Jump to content

Bombardier completa montagem da fuselagem primeiro CSeries


luciano_katia

Recommended Posts

Bombardier confirms the final section for the CSeries structural test aircraft will be delivered to the Montreal factory by the end of the month, and final assembly should be "pretty much complete" by the end of October.

 

With the first flight test vehicle (FTV-1) following in production, finishing the complete airframe static test (CAST) aircraft is a critical step towards reaching first flight in less than 107 days.

 

Bombardier is encouraged that its CSeries manufacturing team completed assembly of the CAST fuselage more than 50% faster than expected, says Rob Dewar, vice president and general manager for CSeries.

 

"This was the first time we used a manufacturing team to assemble a structural test article and the reason we did that was for them to get the learning," Dewar says. "They did it in less than half the time planned."

 

 

 

The schedule appears to have slipped slightly from dates provided by programme officials in late June. At that time, Dewar said the CAST would be assembled in September and static testing would begin in October.

 

Although Bombardier's schedule still calls for first flight by end-year, top executives have said that a three to six-month slip would not be considered a true delay by customers.

 

Mike Arcamone, president of Bombardier Aerospace, has instead focused attention on the entry-into-service milestone with an undisclosed launch customer by the end of 2013.

 

The entry-into-service date is usually expected to follow about 12 months after first flight, but Bombardier has invested heavily in ground simulation systems that could shorten the timeline to achieve airworthiness certification.

 

In August, Bombardier fully activated the integrated systems test and certification rig (ISTCR), which the company considers the most advanced "iron bird" ground simulator ever built in the aerospace industry. Running simulations on the ISTCR could validate airworthiness tests that would otherwise have to be validated in flight tests. The amount of the credit will depend on continuing negotiations with Transport Canada, the certification authority for the CSeries.

 

"It's all contingent on the correlation of the representation of how the systems test on the ground versus how it works in the air," Dewar says. "So, if they correlate, then we'll be able to get credit for the various tests."

 

 

 

 

 

Tradução Google Crhome

 

 

 

Bombardier confirma a seção final para o CSeries aeronave de teste estrutural será entregue à fábrica de Montreal até o final do mês, ea montagem final deve ser "praticamente concluída" até o final de outubro.

 

Com o veículo primeiro teste de voo (FTV-1) seguindo em produção, terminando o teste de estrutura completa estático (CAST) aeronave é um passo crítico no sentido de atingir o primeiro vôo em menos de 107 dias.

 

Bombardier é incentivado que sua equipe de produção CSeries concluída a montagem da fuselagem lançar mais de 50% mais rápido do que o esperado, diz Rob Dewar, vice-presidente e gerente geral para CSeries.

 

"Esta foi a primeira vez que usamos uma equipe de produção para montar um artigo de teste estrutural eo motivo que fez que foi para eles a aprendizagem", diz Dewar. "Eles fizeram isso em menos de metade do tempo previsto".

 

 

 

O calendário parece ter deslizado um pouco de datas previstas por funcionários do programa no final de junho. Naquela época, Dewar disse que o elenco seria montado em setembro e teste estático iria começar em outubro.

 

Embora cronograma da Bombardier ainda chama para o primeiro vôo no final do ano, os principais executivos disseram que um deslizamento três a seis meses, não seria considerado um verdadeiro atraso pelos clientes.

 

Mike Arcamone, presidente da Bombardier Aerospace, tem se concentrado a atenção no marco entrada em serviço com um cliente de lançamento não divulgada até o final de 2013.

 

A data de entrada em serviço, é normalmente esperado para acompanhar cerca de 12 meses após o primeiro vôo, mas Bombardier tem investido fortemente em sistemas de simulação de terra que poderia encurtar o cronograma para obter a certificação de aeronavegabilidade.

 

Em agosto, a Bombardier totalmente ativado o teste de sistemas integrados e certificação rig (ISTCR), que a empresa considera o mais avançado "ferro pássaro" simulador de terra já construído na indústria aeroespacial. Execução de simulações no ISTCR poderia validar testes de aeronavegabilidade que de outra forma teriam de ser validado em testes de vôo. O valor do crédito dependerá prosseguimento das negociações com a Transport Canada, a autoridade de certificação para o CSeries.

 

"É tudo depende da correlação da representação de como o teste de sistemas no solo versus como ele funciona no ar", diz Dewar. "Então, se eles estão correlacionados, então nós vamos ser capazes de obter crédito para os vários testes."

 

 

 

 

http://www.flightglo...uselage-376523/

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade