Jump to content

Mesmo com ganhos de até R$ 100 mil, faltam pilotos agrícolas em MT


andrezito12

Recommended Posts

00021102011144529.gif

Badan, com seu Cessna 1943 e a frota de aviões agrícolas ao fundo

 

A afirmação é do empresário da aviação agrícola, Rodrigo Cocato Badan, de 32 anos, que reside em Nova Mutum (250 km de Cuiabá) e possui seis aviões para atender os agricultores da região Médio Norte de Mato Grosso. Conforme Badan, mesmo com ganhos entre R$ 80 mil a R$ 100 mil por safra, é difícil encontrar pilotos disponíveis. “Existe hoje no mercado pilotos muitos novos, com poucas horas de voo. Mas aqueles pilotos experientes trocaram a aviação agrícola pela aviação comercial”, disse, em entrevista ao Olhar Direto.

 

A troca do agronegócio para a aviação comercial está ligada às melhores condições de trabalho e a maior rentabilidade. Com o crescimento da viação regional no país, a demanda por pilotos aumentou, diz Badan. Ele também informa que faltam cursos de formação. “O Brasil conta com apenas duas escolas técnicas em funcionamento, uma no Rio Grande do Sul e outra no Paraná. Esporadicamente são formados pilotos também em São Paulo, mas ainda é pouco”.

 

Rodrigo diz que os riscos oferecidos pela aviação agrícola podem estar afastando os interessados em continuar na atividade. Ele comenta, por exemplo, que os voos sobre as lavouras são em baixa altitude, muitas vezes se aproximando de matas. Porém, o empresário diz que atualmente há poucos riscos de contaminação agrotóxica do piloto, já que os aviões mais novos possuem ar-condicionado, filtros e é exigido o uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI). “Logicamente que é necessário trabalhar com todo o cuidado, mas o risco é bem menor do que o operador de trator com o pulverizador”.

 

Para se tornar piloto de aviação agrícola, o interessado precisa ter carteira de piloto privado, que são 35 horas de voo, depois se tornar piloto comercial, que são mais 150 horas, e para concretizar o curso de piloto agrícola deve-se contabilizar 400 horas. Badan revela que muitos pilotos novos, para entrarem rapidamente no mercado de trabalho, acabam “maquiando” a quantidade de horas voos que possuem.

 

“É o famoso voo na BIC, somente na ponta da caneta, sem realmente fazer as horas necessárias e tais constarem apenas no papel. Esse tipo de piloto existe bastante, mas é arriscado contratar, já que não terá capacidade técnica para pilotar sobre a lavoura”, finaliza o empresário, que pilota há 12 anos.

 

http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?noticia=Mesmo_com_ganhos_de_ate_R_100_mil_faltam_pilotos_agricolas_em_MT&id=213482

Link to comment
Share on other sites

(...)

mesmo com ganhos entre R$ 80 mil a R$ 100 mil por safra, é difícil encontrar pilotos disponíveis.

(...)

http://www.olhardire...em_MT&id=213482

Prezado andrezito12: qual é a duração de uma safra? Em outras palavras, por quantos meses deveremos dividir estes 80 ou 100 mil?
Link to comment
Share on other sites

Prezado andrezito12: qual é a duração de uma safra? Em outras palavras, por quantos meses deveremos dividir estes 80 ou 100 mil?

Acredito que seja de 4 a 6 meses, dependendo da lavoura, estou certo?

Abraços!

Link to comment
Share on other sites

Prezado andrezito12: qual é a duração de uma safra? Em outras palavras, por quantos meses deveremos dividir estes 80 ou 100 mil?

Acredito que seja de 4 a 6 meses, dependendo da lavoura, estou certo?

Abraços!

Em torno de 4 meses mas deve dividir esse valor por 24 meses visto q no geral essa será a única safra a ser feita e como o patrão paga quando quer muitas vezes uma safra deve sustentar o piloto por 2 anos.

 

A aviação agrícola deve mudar e muito pra se tornar uma atividade atraente de novo visto q os altos ganhos já não existem mais como eram antigamente.

Outro ponto desfavorável a atividade é a questão do meio ambiente, hoje em dia tudo q mexe negativamente com a natureza anda contra a maré.

Link to comment
Share on other sites

Sem falar nas condições. Conheço piloto que dormia em hangar pq não tinha onde ficar. Por tudo que já ouvi desse tipo de aviação, o risco e as condições, de voo e em solo são ruins demais...

Link to comment
Share on other sites

Sem falar nas condições. Conheço piloto que dormia em hangar pq não tinha onde ficar. Por tudo que já ouvi desse tipo de aviação, o risco e as condições, de voo e em solo são ruins demais...

Ainda se fica no hangar até q é bom. Rede embaixo da asa para dormir é coisa muito comum.

Alimentação? Grande maioria das vezes depende do próprio piloto... isso quando tem quando conseguir pq senão é trabalhar o dia todo sem ter o q comer, só bebendo água mesmo.

 

Abs

Link to comment
Share on other sites

Os relatos nao são favoráveis aos pilotos, quem ganha bem êh o patrão. Nos tempos de crise existia muita procura, pois era o caminho mais curto para acumular horas.

Ultimamente (já tem alguns anos) nem o patrão tem recebido bem.

 

O piloto q compra seu próprio avião e monta empresa acaba por ter q investir praticamente tudo o q ganha para se manter no mercado e em muitos casos ganha menos do q se fosse empregado... só tem a vantagem de não levar calote mas acaba por pegar somente o dinheiro suficiente para sobreviver pois o resto deixa na própria empresa.

 

Abs

Link to comment
Share on other sites

fala pro dono do avião aumentar a comissao paga, para nego ganhar o que ele diz que ganha tem que voar no minimo uns 40.000 ha....

 

O valor na carteira de trabalho é de 1100 reais que é minimo permitido na legislação, e esse valor de 1100,00 que se paga por mes dps é descontado do valor da safra. Para terminar, se fizer alguma caga## durante a safra por exemplo for fazer aplicação de algum produto que prejudique a lavoura do vizinho que as vezes esta a 5km de onde o kra aplicou e ele prova que foi o mesmo produto utilizado, quem paga o pato? Adivinha desconto no valor da safra...

 

a diaria paga por refeicao nao da 20 reais, ou entao a empresa se compromete a dar marmitex pros pilotos...

 

quem voa agricola sabe bem o que estou dizendo....

Link to comment
Share on other sites

fala pro dono do avião aumentar a comissao paga, para nego ganhar o que ele diz que ganha tem que voar no minimo uns 40.000 ha....

 

O valor na carteira de trabalho é de 1100 reais que é minimo permitido na legislação, e esse valor de 1100,00 que se paga por mes dps é descontado do valor da safra. Para terminar, se fizer alguma caga## durante a safra por exemplo for fazer aplicação de algum produto que prejudique a lavoura do vizinho que as vezes esta a 5km de onde o kra aplicou e ele prova que foi o mesmo produto utilizado, quem paga o pato? Adivinha desconto no valor da safra...

 

a diaria paga por refeicao nao da 20 reais, ou entao a empresa se compromete a dar marmitex pros pilotos...

 

quem voa agricola sabe bem o que estou dizendo....

Rapaz, se vc recebe essa quantia por mês e ainda recebe R$20,00 e/ou marmitex pra refeição já te adianto q está em um dos empregos tops da agrícola. Infelizmente falando....

 

 

Abs

Link to comment
Share on other sites

na cidade onde moro quando to no Brasil (primavera do leste/MT), e conhecida por ter a maior frota agricola do BR, e o que nao falta e mansao de piloto agricola...kkkkkkkkkkkkkkk

Link to comment
Share on other sites

na cidade onde moro quando to no Brasil (primavera do leste/MT), e conhecida por ter a maior frota agricola do BR, e o que nao falta e mansao de piloto agricola...kkkkkkkkkkkkkkk

É q lá existe muita gente da antiga... do tempo em q se ganhava bem.

Link to comment
Share on other sites

  • 1 year later...

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade