Jump to content

ILS CAT III em Curitiba.


Recommended Posts

Para reduzir o fechamento do Afonso Pena em dias de forte neblina, a Infraero vai implantar no aeroporto curitibano o equipamento ILS-3, utilizado em cidades como Londres. Com tecnologia mais avançada, ele permite que a aeronave chegue ao solo com visibilidade quase zero.Hoje, o Afonso Pena opera com o ILS-2.

 

Além de Curitiba, apenas os aeroportos de Guarulhos, em São Paulo, e do Galeão, no Rio de Janeiro, devem receber o ILS-3, conforme disse o superintendente da Infraero no Paraná, Antônio Pallu. "O investimento já é pensando em evitar problemas durante a Copa do Mundo de Futebol de 2014, quando vamos receber grande fluxo de turistas", disse.

 

O estudo está sendo feito pela Infraero e envolve três requisitos básicos: instalar no solo equipamento correspondente ao ILS-3, habilitar a tripulação e homologar a aeronave conforme o novo equipamento. Estas duas últimas são de responsabilidade da empresa aérea, segundo Pallu.

 

Alguns componentes para o ILS-3 serão importados. Outros, o Afonso Pena tem no ILS-2. "Eles apenas passarão por atualizações", conta o superintendente.

 

O Afonso Pena também passará por algumas obras para se adaptar à nova tecnologia, que afeta a aeronavegabilidade. Será preciso, entre outras coisas, adaptar rampas de aproximação e ampliar a sinalização horizontal, que deve percorrer toda a pista de rolagem da aeronave, e não só a de pouso. "O ILS-3 é um sistema muito complexo e restritivo, e precisa que a estrutura seja adequada para permitir segurança."

 

Fonte: http://www.band.com....id=100000441960

 

 

Será que algum dia ainda o teremos ??

 

Abraços.

Link to comment
Share on other sites

Inútil não temos empresas regulares que operam cat3 fora a ABSA

E o que adianta ter empresa que opere CATIII no Brasil se não existe nenhum aeroporto com isso no Brasil?

 

O papel da Infraero é prover a infra-estrutura, eles estão fazendo, agora vai da CIA aérea aproveitar isso.

 

Confesso que tenho um pouco de medo que gastem horrores com isso e nenhuma empresa utilize, mas alguém tem que dar o passo inicial. Não adianta a infraero ficar "não vou instalar porque ninguém pode usar" e a empresa ficar "não vou treinar tripulação porque não tem nenhum aeroporto com CATIII". Aí fica num impasse sem solução.

 

Mas eu imagino que, instalando nos 3 aeroportos, CWB GRU e GIG, sendo 3 aeroportos com bom movimento, acho difícil que as empresas ignorem. Porém também não tenho idéia dos valores gastos com os fechamentos e os valores necessários para o treinamento, aí precisaria ver o que é mais vantajoso

 

 

GRU e GIG dispensam comentários, CWB tem MUITO pernoite, se fecha antes do avião chegar aqui pode atrapalhar toda a programação de manutenção daquele avião, se fecha com o avião aqui, atrapalha toda a malha no dia seguinte, já que normalmente demora pra abrir, os primeiros voos saem as 6 da manhã e o aeroporto abre no mínimo umas 3 horas depois disso.

 

 

Anyway, se vierem cias estrangeiras no período da copa, pode ser que essas operem com CAT III, aí pelo menos ajuda a deixar o fiasco da copa um pouco menor

 

 

Lembrando que um curso básico de IFR contempla ILS CAT I, os mesmo 3 aeroportos que estão no projeto do CAT III são os únicos que tem CAT II hoje, ou seja, treinamento de tripulação para operar o CAT II houve...

 

Airbuses A320, Boeingues 737 e Embreaeres 190 são aviões homologados pra CAT III, homologar os brasileiros não deve ser a parte mais complicada do sistema, acho que é só a questão do treinamento de tripulação mesmo, o que não me parece um problema muito grande

Link to comment
Share on other sites

Imagino que pelo menos as tripulações de A330 e T7 da TAM teriam CatIII pois operam muitos destinos que operam CatIII, até Buenos Aires e Santiago do Chile operam CatIII, e vem aí radar de solo em SBCT, etc ....

Para melhorar o enredo a Prefeitura Municipal de São José dos Pinhais lançou um novo projeto para o "Internacional de Curitiba", com uma inádita 3ª pista...

Link to comment
Share on other sites

Para melhorar o enredo a Prefeitura Municipal de São José dos Pinhais lançou um novo projeto para o "Internacional de Curitiba", com uma inádita 3ª pista...

O que é inédito é uma nova solução apontada para evitar as desapropriações necessárias e facilitar a execução da obra.

Link to comment
Share on other sites

Para facilitar poderiam utilizar a área hoje destinada à nova pista 15/33 para relocar todo aquela povoa que ficará no alinhamebnto da pista projetada e os que hoje atrapalham a extensão da atual 15/33, isto seria um resultado de ótima administração, utilizando os 80 milhões das desapropriações na execução do novo projeto ...

Link to comment
Share on other sites

Para facilitar poderiam utilizar a área hoje destinada à nova pista 15/33 para relocar todo aquela povoa que ficará no alinhamebnto da pista projetada e os que hoje atrapalham a extensão da atual 15/33, isto seria um resultado de ótima administração, utilizando os 80 milhões das desapropriações na execução do novo projeto ...

 

Entendi mal a notíica no jornal...na verdade de novo é a idéia de "matar" a pista 11/29 para levantar um grande TECA para servir a Região Sul do Brasil, só que precisa combinar com os gaúchos para suspenderem as obras do novo TEC de Palegre e a ampliação da pista deles que está bem adiantada com a remoção das Vilas do eixo da pista....ainda defendo a ampliação e reforma da atual 15/33 e a construção imediata dos TWY projetados. foi lançado um edital Nº 006/ADSU-4/SBCT/2011 para gerenciamento e assessoramento,etc, para as obras de sinalização, substituição do sistema de iluminação das pistas, ampliação do pátio, sistemas de pistas, etc, do SBCT.

Link to comment
Share on other sites

E o que adianta ter empresa que opere CATIII no Brasil se não existe nenhum aeroporto com isso no Brasil?

 

O papel da Infraero é prover a infra-estrutura, eles estão fazendo, agora vai da CIA aérea aproveitar isso.

 

Confesso que tenho um pouco de medo que gastem horrores com isso e nenhuma empresa utilize, mas alguém tem que dar o passo inicial. Não adianta a infraero ficar "não vou instalar porque ninguém pode usar" e a empresa ficar "não vou treinar tripulação porque não tem nenhum aeroporto com CATIII". Aí fica num impasse sem solução.

 

Mas eu imagino que, instalando nos 3 aeroportos, CWB GRU e GIG, sendo 3 aeroportos com bom movimento, acho difícil que as empresas ignorem. Porém também não tenho idéia dos valores gastos com os fechamentos e os valores necessários para o treinamento, aí precisaria ver o que é mais vantajoso

 

 

GRU e GIG dispensam comentários, CWB tem MUITO pernoite, se fecha antes do avião chegar aqui pode atrapalhar toda a programação de manutenção daquele avião, se fecha com o avião aqui, atrapalha toda a malha no dia seguinte, já que normalmente demora pra abrir, os primeiros voos saem as 6 da manhã e o aeroporto abre no mínimo umas 3 horas depois disso.

 

 

Anyway, se vierem cias estrangeiras no período da copa, pode ser que essas operem com CAT III, aí pelo menos ajuda a deixar o fiasco da copa um pouco menor

 

 

Lembrando que um curso básico de IFR contempla ILS CAT I, os mesmo 3 aeroportos que estão no projeto do CAT III são os únicos que tem CAT II hoje, ou seja, treinamento de tripulação para operar o CAT II houve...

 

Airbuses A320, Boeingues 737 e Embreaeres 190 são aviões homologados pra CAT III, homologar os brasileiros não deve ser a parte mais complicada do sistema, acho que é só a questão do treinamento de tripulação mesmo, o que não me parece um problema muito grande

 

 

temos que ter CAT III em todos os aeroportos que necessitem, e por necessidade não se entenda passar metade do ano fechado por neblina, como parece ser o entendimento de tantos. que venha o de POA também.

 

e conforme vem sendo discutido em outro tópico sobre o CATIII em GRU, está ficando cada vez mais claro pra mim que essa história de custo alto para treinamento das tripulações é um mito. é um custo sim, mas nem é tão significativo bem como também é bem inferior aos custos gerados quando se alterna um voo.

Link to comment
Share on other sites

Mas eu imagino que, instalando nos 3 aeroportos, CWB GRU e GIG, sendo 3 aeroportos com bom movimento, acho difícil que as empresas ignorem. Porém também não tenho idéia dos valores gastos com os fechamentos e os valores necessários para o treinamento, aí precisaria ver o que é mais vantajoso

 

O soda é que GRU e GIG são o "coração" do Brasil na malha "veias" aéreas. Hoje em VIX, devido o fechamento de GRU, CGH, GIG... Teve voo em Vitória que deveria decolar as 16:30 decolou as 19h. O preço não fica só restrito ao aeroporto "físico" em sí mas em uma gama de fatores.

 

Inútil é você ter no aero mais movimentado da América Latina, onde fora construído numa região de forte nevoeiro "certeiro" todo ano, você ter nele ILS CAT II, que não atende a realidade.

 

Forte abs.

Link to comment
Share on other sites

Lembrando que um curso básico de IFR contempla ILS CAT I, os mesmo 3 aeroportos que estão no projeto do CAT III são os únicos que tem CAT II hoje, ou seja, treinamento de tripulação para operar o CAT II houve...

brasília tem CAT II

Link to comment
Share on other sites

confins tem em uma cabeceira so e que quando fecha, fecha mesmo, tornando-o inutil!

e o pior é q quando o teto aproxima dos minimos, o vento predominante é justamente para uma cabeceira sem ils :suicide_anim:

Link to comment
Share on other sites

brasília tem CAT II

mas é recente então, não? Confesso que estou desatualizado, mas eu sempre soube que era apenas CWB, GRU e GIG

 

peço desculpas pela informação equivocada então.

Link to comment
Share on other sites

Uma coisa, quando tem o CATIII as empresas que operam apenas CATII não podem mais operar? Não tem como deixar os dois?

 

:thumbsup:

Link to comment
Share on other sites

Uma coisa, quando tem o CATIII as empresas que operam apenas CATII não podem mais operar? Não tem como deixar os dois?

 

:thumbsup:

 

O ILS é o mesmo para todas categorias o que muda são os minimos para aproximação em função de requisitos de segurança. Tudo mundo continua operando, cada um com seus mínimos de aproximação.

Link to comment
Share on other sites

BSB ainda não tem CAT II.

tem sim, com carta e tudo:

PERÍODO: 06/05/10 00:00 PERM

ILS/DME IDF CAT II RWY 11R FREQ 109,90MHZ CH 36X COORD

155242.7490S/0475424.6955W H24 INSTL

REF: AIP BRASIL AD 2.19 AIP

BRASIL MAP ADC, ARC BRASILIA

E ROTAER 3-B

Link to comment
Share on other sites

tem sim, com carta e tudo:

 

 

Só na 11 Omy?

Não iriam instalar na 29L também? Já que o ILS da 29R em BSB sempre tem problema, não sei se já arrumaram, mas antes vivia sem Glide, apenas LOC.

Link to comment
Share on other sites

Só na 11 Omy?

Não iriam instalar na 29L também? Já que o ILS da 29R em BSB sempre tem problema, não sei se já arrumaram, mas antes vivia sem Glide, apenas LOC.

e quando tem glide é maior tobogan.

mas ninguém sabe. eles iriam inicialmente instalar na 29L por conta de uma rampa de planeio desobstruída. MAS... vai saber a pressão do lago sul.

 

 

Link to comment
Share on other sites

e quando tem glide é maior tobogan.

mas ninguém sabe. eles iriam inicialmente instalar na 29L por conta de uma rampa de planeio desobstruída. MAS... vai saber a pressão do lago sul.

 

 

 

 

É, moradores do Lago Sul que acabaram instituindo o Noise abatement.

Mas vem cá, aproximação pra 29L não seria melhor pra pessoas que moram ali, do quê manter na 29R?

Se bem que quando opera 29, a L serve mais pra decolagem devido ao tempo de taxi, o mesmo ocorre para a R, no caso, para pouso.

E coloque o Park Way também nessa história.

 

 

Link to comment
Share on other sites

"O investimento já é pensando em evitar problemas durante a Copa do Mundo de Futebol de 2014, quando vamos receber grande fluxo de turistas", disse.

 

 

Só que não adianta ter o CAT III e não ter pátio para os aviões pararem.

 

 

Entendi mal a notíica no jornal...na verdade de novo é a idéia de "matar" a pista 11/29 para levantar um grande TECA para servir a Região Sul do Brasil, só que precisa combinar com os gaúchos para suspenderem as obras do novo TEC de Palegre e a ampliação da pista deles que está bem adiantada com a remoção das Vilas do eixo da pista....ainda defendo a ampliação e reforma da atual 15/33 e a construção imediata dos TWY projetados. foi lançado um edital Nº 006/ADSU-4/SBCT/2011 para gerenciamento e assessoramento,etc, para as obras de sinalização, substituição do sistema de iluminação das pistas, ampliação do pátio, sistemas de pistas, etc, do SBCT.

 

Acho que o melhor é construir uma nova pista com seus 3.400m, segue o projeto do TECA na 11/29, achei interessante.

 

262258_2028184077317_1625534208_1987276_7351489_n.jpg

Link to comment
Share on other sites

confins tem em uma cabeceira so e que quando fecha, fecha mesmo, tornando-o inutil!

e o pior é q quando o teto aproxima dos minimos, o vento predominante é justamente para uma cabeceira sem ils :suicide_anim:

é o nosso maravilhos "planejamento".

enquanto isso SSA tem um ils em uma cabeceira que nunca é usada.

Link to comment
Share on other sites

Só que não adianta ter o CAT III e não ter pátio para os aviões pararem.

Ampliação do pátio é outra obra que está em estágio mais avançado, acreito que esteja em alguma fase de licitação, não apenas idéias para o futuro a serem discutidas.. serão 8 novas posições pelo menos e a remota será modificada

Link to comment
Share on other sites

Ampliação do pátio é outra obra que está em estágio mais avançado, acreito que esteja em alguma fase de licitação, não apenas idéias para o futuro a serem discutidas.. serão 8 novas posições pelo menos e a remota será modificada

 

A Tales falou que vão acabar com o "gramadinho" ali e deixar tudo um pátio pra fazer igual CNF com aviões parados pro lado da pista também e que iam mudar o jeito de parar na remota.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade