 

Eu acredito que a boa solução seria "descongelar" os pedidos de vôo mas continuar restringindo para aeronaves com até 50 assentos. Aí se alguém quiser fazer PLU-GRU com ATR-42, que o faça - certamente não vai canibalizar CNF desse jeito.

Link to comment
Share on other sites

O problema é que CNF apenas conseguiu se consolidar com as transferências de vôos e "congelamento" de PLU. A Azul mesmo, quando começou, disse que só operaria em BH se fosse em PLU... hoje CNF é hub secundário.

 

De fora pode parecer que CNF está consolidado, mas quem é daqui sabe que da mesma forma que o aeroporto saiu de "às moscas" para "saturado", o inverso também pode acontecer.

 

Eu acredito que a boa solução seria "descongelar" os pedidos de vôo mas continuar restringindo para aeronaves com até 50 assentos. Aí se alguém quiser fazer PLU-GRU com ATR-42, que o faça - certamente não vai canibalizar CNF desse jeito.

 

Voltar a ficar as moscas é basicamente impossível, visto que CNF fehcou 2010 com 2,2 milhões acima da capacidade. Se essa sobra fosse para PLU hoje, daria um fluxo imediato 3 milhões de pax/ano, exatamente o dobro da capacidade do terminal.

 

O grande perigo dessa situação é a Infraero resolver ampliar mesmo o aeroporto, pois em termos de área de terminal e pátio ainda tem espaço, principalmente agora com a saída do CIAAR. Mas sinceramente eu não acredito nisso, Confins é muito mais estratégico para a Infraero e tem potencial muito maior.

 

Pra mim o Roberto Carvalho está querendo visibilidade, pois sempre foi um político apagado. O PT está desesperado atrás de uma referência na prefeitura de Belo Horizonte e terá 2 anos para moldar um candidato próprio. Essa questão do aeroportos de BH, tanto de reforma, transferência, etc é uma questão altamente política.

Link to comment
Share on other sites

O problema é que CNF apenas conseguiu se consolidar com as transferências de vôos e "congelamento" de PLU. A Azul mesmo, quando começou, disse que só operaria em BH se fosse em PLU... hoje CNF é hub secundário.

 

De fora pode parecer que CNF está consolidado, mas quem é daqui sabe que da mesma forma que o aeroporto saiu de "às moscas" para "saturado", o inverso também pode acontecer.

 

Eu acredito que a boa solução seria "descongelar" os pedidos de vôo mas continuar restringindo para aeronaves com até 50 assentos. Aí se alguém quiser fazer PLU-GRU com ATR-42, que o faça - certamente não vai canibalizar CNF desse jeito.

 

Compartilho a mesma opinião, a TRIP solicitou há pouco essa rota, vamos ver se aprovam. Quem ia fazer a festa com isso era a Passaredo.

Link to comment
Share on other sites

Compartilho a mesma opinião, a TRIP solicitou há pouco essa rota, vamos ver se aprovam. Quem ia fazer a festa com isso era a Passaredo.

 

A Passaredo pediu também. As solicitações foram para PLU-GRU, PLU-SSA, PLU-VDC e PLU-UDI.

Link to comment
Share on other sites

A possibilidade de ampliar voos na PLU não vai desafogar muito menos subutilizar CNF. CNF já está com mais de 2 milhões de pax além de sua capacidade, o que por si só já é mais do que a capacidade da PLU. A ampliação de CNF é uma necessidade imediata, com ou sem voos na PLU. Só que eu acho um absurdo ter um aeroporto que pode receber mais gente e dar um pouco mais de conforto a TODOS os usuários na BH.

O tráfego em BH tem crescido muito, é hoje hub da TRIP e da Azul.

O que falta realmente é um estudo de capacidade da PLU, que eu acho que só não saiu pra não ir contra o Aécio e este apoiar o Serra mais enfaticamente. Agora tudo vai voltar aos seus eixos e sair da forma como deve.

 

A antiga portaria que permitia a operação de aeronaves de até 50 lugares em PLU é uma aberração juridica, tendo em vista a lei que criou a ANAC. Era apenas uma questão de tempo até alguém entrar na justiça e derrubar a legislação por ilegal. Por isso a ANAC revogou, corretamente, tal medida. Se o pais entender que lá só pode operar avião de até 50 lugares, tem que mudar a lei ou faze-lo de outra forma que não uma portaria, pois isso é ilegal. Pode ser feito até por meio de licensa ambiental, mas não pode ser feito pela ANAC.

Link to comment
Share on other sites

Aeroportos são equipamentos publicos que devem ser usados. Atualmente CNF está no limite do TPS e do patio. O terminal de carga já virou patio de passageiro e até mesmo o patio da aviação geral já foi usado pra desembarque de pax. E a expansão do tráfego lá continua. PLU tem capacidade ociosa. É possivel sim colocar alguns voos na PLU e isso em nada vai prejudicar CNF. Como PLU não vai poder crescer muito, as empresas vão colocar alguns voos para o RJ, SP, BSB por exemplo. Seriam voos de yeald mais elevado, para o publico que paga mais caro pela proximidade com o centro da cidade, similar ao que ocorre no RJ e em SP. E CNF ia ser um pouco desafogado, criando mais condições de crescimento. CNF é um aeroporto consolidado e PLU não vai se trasnformar em ameaça para ele. Não usar PLU é uma decisão equivocada a meu ver.

Só que eu acho um absurdo ter um aeroporto que pode receber mais gente e dar um pouco mais de conforto a TODOS os usuários na BH.

 

A antiga portaria que permitia a operação de aeronaves de até 50 lugares em PLU é uma aberração juridica, tendo em vista a lei que criou a ANAC. Era apenas uma questão de tempo até alguém entrar na justiça e derrubar a legislação por ilegal. Por isso a ANAC revogou, corretamente, tal medida. Se o pais entender que lá só pode operar avião de até 50 lugares, tem que mudar a lei ou faze-lo de outra forma que não uma portaria, pois isso é ilegal. Pode ser feito até por meio de licensa ambiental, mas não pode ser feito pela ANAC.

 

Islander: :rev: :rev: :rev: :rev: :rev: :rev:

 

É absurdo e ridículo PLU operar apenas 27 voos diários com menos de 50 assentos cada, e a maior palhaçada e aberração é que, destes 27 voos, 25 são da TRIP, ou seja, virou aeroporto privado?! A TRIP comprou PLU?!?!? Por que ela pode reinar sozinha e ser "dona" de um aeroporto central como PLU?!?!? :ranting_1: :omfg: :#####:

 

Isso é um tiro e um tapa na cara das demais empresas aéreas e dos consumidores! Espero que essa demagogia venha logo por água abaixo... :suicide_anim: :closedeyes:

 

Todos os pedidos da Passaredo estão restritos, espero que a empresa não desista e seja extremamente insistente com os pedidos para os novos PLU-GRU, PLU-SSA, PLU-VDC e PLU-UDI... :check:

Link to comment
Share on other sites

Islander: :rev: :rev: :rev: :rev: :rev: :rev:

 

É absurdo e ridículo PLU operar apenas 27 voos diários com menos de 50 assentos cada, e a maior palhaçada e aberração é que, destes 27 voos, 25 são da TRIP, ou seja, virou aeroporto privado?! A TRIP comprou PLU?!?!? Por que ela pode reinar sozinha e ser "dona" de um aeroporto central como PLU?!?!? :ranting_1: :omfg: :#####:

 

Isso é um tiro e um tapa na cara das demais empresas aéreas e dos consumidores! Espero que essa demagogia venha logo por água abaixo... :suicide_anim: :closedeyes:

 

Todos os pedidos da Passaredo estão restritos, espero que a empresa não desista e seja extremamente insistente com os pedidos para os novos PLU-GRU, PLU-SSA, PLU-VDC e PLU-UDI... :check:

 

Sem enfeitar o pavão também ..

 

A TRIP opera a maior parte dos voos porque era a única interessada até então. A Passaredo por exemplo sempre teve total condição de operar quantos voos quisesse, mas optou por fazer 2 PLU-RAO apenas. A Air Minas enquanto existiu sempre teve todos os seus pedidos aprovados. Como já disse acima, o quadro da Pampulha hoje é falta de definição da própria ANAC, está como está porque ela quer. Em momento algum o governo de Minas se opôs a novos operadores regionais, ao contrário, sempre incentivou. Não existe demagogia, existe descaso e diria até que uma dose de pirraça.

 

Não se trata também de insistência, isso não faz o menor sentido. Ou pode ou não pode e acabou. Se não pode tem que ter uma lei proibindo (a portaria nem existe mais para ser citada aqui) e já entendemos que não tem, se pode autoriza e pronto. Vale lembrar para quem não conhece o aeroporto, que são 20 e poucos voos mas não são voos de hora em hora. Existem picos na Pampulha onde pode haver dificuldade de operar e se a Passaredo está pedindo algo numa faixa dessa, que ajuste o hotran, como todo mundo faz. É o procedimento normal de todas as empresas nos seus pedidos.

 

Se houve aprovação dos pedidos da Trip é evidente que a restrição da Passaredo nada tem a ver com a causa em questão. Deve se tratar de algum critério técnico.

Link to comment
Share on other sites

Na boa, o Aeroporto da Pampulha é muito pequeno hoje para receber operações pra CGH, BSB e SDU com aeronaves do porte do B73G e do A319, no entanto, é inegável que seria muito bom ter ao menos duas ou três frequências por dia operando lá, e desta forma iria interferir pouco ou nada no tráfego em CNF. Eu julgo ser interessante uma ampliação do terminal para melhor acomodar as regionais e estes vôos "VDC".

 

Digo mais, o fato de não ser Mineiro ou de BH não impede ninguém de expressar sua opinião a respeito do tema.

Link to comment
Share on other sites

Eu julgo ser interessante uma ampliação do terminal para melhor acomodar as regionais e estes vôos "VDC".

 

Se não amplia o de CNF vai ampliar o de PLU pq ?

 

Digo mais, o fato de não ser Mineiro ou de BH não impede ninguém de expressar sua opinião a respeito do tema.

 

Impedir não impede. Mas que é engraçado é.

Seria a mesma coisa eu ficar reclamando de que se deve construir um aeroporto no centro de Salvador por que o LEM é muito longe. Brincadeira né!

 

O importante, é pensar o que é melhor para a RMBH. E qto a isso, é inegável que CNF mais forte, é fundamental para o desenvolvimento sustentável.

A RMBH é a terceira maior e mais importante região do país. Temos que ter nossos "direitos" preservados. Não podemos ficar sempre na mão de políticos que querem voos pra BSB somente pra chegar em casa 20 minutos mais cedo. E não se esqueçam que quem vai pagar por essas passagens high yield somos todos nós. Os executivos não deixaram de vir a BH por que os voos foram pra CNF. Muito pelo contrário. A cidade só ganhou com a mudança. Nossa indústria é uma das que mais cresce. Nosso PIB tb. Temos a segunda menor tx de desemprego do país.

Depois de anos sendo prejudicada em sua terminal, BH está ganhando o seu espaço devido e não vai ser nínguem de fora que vai querer tirar isso.

 

Deveiriam fechar PLU, como foi sugerido para o SDU. Fazer um centro de convenções com hotéis, prédios comerciais etc. Seria muito mais vantajoso pra cidade.

 

Abs

 

 

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Bom, começando do começo:

 

Pampulha conta hoje com uma ampla sala de embarque e moderna, capaz de atender vários voos comerciais, que é um corredor com 5 metros de extensão. A sala de desembarque é outro privilégio do aeroporto. Possuindo apenas uma esteira, e que quando é feito um desembarque sala fica sem onde por o pé(fora que não deve ter nem 25m²). O saguão do terminal também leva a vantagem que quando chove, a água do pátio das aeronaves que não tem escoamento correto, vai para dentro do terminal, fazendo com que fique um total desconforto para os passageiros(apenas falando em números, imagina isso quando o terminal supostamente aliviando o trafego de CNF?) O sítio aeroportuário é outra grande vantagem, as aeronaves que pousam pela pista 13 tem que efetuar backtrack na cabeceira 31, pois não possui uma taxi que liga a pista 31 ao terminal, por tanto, quem estiver na fila para o pouso, tem que esperar com paciência quem pousou primeiro e executar a manobra.

 

Não dá. Pampulha tem que ser modernizada e ampliada para o atual movimento do aeroporto e conseguir cada vez mais atendimento regional e executivo, assim como CNF deve e tem que ser ampliado para o tráfego atual. Reabrir PLU para "aliviar" CNF, é a mesma coisa que tampar o sol com peneira sem tela, não tem estrutura para a tal e realizando isso, CNF não iria receber 1 centavo para ampliação, e continuaria com os mesmos problemas que enfretamos. Ok, PLU recebe 3 voos diarios de cada empresa que opera em CNF. Blz, só que não se esqueçam que CNF continua crescendo, e que iria ultrapassar o seu limite novamente mais tarde. Não adianta nada. Tem que ampliar CNF, e não reabrir PLU.

 

Sem mais. ^_^

Link to comment
Share on other sites

Bom, começando do começo:

 

Pampulha conta hoje com uma ampla sala de embarque e moderna, capaz de atender vários voos comerciais, que é um corredor com 5 metros de extensão. A sala de desembarque é outro privilégio do aeroporto. Possuindo apenas uma esteira, e que quando é feito um desembarque sala fica sem onde por o pé(fora que não deve ter nem 25m²). O saguão do terminal também leva a vantagem que quando chove, a água do pátio das aeronaves que não tem escoamento correto, vai para dentro do terminal, fazendo com que fique um total desconforto para os passageiros(apenas falando em números, imagina isso quando o terminal supostamente aliviando o trafego de CNF?) O sítio aeroportuário é outra grande vantagem, as aeronaves que pousam pela pista 13 tem que efetuar backtrack na cabeceira 31, pois não possui uma taxi que liga a pista 31 ao terminal, por tanto, quem estiver na fila para o pouso, tem que esperar com paciência quem pousou primeiro e executar a manobra.

 

Não dá. Pampulha tem que ser modernizada e ampliada para o atual movimento do aeroporto e conseguir cada vez mais atendimento regional e executivo, assim como CNF deve e tem que ser ampliado para o tráfego atual. Reabrir PLU para "aliviar" CNF, é a mesma coisa que tampar o sol com peneira sem tela, não tem estrutura para a tal e realizando isso, CNF não iria receber 1 centavo para ampliação, e continuaria com os mesmos problemas que enfretamos. Ok, PLU recebe 3 voos diarios de cada empresa que opera em CNF. Blz, só que não se esqueçam que CNF continua crescendo, e que iria ultrapassar o seu limite novamente mais tarde. Não adianta nada. Tem que ampliar CNF, e não reabrir PLU.

 

Sem mais. ^_^

[2] Falou tudo :thumbsup:

Link to comment
Share on other sites

Uma pergunta aos mais entendidos...

 

E quando a Azul começar a ligar o interior mineiro a BH, continuará utilizando CNF ou vai investir/entrar na PLU?

 

Abraços! :thumbsup:

Link to comment
Share on other sites

PLU está de portas abertas para todas as empresas que querem operar nele! Basta se adequar. A Trip opera com sucesso, tem bastante tempo, PLU-GRU, de ATR-42, e agora solicitou PLU-SDU. A Passaredo, como ja foi falado, seria um player muito forte aqui, operando VDC com ERJ-145, poderia até mesmo abrir uma base em PLU, com certeza o yeld seria excelente. PLU precisa de adequações para atender com conforto sua vocação para aviação executiva e regional, nova estrutura de taxiways, ampliar o setor de desembarque, com adição de esteiras de bagagens, adequação do terminal, protegendo-o contra o efeito das chuvas, que sempre causam transtorno. Atendendo 3 ATR-42 simultaneamente, o aeroporto ja fica razoavelmente cheio. Um único 737-700 praticamente corresponde a esses 3 ATR. Imagina 3 737/A319 sendo atendimos, o caos que não seria?

 

Sem contar que investimentos maciços em PLU podem até não significar forte retração no tráfego de CNF. Mas certamente significariam cortes nos investimentos em CNF, que são muito mais importantes para a RMBH do que qualquer coisa em PLU.

Link to comment
Share on other sites

Senhores, uma série de postagens foi removida devido ao tom pessoal, gerando inclusive desentendimentos e com isso deixando de contribuir para um bom debate em relação ao assunto do tópico.

 

Aproveito para dizer que algumas postagens foram removidas, mesmo tendo contribuído para o assunto, por fazerem alguma referência à discussão pessoal à qual me referi.

 

Em relação a essas postagens peço para que quem as fez fique à vontade para refazê-las, apenas evitando as citações ou comentários sobre as postagens que deixaram de estar presentes no tópico.

 

Um abraço,

Flávio

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade