Jump to content

Trem-Bala já se calcula R$60 bilhões


Recommended Posts

Empreiteira quer mais subsídio a trem-bala

As cinco grandes empreiteiras do país só aceitam entrar com R$ 3 bilhões de capital próprio no trem-bala, informa reportagem de Dimmi Amora, da Folha.

 

O valor é próximo de 5% do custo calculado por elas para o projeto. O governo achou a proposta inaceitável e deve cancelar o leilão marcado para segunda-feira.

 

Outro fator que deve tornar inviável o leilão agora é que o TCU (Tribunal de Contas da União) determinou ontem mudanças no edital segundo as quais receitas extraordinárias sejam usadas para reduzir a tarifa --conforme a Folha havia antecipado.

 

Além do cancelamento definitivo para rever o modelo, o governo cogita fazer um terceiro adiamento do leilão por prazo curto.

 

As grandes empreiteiras (Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, Odebrecht, Queiroz Galvão e OAS) estudaram juntas o projeto e chegaram a um preço final, hoje, acima dos R$ 55 bilhões para o projeto. Como as obras de verdade demorariam mais de um ano para começar, o valor pode chegar a R$ 60 bilhões.

 

O governo calculou que o custo do projeto estaria hoje em R$ 38 bilhões. O governo se compromete a ser sócio com cerca de R$ 4 bilhões, emprestaria outros R$ 22 bilhões via BNDES (com possibilidade de subsídio de R$ 5 bilhões) e colocaria ainda recursos estimados no mercado entre R$ 3 bilhões e R$ 5 bilhões, via fundos de pensão e empresas públicas.

 

11188153.gif

 

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/940038-empreiteira-quer-mais-subsidio-a-trem-bala.shtml

 

--------------------------

 

Taí mais uma piada pronta.

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

o Brasil é realmente engraçado. num país sério, essa notícia enfocaria a cartelização claramente revelada por essa reunião das empreiteiras para chegar a um consenso sobre o preço da obra, e denunciaria a gravidade do fato.

 

pronto, está esvaziada qualquer concorrência - por mais fajuta que elas costumem ser - para essa porcaria trem de bala.

 

menos mal que esse projeto não vá pra frente, mas é phoda ficar entre a cruz (o governo) e a espada (o cartel das empreiteiras) como a gente está sempre.

Link to comment
Share on other sites

R$ 60 bi para uma obra faraônica, que não vai beneficiar ninguém, não vai trazer desenvolvimento nenhum, que vai aumentar a dívida e que poucos vão utilizar . . . isso é roubo a mão armada.

Link to comment
Share on other sites

Esse trem bala é um assinte as pessoas de bem desse país.

Principalmente aqueles que enfrentam os aeroportos de norte a sul e tb suas maravilhosas estradas esburacadas...

Link to comment
Share on other sites

Uma pergunta. Estamos condenados á ficar refém das empreiteiras nacionais? Não é possível ou víável a contratação de empreiteiras de outros países?

Link to comment
Share on other sites

A população vai preferir pagar 199 reais para fazer Rio-SP em 93 min ou pagar menos de 100 reais para fazer o mesmo trajeto em 45 minutos de avião? :thumbsdown_still:

Link to comment
Share on other sites

Uma pergunta. Estamos condenados á ficar refém das empreiteiras nacionais? Não é possível ou víável a contratação de empreiteiras de outros países?

 

 

Está esquecendo que se forem contratadas empresas estrangeiras, os nossos reles políticos, ficarão sem as suas comissões...

Link to comment
Share on other sites

Lamentável.

 

Esses bilhões poderiam ser investidos em projetos metroviários nas capitais, minimizando o caos que é a mobilidade urbana neste país.

Link to comment
Share on other sites

R$ 60 bi para uma obra faraônica, que não vai beneficiar ninguém, não vai trazer desenvolvimento nenhum, que vai aumentar a dívida e que poucos vão utilizar . . . isso é roubo a mão armada.

vai beneficiar as empreiteiras e seus donos ué.

 

A população vai preferir pagar 199 reais para fazer Rio-SP em 93 min ou pagar menos de 100 reais para fazer o mesmo trajeto em 45 minutos de avião? :thumbsdown_still:

45 minutos... mas 1h antes no saguão para o check-in, mais 20 minutos esperando mala...

 

Lamentável.

 

Esses bilhões poderiam ser investidos em projetos metroviários nas capitais, minimizando o caos que é a mobilidade urbana neste país.

sim, mas quem é que vai lucrar com tanto?

Link to comment
Share on other sites

Uma pergunta. Estamos condenados á ficar refém das empreiteiras nacionais? Não é possível ou víável a contratação de empreiteiras de outros países?

 

 

Está esquecendo que se forem contratadas empresas estrangeiras, os nossos reles políticos, ficarão sem as suas comissões...

 

 

Kodiak,

 

nesses casos é sempre bom lembrar o que aconteceu com o setor bancário, que foi aberto aos bancos estrangeiros pelo FHC na expectativa de que estes pudessem ser um contraponto às "más-práticas" da banca nacional. o que aconteceu? sem regulamentação adequada (e nenhum mínimo esforço nesse sentido, o que esvazia um pouco essa justificativa um tanto edulcorada para a abertura do setor bancário), os bancos estrangeiros adotaram as mesmas práticas que lhes renderam bilhões e várias filiais brasileiras passaram a ficar entre as mais lucrativas do mundo. simples assim.

 

a meu ver, não adianta simplesmente abrir às estrangeiras até porque não é exatamente fechado, há empreiteiras estrangeiras envolvidas no projeto do trem-bala, por exemplo. o problema é a estrutura governamental e a maneira como ele gasta. a lei 8666, tão criticada, é dura a ponto de inviabilizar as licitações se for levada a ferro e fogo, mas mesmo assim o que acontece é a esbórnia como essa agora do Min. dos Transportes. a lei é facilmente driblada, ainda que a burocracia envolvendo as licitações seja tremenda.

 

se o projeto do trem bala fosse viável e lucrativo, alguém já teria se apresentado para construí-lo. mas não aqui no Brasil, onde as empreiteiras (e ampla fatia do empresariado) sempre que pode quer tirar o "risco" do negócio, e quando esse negócio é com o governo elas conseguem sempre, incrível. e como conseguir isso? entrega um ministério como o dos transportes com "porteira fechada" a um desses "ajuntamentos de assaltantes" (boa tarde, cirogomes) como o PR, ou PMDB e toca o barco.

 

o que que uma empreiteira estrangeira no negócio pode fazer pra reverter isso? a meu ver, NA-DA!

Link to comment
Share on other sites

Kodiak,

 

nesses casos é sempre bom lembrar o que aconteceu com o setor bancário, que foi aberto aos bancos estrangeiros pelo FHC na expectativa de que estes pudessem ser um contraponto às "más-práticas" da banca nacional. o que aconteceu? sem regulamentação adequada (e nenhum mínimo esforço nesse sentido, o que esvazia um pouco essa justificativa um tanto edulcorada para a abertura do setor bancário), os bancos estrangeiros adotaram as mesmas práticas que lhes renderam bilhões e várias filiais brasileiras passaram a ficar entre as mais lucrativas do mundo. simples assim.

 

a meu ver, não adianta simplesmente abrir às estrangeiras até porque não é exatamente fechado, há empreiteiras estrangeiras envolvidas no projeto do trem-bala, por exemplo. o problema é a estrutura governamental e a maneira como ele gasta. a lei 8666, tão criticada, é dura a ponto de inviabilizar as licitações se for levada a ferro e fogo, mas mesmo assim o que acontece é a esbórnia como essa agora do Min. dos Transportes. a lei é facilmente driblada, ainda que a burocracia envolvendo as licitações seja tremenda.

 

se o projeto do trem bala fosse viável e lucrativo, alguém já teria se apresentado para construí-lo. mas não aqui no Brasil, onde as empreiteiras (e ampla fatia do empresariado) sempre que pode quer tirar o "risco" do negócio, e quando esse negócio é com o governo elas conseguem sempre, incrível. e como conseguir isso? entrega um ministério como o dos transportes com "porteira fechada" a um desses "ajuntamentos de assaltantes" (boa tarde, cirogomes) como o PR, ou PMDB e toca o barco.

 

o que que uma empreiteira estrangeira no negócio pode fazer pra reverter isso? a meu ver, NA-DA!

 

Concordo plenamente.

E veja que as empreiteiras brasileiras não "ruins", elas dançam conforme a música, da mesma forma que os bancos estrangeiros/nacioanais, montadoras de veículos, etc...

Citando um único exemplo, basta ver a Odebrecht no aeroporto de Miami: http://www.odebrechtonline.com.br/materias/00601-00700/627/

Se vier uma construtora americana construir o trem brasileiro, fará exatamente a mesma coisa que as tupiniquim!

E como foi dito por alguém que não lembro, enquanto o Brasil planeja um linha, a China já planejou/executou/inaugurou várias... Na China é mais fácil desapropriar terras? Sim, mas aqui nem chegamos nessa etapa!

Link to comment
Share on other sites

Com essa grana daria para fazer uma revolução na infraestrutura aeroportuária de todo país. Isso porque ainda não contamos os valores que serão gastos com os subsídios para manter o trem bala.

Link to comment
Share on other sites

Uma pergunta. Estamos condenados á ficar refém das empreiteiras nacionais? Não é possível ou víável a contratação de empreiteiras de outros países?

Kodiak, não ia resolver em nada. A Siemens foi acusada de subornar políticos de outros países fora da Europa para ganhar os projetos de engenharia. A Alstom foi acusada também com os trens da CPTM/Metrô. E isso até certo tempo atrás a Europa incentivava (claro que fora de sua casa) como uma forma de favorecer suas empresas.

 

A população vai preferir pagar 199 reais para fazer Rio-SP em 93 min ou pagar menos de 100 reais para fazer o mesmo trajeto em 45 minutos de avião? :thumbsdown_still:

Como Omykron já ressaltou, tem a questão de estar 1 hora antes, mais 20 minutos para mala, sem falar que 45min é na melhor das hipóteses. Mas mesmo a passagem custando ligeiramente mais caro, muitos vão preferir ir de trem. Com a inauguração do Eurotrem, o número de passageiros voando entre Paris e Londres caiu 50% em 10 anos.

 

Esses bilhões poderiam ser investidos em projetos metroviários nas capitais, minimizando o caos que é a mobilidade urbana neste país.

Falta de pensamento de nossos políticos, se criassem mais rede de transporte público, ia beneficiar mais gente = mais votos = mais tempo no poder = "lucrariam" mais, infelizmente Maluf tá aí como prova.

 

vai beneficiar as empreiteiras e seus donos ué.

Tinha me esquecido!

 

Com essa grana poderiam construir outro aeroporto em São Paulo e dar uma boa reformada no aeroporto de Guarulhos.

Ow, dava para demolir CGH, SBMT, GRU e VCP e reconstruir-los.

 

Só pra lembrar...

 

Para todos aeroportos do país foram destinas R$6 bilhões..

 

10% do valor estimado para obra trem-fantasma.

Pois é Halison, R$ 6 bi acho muito pouco para os nossos aeroportos. Mas comparando o TAV com a expansão de Dubai, dá para construir 5X ou construir quase 2x o aeroporto de HKG.

Link to comment
Share on other sites

Só pra lembrar...

 

Para todos aeroportos do país foram destinas R$6 bilhões..

 

10% do valor estimado para obra trem-fantasma.

 

 

Exato. Para uma obra que possivelmente só tenha valor na copa, nem antes nem depois.

A única parte desse projeto que me fascina é de que talvez precisem do AN-225 p/ trazê-lo!

 

Triste Brasil.

Link to comment
Share on other sites

sim o brasil precisa de malha ferroviária! mas não precisamos ser roubados pelos carteis nacionais na maior cara de pau.

 

Mesmo reduzindo a velocidade e o trajeto aumentar para 2h30 muitos vão preferir o trem isso é fato. Da pra ver na europa as low cost se matando entre si e os trens mesmo subsidiados pelos governos saindo com relativamente cheios.

 

A conexão RIO-SP não é só importante para as duas cidades, mas no meu ponto de vista um marco importante para que o restante do pais começar a investir em transporte ferroviário.

 

mas a palhaçada é ridicula! 60bi pra fazer uma linha de trem não da. Da pra fazer uma rodovia nova com isso entre as cidades ou melhor extender a A.Senna ate o rio.

Link to comment
Share on other sites

Se adotassem as ferrovias regionais da Itália como modelo, onde a velocidade dos trens é em média por volta de 160/180 km por hora, (inclusive nas regiões de serra), os custos seriam reduzidos a menos da metade do TAV, (em torno de US$ 18 bilhões), e o percurso entre RJ e SP seria em torno de 2:30hs., o que não deixaria ser ser inviável, pois, reduziria também, o tempo de sua construção.

Link to comment
Share on other sites

Concordo plenamente.

E veja que as empreiteiras brasileiras não "ruins", elas dançam conforme a música, da mesma forma que os bancos estrangeiros/nacioanais, montadoras de veículos, etc...

Citando um único exemplo, basta ver a Odebrecht no aeroporto de Miami: http://www.odebrechtonline.com.br/materias/00601-00700/627/

Se vier uma construtora americana construir o trem brasileiro, fará exatamente a mesma coisa que as tupiniquim!

E como foi dito por alguém que não lembro, enquanto o Brasil planeja um linha, a China já planejou/executou/inaugurou várias... Na China é mais fácil desapropriar terras? Sim, mas aqui nem chegamos nessa etapa!

 

 

ah não..as empreiteiras e seus donos são inocentes..eles não pensam política, não compram polítcos, não fazem lobby...a camargo correa, por exemplo, foi uma das empresas que financiaram a operação bandeirante na ditadura militar...ela ta aí até hj..junto com outras empresas que tb apoiaram essa covardia: folha de SP, Ultragaz e etc...só ver o filme cidadão Cidadão Boilensen...

 

A china construiu uma das maiores ferrovias do mundo e a maior acima de 4500metros que é a zona da morte para qeum escala montanhas a ferrovia Pequim-Lhasa, assisti outro dia um doc no Natgeo sobre essa ferrovia...quem quer ser primeiro mundo tem que investir em transporte, pesquisa, saúde e educação de ponta como faz a china...nem que seja pra copiar o que faz o ocidente, mas faz! A china está investindo pesado em pesquisa científica!!!!

 

essa porcaria aqui é só corrupção e jogar pra galera. Um exemplo do que falo: eu ontem recebi um cartão de banco função débito pré-pago que o governador do Rio deu para nós, profºs da ativa da rede estadual..valro do cartão: R$ 500. segundo o sujeito pra pagar cursos, comprar livros e consumir cultura...hahahaha...esse valor não é mensal..é de 6 em 6 meses... ano passado fui à SP e gastei na livraria Loyola R$ 1000,00 em livros...e só pude fazer isso pq além de dar aula, tinha uma bolsa de mestrado! se nçao fosse a bolsa, que era o valor das duas matrículas que eu tinha, jamais poderia comprar os livros que comprei e que foram necessários para minha dissertação...mas o cidadão que ouve no jornal que to recebendo um cartão com R$500 de bônus e me vê reclamar ainda acha que to reclamando de barriga cheia! queria esse valor adicionado como piso no meu salário que tem o valor líquido de R$ 680,10 por matrícula. O Resultado prático dessa política safada que tem no Brasil é que na última avaliação do PISA (que avalia competências de matemática, gramática e interpretação na língua materna), o Brasil obteve a penúltima colocação com 25.000 estudantes fazendo a avaliação internacional, enquanto a China, onde apenas 5.000 estudantes prestaram o exame, ficou em 1º lugar!!!!! e sem esquecer que o estado do Rio ficou e penúltimo na avaliação do ideb nacional, só ganhando do piauí...

 

ah..o que to fazendo com o cartão? to comprando comida, fraldas pra minha filha...talvez dê pra assistir uma peça de teatro...

Link to comment
Share on other sites

Se houver juízo mínimo, nas condições atuais e no momento atual, vão cancelar esta aventura.

 

Certamente há situações nebulosas sobre o caso, conforme os colegas já observaram. Complemento com alguns outros pontos importantes:

 

- Em termos de prioridade, há uma série interminável de ações que deveriam preceder a execução de um trem de alta velocidade (e considerando-se ainda que existe a Ponte aérea Rio-SP), como:

 

a) Melhoria de mobilidade urbana, notadamente nas duas maiores metrópoles nacionais (São Paulo e Rio de Janeiro), com investimento pesado em metrô/trem/corredores de ônibus e mesmo trens regionais (nos casos SP - Sorocaba; SP - S. José dos Campos; SP - Campinas; Rio - Baixada Fluminense etc.);

 

b) Melhoria da qualidade de itens básicos para qualquer país que quer se desenvolver, a começar por educação, saúde, segurança, justiça e meio ambiente - claro que são itens de desenvolvimento contínuo, inclusive de nações já mais avançadas, mas a realidade atual brasileira ainda é muito atrasada e seria um luxo desnecessário gastar dezenas de bilhões em algo incerto, enquanto esse básico não existe (ou cadê o tal contrato social? O que o Estado dá de retorno à sociedade e seus cidadãos?);

 

c) Melhoria do arcabouço legal-institucional brasileiro, que, no estágio atual, gera distorções como o tal custo-Brasil (manicômio judiciário e tributário = sistemas ruins; tributação excessiva, em diversas esferas; juros reais mais elevados no Brasil etc.); a questão das tais agências reguladoras (como observado pelos colegas: não adianta privatizar ou fazer concessão em áreas de infra-estrutura e depois continuar algo ruim, caro, ineficiente etc.; muito menos adianta gente ignorante que acha que deveria re-estatizar, pois já foi provado que não funciona em certas áreas - o papel das agências reguladoras é importante, mas para isso elas devem ser munidas de arcabouço e práticas que as permita fazer suas funções); casos do momento, como a situação atual vivenciada no Min. dos Transportes - pelo que a imprensa informa! - e outros, em que o sistema presidencialista atual tem falhas severas (por mais que haja boa vontade do presidente X, Y ou Z), que deveriam pensar em como modificá-lo para não chegar sempre aos mesmos constrangimentos (e o país vai perdendo tempo, oportunidades, timing etc.);

 

d) Investimento maciço, planejado e eficiente em aeroportos, depois do longo período de quase não investimento (é só notar a penúria em São Paulo: mais de 25 anos após inaugurarem o aeroporto de Guarulhos, tirando o T2 que ficou pronto em seguida, nada mais foi feito, nem um único mísero terminal, sendo que é a principal área econômica do Brasil e como todos aqui sabem, a expansão da aviação é consistente, mas refém da falta de infra-estrutura adequada e pior - sem que haja previsão para atender às demandas futuras) - vejam no post sobre aeroporto de Beijing e notem o quanto o Brasil está atrasado (mesmo Índia e outros estão à frente e outros, como Tailândia, Malaísia etc. estão a anos-luz!). Às vezes, vende-se uma imagem que beira a euforia, como se o país estivesse a mil maravilhas, enquanto a realidade ainda é muito ruim, atrasada (e isso não é discurso "de opsição" - é realidade) - claro que tem melhorado, mas antes de se gastar tempo e dinheiro (marketing etc.) com propagandas, gaste-se naquilo que se realmente precisa, como vários dos itens acima (aí fica a pergunta: para que essa grande maioria de propagandas e gastos supérfluos para "mostrar" isso ou aquilo?);

 

e) Investimentos em portos e sistemas modais com conexão (trem - avião - porto - terrestre etc.);

 

f) Investimento em saneamento ambiental (água; esgotos e efluentes; resíduos sólidos; educação; capacitação técnico-científica; planejamento estratégico e integrado; mudanças climáticas; eventos críticos etc.) - desconsiderar esta área é gerar incertezas para o futuro (nem isso - é só ver o que tem acontecido no Brasil e mundo afora recentemente);

 

g) Melhor conhecer o subsolo brasileiro, com vistas ao gerenciamento, planejamento e ações mais adequadas do uso do solo, da preservação/recuperação ambiental, da gestão urbana e metropolitana, dos bens minerais e das características geotécnicas de forma mais eficiente (lembrando o que muitos se esquecem nessa história do trem-bala: um dos grandes pontos de incerteza é o desconhecimento geológcio-geotécnico, ou melhor, o pouco conhecimento, insuficiente para uma avaliação atual dos custos e incertezas, com grau aceitável de segurança, lembrando que estariam previstos mais de 100km de túneis!);

 

g) Melhor aproveitar os cérebros dos profissionais brasileiros e colaboradores estrangeiros, no sentido que sua contribuição não seja tolhida por práticas políticas, trabalhistas, jurídicas, buRRocráticas (!), "capitalistas-selvagens" e adminstrativas arcaicas, nem a abusos de poder econômico;

 

h) entre outras.

 

- Sobre o tema específico do fórum, relativo à aviação, creio que os colegas já colocaram uma série de pontos importantes a se demnostrar que prosseguir agora com este trem-bala, com as incertezas e a realidade atuais, seria imenso desperdício!

 

- Já estão passando "guela abaixo" esses gastos com estádios novos para a Copa, que igualmente são um desperdício de dinheiro público. Será que não acordaram que não há tanto dinheiro assim e que o país tem n outras prioridades? Será que o país precisará cair de novo em período de crise e perder mais gerações por conta de decisões equivocadas?

 

Saudações a todos!

 

ab2010.

Link to comment
Share on other sites

Acaba hoje prazo para propostas do leilão do trem-bala

SÃO PAULO - O governo manteve para esta segunda-feira, 11, o prazo para entrega das propostas do leilão do Trem de Alta Velocidade (TAV), mesmo com três pedidos de adiamento do leilão. As propostas devem ser entregues pelos interessados em participar do leilão nesta segunda, das 9h às 14h, na sede da BM&FBovespa, em São Paulo. O consórcio dos coreanos já anunciou que não entregará proposta.

 

Avaliado pelo governo em R$ 30 bilhões, o projeto do trem-bala ligando Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro já foi adiado outras duas vezes.

 

Sobre a possibilidade de não aparecer nenhuma proposta hoje, o chamado "no show", o diretor geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo Figueiredo, afirmou que o governo só se pronunciará se isso acontecer.

 

O terceiro pedido de adiamento, não aprovado, havia sido feito por três consórcios. O consórcio chamado TAV Brasil, conhecido também como grupo dos coreanos, pediu o adiamento do processo em 45 dias. A Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), solicitou uma postergação de seis meses. Já a Agência de Desenvolvimento de Trens Rápidos entre Municípios (ADTrem), entidade que agrega os fabricantes de trens, pediu o adiamento sem especificar datas.

 

Fonte: http://economia.estadao.com.br/noticias/economa+brasl,acaba-hoje-prazo-para-propostas-do-lelao-do-trem-bala,not_75347,0.htm<BR clear=all>

Será que mais uma vez não teremos proposta alguma?

Link to comment
Share on other sites

surpresa?

 

11/07/2011 14h21 - Atualizado em 11/07/2011 14h53

Governo não recebe propostas para o leilão do trem-bala

Empresas tinham que entregar propostas até as 14h desta segunda.

Governo terá agora que adiar novamente data do leilão.

Fábio Amato

Do G1, em Brasília

 

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) não recebeu nesta segunda-feira (11) nenhuma proposta para o leilão do trem-bala. Com isso, o governo terá que adiar a data do leilão, que estava marcada para 29 de julho.

 

A ausência de propostas já era esperada. Na semana passada, três grupos interessados no projeto do trem-bala entraram com pedidos de adiamento do leilão, mas eles foram negados pela ANTT.

 

Na quarta-feira, o Tribunal de Contas da União (TCU) também havia determinado alterações no edital do trem-bala. Apesar disso, o governo decidiu manter o calendário da disputa. O diretor-geral da ANTT, Bernardo Figueiredo, disse na sexta-feira que a agência poderia recorrer da decisão do TCU.

 

Com a ausência de propostas, o governo será agora obrigado a remarcar o leilão. É possível, inclusive, que o governo aproveite para fazer alterações no projeto, que prevê a ligação das cidades de Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro.

 

Por meio de sua assessoria, a ANTT informou que dará novas informações sobre os próximos passos em relação ao projeto do trem-bala no final da tarde desta segunda-feira.

 

 

http://g1.globo.com/economia/noticia/2011/07/governo-nao-recebe-propostas-para-o-leilao-do-trem-bala.html

Link to comment
Share on other sites

Ja falei antes e repito, ninguém vai ser louco de embarcar na idéia de que exista demanda para o trem bala. A mentalidade Brasileira não é a Japonesa ou Francesa nem mesmo Alemã.

 

Tem que se investir em trens regionais... e já vai ser um desafio !

Link to comment
Share on other sites

Ja falei antes e repito, ninguém vai ser louco de embarcar na idéia de que exista demanda para o trem bala. A mentalidade Brasileira não é a Japonesa ou Francesa nem mesmo Alemã.

 

Tem que se investir em trens regionais... e já vai ser um desafio !

 

Concordo plenamente. Investir na malha ferroviária, em trens convencionais regionais que se integram com a malha metropolitana existente. :thumbsup:

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade