Jump to content

MP investiga obras em cabeceira do Aeroporto de SRio Preto


Charlie Mike

Recommended Posts

SALVE, SALVE, SALVE, o mundo não está perdido, até que enfim alguém está zelando pela segurança da população.

 

(O jovem Promotor Sérgio Clementino do MP age em prol da Segurança do Cidadão, para o desespero dos protagonistas de armações, esquemas e outras velhacarias que acham que segurança de vôo é conversa fiada) :joinha:

 

POLÍTICA...

 

MP apura segurança de obra na cabeceira do aeroporto

Diário WEB

Inquérito

São José do Rio Preto, 29 de setembro de 2011 | 03:18

Rodrigo Lima

 

 

O Ministério Público instaurou inquérito civil para investigar a construção de supermercado na cabeceira da pista do aeroporto de Rio Preto. O promotor de Justiça Sérgio Clementino esteve no local para conhecer a situação da obra em andamento, ao lado da avenida Rui Seixas no bairro Vila Aeroporto. “Ali é uma questão de segurança. Quero saber o que está acontecendo e verificar se todas as autorizações e regras de segurança foram observadas pela empresa”, afirmou o promotor.

 

Clementino encaminhou pedido de informações sobre o empreendimento à Prefeitura e ao Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp) sobre as autorizações e alvarás liberando a construção de um supermercado naquela região da cidade.

 

O Daesp já afirmou não ter conhecimento da obra. Já a Aeronáutica informou ter autorizado o empreendimento. As obras de terraplenagem já foram iniciadas pelo grupo Tonin Superatacado, com um investimento inicial previsto em R$ 4 milhões. Cerca de 150 empregos estão previstos com o funcionamento do novo empreendimento.

 

Uma das preocupações do promotor é a concentração de pessoas e um local nas proximidades do aeroporto. O temor de Clementino é referente a possíveis acidentes. “Neste primeiro momento estou notificando a Prefeitura e o Daesp pedindo as explicações e, posteriormente, a Aeronáutica.”

 

Representantes da empresa já divulgaram que a obra foi iniciada com aval do 4º Comando Aéreo Regional (Comar). Ontem, o secretário de Comunicação, Deodoro Moreira, não soube dizer se o município já havia concedido alvará de construção à empresa para dar continuidade à obra.

______________________________________________________________________________

 

ECONOMIA...

 

DAESP consulta o Comar sobre supermercado

Diário WEB

Aeroporto

São José do Rio Preto, 30 de setembro de 2011 | 10:03

Da Redação

Colaborou;: Bruno Ferro

 

O Departamento Aeroviário de São Paulo (Daesp) informou ontem que está verificando junto ao 4º Comando Aéreo Regional (Comar) os detalhes da construção de uma unidade do Superatacado Tonin em área lateral à cabeceira da pista do aeroporto Eribelto Manoel Reino, em Rio Preto. O Daesp informou que já recebeu documentos da Prefeitura de Rio Preto com as informações solicitadas sobre a instalação daquele centro comercial. O documento é relacionado à aprovação do projeto pela Aeronáutica. O Daesp havia notificado a Prefeitura para saber detalhes do empreendimento.

 

O grupo Tonin já deu início a atividades de terraplenagem no terreno que abrirá o projeto do Superatacado, que ficará localizado na avenida Rui Seixas, na Vila Aeroporto. Para o prosseguimento das obras, no entanto, a empresa está esperando o alvará da Prefeitura. O projeto está sob análise de técnicos municipais e ainda não há previsão para a divulgação do parecer.

 

O Superatacado tem previsão de investimento inicial de R$ 4 milhões e geração de 150 empregos diretos. O prédio, segundo o engenheiro responsável pela obra, Renato Higino Rodrigues, terá 5 metros de altura, dos quais 1,5 metro será abatido pelo rebaixamento do nível do solo. O Tonin Superatacado é formado por um grupo de supermercados do sul de Minas Gerais. Criado em 1956, o grupo possui seis lojas em cidades mineiras e está sediado em São Sebastião do Paraíso. Em São Paulo, o grupo tem filiais em Ribeirão Preto e Franca.

______________________________________________________________________________

 

POLÍTICA...

 

Obras exige mais documentos para liberar mercado

 

Diário WEB

Sem Alvará

São José do Rio Preto, 06 de outubro de 2011 | 06:02

Rodrigo Lima

 

A Prefeitura de Rio Preto pediu à empresa Tonin Superatacado complementação de documentos para poder liberar alvará de construção de prédio no terreno localizado na cabeceira do aeroporto. Sem a documentação, o secretário de Obras, Luiz Carlos Calças, não pretende conceder o alvará necessário para o prosseguimento da obra. O projeto de construção de um supermercado nas proximidades do aeroporto preocupa o Ministério Público. O promotor de Justiça Sérgio Clementino instaurou inquérito civil para avaliar, principalmente, a segurança no local.

 

Outra preocupação do promotor é com as dezenas de árvores nativas existentes no local e que deverão ser retiradas. Segundo Clementino, a empresa se comprometeu a plantar em um outro local até 1,8 mil árvores como forma de compensar um possível dano ambiental. “Pelas informações que tenho, eles ainda não tiveram autorização da Cetesb para cortar as árvores”, afirmou o promotor.

 

A assessoria da Prefeitura não informou ontem quais documentos foram requisitados pela empresa para a concessão do alvará de construção. O investimento previsto no local é de R$ 4 milhões e a geração de 150 empregos. O Daesp também informou que aguarda detalhes sobre a obra.

 

______________________________________________________________________________

 

Para entender o caso em detalhes >>> http://forum.contatoradar.com.br/index.php/forum/2-aviacao-civil/page__prune_day__100__sort_by__Z-A__sort_key__last_post__topicfilter__all__st__140

Link to comment
Share on other sites

>>Somente postei no Direto da Redação quando a matéria saiu nos jornais e tornou-se pública, mas já tinha alertado sobre essa sacanagem aqui no CR .

 

http://forum.contatoradar.com.br/index.php/topic/79686-obras-na-cabeceira-da-pista-do-aeroporto-de-sao-jose-do-rio-preto/

 

>>O mais interessante é que os demais órgãos, DAESP e a Secretaria de Obras, só se manifestaram após o Promotor ter agido.

>>Creio se não fosse a mobilização de algumas pessoas a coisa ia passar em brancas nuvens.

>>Depois da Lei 11.192 de 27 SET 2005, deixou de ser atribuição do COMAer autorizar construções nas zonas de proteção de aeródromos.

>>Agora só nos resta aguardar e ver se o MP exija que a ANAC cumpra o seu dever constitucional.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade