Jump to content
Sign in to follow this  
transvasp

A saga do Super Tucano na concorrência da USAF, para o Afeganistão

Recommended Posts

A compra dos Tucanos pela USAF ja foi paga faz tempo pela compra dos 32 Caravan da FAB. Não devemos nada para os EUA.

A Embraer ganhou por que o Tucano é o melhor e 70% do Tucano é composto de peças made in USA(/Canada) alias como a maioria dos aviões ocidentais.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bem, so' o fato do ST ter sido aprovado pela USAF ja' e' uma grande vitoria,

independente da compra melar por questoes politicas.

 

E' um certicado da qualidade da aeronave.

 

Como disse o Aguiar, da Embraer, e' uma vitrine enorme,

a qual podera' vir a resultar em vendas para outros paises.

 

Nao e' qualquer empresa / aeronave que recebe o selo de qualidade USAF,

isso nao tem preco :joinha:

Share this post


Link to post
Share on other sites

A compra dos Tucanos pela USAF ja foi paga faz tempo pela compra dos 32 Caravan da FAB. Não devemos nada para os EUA.

A Embraer ganhou por que o Tucano é o melhor e 70% do Tucano é composto de peças made in USA(/Canada) alias como a maioria dos aviões ocidentais.

 

Com certeza os congressistas americanos pró Hawker não se recordaram disso ...

 

Se recordaram sim da compra dos Tucanos pela força aérea do Irã ainda na década de 80.

O mesmo Irã pra o qual os Estados Unidos venderam os F-15 também na década de 80 e os senhores congressistas americanos se omitram em dizer ..

 

A conveniência é do lobby ... deles claro ...

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Com certeza os congressistas americanos pró Hawker não se recordaram disso ...

 

Se recordaram sim da compra dos Tucanos pela força aérea do Irã ainda na década de 80.

O mesmo Irã pra o qual os Estados Unidos venderam os F-15 também na década de 80 e os senhores congressistas americanos se omitram em dizer ..

 

A conveniência é do lobby ... deles claro ...

 

Venderam F-14 e F-5... não F-15.

 

Só um detalhe.

 

Sds,

Ozires

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Venderam F-14 e F-5... não F-15.

 

Só um detalhe.

 

Sds,

Ozires

 

 

Verdade, obrigado por me corrigir .... emoção "mode on" na hora de digitar ....

Share this post


Link to post
Share on other sites

Incluindo os F-4, Hercules, Chinook e muitos outros lista é grande.

 

E tem F-4, F-5, Herk e 747 (inclusive como KC) ainda voando lá....Segundo a AFM ainda tem F-4D voando por lá....Segundo as mas linguas foi com apoio israelense na década de 80 que eles conseguiram manter estes bixim voando

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Venderam F-14 e F-5... não F-15.

 

Só um detalhe.

 

Sds,

Ozires

 

E ambos na década de 70, ainda na época do Xá.

 

Mas se for por "ligações" com o regime dos aiatolás, a Pilatus que desenvolveu o T-6 II (PC-9) e é sócia da Hawker Beechfract, vendeu muito PC-7 para o Irã.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Via FlightInternational (flightglobal.com)

 

 

 

 

 

Super Tucano wins USAF order, but Hawker Beechcraft launches challenge

 

 

By: Stephen Trimble Washington DC

11 hours ago

Source: flightinternational.png

 

 

 

 

 

A $355 million contract award by the US Air Force to prime contractor Sierra Nevada for 20 Embraer EMB-314 Super Tucanos on 30 December faces legal and political challenges from ousted bidder Hawker Beechcraft.

 

Kansas-based Beechcraft has already launched the process of filing an appeal in the US Court of Federal Claims. Meanwhile, two Kansas representatives in the US Congress have added their support to stop the award to Beechcraft's Brazilian competitor.

 

"It is simply wrong from the Obama Administration to hire a Brazilian company to handle national security when we have a qualified and competent American company that can do the job," Representative Tim Huelskamp said.

 

"I will continue to fight for answers on this matter," added Representative Mike Pompeo, who also said the decision to select a Brazilian aircraft was "troubling".

The USAF notified Beechcraft that its AT-6 Texan II had been eliminated from the light air support (LAS) aircraft competition after failing to meet unspecified requirements by certified letter on 4 November.

 

Beechcraft had an opportunity to request a debrief and file a protest but the unexpected letter was apparently misplaced in the company's internal mail delivery system. Company officials told the US Government Accountability Office they did not discover the USAF's letter until 11 days after its delivery.

Both companies competed aggressively for the LAS contract. The initial 20 aircraft on order will be delivered to the Afghan air force, while another 15 could be acquired as trainers for the USAF. Dozens more light fighters could subsequently be ordered for other partner nations. The USAF originally estimated the maximum value of the programme could rise to almost $1 billion.

 

For Embraer, the contract award is its first major victory in the US defence market since 2004, when the ERJ-145 regional jet was selected by the army as a surveillance aircraft. However, that contract was cancelled in 2006.

 

"We are committed to pursuing our US investment strategy and to delivering the A-29 Super Tucano on schedule and within budget," said Luiz Carlos Aguiar, chief executive officer of Embraer Defense and Security.

 

Embraer and Sierra Nevada plan to assemble the aircraft at a new factory in Jacksonville, Florida. Their contract also covers the supply of associated ground training devices and support equipment.

 

http://www.flightglobal.com/news/articles/super-tucano-wins-usaf-order-but-hawker-beechcraft-launches-challenge-366450/

 

Vamos ver se realmente se concretiza...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Wind,

 

Agora a porteira abriu! Achei interessante o título que vc colocou (pelo menos por enquanto...) :coolface:

 

Olha a neura aflorando ai gente! Hahahaha

Share this post


Link to post
Share on other sites

Coloquei porque a Embraer já ganhou mas não levou uma vez (naquela concorrência do E135 para missões de ELINT/SIGINT para o US Army) por conta de "forças ocultas" lá em Capitol Hill.

 

Vamos ver se não acontece o mesmo com essa concorrência...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Creio que a Embraer possui uma força "invisível" ao lado dela. Qual é essa força? O medo. De que? Simples: Todos já sabem que o Super Tucano é muito superior ao seu concorrente, imaginem que mesmo assim os EUA optem por comprar o Texan e o coloquem no teatro de operações do Oriente Médio. Uma vez lá, os EUA serão obrigados a mostrar bons números. E como eles terão capacidade de explicar números ruins no caso de operar o Texan, sendo que eles poderiam ter comprado o Super Tucano, que provou sua superioridade tanto em operação nas diversas FA's em que opera quanto nos testes americanos. Como que os EUA, afundados no Oriente Médio, vão conseguir explicar que optaram, apenas por política, por uma aeronave inferior?

Eles precisam lembrar que a pressão popular contra os conflitos no Oriente Médio é enorme e mais que nunca, precisam mostrar resultados eficientes e não política...

 

Vendo por essa perspectiva, acho que o ST tem muito mais chance do que outros aviões que já participaram de concorrências nos EUA.

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

Creio que a Embraer possui uma força "invisível" ao lado dela. Qual é essa força? O medo. De que? Simples: Todos já sabem que o Super Tucano é muito superior ao seu concorrente, imaginem que mesmo assim os EUA optem por comprar o Texan e o coloquem no teatro de operações do Oriente Médio. Uma vez lá, os EUA serão obrigados a mostrar bons números. E como eles terão capacidade de explicar números ruins no caso de operar o Texan, sendo que eles poderiam ter comprado o Super Tucano, que provou sua superioridade tanto em operação nas diversas FA's em que opera quanto nos testes americanos. Como que os EUA, afundados no Oriente Médio, vão conseguir explicar que optaram, apenas por política, por uma aeronave inferior?

Eles precisam lembrar que a pressão popular contra os conflitos no Oriente Médio é enorme e mais que nunca, precisam mostrar resultados eficientes e não política...

 

Vendo por essa perspectiva, acho que o ST tem muito mais chance do que outros aviões que já participaram de concorrências nos EUA.

Caro LY,

 

Muito bom o seu ponto de vista, muito bem argumentado :like:

 

Mas eu acho que não existe essa preocupação de demonstrar "bons resultados" ou o medo que você citou. Porque quando vejo o caso do F-22 e sua novela e comparo com o caso do ST, vejo que um provável tiro errado com a opção americana seria algo imperceptível. Mas isso é só um argumento contrário pois seu ponto de vista, como eu disse, foi muito bem exposto.

 

Quanto a primeira vitória do Super Tucano: a EMBRAER ganhou mais uma batalha nessa guerra, o conflito só será vencido mesmo depois que esses aviões forem entregues e estiverem operando pelas bandas de lá. Eu torço muito pela EMBRAER, para que eles coloquem a mão na taça logo. E torço mais ainda para que isso tudo seja o ponta pé inicial para a resolução da novela F-X.

 

Abraços

 

DEL

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Del, a escolha do Raptor, deveu-se muito mais, pela demonstração de superioridade americana na confecção de um caça de 5ª geração, ou seja, mostrar ao mundo o quanto eles estão avançados em relação aos outros. Depois de investirem o deles e o das mães deles neste projeto, ficou irreversível não escolhar o caça.

Mas analisando friamente, deve dar um trancamento espontâneo do fiofó, sair em patrulha ou missão de ataque, sabendo que existem Raptores lhe espreitando. :shock:

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vale frisar que o mais imoprtante não é a compra da USAF (pequena quantidade) mas a compra pela USAF (chancela de qualidade). Com isso o Tucano ganha um atestado de competencia que fará com que outras FA menores o compre.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Força aérea dos EUA suspende encomenda de aviões feita à Embraer

 

Pedido de 20 aviões de treinamento e suporte EMB-314 Super Tucano, no valor de US$ 355 milhões, foi suspenso temporariamente pois a conocrrência está sendo contestada

 

 

Agência Estado, com Roberto Godoy, de O Estado de S. Paulo

WASHINGTON - A Força Aérea dos EUA suspendeu temporariamente a encomenda de 20 aviões de treinamento e suporte EMB-314 Super Tucano, da Embraer, no valor de US$ 355 milhões, anunciada na sexta-feira passada. Segundo a Força Aérea, a suspensão foi motivada pelo fato de a norte-americana Hawker Beechcraft estar contestando o resultado da concorrência em um tribunal federal norte-americano.

 

 

+ ampliar

 

a-29-_supertucano_embraer___divulgacao187jpg.jpg

A Embraer venceu a concorrência em associação com a norte-americana Sierra Nevada Corp., que responderia pelo treinamento de pilotos e do pessoal de apoio. Nos EUA, o EMB-314 tem a designação A-20. Os aviões serão construídos na fábrica da Embraer em Jacksonville (Flórida), para operar no Afeganistão.

Segundo um porta-voz da Força Aérea norte-americana, o tenente-coronel Wesley Miller, a Força Aérea está "confiante nos méritos da decisão da concorrência e prevê que a contestação será resolvida rapidamente".

O mercado internacional para essa classe de equipamento é avaliado em US$ 3,5 bilhões, envolvendo 300 aeronaves a serem adquiridas até 2020.

Em novembro, quando o AT-6 da Hawker Beechcraft foi afastado da competição, a empresa já havia reagido com perplexidade.

O fabricante americano acumula dificuldades. O avião nunca entrou em combate e só recentemente pode realizar os testes iniciais com bombas inteligentes, guiadas a laser, no Arizona, de 28 de setembro e 5 de outubro.

Em novembro a companhia divulgou comunicado informando que estava pedindo explicações à USAF e que vencer a escolha permitiria gerar 1.400 empregos em 20 Estados.

O interesse da aviação americana é por um avião capaz de oferecer apoio à tropa em terra. Os caças pesados são caros. O gasto com a operação, alto. A hora de voo do supersônico F-16E não sai por menos de US$ 6,5 mil, contra apenas US$ 500 do Super Tucano.

As informações são da Dow Jones. (Renato Martins)

disponível em: http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,forca-aerea-dos-eua-suspende-encomenda-de-avioes-feita-a-embraer,98291,0.htm

Triste notícia vinda dos EUA, mas ainda assim acredito que o LAS vai acabar bem para a Embraer, apenas alguns obstáculos no caminho(que podem atrapalhar MUITO a embraer)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Força aérea dos EUA suspende encomenda de aviões feita à Embraer

 

Pedido de 20 aviões de treinamento e suporte EMB-314 Super Tucano, no valor de US$ 355 milhões, foi suspenso temporariamente pois a concorrência está sendo contestada

(...)

Já vimos esta história, antes. A própria EMBRAER e a Airbus que o digam. Tomara que o desfecho seja diferente...

Share this post


Link to post
Share on other sites

As empresas americanas não sabem perder...

forçam o protecionismo e o lobby ao máximo

Share this post


Link to post
Share on other sites

Infelzimente este filme nos já conhecemos. Daqui a pouco esta licitação estará cancelada e alguns meses depois relançam com outra nomenclatura e cai no colo da Hawker.

Quero estar errado mas tudo caminha neste sentido.

Share this post


Link to post
Share on other sites

As empresas americanas não sabem perder...

forçam o protecionismo e o lobby ao máximo

 

Obviamente que so os americanos fazem isso

Ja as nossas nunca recorrem a protecionismo e lobby..............

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pros e contras nessa concorrencia:

 

Pros:

 

1. O ST e' uma otima aeronave, provada em combate.

 

2. A USAF o escolheu, portanto recebeu sua chancela de qualidade.

 

3. Nao possui concorrentes 'a sua altura.

 

Contras:

 

1. A economia americana esta' em baixa, o desemprego esta' em alta. Adquirir algo nao "made in USA" nao e' visto com bons olhos.

 

2. Os EUA tem orgulho de seu poderio, principalmente na area de defesa. Aceitar que outros paises, independentemente de quais forem, possam produzir algo melhor, e' duro de engolir.

 

3. A area de defesa e' considerada "sensivel". Operar equipamentos de uma empresa estrangeira, mesmo fabricados com a chancela de uma empresa americana, e' confuso para os americanos.

 

Vai saber agora o que vem pela frente ... :uhm:

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...

Important Information