Jump to content

ANAC: uso compartilhado de balcão por aéreas


jambock

Recommended Posts

Meus prezados:

Anac publica resolução sobre uso compartilhado de balcão por aéreas

Empresas vão poder utilizar espaço ocioso de concorrentes nos aeroportos. Medida visa reduzir filas e tempo de espera de passageiros no check-in.

 

 

O Diário Oficial da União publicou nesta segunda-feira (28) resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que regulamenta o compartilhamento entre as empresas aéreas dos balcões de check-in nos aeroportos.

A medida tem o objetivo de aproveitar estrutura ociosa dos aeroportos para reduzir as filas e o tempo de espera dos passageiros para despachar bagagem.

O compartilhamento deve ser aplicado já no final deste ano, por conta do aumento do movimento de passageiros nos aeroportos.

 

Além dos balcões, as empresas também vão ter que compartilhar terminais de auto-atendimento para check-in, os chamados totens, e os terminais de controle de acesso de passageiros nos portões de embarque.

 

O compartilhamento, compulsório, vai ser decido pelo gestor do aeroporto. Todas as empresas aéreas estão sujeitas à determinação.

fonte: Fábio Amato Do G1, em Brasília, via CECOMSAER 29 nov 2011

Link to comment
Share on other sites

Compartilhar o check in tudo bem, agora toten? Como vão fazer isso se eles são diferentes? Sem contar que o auto atendimento tem uma janela enorme, seria impossível prever a demanda por companhia. Não acho justo também, visto que são equipamentos de patrimônio de cada empresa.

 

Em tempo, o compartilhamento já ocorre em alguns aeroportos, sem depender de caneta.

Link to comment
Share on other sites

Compartilhar o check in tudo bem, agora toten? Como vão fazer isso se eles são diferentes? Sem contar que o auto atendimento tem uma janela enorme, seria impossível prever a demanda por companhia. Não acho justo também, visto que são equipamentos de patrimônio de cada empresa.

 

Em tempo, o compartilhamento já ocorre em alguns aeroportos, sem depender de caneta.

 

Bom, a SITA oferece totens compartilháveis

Link to comment
Share on other sites

E despachar bagagem vai tudo numa esteira? Po, se vocês conhecessem a local de bagagens do TPS2 do GIG, ficariam assustados com tamanha coisa arcaica...

 

As bagagens descem pela esteira e caem numa mesinha onde são separadas manualmente... Mais de uma companhia compartilhando uma esteira no GIG fica complicado!

Link to comment
Share on other sites

E despachar bagagem vai tudo numa esteira? Po, se vocês conhecessem a local de bagagens do TPS2 do GIG, ficariam assustados com tamanha coisa arcaica...

 

As bagagens descem pela esteira e caem numa mesinha onde são separadas manualmente... Mais de uma companhia compartilhando uma esteira no GIG fica complicado!

 

Oi?! Manualmente você quer dizer "por uma pessoa", um "ser vivo"?? Que absurdo! E logo no TPS2 que é mais novo..

Link to comment
Share on other sites

 

Oi?! Manualmente você quer dizer "por uma pessoa", um "ser vivo"?? Que absurdo! E logo no TPS2 que é mais novo..

 

 

Darlan, você não tem idéia de como é... A local doméstica da vermelha dá pena... Não sei se das outras cias são assim... A esteira desemboca numa espécie de mesa. Lá, os funcionários da rampa separam as bagagens manualmente e as colocam nas pranchas referentes aos voos. É bem rudimentar mesmo.

 

 

Infelizmente é essa a realidade... E me vem a ANAC falar em compartilhar check-in... Brincadeira. No caso do GIG, deve virar desculpa para eles atrasarem mais ainda as intermináveis obras do TPS2.

Link to comment
Share on other sites

 

Bom, a SITA oferece totens compartilháveis

 

Mas acho muito desnecessário. O compartilhamento dos balcões se justifica pra aproveitar melhor o espaço do aeroporto, já que essa área demanda muito espaço, tem que ter grandes áreas de fila, num horário específico, etc. Agora os totens não, costumam ficar nos espaços das lojas de cada companhia, ocupando uma área muito pequena. E um passageiro em transferência por exemplo pode chegar horas antes e já querer adiantar seu check in. Sem contar que claro, a Infraero não vai adquirir esses equipamentos e entregar pras companhias.

Link to comment
Share on other sites

 

Mas acho muito desnecessário. O compartilhamento dos balcões se justifica pra aproveitar melhor o espaço do aeroporto, já que essa área demanda muito espaço, tem que ter grandes áreas de fila, num horário específico, etc. Agora os totens não, costumam ficar nos espaços das lojas de cada companhia, ocupando uma área muito pequena. E um passageiro em transferência por exemplo pode chegar horas antes e já querer adiantar seu check in. Sem contar que claro, a Infraero não vai adquirir esses equipamentos e entregar pras companhias.

 

Já eu acho muito útil. Isso deve evitar que tenhamos um mar de totens inúteis pelo aeroporto. Quem sabe isso também facilita a vida dos passageiros em trânsito entre voos internacionais, que, muitas vezes, conseguem despachar a mala por interline até o fim do itinerário, mas não consegue fazer o check-in para todo o trajeto, só que ao chegar ao aeroporto intermediário se depara com falta de alternativa de check-in por inexistência de balcão de transferência ou sua não operação por diversas horas do dia.

Falando em interline, outra coisa que a ANAC tinha de baixar é o interline compulsório entre todas as companhias regulares brasileiras com mais de 3% de market share.

Link to comment
Share on other sites

Não consigo entender como isso vai funcionar...

como sempre funcionou para as empresas aéreas sem area fixa

tem o terminal (normalmente da SITA), é feito o login para a empresa, carrega-se as impressoras com o material da empresa e cada operador de check-in anda com uma maletinha de itens de manutenção com o equipamento de check-in (tags e formulários).

lá fora essa é a regra.

E despachar bagagem vai tudo numa esteira? Po, se vocês conhecessem a local de bagagens do TPS2 do GIG, ficariam assustados com tamanha coisa arcaica...

As bagagens descem pela esteira e caem numa mesinha onde são separadas manualmente... Mais de uma companhia compartilhando uma esteira no GIG fica complicado!

caem em uma esteira, aonde os funcionários da rampa fazem a triagem de bagagem (e por isso você chama eles no rádio como "triagem"). pega-se as malas da empresa certa apenas.

e la caminhamos nos para uma sociedade sovietica, tudo igual, tudo compartilhado...

eu já disse e repito.

quero ver algo que o zedoscarro comemore. o cara mal-amado...

Link to comment
Share on other sites

Como ficam os computadores? será um com todos os sistemas que a TAM, GOL, Avianca, Webjet, NHT, e afins necessitam usar?? Normalmente nas salas de embarque cada empresa tem o seu ''carrinho'' que levam para o portao de embarque que for preciso.

 

abs,

Link to comment
Share on other sites

@Omykron

 

Mas por acaso achas normal isso? Uma empresa compra os seus totens e computadores com sistemas proprios, e vem a Infraero dizer que afinal tudo tem que ser igual e compartilhado?

Eu pelo menos nunca tinha visto algo parecido.

 

Ja agora como medida entao para "aliviar" os atrasos de fim de ano que tal obrigar as companias a levar pax das outras? Assim conseguimos elevar as capacidades dos nossos super aeroportos para 80M por ano...

 

Mas eh mais legal dizer que sou mal amado. Va la que nao disseram que o problema era eu nao ser russo...

Link to comment
Share on other sites

Como ficam os computadores? será um com todos os sistemas que a TAM, GOL, Avianca, Webjet, NHT, e afins necessitam usar?? Normalmente nas salas de embarque cada empresa tem o seu ''carrinho'' que levam para o portao de embarque que for preciso.

 

abs,

 

Os computadores... Ótima pergunta... Imaginem os lentiums com AMADEUS, sistema da gol, webjet, azul... Dividindo a mesma rede! Imagino que teria de ser desenvolvida uma plataforma em comum.

 

Não acredito que a Anac tenha pensado em tudo...

Link to comment
Share on other sites

Como ficam os computadores? será um com todos os sistemas que a TAM, GOL, Avianca, Webjet, NHT, e afins necessitam usar?? Normalmente nas salas de embarque cada empresa tem o seu ''carrinho'' que levam para o portao de embarque que for preciso.

 

abs,

Bastaria a empresa responsável pela infraestrutura criar áreas de serviço com os programas necessários para cada empresa em cada computador. isso é mais simples de se fazer do que é de se falar.

Além disso, a maioria das impressoras são atualmente de papel térmico, então é só padronizar o tamanho da bobina.

 

@Omykron

 

Mas por acaso achas normal isso? Uma empresa compra os seus totens e computadores com sistemas proprios, e vem a Infraero dizer que afinal tudo tem que ser igual e compartilhado?

Eu pelo menos nunca tinha visto algo parecido.

 

Ja agora como medida entao para "aliviar" os atrasos de fim de ano que tal obrigar as companias a levar pax das outras? Assim conseguimos elevar as capacidades dos nossos super aeroportos para 80M por ano...

 

Mas eh mais legal dizer que sou mal amado. Va la que nao disseram que o problema era eu nao ser russo...

Não só eu acho normal, mas o resto do mundo faz esse mesmo padrão de atendimento. check-in é common-use area.

Um exemplo são as areas de atendimento de empresas internacionais em GRU. ali é tudo common-use area. Tudo bem que a sita é que fornece os equipamentos, mas várias empresas usam os mesmos computadores e impressoras, inclusive no saguão de embarque sem problema algum.

 

e sim, isso deveria ser obrigação desde o começo da aviação no brasil. a área de check-in deve ser compartilhada. Os computadores dentro de um padrão e todas as empresas, via boot no sistema, faz o check-in no mesmo lugar. A própria mentalidade das empresas ao longo dos anos de concessão causou esse problema. as empresas tem um milhão de computadores que só servem para os seus interesses, e o aeroporto fica completamente engessado nos horários de pico.

 

em LHR é assim no tps1, 3 e 4: http://www.airport-int.com/article/london-heathrow-airport-and-arinc-roll-out.html

aqui tem um artigo falando sobre um dos primeiros sistemas de common-use kiosk

http://www.airport-int.com/article/common-use-self-service-kiosk-developments-cuss.html

 

Só um pouco de história, o uso de sistema CUTE (COMMON USE TERMINAL EQUIPMENT) é mais antigo do que vocês pensam. tem mais de 25 anos!

e o CUTE vai começar a sair do mercado em breve para dar lugar ao CUPPS (Common Use Passenger Processing System), com uma série de novos minimos para os sistemas se comunicarem com qualquer impressora em ambiente windows.

http://www.futuretravelexperience.com/2009/06/cupps-the-platform-of-the-future/

 

e o uso de aplicações CUTE começou em 1984, durante os jogos olimpicos de LOS ANGELES...

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade