Jump to content

Impacto na imagem e no caixa. Mais atrasos


jambock

Recommended Posts

Meus prezados:

Impacto na imagem e no caixa

Ministro da Defesa não descarta mais atrasos em feriados e no fim do ano

DIONARA MELO E TATIANA CRUZ

A turbulência gerada entre as companhias aéreas e o governo federal em conseqüência da "greve branca" dos controladores de vôo já se reflete em cifras e afeta a imagem da aviação no Brasil e no Exterior.

Em levantamento preliminar, o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias contabiliza prejuízo de R$ 40 milhões nos primeiros 10 dias da crise, deflagrada no feriado de Finados. O ministro da Defesa, Waldir Pires, não descartou ontem a ocorrência de novos atrasos em vôos nos próximos feriados e festas de fim de ano. Também defendeu a criação de um órgão público civil, controlado pelo governo, para gerenciar o tráfego aéreo comercial.

Para o diretor da Consultoria Brand Finance, Gilson Nunes, a aviação civil brasileira passa por um dos momentos mais dramáticos da sua história - e não só por conta da operação padrão dos controladores de tráfego. Segundo o consultor, o problema de imagem das companhias não se restringe ao acidente com 154 mortos no Boeing da Gol.

Nunes lembra que a TAM também teve a imagem arranhada por um acidente com um Fokker 100 e a Varig nem conseguiu fazer os negócios decolarem desde a falência que culminou na sua venda para a VarigLog.

- Isso afeta a demanda de vôos dentro e fora do país. Os atrasos só contribuíram mais com a crise. A imagem brasileira está sendo desgastada lá fora, a demanda por viagens, caindo, e o governo fica num jogo de empurra-empurra que mais parece CPI (comissão parlamentar de inquérito) - analisa Nunes.

Outro efeito do cancelamento de vôos pode ser sentido na ocupação de hotéis na capital gaúcha. Segundo o sindicato dos hoteleiros de Porto Alegre, o recuo foi de 9,2% em outubro ante igual período de 2005.

O professor-adjunto da Universidade Federal do Rio e presidente do Instituto Brasileiro de Estudos Estratégicos e de Políticas Públicas em Transporte Aéreo, Respicio Espírito Santo Junior, acredita que a imagem das companhias não sofrerá tanto com a crise quanto o bolso.

- Num primeiro momento, as companhias agiram errado, deixando os passageiros no saguão dos aeroportos sem explicar o que estava acontecendo. Depois, passaram para uma abordagem mais correta. Embarcavam os passageiros e os deixavam dentro das aeronaves, servindo refrigerante, sanduíches, e explicando a cada momento que não tinham autorização do controle de tráfego aéreo para decolar - avalia.

Especialista avalia que Anac está "literalmente perdida"

Os prejuízos financeiros, porém, Respicio projeta que não serão ressarcidos. Quanto à greve branca, responsabiliza de um lado o governo, de outro, os controladores:

- Se o acidente com o Boeing da Gol não tivesse acontecido, eles (os controladores) fariam a greve? Se dizem que o sistema está em colapso, porque não fizeram a greve na alta temporada, em junho e julho?

Para o governo deixa um recado:

- Na minha universidade, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) não passaria. Sendo muito condescendente, daria nota 5. Ela está literalmente perdida.

A cobrança

Para amenizar os danos, o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias quer que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) adote medidas compensatórias, como redução de tarifas e desconto no preço do querosene de aviação. As duas entidades se reuniram na segunda-feira no Rio, mas não houve solução até agora. A Anac informou que os pedidos estão sendo analisados pela diretoria colegiada.

fonte: jornal "Zero Hora" 18 nov 2006

Link to comment
Share on other sites

- Se o acidente com o Boeing da Gol não tivesse acontecido, eles (os controladores) fariam a greve? Se dizem que o sistema está em colapso, porque não fizeram a greve na alta temporada, em junho e julho?

Primeiro que não é greve. Greve é quando você para de trabalhar. E ninguém deixou de trabalhar.

 

Segundo que, como os controladores poderiam se mobilizar sem divulgação de imprensa? A imprensa NUNCA deu bola para a aviação. Se eles resolvessem fazer algo sem que a imprensa noticiasse, o comando da aeronáutica colocava todo mundo no tronco, dava umas chibatadas e pronto. Mas agora, querendo ou não, a imprensa fornece uma proteção, pois o Comando da Aeronáutica ponderará mais suas atitudes, já que tudo (ou quase tudo) correrá para a imprensa.

 

Eu esperava mais de um professor de "Estudos Estratégicos e de Políticas Públicas em Transporte Aéreo". Falar sem saber o que se passa é um erro.

Link to comment
Share on other sites

Na minha universidade, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) não passaria. Sendo muito condescendente, daria nota 5. Ela está literalmente perdida.

 

Este foi até bonzinho, pra mim a ANAC não merece mais do que nota 2 ! Muito fraca a administração "não militar". Pelo menos antes eram pessoas com formação aeronáutica, agora temos pessoas com "de"-formação Política.

 

Felipe

Link to comment
Share on other sites

O governo é tão fraco nesse aspecto, que o Waldir Pires declarou o seguinte outro dia:

 

"A população nem sabia da existência de controladores de vôo. Nem eu!". Como pode um ministro que a 20 dias, nem sabia da existência dos controladores de vôo, estar à frente da comissão que resolverá os problemas dos controladores? Que vergonha!

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Guest
This topic is now closed to further replies.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade