Jump to content

Delta Airlines de olho em propostas para American Airlines.


lichmann

Recommended Posts

Delta, TPG Assessing Bids for American Airlines Parent

 

Delta Air Lines Inc. and private equity firm TPG Capital are separately assessing possible bids for American Airlines parent AMR Corp., with hopes that AMR's troubles present another opportunity for airline consolidation, people familiar with the matter said.

 

AMR filed for bankruptcy court protection in late November and is in the midst of restructuring its debt and cutting labor costs after it. Any bid for AMR likely would come several months from now. AMR could use the bankruptcy process to shed a trove of obligations that a buyer might be hesitant to assume.

 

 

Fonte: http://online.wsj.co...rview_wsjlatest

 

Eu acho mais fácil uma fusão com a US Airways depois da restruturação.

Link to comment
Share on other sites

Não sei por que a Delta está se metendo nessa. Nunca seria aprovada uma compra da American completa. Juntas elas trariam um nível de concentração sem precedentes em Nova Iorque. Sem chances, esqueçam.

A Delta só consegue comprar fatias da American.

Link to comment
Share on other sites

Delta pode comprar a American Airlines, diz WSJ

Segundo o Wall Street Journal, com repercussões já em toda a mídia americana, a Delta Air Lines estuda fazer uma proposta aos juizes que cuidam da recuperação judicial da American Airlines para comprar a empresa aérea. A junção da segunda maior companhia (DL) com a terceira (AA) criaria a maior companhia aérea do mundo, ultrapassando a United, fruto da união de United Airlines e Continental.

 

Seria a segunda fusão da Delta em poucos anos, já que a companhia, em 2008, iniciou uma junção com a Northwest.

 

A reportagem também cita possíveis propostas da US Airways e de um fundo, o TPG Capital. E ressalta que nesses casos de concordata há muitos boatos e especulações. Alimentados pela política do "nada a comentar" de todos os envolvidos. A união de Delta e American, além de criar uma gigante do setor, fortaleceria a presença da Delta no Nordeste americano, América Latina e Europa. As ações da Delta subiram após a publicação da reportagem.

 

http://www.panrotas.com.br/noticia-turismo/aviacao/delta-pode-comprar-a-american-airlines-diz-wsj_74702.html

Link to comment
Share on other sites

Fonte Terra

 

As companhias aéreas americanas Delta e US Airways vêm estudando, separadamente, a possibilidade de adquirir sua concorrente American Airlines, que se declarou em moratória em novembro, assegura nesta quinta-feira o The Wall Street Journal.

 

De acordo com o diário, a firma de investimento TPG Capital também estaria analisando a compra. Segundo fontes ligadas às companhias citadas pelo jornal, a Delta contratou o grupo Blackstone para receber consultoria financeira enquanto analisa uma potencial oferta de compra pela AMR, a matriz da American Airlines.

 

Por sua parte, o grupo US Airways também solicitou a seus assessores ajuda para estudar uma possível oferta pela AMR, segundo outras fontes citadas pelo diário financeiro.

Após sua fusão com a Northwest Airlines em 2008, a Delta se tornou a maior companhia aérea do mundo - posto arrebatado dois anos mais tarde pela United Continental -, pelo que a aquisição da American Airlines pode encontrar a oposição das autoridades.

 

Por outra parte, o The Wall Street Jounal assegura que a firma de investimento TPG Capital, com experiência na indústria do transporte aéreo, também está estudando uma possível oferta pela American Airlines e inclusive já expressou aos responsáveis da companhia seu interesse por ela.

 

A American Airlines, que já foi a maior companhia aérea dos Estados Unidos e agora aparece no terceiro posto do setor, recorreu em 29 de novembro à moratória para reestruturar sua avultada dívida, reduzir seus custos e tentar voltar a ser competitiva.

 

A AMR, matriz da American Airlines, era uma das poucas grandes companhias aéreas dos Estados Unidos que não haviam recorrido ainda ao Capítulo 11 da Lei de Quebras, como fizeram há alguns anos suas rivais Delta, United Airlines (agora United Continental) e US Airways.

 

O aumento dos custos trabalhistas, o fracasso das negociações com seus pilotos nos últimos meses e o encarecimento do combustível tornaram impagável a enorme dívida da American Airlines, de US$ 29,55 bilhões, enquanto seus ativos somam US$ 24,72 bilhões.

Link to comment
Share on other sites

A Delta não tá com esta bola toda para comprar uma empresa como a American. O que acho viável é ela comprar parte dos ativos que a AA se disponha a vender (aviões, slots, terminal . . .).

 

Principalmente os slots de LGA.

Link to comment
Share on other sites

American Airlines vira alvo de compra de rivais

 

 

Por GINA CHON, SUSAN CAREY e MIKE SPECTOR

 

OB-RI991_0112am_G_20120112133704.jpg

European Pressphoto Agency

 

Potenciais compradores começaram a cobiçar a American Airlines e estudar ofertas por sua matriz, num processo que pode colocar a deficitária companhia aérea nas mãos de um concorrente ou de uma firma de investimento em participações.

 

Pessoas a par da situação disseram que a Delta Air Lines Inc., a US Airways Group Inc. e a TPG Capital estudam fazer ofertas separadas pela AMR Corp., que, há dois meses, se tornou a última das grandes companhias aéreas americanas tradicionais a entrar em concordata depois de uma década de consolidação no setor dos Estados Unidos.

 

A American Airlines, fundada há mais de oito décadas, dá prejuízo desde 2008. Mas livre de seus custos onerosos, a terceira maior companhia aérea dos EUA em tráfego pode ser um troféu atraente para a Delta ou a US Airways, já que contam com centrais em aeroportos como os de Chicago e Dallas e forte presença internacional.

 

Uma aquisição da American seria talvez a última grande mudança numa onda de consolidação das companhias aéreas que reduziu o número de grandes empresas americanas do setor, de quase 15 há duas décadas, para as atuais cinco.

 

Mas qualquer acordo teria complicações consideráveis e provavelmente passaria por uma avaliação rigorosa das autoridades antitruste.

 

A TPG Capital prefere cooperar com um sócio estratégico para um possível investimento na AMR, disseram algumas das pessoas a par da questão. A empresa, que tem ampla experiência com a indústria de aviação civil, já entrou em contato com a AMR para expressar seu interesse, disseram elas.

 

A Delta contratou a Blackstone Group como consultora financeira para estudar uma possível oferta pela AMR, disseram pessoas familiarizadas com a situação. A Blackstone ajudou a Delta a se reestruturar após a concordata dela, em 2005. A US Airways também contratou consultores para ajudá-la a estudar uma possível oferta pela AMR, disseram pessoas a par da movimentação.

 

Qualquer oferta pela AMR provavelmente ainda demorará muitos meses para ser oficializada, disseram as pessoas a par da questão, e dependerá da capacidade de usar o processo de reestruturação judicial pela lei americana de concordatas para diminuir os custos trabalhistas, eliminar aviões indesejados e baixar o custo de seus contratos com fornecedores.

 

A venda da AMR exigiria a aprovação de um juiz do tribunal de concordatas e a participação de envolvidos, como os credores da companhia aérea, entre eles a Pension Benefit Guaranty Corp., a autoridade que fiscaliza os planos de aposentadoria dos EUA, a Boeing Capital Corp. e os sindicatos de pilotos. A reestruturação da AMR pode demorar de 12 a 18 meses, e talvez até mais, segundo pessoas familiarizadas com a situação.

 

O novo diretor-presidente da AMR, Tom Horton, afirmou num comunicado aos funcionários na quinta-feira que a empresa está preparando seu plano de reestruturação empresarial e propostas para novos contratos trabalhistas e espera apresentá-los "nas próximas semanas". Ele voltou a alertar que as mudanças seriam "difíceis", como fez no último memorando aos funcionários. Horton não comentou o possível interesse de outras empresas numa fusão e um porta-voz também não quis falar sobre isso.

 

A indústria americana de aviação civil começou a se consolidar quase no mesmo momento em que decolaram os primeiros aviões de passageiros, mas o processo se acelerou fortemente nos últimos anos, motivado por uma série de pedidos de falência. As companhias aéreas combinadas que surgiram desse processo se tornaram mais disciplinadas nos seus custos e no número de assentos que oferecem, e conseguiram aumentar suas passagens para cobrir a alta histórica no preço do combustível. Essas mudanças tornaram o setor mais lucrativo em 2010 e 2011, o que aumentou a pressão para que a AMR adote medidas semelhantes.

Link to comment
Share on other sites

O pessoal da AMR tem um orgulho que pode até impedir qualquer outra companhia de efetuar uma compra, talvez o TPG ou outro fundo tenham mais chances de compra do quê uma aquisição por parte de uma aérea.

 

Bem, começam como simples boatos, passam meses e uma fusão pode ser anunciada, no aguardo.

Link to comment
Share on other sites

O pessoal da AMR tem um orgulho que pode até impedir qualquer outra companhia de efetuar uma compra, talvez o TPG ou outro fundo tenham mais chances de compra do quê uma aquisição por parte de uma aérea.

 

Bem, começam como simples boatos, passam meses e uma fusão pode ser anunciada, no aguardo.

 

Pois é, na minha opinião a cultura das empresas será o maior emprecilho em um negócio como este.

Quem já fez negócios com ambas percebe claramente que a cultura corporativa da Arrogant Airlines é totalmente divergente da DL, que é mais humana, talvez por já ter passado por vacas mais magras.

Link to comment
Share on other sites

A Delta não tá com esta bola toda para comprar uma empresa como a American.

 

A American (quer dizer, a "empresa-mãe" AMR Corp.) por ter entrado em processo de falência, e especialmente por ter uma dívida maior do que os ativos (algo como US$ 30 bilhões em dívidas para US$ 25 Bilhões em Ativos), está a "preço de banana" - se não me engano por algo como US$ 300 milhões (talvez menos) alguém pode assumir a companhia...

 

A questão é torná-la lucrativa para não acabar com bilhões em dívidas no colo e não ter como pagar...

 

O pessoal da AMR tem um orgulho que pode até impedir qualquer outra companhia de efetuar uma compra

 

O problema é que a própria AMR que está em processo de concordata - ou seja, se alguém fizer uma oferta pelas ações e conseguir a adesão de mais de 51% dos acionistas, bye-bye diretores da AMR...

 

Então creio que é apenas uma questão de tempo para alguém "levar" a AMR, seja Delta, US e essa TPG Capital...

 

Também aposto mais na US Airways, pois a junção com a AA significaria ganhar musculatura para brigar com a United, a Delta e mesmo a Southwest...e para a AA talvez seria melhor, pois creio que manteriam a marca e a maior parte da estrutura da American Airlines...e creio que nesse caso a US Airways sairia da Star, até porque já tendo a United/Continental lá não faz muito sentido ter mais uma companhia americana junto...

Link to comment
Share on other sites

 

A American (quer dizer, a "empresa-mãe" AMR Corp.) por ter entrado em processo de falência, e especialmente por ter uma dívida maior do que os ativos (algo como US$ 30 bilhões em dívidas para US$ 25 Bilhões em Ativos), está a "preço de banana" - se não me engano por algo como US$ 300 milhões (talvez menos) alguém pode assumir a companhia...

 

A questão é torná-la lucrativa para não acabar com bilhões em dívidas no colo e não ter como pagar...

 

 

 

O problema é que a própria AMR que está em processo de concordata - ou seja, se alguém fizer uma oferta pelas ações e conseguir a adesão de mais de 51% dos acionistas, bye-bye diretores da AMR...

 

 

 

Então, é sobre a própria AMR que estamos falando. Ela consegue ser até mais arrogante que a FRB.

Porque não entraram em concordata antes?

Porque não iniciaram o processo de mordenização antes?

 

Uma década atrás era a maior empresa Norte-Americana, hoje se tornou uma combalida AA e perdeu muito mercado domestico, onde 0,0alguma coisa %, já é uma perda enorme e um mercado tão concorrrido.

Link to comment
Share on other sites

O problema é que a própria AMR que está em processo de concordata - ou seja, se alguém fizer uma oferta pelas ações e conseguir a adesão de mais de 51% dos acionistas, bye-bye diretores da AMR...

 

Precisa da adesão dos credores, não dos acionistas. Com a empresa em concordata os acionistas agora não apitam mais nada, não a tôa as ações da AMR estão sendo cotadas em centavos.

 

Se os credores acharem que a melhor forma deles receberem pelo menos uma parte do que a AMR está devendo é manter a empresa, a AA continua independente. Mas se eles acharem que com a Delta (ou a USAir ou um investidor) eles vão receber mais, a transação é feita independente do consentimento dos atuais acionistas. Como aparentemente existe mais de um interessado os credores devem fazer um "leilão" entre as partes para saber quem oferece mais, e por isso acho que com todo esse interesse a AA dificilmente vai continuar como empresa independente.

 

Acho também que se a USAir comprar a AA, pode ser que ela escolha manter somente a marca American Airlines e migre a empresa toda para a OneWorld, e não o contrário como seria talvez esperado.

Link to comment
Share on other sites

A Delta não tá com esta bola toda para comprar uma empresa como a American. O que acho viável é ela comprar parte dos ativos que a AA se disponha a vender (aviões, slots, terminal . . .).

 

A345 na verdade ela tem e de sobra. A Delta tem uma posição de caixa invejável e a compra da American faria muito sentido para ela e seus planos globais, com o acesso adicional a Londres e América Latina, além de matar a OneWorld.

 

Obvio que certamente se fariam restrições, mas um duopólio nos EUA nos dias atuais... até que seria aceito com algumas restrições (acredito eu slots em Miami, Nova York, Londres e São Paulo)

Link to comment
Share on other sites

 

A345 na verdade ela tem e de sobra. A Delta tem uma posição de caixa invejável e a compra da American faria muito sentido para ela e seus planos globais, com o acesso adicional a Londres e América Latina, além de matar a OneWorld.

 

Obvio que certamente se fariam restrições, mas um duopólio nos EUA nos dias atuais... até que seria aceito com algumas restrições (acredito eu slots em Miami, Nova York, Londres e São Paulo)

 

Neste cenario a OW ficaria sem chao e abriria as portas para a LATAM entrar na Star uma vez que a representacao nos EUA ficaria nula e justamente em MIA e JFK, cidades onde a LATAM nascera fortissima nao teria distribuicao,uma vez que a AA passaria para a Skyteam....e a Skyteam nao aceitara a LAtam,uma vez que a GOL agora e socia da Delta,ne?

 

Muito provavel que ocorra a compra pela Delta,mas e a United.....sera que ela consegue abocanahar a AA ?

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade