Jump to content

Justiça determina que greve nos aeroportos não pode ter mais de 20% de funcionários parados


CabinCrew

Recommended Posts

21/12/2011 - 18h38

 

Justiça determina que greve nos aeroportos não pode ter mais de 20% de funcionários parados

 

 

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), João Oreste Dalazen, determinou que pelo menos 80% dos aeronautas (funcionários de empresas aéreas que trabalham embarcados) e aeroviários (que trabalham em terra) estejam em seus postos de trabalho nos dias que antecedem os feriados de Natal e Ano Novo. Se as duas categorias cumprirem a promessa de entrar em greve a partir das 23h de amanhã (22), apenas 20% dos trabalhadores poderão parar nos dias 23, 24, 29, 30 e 31 de dezembro.

 

A decisão da Justiça Trabalhista atende, em parte, ao pedido do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea), que requereu percentual mínimo de 90% de trabalhadores ativos durante a greve. Nos outros dias, o presidente do TST determinou a presença de 60% dos trabalhadores das duas categorias para garantir as operações nos aeroportos.

 

Em caso de descumprimento da decisão pelos sindicatos dos trabalhadores, o ministro Dalezan acatou o pedido das companhias aéreas e fixou multa diária de R$ 100 mil.

 

Inicialmente, os trabalhadores pleiteavam aumento salarial de 13%, mas as empresas ofereceram 3%. Na última sexta-feira (16), o caso foi parar na Justiça do Trabalho. Na primeira audiência de conciliação, que ocorreu na segunda-feira (19), não houve acordo: os trabalhadores reduziram a reivindicação para 8%, enquanto as empresas subiram a oferta para 6,17%, que corresponde à variação da inflação.

 

Fonte: UOL

Link to comment
Share on other sites

Bem, 80% de contigente fazendo uma operação padrão, iria sim dar MUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUITA dor de cabeça, uns atrasozinhos básicos de umas 10, 12 horas...

 

Agora o que ia ter de mala voando para dentro do check in.... fico até com pena do pessoal da linha de frente

Link to comment
Share on other sites

O engraçado é que, na hora de ameaçar frustrar o feriado do povão, a nossa atividade se torna, como justificou o presidente do TST, "essencial à sociedade". Pena que é assim, só na hora de justificar o sufocamento à greve. No resto do ano e das condições, não.

Link to comment
Share on other sites

O engraçado é que, na hora de ameaçar frustrar o feriado do povão, a nossa atividade se torna, como justificou o presidente do TST, "essencial à sociedade". Pena que é assim, só na hora de justificar o sufocamento à greve. No resto do ano e das condições, não.

 

 

Exato! Eh como falei. O metro tb eh essencial. Alias, muito essencial para a classe trabalhadora,mas qdo eles fazem greve em horario de pico, nao rola isso. Mas, juiz nao usa metro ne!

Link to comment
Share on other sites

O engraçado é que quando o poder judiciário faz greve para reenvidicar melhores salários, eles param por total.

 

Só os aeronautas são "essenciais a sociedade"

 

PQP, nós somos PHOdas mesmo, hein!?

Link to comment
Share on other sites

O engraçado é que quando o poder judiciário faz greve para reenvidicar melhores salários, eles param por total.

 

judiciário fazer greve? eles não precisam disso, é só querer que eles aumentam o salário em 100%, 150% em votação em caráter de urgência

Link to comment
Share on other sites

 

judiciário fazer greve? eles não precisam disso, é só querer que eles aumentam o salário em 100%, 150% em votação em caráter de urgência

 

Assim como fizeram os nobres vereadores de Campinas.

Link to comment
Share on other sites

depois as emrpesas aéreas dizem que não tem plano em caso de greve...eles não têm pq sabem que o plano é o gov abaixar a bunda e fazer o que elas querem... os cumpanheiros sindicalistas não têm culhão pra insuflar a categoria a parar geral, já que se fizerem isso será o rompimento com a polítiica sindical do governo federal que tem na CUT a grande agente da pelegada. O desatrelamento do SNA da CUT faria, por um lado, com que muitos privilégios sindicais fossem para o buraco tanto econômicos quanto políticos, por outro lado, se a vontade de mudar fosse diferente o SNA insuflaria a categoria, bancaria a greve agora e conseguiria se livrar do jugo da CUT e se aproximar da sua categoria...não adianta colocar no site que o trabalhador tem que se sindicalizar, se o trabalhador sequer sabe quem são seus diretores sindicais. É fácil pra um sindicato colocar a culpa da falat de movimentação política na apatia dos seus trabalahdores, mas os trab. têm que trabalhar e cuidar de suas vidas, e quem se dispôs a estar doando uma parte de sua vida a cuidar de assuntos políticos, isto é, coletivos, não pode se dar ao luxo de esperar o trab. aparecer..tem que ir até ele. falo isso pq o meu sindicato ainda é um dos poucos sindicatos combativos...não somos filiados a CUT e nem recebemos imposto sindical, mas é claro que com PSTU e PSOL o modelo de perspectiva sindical é o mesmo da CUT....só não estão no poder...

 

que o SNA rompa com a CUT e se volte para sua categoria..só assim essa palhaçada todo ano vai acabar..

Link to comment
Share on other sites

MÍNIMO DE SERVIÇO

 

TST determina que 80% dos aeroviários trabalhem

 

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro João Oreste Dalazen, deferiu nesta quarta-feira (21/12) liminar que obriga 80% dos aeronautas e aeroviários que não firmaram acordo com o sindicato patronal do setor a trabalhar nos dias 23, 24, 29, 30 e 31 de dezembro. Depois das festas de final de ano, se a greve se mantiver, o percentual de trabalhadores deverá se manter em, ao menos, 60%.

Se desrespeitarem a decisão liminar, o Sindicato Nacional dos Aeronautas, o Sindicato Nacional dos Aeroviários e os sindicatos dos aeroviários de Porto Alegre, Pernambuco e Garulhos, ligados à Central Única dos Trabalhadores (CUT), estarão sujeitos a multa de R$ 100 mil por dia de descumprimento.

Em sua decisão, Dalazen afirma que “e compreensível e respeitável a reivindicação das categorias profissionais, mas a população brasileira não pode ser prejudicada pela carência de um serviço público essencial".

Nessa terça-feira (20/12), o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (SNEA) havia firmado acordo com a Federação Nacional dos Trabalhadores em Transporte Aéreo, entidade ligada à Força Sindical com representatividade no Rio de Janeiro, em São Paulo e no Amazonas, para que não houvesse greve.

Os sindicatos que não pactuaram o acordo declararam que a greve terá início às 23h do dia 22. O SNEA requereu ao TST, além da manutenção de 80% dos trabalhadores em seus postos de trabalho, que a greve fosse declarada abusiva. Com informações da Assessoria de Imprensa do TST.

Link to comment
Share on other sites

A serio estou FARTO desta palhaçada.

Estou de acordo com o que um colega acima falou: andam a brincar conosco, entao vamos la fazer uma operacao padrao para esses brincalhoes verem o incendio que estao a criar...

Link to comment
Share on other sites

A serio estou FARTO desta palhaçada.

Estou de acordo com o que um colega acima falou: andam a brincar conosco, entao vamos la fazer uma operacao padrao para esses brincalhoes verem o incendio que estao a criar...

 

o problema é que o sindicato ou os trabaçlhadores por fora banquem isso...o que não dá é ficar refém dessa estrutura jurídica unilateral e parcial...o direito jamais vai substituir a mobilização política. se rola mobilziação nçao tem advogado, juiz e presidente que dê jeito! mas tem que bancar..e duvido que o sindicato, como ta atrelado á CUT banque essa..

Link to comment
Share on other sites

Exato! Eh como falei. O metro tb eh essencial. Alias, muito essencial para a classe trabalhadora,mas qdo eles fazem greve em horario de pico, nao rola isso. Mas, juiz nao usa metro ne!

 

Pior que não, as duas últimas greves do Metro e da CPTM eles foram sim obrigados a rodar com pelo menos 80% de efetivo nos horários de pico, tanto que o povo nem notou a greve...

 

Agora aquelas do passado, quando todo mundo tinha que voltar a pé pra casa, aquelas foram de fato, muito problemáticas..

 

E tipo sem querer falar, mas acho que confundiram o Legislativo com o Judiciário. Quem pode aumentar a bel prazer (segundo o teto de um minístro do STF) o salário são os vereadores, deputados e senadores que fazem parte do poder legislativo. O Judiciário não tem esse poder, mas normalmente são bem remunerados, um tecnico judiciário (nivel médio) na maior parte dos tribunais ganha mais que R$ 3500, se for analista (nivel superior) o dobro disso, se for juiz, fica na casa dos 20 mil, e assim sucetivamente...

Link to comment
Share on other sites

Empresas aeroviárias pedem ao TST que mantenha 90% dos postos ativos nas vésperas do Natal e Réveillon

 

O Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (SNEA) requereu ao presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro João Oreste Dalazen, que seja declarada abusiva a greve anunciada pelos sindicatos dos aeronautas e aeroviários, com o início previsto para as 23h de amanhã (22/12).

 

Além da declaração da greve como abusiva, o SNEA pedem à Presidência do TST que seja determinada aos sindicatos a manutenção de, no mínimo, 80% dos postos de trabalho em atividade durante o período de greve, com o aumento do percentual para 90% nos dias 23, 24, 29 e 30 deste mês. O SNEA ainda solicita que, caso ocorra descumprimento da decisão, haja pagamento de multa no valor de R$ 100 mil. O pedido está sendo analisado pelo ministro João Oreste Dalazen.

 

No último dia 19, o sindicato patronal e dos trabalhadores do setor se reuniram no TST em audiência de conciliação e instrução dos dissídios coletivos. Na oportunidade, a ministra Cristina Peduzzi, vice-presidente do TST e instrutora dos dissídios, chegou a propor que se fechasse acordo em torno de um índice de reajuste de 8%. Os sindicatos representantes das categorias profissionais -que reivindicavam, na inicial dos dissídios coletivos, reajuste de 13% - chegaram a aceitar a proposta, mas o SNEA insistiu em conceder apenas o IPC do período, de 6,17%. Diante do impasse, as categorias confirmaram a intenção de iniciar greve a partir do dia 22, quinta-feira.

 

Os representantes do SNEA afirmaram, ao longo de toda a negociação no TST, não ter condições de conceder aumento real -ou seja, acima do IPC. O subprocurador-geral do Trabalho Francisco Gérson Marques de Lima apelou para que as empresas levassem em consideração a perspectiva de aumento de receita nos próximos anos, com a realização no Brasil da Copa do Mundo, mas seu apelo não foi atendido

 

O advogado do Sindicato Nacional dos Aeronautas informou à ministra Cristina Peduzzi que as duas categorias aprovaram a deflagração da greve a partir das 23h do dia 22, e se comprometeram a manter apenas 20% das atividades em funcionamento. Na falta de acordo, foi sorteada relatora dos dissídios a ministra Dora Maria da Costa.

Link to comment
Share on other sites

Agora é 90%? Legal, ótimo a todos! Pel menos é assim, se não fosse coitados dos passageiros!

Acho que só no Brasil há "greves" onde 80 ou 90 por cento dos trabalhadores não pode parar...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Impasse ameaça viagens de fim de ano

 

A situação do aeroporto Pinto Martins estava normalizada até a noite de ontem. Sindicato anunciou greve em Fortaleza e mais quatro capitais

 

radar.jpg

Em Fortaleza, situação era de tranquilidade e expectativa (GABRIEL GONÇALVES )

Incerteza nos aeroportos no período de maior divisão do ano. Os trabalhadores estão divididos e há ameaça de muita dor de cabeça a quem pretende viajar.

Funcionários das companhias aéreas que trabalham no solo, os aeroviários, não aceitaram a última proposta do Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (Snea) e anunciaram greve nos aeroportos de Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Belo Horizonte e Fortaleza no fim da tarde de ontem. A proposta do Snea era de reajuste salarial de 6,5%. O Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA) pede aumento de 10%.

 

Como não há unidade nacional da categoria, alguns sindicatos foram na contramão e descartaram greve. Foi o que ocorreu nos aeroportos paulistas de Cumbica (Guarulhos) e Congonhas. O compromisso de não parar, nesses aeroportos, aconteceu horas depois de paralisação surpresa de três horas atrasar voos em Congonhas - e de a Justiça obrigar os trabalhadores a manter 80% do efetivo na ativa pelo menos até o dia 1º.

 

No aeroporto Pinto Martins, em Fortaleza, a movimentação era tranquila até às 21 horas de ontem. Os supervisores da Infraero que estavam no local apostavam que não haveria interrupção do trabalho, mas garantiam estar preparados para evitar o caos aéreo. “Provavelmente não vai haver (paralisação), e se houver as companhias tem planos de contingência” explicou um dos supervisores da Infraero que preferiu não se identificar.

 

Alguns funcionários de companhias aéreas aguardavam informações sobre a greve. A Justiça do Trabalho determinou que, no mínimo, 80% dos trabalhadores devem estar a postos nos dias 23, 24, 29, 30 e 31, para atender à movimentação de Natal e Ano Novo. Caso a determinação não seja cumprida, a multa diária é de R$ 100 mil.

 

A entidade que representa os trabalhadores que atuam dentro dos aviões, como pilotos e comissários, o Sina (Sindicato Nacional dos Aeronautas) aceitou a proposta feita ontem pelas empresas aéreas, de reajuste de 6,5% e suspendeu a greve que estava marcada para começar às 23h de hoje. (com agências)

FONTE: http://www.opovo.com.br/app/opovo/radar/2011/12/23/noticiaradarjornal,2362321/impasse-ameaca-viagens-de-fim-de-ano.shtml

 

 

Aeroportos têm movimento tranquilo na manhã desta sexta, diz Infraero

 

Aeroviários paralisam atividades em cinco aeroportos nesta sexta (23).

Aeronautas aceitaram propostas das empresas e desistiram de greve.

 

 

O movimento nos aeroportos na manhã desta sexta-feira (23) é tranquilo, segundo a Infraero.

[/left]

Até as 8h, dos 589 voos domésticos, 66 (11,2 %) apresentaram atraso e 20 (3,4 %) foram cancelados.

[/left]

Dos 54 (9,3 %) voos internacionais, 5 ( 9,3 %) tiveram atraso até as 8h e 2 (3,7 %) tiveram cancelamento.

[/left]

Aeroviários (trabalhadores das companhias aéreas em solo) de cinco aeroportos brasileiros decidiram paralisar as atividades no final da tarde desta quinta-feira (22), segundo informações do Sindicato Nacional dos Aeroviários.

[/left]

A paralisação, de acordo com a entidade, afeta os aeroportos do Galeão, no Rio de Janeiro, Fortaleza, Salvador, Brasília e Confins (Belo Horizonte). O sindicato afirma que a manifestação é organizada pelos próprios aeroviários, independente da entidade.

[/left]

Também nesta quinta, os sindicatos dos aeronautas (funcionários em voos) filiados à Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil (Fentac/CUT) decidiram em assembleias aceitar a proposta de reajuste salarial de 6,5% e 10% de alta nos pisos, apresentada pelo Snea. Com isso, a greve programada para ter início às 23h desta quinta foi cancelada.

[/left]

Inicialmente, eles pediam um reajuste salarial de 10%. No decorrer das negociações, entretanto, ambas as categorias concordaram que poderiam baixar o pedido para um reajuste de 7%, desde que o vale refeição e a cesta básica fossem reajustados em 10% (o que as companhias aéreas concordaram). O que emperrou as tratativas foi que depois as empresas aéreas aceitaram somente um reajuste de 6,17% - relativo à variação do INPC - uma diferença de 0,83%.

[/left]

De acordo com Uébio José da Silva, presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Aéreos, os aeronautas do município de São Paulo, da base da Força Sindical, também não entrarão em greve.

[/left]

[/left]

reuniao620.jpgReunião no TRT entre aeroviários de SP e empresas terminou sem acordo (Foto: Darlan Alvarenga/G1)

[/left][/left]

Link to comment
Share on other sites

Olha só, eu n falei nada p q eu n queroi discutir mas...

 

Ta saindo agora um voo para BSB, se eles me transferissem para esse voo eu poderia pegar o BSb - JPA que sai as 23h50...

 

Mas não, aí dizem que ta dentro da janela, depois eu n chego e vou dar um gasto muito maior com hospedagem, alimentação, etc etc etc ...

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade