Jump to content

Especialistas querem retirar contratação de estrangeiros do Código da Aeronautica


A.Borges

Recommended Posts

Especialistas querem retirar contratação de pilotos estrangeiros do Código da Aeronáutica.

 

A possibilidade de contratação de pilotos estrangeiros para pilotarem aviões comerciais no Brasil tem que ser retirada do projeto que cria o novo Código Brasileiro de Aeronáutica (PL 6716/09). Essa posição foi unânime durante debate promovido nesta quarta-feira pela Comissão de Turismo e Desporto, que atendeu requerimento do deputado Otavio Leite (PSDB-RJ).

 

O novo Código de Aeronáutica está pronto para ser votado pelo Plenário da Câmara. Além da contratação de pilotos estrangeiros, o texto amplia de 20% para 49% o limite da participação do capital internacional nas empresas aéreas nacionais e aumenta os direitos dos passageiros de avião.

 

Comunicação:

 

O presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Gelson Fochesato, destaca que a falha de comunicação na cabine de comando de uma aeronave, provocada pela barreira da língua, pode causar problemas graves. Ele citou um acidente ocorrido na Suíça em janeiro de 2000, em que um piloto era de uma nacionalidade, o outro piloto de outra nacionalidade, e o comissário de uma terceira nacionalidade.

 

Curso de Capacitação

 

O deputado Otavio Leite afirma que, em vez de contratar estrangeiros, o governo e a iniciativa privada devem investir na capacitação de brasileiros, financiando os cursos de formação de pilotos, que custam muito caro. Para que um piloto consiga o brevê, que é a autorização para pilotar um avião, ele tem que ter 150 horas de voo. Para ser contratado por uma grande companhia aérea, o piloto precisa ter 500 horas de voo. Otavio Leite afirma que muitas pessoas que têm aptidão para se tornar pilotos não fazem os cursos por falta de dinheiro.

 

Bolsa de estudo

 

Durante o debate, o superintendente de Segurança Operacional da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) , David Faria Neto, afirmou que a agência conseguiu dinheiro junto ao governo federal para capacitar pilotos e mecânicos. São 914 bolsas de estudo para mecânicos de manutenção aeronáutica e, desde 2009, 322 bolsas de estudos para pilotos - alguns ainda em fase de conclusão do curso.

 

David Neto explica como um candidato pode conseguir uma bolsa para ser piloto ou mecânico de avião ou helicóptero: "De forma prática, ele se inscreve na Anac e é submetido a um teste geral, uma avaliação da sua capacidade de acompanhar a complexidade da atividade. Para algumas bolsas, ele tem que ter alguma experiência anterior, por exemplo, já ter passado em aeroclube, e em outras basta a formação básica inicial.

 

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Link to comment
Share on other sites

"O deputado Otavio Leite afirma que, em vez de contratar estrangeiros, o governo e a iniciativa privada devem investir na capacitação de brasileiros, financiando os cursos de formação de pilotos, que custam muito caro. Para que um piloto consiga o brevê, que é a autorização para pilotar um avião, ele tem que ter 150 horas de voo. Para ser contratado por uma grande companhia aérea, o piloto precisa ter 500 horas de voo. Otavio Leite afirma que muitas pessoas que têm aptidão para se tornar pilotos não fazem os cursos por falta de dinheiro"

 

Ok. Agora como que a iniciativa privada vai garantir o investimento e fazer com que aquele aluno no qual ela investiu não vai sair do emprego e ir pra concorrente?

Link to comment
Share on other sites

Ok. Agora como que a iniciativa privada vai garantir o investimento e fazer com que aquele aluno no qual ela investiu não vai sair do emprego e ir pra concorrente?

Isso é um risco q a empresa corre e para não tê-lo tem q investir não só em formação como tb em satisfação do funcionário para com ela fazendo com q o mesmo não deseja sair.

Outros ramos já passam pelo mesmo há muito tempo.

Link to comment
Share on other sites

"O deputado Otavio Leite afirma que, em vez de contratar estrangeiros, o governo e a iniciativa privada devem investir na capacitação de brasileiros, financiando os cursos de formação de pilotos, que custam muito caro. Para que um piloto consiga o brevê, que é a autorização para pilotar um avião, ele tem que ter 150 horas de voo. Para ser contratado por uma grande companhia aérea, o piloto precisa ter 500 horas de voo. Otavio Leite afirma que muitas pessoas que têm aptidão para se tornar pilotos não fazem os cursos por falta de dinheiro"

 

Ok. Agora como que a iniciativa privada vai garantir o investimento e fazer com que aquele aluno no qual ela investiu não vai sair do emprego e ir pra concorrente?

 

 

So 150hs e pouco,precisa ter mais experiencia para voar um jato para 150-200pax,penso eu.

Link to comment
Share on other sites

 

 

So 150hs e pouco,precisa ter mais experiencia para voar um jato para 150-200pax,penso eu.

150 é para contratação.

ainda tem todo o treinamento do avião, além do curso no simulador para então ir para o treinamento em rota

150 é pouco? sim, mas ninguém tem 150 horas e cai de paraquedas na cadeira da direita.

Link to comment
Share on other sites

 

Ok. Agora como que a iniciativa privada vai garantir o investimento e fazer com que aquele aluno no qual ela investiu não vai sair do emprego e ir pra concorrente?

 

 

Existem muitas formas legais de fazer isto, um deles é não o pagamento do curso de piloto mas sim o financiamento deste curso, o qual será

pago depois pelo aluno; este podera pagar do seu bolso ou colocar parte de seus rendimentos na cia descontados em folha por determinado

tempo até a quitação.

 

A FGV faz algo parecido para alguns bolsistas ha muito anos. Perfeitamente legal.

 

abs

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade